Governo do estado de
Pernambuco

Blog

 

Advogado deixa o comando da Fundarpe, que passa a ser presidida interinamente por Severino Pessoa 

O presidente da Fundarpe, Marcelo Canuto, vai assumir a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH) do Governo de Pernambuco. O ato de nomeação do novo secretário será publicado no Diário Oficial desta quinta-feira. Marcelo Canuto substitui Eduardo Gomes Figueiredo, que estava respondendo pelo expediente da SJDH, desde dezembro do ano passado. Severino Pessoa, atual vice-presidente da Fundarpe, vai exercer interinamente o comando da fundação. 

Na gestão Eduardo Campos, Marcelo Canuto foi secretário especial de Articulação Social do Estado, secretário executivo de Articulação Parlamentar da Casa Civil e secretário de Cultura. Antes de assumir a presidência da Fundarpe, no Governo Paulo Câmara, Canuto comandou a Secretaria Executiva de Coordenação da Casa Civil. 

“Marcelo Canuto tem mais de trinta anos de dedicação ao serviço público, sempre em funções de interlocução com a sociedade. Tenho certeza que ele vai contribuir muito com nossa gestão na Secretaria de Justiça e Direitos Humanos. Quero também aproveitar para agradecer ao secretário Eduardo Gomes de Figueiredo pelo seu trabalho nesse período de transição à frente da pasta”, afirmou o governador Paulo Câmara. 

 

 

O governador Paulo Câmara assinou, nesta quinta-feira (24.02), um protocolo de intenções com o prefeito do Recife, João Campos, para instalação do Memorial da Democracia, no casarão histórico situado dentro do Sítio da Trindade, na zona norte da capital pernambucana. O acordo celebrado hoje marca o início das atividades do ano da Comissão Estadual da Memória e Verdade Dom Helder Câmara, instituído pela Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe).   

O Memorial da Democracia vai abrigar todo o acervo reunido pela comissão e informações sobre as lutas libertárias ocorridas no Estado. São documentos, fotos, vídeos e o relatório da comissão, que contam a história do período da ditadura e da luta por liberdade e democracia. A instalação do memorial no Sítio da Trindade é uma recomendação do grupo de trabalho “Memorial da Democracia de Pernambuco", vinculado à Vice-Governadoria.   

“O objetivo é que o memorial se transforme em um espaço de visitação, pesquisa e reflexão, que promova ações relacionadas à educação. Que contribua para o exercício da cidadania, a valorização dos direitos humanos e o fortalecimento contínuo da democracia”, destacou Paulo Câmara.  

De acordo com a vice-governadora Luciana Santos, é necessário conhecer o passado para construir um futuro melhor. "Por isso é tão importante termos em Pernambuco este espaço", observou. "O memorial será um espaço educativo, dinâmico e um ponto de partida para uma política pública de memória, que amplie para outros municípios o conhecimento das gerações futuras", completou o coordenador do grupo de trabalho, Manoel Moraes.   

Estiveram presentes à assinatura do protocolo de intenções os secretários estaduais Gilberto Freyre Neto (Cultura), Eduardo Figueiredo (Justiça e Direitos Humanos) e Humberto Freire (Defesa Social); os secretários do Recife Ricardo Mello (Cultura) e Ana Rita Suassuna (Desenvolvimento Social, Juventude, Políticas sobre Drogas e Direitos Humanos); o presidente da Fundarpe, Marcelo Canuto; e os integrantes do grupo de trabalho “Memorial da Democracia de Pernambuco”.   

Também participaram do ato os deputados estaduais Isaltino Nascimento, Antônio Fernando e Laura Gomes; o presidente da Câmara Municipal do Recife, Romerinho Jabotá; a vereadora Cida Pedrosa; o reitor da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Marcelo Carneiro Leão; o padre Josenildo Tavares, representando o arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido; Nara Santos, representando a Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados Seccional Pernambuco (OAB-PE); e Marcelo Santa Cruz, representando os familiares de presos políticos. 

 
Com cerca de cinco mil expositores, evento segue até o próximo dia 19 de dezembro, homenageando o Movimento Armorial, e o escritor e dramaturgo Ariano Suassuna
 
O governador Paulo Câmara e a primeira-dama Ana Luiza visitaram, nesta sexta-feira (10.12), a 21ª Feira Nacional de Negócios do Artesanato – Fenearte, no Pavilhão do Centro de Convenções, em Olinda. O evento segue até o próximo dia 19 de dezembro, reunindo cinco mil expositores de todo o Brasil e de mais 21 países. A edição deste ano tem como tema “É Festa no Reino da Arte”, homenageando o Movimento Armorial e o escritor e dramaturgo Ariano Suassuna, um dos seus idealizadores, já falecido. Este ano também é celebrado o cinquentenário do romance “A Pedra do Reino”, de autoria de Ariano, lançado em 1971, um dos ícones estéticos do movimento.
 
“Estamos muitos felizes de estar aqui prestigiando tantos artistas e artesãos que vem não apenas de Pernambuco, mas também de outros Estados e países. Pernambuco tem essa tradição, esse artesanato tão rico, as artes e a cultura, e a Fenearte representa tudo isso neste espaço. Estamos dando essa oportunidade ao povo de Pernambuco, no final de 2021, de fazer uma grande feira”, afirmou Paulo Câmara.
 
Com um investimento de R$ 7 milhões e a expectativa de receber mais de 200 mil visitantes, a Fenearte vai gerar cerca de 2,5 mil postos de trabalho temporário e movimentar cerca de R$ 40 milhões. Entre as novidades deste ano estão a praça de alimentação repaginada e a Cozinha Fenearte, com aulas de chefs renomados; a ampliação da acessibilidade; oficinas inéditas; programação artística inteiramente focada na cultura pernambucana; e a plataforma Fenearte, com bastante conteúdo desenvolvido ao longo do evento e vitrine de produtos.
 
“Estamos todos com uma grande expectativa para realização desta edição. A Fenearte sempre é uma grande oportunidade de bons negócios, principalmente para o artesão pernambucano, porque além de ele comercializar aqui durante os dez dias de feira, também torna possível a ele receber encomendas e produzir durante o ano todo”, ressaltou a coordenadora da Fenearte, Márcia Souto.
 
Muitos são os protagonistas, mas quem dá as boas-vindas aos visitantes são os 64 artistas pernambucanos reunidos na Alameda dos Mestres. O mestre Fernandes Rodrigues, natural de Vitória de Santo Antão, na Mata Sul, participa desde 2004. Ele enfatizou a emoção de estar de volta à maior feira de artesanato da América Latina. “É uma emoção muito grande poder voltar à Fenearte e dizer que é o maior movimento cultural do Brasil”, disse o artesão.
 
Paulo Câmara e a primeira-dama Ana Luíza foram acompanhados durante o evento pelo governador da Paraíba, João Azevêdo; o senador Humberto Costa; o presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco, Eriberto Medeiros; o prefeito do Recife, João Campos;  além de vários secretários estaduais e parlamentares.
 
 

 

Serão beneficiados cerca de 750 artistas, grupos e agremiações integrantes da cadeia da cultura do Estado, que estão impedidos de trabalhar por conta da pandemia da Covid-19

O governador de Paulo Câmara sancionou, nesta sexta-feira (18.02), a Lei do Auxílio Emergencial do Ciclo Carnavalesco 2022, que concede apoio financeiro aos artistas e grupos culturais que se apresentaram nos últimos três carnavais no Estado e ficaram impedidos de promover suas atividades por conta da pandemia da Covid-19. A iniciativa foi viabilizada por meio da Secretaria Estadual de Cultura, Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), Secretaria de Turismo e Lazer e pela Empresa de Turismo de Pernambuco (Empetur). O edital será lançado neste sábado (19.02), nos sites www.cultura.pe.gov.br e www.empetur.pe.gov.br.

“Infelizmente, a maior festa popular de Pernambuco não vai acontecer novamente este ano. Mas a gente não pode deixar, de maneira nenhuma, de prestigiar a nossa cultura e os nossos artistas, que têm nos ajudado tanto neste período de pandemia com mensagens de esperança e respeito à ciência. Estão sendo disponibilizados mais de R$ 6 milhões do orçamento do Estado, alcançando um público de 750 artistas e garantindo um cachê que eles possam utilizar para o seu sustento, sua cultura e sua arte”, afirmou Paulo Câmara.

Para ter acesso ao benefício, o artista, grupo ou agremiação precisará fazer a inscrição online na plataforma Prosas, pelo site www.prosas.com.br, e preencher as informações solicitadas no formulário. Para facilitar o acesso ao benefício não serão exigidas certidões negativas, apenas documentação formal (RG, CPF e contrato social ou documentação equivalente para os casos de grupos ou agremiações). No caso dos grupos culturais, será necessário que quatro integrantes autorizem a inscrição, sinalizando quantos profissionais serão beneficiados com o auxílio.

“Esse gesto importante é a materialização de uma proteção da diversidade cultural pernambucana. É um esforço conjugado de toda a máquina pública, de todo o governo, para diminuir o impacto da pandemia na cadeia de valor da cultura”, pontuou o secretário de Cultura, Gilberto Freyre Neto. As inscrições serão divididas nas categorias Cultura Popular e Dança e Música. Entre os contemplados estão segmentos do afoxé, blocos líricos, bois, caboclinhos, cavalos marinhos, cirandas, clubes de alegorias, grupos de coco, escolas de samba, maracatus, orquestras de frevo, tribos, troças, ursos, entre outros ligados à cultura popular, além de artistas e grupos que trabalham com MPB, samba, pagode, brega e pop regional.

Os valores definidos para cada beneficiado equivalem a 80% do último cachê pago pela Fundarpe/Empetur, tendo um piso de R$ 3 mil e um teto de R$ 30 mil. Os pagamentos serão realizados logo após a divulgação do resultado final, em parcela única e sem a necessidade de apresentação ou contrapartida, até a primeira quinzena de abril. “Esse auxílio Emergencial do Carnaval é muito bem vindo. Já são dois anos sem participar de festejos, o que é muito desgastante. Mas esse empenho do governador vem em uma boa hora e só podemos agradecer”, comemorou o cantor e compositor Jota Michiles.

Também participaram da cerimônia de sanção os secretários estaduais José Neto (Casa Civil), Rodrigo Novaes (Turismo e Lazer) e Alexandre Gabriel (Assessoria Especial); o presidente da Fundarpe, Marcelo Canuto; os deputados estaduais Fabrízio Ferraz, Simone Santana e Henrique Queiroz Filho; além de diversos artistas de Pernambuco.

 

 

Publicação traz depoimentos de artistas e artesãos pernambucanos que fazem parte da história da feira ao longo de duas décadas

O governador Paulo Câmara e a primeira-dama Ana Luiza prestigiaram, na tarde deste domingo (12.12), o lançamento do livro “Fenearte: Duas décadas da maior feira de artesanato da América Latina”, de autoria da jornalista Sílvia Bessa e produzido pela Companhia Editora de Pernambuco (Cepe). Eles também participaram da abertura da exposição “O caminho do artesanato de Pernambuco”, que reúne fotos do livro assinadas pelo fotógrafo Fred Jordão.

“Estamos muito felizes em vir mais um dia na Fenearte, nessa retomada da feira. E hoje, no lançamento do livro que conta a história das duas décadas em que ela vem sendo realizada. O livro retrata a história dos artesãos e de cada momento da feira. Com certeza a Fenearte terá ainda muitos anos em favor da nossa cultura, da nossa arte e do nosso artesanato”, destacou Paulo Câmara.

O livro faz uma reconstituição histórica desde a primeira edição da feira, em 2000, a partir de pesquisas documentais, relatos orais e memorialistas, obtidos por meio de mais de 50 entrevistas. “A preocupação nesse livro foi fazer uma grande reportagem, que perenizasse e contasse a história por completo durante todos esses anos, para que as pessoas pudessem ler e saber o que se passou. Quem foram as pessoas que fizeram essa feira, os mestres, e tantas histórias incríveis que descobrimos ao longo desse tempo. Hoje, a Fenearte é a feira do orgulho pernambucano”, afirmou a autora Sílvia Bessa.

Há, no livro, vários depoimentos de artistas e artesãos pernambucanos que fazem parte da história da Fenearte. O mestre Rosalvo dos Santos, natural de Olinda, Região Metropolitana do Recife, participa desde a primeira edição, e foi o primeiro artesão a receber a publicação das mãos do governador. “A Fenearte é um viés de divulgação do nosso trabalho para todo o público daqui do Brasil e até de fora do país. E esse livro maravilhoso que fizeram representa todo uma história da feira ao longo desse tempo”, ressaltou o mestre.

As fotos do livro são assinadas por Fred Jordão e integram também a exposição “O caminho do artesanato de Pernambuco", no mezanino do Centro de Convenções. A mostra conta com o apoio cultural da Cepe. “Percorremos todo o Estado, visitando cada um dos mestres vivos em seu ateliê, passamos um dia com eles vivenciando o seu trabalho. Criamos um banco de imagem e fizemos essa exposição, que é uma homenagem aos mestres”, frisou o fotógrafo.

Com 186 páginas e cerca de 200 fotos, o livro conta com textos de apresentação assinados pelo governador Paulo Câmara, pela primeira-dama Ana Luíza e pela historiadora Adélia Borges. Também destaca a relevância do artesanato para o presente e o futuro e mostra o quanto a feira inovou ao aliar o trabalho dos artesãos com arte, design e arquitetura. Outro aspecto importante refere-se ao incremento do turismo e à integração entre regiões do Brasil e outros países, que ajudou a difundir os artistas e a diversidade da topografia do Estado, do Cais ao Sertão.

VACINAÇÃO – Para garantir a segurança e a saúde dos expositores, visitantes e integrantes da organização, a Fenearte está seguindo um protocolo específico determinado pelo Governo de Pernambuco. O acesso ao evento só é permitido mediante comprovação do esquema vacinal completo. O uso da máscara também é obrigatório a todos. Na área externa do Centro de Convenções há um ponto de vacinação e de testagem rápida, que tem sido bastante procurado pela população. Só no último sábado (11.12), 242 doses de vacinas foram aplicadas.