Governo do estado de
Pernambuco

Blog

Fernando de Noronha receberá um novo impulso no processo de descarbonização do arquipélago. O governador Paulo Câmara lançou, nesta segunda-feira (21.03), o projeto Trilha Verde, em parceria com a Neoenergia, que irá ampliar a mobilidade elétrica com a inserção de 18 veículos elétricos e a instalação de 12 ecopostos. A iniciativa prevê ainda a construção de mais duas usinas solares, uma delas com sistema de armazenamento para utilização à noite, visando suprir a necessidade da frota, que contará, inclusive, com quatro buggies.

 

As novas ações de sustentabilidade integram o Programa de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) da Neoenergia, regulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Além do Governo de Pernambuco, também integram a parceria a Renault, WEG, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), IATI, CPqD, eiON e Incharge.

 

“Estamos muito atentos e determinados em avançar na questão do desenvolvimento sustentável no nosso Estado. Agora, temos a oportunidade de aplicar mais essa prática em Fernando de Noronha, visando impulsionar ações como essa em todo o Brasil. Essa iniciativa dialoga com nossas intenções e nos ajuda a garantir um futuro melhor para as novas gerações”, afirmou Paulo Câmara.

 

Os veículos elétricos serão enviados a Fernando de Noronha e incorporados às principais atividades econômicas da ilha, como trade turístico, administração distrital e à própria operação da Neoenergia. A intenção é avaliar a aderência dos veículos às mais variadas atividades. “Acreditamos que o projeto de Pesquisa e Desenvolvimento irá impulsionar a sustentabilidade em um ecossistema preservado como Noronha e contribuir de forma determinante com o processo de descarbonização nos variados segmentos econômicos do arquipélago”, destacou o presidente da Neoenergia Pernambuco, Saulo Cabral.

 

Os 12 novos ecopostos previstos no projeto serão instalados em locais estratégicos da ilha e disponibilizados para todos os carros elétricos do arquipélago. Serão oito pontos com potência de 22 KW, que possibilitam uma recarga mais rápida, e outros dois com potência de 7,4 KW. As duas últimas unidades terão suporte V2G, ou seja, o veículo pode utilizar a estação para recarga ou para retornar a energia não utilizada, como em eventuais períodos de alta demanda da rede. O abastecimento desses postos será realizado totalmente com energia limpa, fornecida pela geração fotovoltaica das duas novas usinas solares.

 

Até o final de 2023, os veículos elétricos e os recursos energéticos utilizados no projeto serão analisados. As informações coletadas serão submetidas a avaliações de viabilidade dos modelos de negócios e, posteriormente, será confeccionado um mapa para orientar futuras ações. “Menos de uma semana depois que o governador anuncia o Plano de Descarbonização, temos a oportunidade de anunciar esse projeto. Essa cooperação técnica vai possibilitar que a ilha possa avançar com essas soluções tecnológicas, dando contribuições não só para Pernambuco, mas para o Brasil”, disse o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade, José Bertotti.

 

O evento contou ainda com a presença do secretário de Cultura, Gilberto Freyre Neto; o vice-reitor da UFPE, Moacir Cunha; o diretor de relações institucionais da Neoenergia, João Paulo Rodrigues; o diretor de comunicação da região América da Renault, Caíque Ferreira; o administrador de Fernando de Noronha, Guilherme Rocha; o presidente da Empetur, Antônio Neves Batista; o presidente da CPqD, Sebastião Sahão Junior; e o diretor da Fiepe, Fernando Teixeira.

FLORES – O governador Paulo Câmara inaugurou, nesta sexta-feira (18.03), a requalificação dos 41,7 quilômetros da rodovia PE-337, no município de Flores, Sertão do Pajeú. As obras contaram com um investimento de R$ 26 milhões e foram executadas pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER), sob a coordenação da Secretaria de Infraestrutura e Recursos Hídricos (Seinfra). Pela manhã, o governador esteve antes nos municípios de Serra Talhada e Calumbi, e à tarde finalizou a agenda em Afogados da Ingazeira. As ações vistoriadas e inauguradas hoje representam um aporte da ordem de R$ 62 milhões.
 
“A PE-337 foi totalmente recuperada, e está dentro do nosso Plano Retomada. Era uma estrada que precisava de um trabalho muito intenso. Foram mais de quarenta quilômetros, e eu fico muito feliz em inaugurar essa rodovia, que vai ajudar o desenvolvimento regional, garantir o ir e vir das pessoas com segurança, vai gerar renda e movimentar a economia”, destacou Paulo Câmara. Ele também assinou, em Flores, termo de cooperação financeira para urbanização de praças públicas nos distritos de Sítio dos Nunes e Fátima, no valor de R$ 1,3 milhão, além da contratação de serviços para limpeza de barreiros e açudes, com investimentos de R$ 300 mil, e a implantação de uma cozinha comunitária.
 
Em Serra Talhada, Paulo Câmara vistoriou as obras de reconstrução da PE-365, que liga o município a Triunfo e Santa Cruz da Baixa Verde, com 32,4 quilômetros de extensão. O investimento na intervenção é de R$ 27,8 milhões. Já na cidade de Calumbi, ele inaugurou a requalificação do terminal rodoviário, cujos serviços foram executados pela Empresa Pernambucana de Transporte Intermunicipal (EPTI), vinculada à
Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh), com um investimento de R$ 320 mil.
 
No mesmo evento, foi autorizada a licitação para contratação de serviços de engenharia, que incluem a implantação da rodovia PE-357, com extensão de 14,6 quilômetros. Também foram entregues ao municípios uma motoniveladora, no valor de R$ 879 mil, e duas ambulâncias, para os distritos de Roça Velha e Tamboril, no valor de R$ 140 mil, previstas em emendas parlamentares do deputado federal Sebastião Oliveira e do deputado estadual Rogério Leão, respectivamente.
 
SAÚDE – Em Afogados da Ingazeira, Paulo Câmara inaugurou 40 novos leitos no Hospital Regional Emília Câmara (HREC), sendo 30 de cirurgia geral e 10 pediátricos, dentro da primeira etapa das obras de ampliação da unidade de saúde. Com isso, o hospital aumenta em mais de 60% sua capacidade de atendimento, saindo dos atuais 62 leitos para 102.
 
O governador aproveitou para vistoriar a segunda etapa dos serviços de expansão do HREC, que inclui 10 leitos de terapia intensiva geral adulto, além de uma nova área para os setores de farmácia e almoxarifado. A ordem de serviço para as obras na unidade foi assinada em 2021, com orçamento estimado em cerca de R$ 3 milhões. Finalizando os compromissos no Pajeú, Paulo Câmara anunciou a aquisição de um tomógrafo para o Emília Câmara, no valor de R$ 1,5 milhão.
 
Integraram a comitiva do governador os secretários estaduais André Longo (Saúde), Sileno Guedes (Desenvolvimento Social, Criança e Juventude), Rodrigo Novaes (Turismo e Lazer), Lucas Ramos (Ciência, Tecnologia e Inovação), Fernandha Batista (Infraestrutura e Recursos Hídricos), Samuel Andrade (executivo de Desenvolvimento Urbano e Habitação) e Eduardo Figueiredo (executivo da Casa Civil). Além dos deputados federais Danilo Cabral, Sebastião Oliveira, Carlos Veras e Gonzaga Patriota; do presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco, deputado Eriberto Medeiros, e dos deputados estaduais Rogério Leão e Joaquim Lira.
 
Também estiveram presentes o diretor-presidente do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Maurício Canuto; o assessor especial da Empresa Pernambucana de Transporte Intermunicipal (EPTI), Tiago Magalhães; os prefeitos Marconi Santana (Flores), Erivaldo da Silva, mais conhecido como Joelson, (Calumbi), e Sandrinho Palmeira (Afogados da Ingazeira), além de prefeitos e vereadores e de outras cidades da região.
A taxa de desocupação em Pernambuco caiu de 19,4% no quarto trimestre de 2020 para 17,1% no mesmo período de 2021 (outubro, novembro e dezembro). A população ocupada é de 3,5 milhões, um aumento em 273 mil ante o quarto trimestre de 2020 (+8,5%). Com relação ao trimestre anterior, houve um crescimento de 120 mil pessoas ocupadas, uma variação de 3,6%, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 
 
Estimado em 45,7%, o nível de ocupação no Estado aumentou em 3.1 pontos percentuais em relação ao mesmo período do ano anterior. Com relação ao trimestre anterior, houve aumento de 1.4 ponto percentual. 
 
No setor privado, estima-se cerca de 1 milhão de pessoas com carteira assinada, um aumento de 62 mil pessoas em relação ao trimestre anterior. No tocante à população sem carteira assinada, o IBGE avalia 573 mil pessoas, um crescimento de 89 mil (18,3% em relação ao mesmo período do ano anterior). Contudo, em relação ao trimestre anterior, não houve variação significativa estatisticamente. 
 
Em Pernambuco, o percentual de pessoas desalentadas caiu de 8,4% para 6,9% no quarto trimestre de 2021, comparando com o mesmo período do ano passado. Houve uma melhora, também, em relação ao trimestre anterior (julho, agosto e setembro), quando o percentual era de 7,3%. O desalentado é aquela pessoa que não procurou trabalho por se considerar jovem demais, idosa demais ou acreditar que não conseguiria emprego.
 
No tocante à informalidade, a taxa de Pernambuco de 2021 foi 51,9%, um pouco mais alta que 2020, quando chegou a 48%. A informalidade abrange pessoas no setor privado sem carteira assinada, empregado doméstico sem carteira assinada, empregador sem registro no CNPJ, trabalhador por conta própria sem registro no CNPJ e trabalhador familiar auxiliar. 
 
No Nordeste, a taxa de desocupação ficou em 14,7% no quarto trimestre do ano passado. A média anual da taxa de desocupação na região nordestina foi de 17,1% em 2021, permanecendo estável em relação ao ano de 2020. A média anual de Pernambuco é de 19,9% em 2021.

O governador Paulo Câmara assinou, nesta sexta-feira (25.02), ordem de serviço autorizando o início das obras de triplicação da BR-232, no trecho de acesso à Região Metropolitana do Recife (RMR). A intervenção é estratégica para melhoria da infraestrutura logística do Estado e é considerada uma das principais ações dentro do Plano Retomada, com investimento de aproximadamente R$ 100 milhões, provenientes de recursos estaduais.

Com a autorização, a empresa contratada inicia o trabalho de mobilização de equipes e maquinário, além da montagem de canteiro de obras, usina de asfalto e laboratórios para controle de qualidade. Essa etapa será executada em 30 dias. A expectativa é de que todo o serviço seja finalizado no prazo máximo de um ano, gerando cerca de mil empregos diretos e indiretos. A ação deve beneficiar quatro milhões de pessoas.

“Estamos cientes da importância dessa ação para o acesso à Região Metropolitana de maneira segura e sustentável. São quase R$ 100 milhões e esses recursos já estão garantidos. A ordem de serviço foi dada e, a partir de março, vamos ter o início dessas obras. Nos próximos doze meses teremos condições de resolver a questão desse acesso”, detalhou Paulo Câmara. A triplicação da rodovia contempla um trecho de 6,8 quilômetros de extensão, que vai da entrada da BR-101 (km 4,70) até a entrada da BR-408 (km 11,50). O objetivo é melhorar a fluidez da via, assegurando a integração dos modais de transporte, fortalecendo a mobilidade urbana e a acessibilidade dos usuários.

A iniciativa prevê, além de uma terceira faixa, a requalificação do pavimento em placa de concreto na pista principal e do asfalto nas marginais; três passarelas; novo sistema de drenagem; implantação de retornos; realocação e redimensionamento das paradas de ônibus existentes; implantação de uma ciclovia e calçadas em concreto; paisagismo; iluminação em LED e sinalização viária horizontal e vertical.

A Prefeitura do Recife, por meio de um convênio com o Estado, ficará responsável pela manutenção da iluminação pública, além de atuar na fiscalização durante a execução dos trabalhos. Também ficará à frente do projeto paisagístico com foco nas áreas das alças da rodovia, para garantir a valorização desses locais e assegurar a integração com os agricultores familiares da região.

A secretária estadual de Infraestrutura e Recursos Hídricos, Fernandha Batista, destacou que a ação é resultado de um projeto detalhado e amplamente discutido com a sociedade. “A concretização desse projeto, que representa um marco para a infraestrutura rodoviária de Pernambuco, foi realizada conjuntamente com vários órgãos e instituições que contribuíram para que pudéssemos desenvolver a melhor solução possível de engenharia, que garantisse à rodovia federal um tratamento humanizado, condizente com a demanda gerada pela expansão urbana no entorno”, afirmou.

Fernandha Batista ressaltou, ainda, que o valor final do projeto representa uma economia de 50% para o Governo do Estado em relação ao projeto anterior, e também causará o menor impacto social diante das desapropriações necessárias para a execução dos serviços, saindo de 300 imóveis para cerca de 60, sendo a maioria de forma parcial. Além disso, haverá benefícios ambientais, como a estimativa de diminuição em R$ 6 milhões no uso de combustível e a redução em 12 mil toneladas de dióxido de carbono no oxigênio por quilometro rodado.

Participaram também da assinatura a vice-governadora Luciana Santos; o prefeito do Recife, João Campos; o deputado federal Danilo Cabral; o secretário Alexandre Rebelo (Planejamento e Gestão); o presidente do Departamento de Estradas e Rodagem (DER), Maurício Canuto; o secretário de Política Urbana e Licenciamento do Recife, Leonardo Bacelar; a chefe do gabinete de Projetos Especiais do Recife, Cínthia Mello; além de representante da empresa de engenharia contratada.

 
Entrada da Shell e New Fortress possibilitou a manutenção do preço do GNV. Caso a Petrobras permanecesse como fornecedora única, o reajuste seria de 15%
 
A Companhia Pernambucana de Gás – Copergás atingiu seu principal objetivo quando, de forma pioneira no Brasil, foi em busca de novos fornecedores de gás natural, além da Petrobrás. O preço do produto não sofrerá reajuste em Pernambuco a partir de 1º de fevereiro. Além da Petrobras, a Copergás passa a contar com o fornecimento da Shell e da New Fortress, empresa que atende especificamente os municípios de Petrolina e Garanhuns, por meio do projeto de rede local. Se a Copergás permanecesse tendo apenas a Petrobras como fornecedoras seria obrigada a reajustar o preço do em 15,9%. 
 
"Ao deixar de depender da Petrobras como fornecedor único, assegurarmos a possibilidade de manter os mesmos preços do GNV praticados no trimestre passado", afirmou o governador Paulo Câmara.
 
O cálculo médio ponderado das tarifas dos três provedores permitiu à Copergás manter até abril o mesmo preço cobrado no trimestre anterior (novembro, dezembro e janeiro). A revisão do preço do GNV ocorre quatro vezes ao ano – em fevereiro, maio, agosto e novembro. 
 
A Shell começou a fornecer o combustível à Copergás neste mês de janeiro. O contrato, assinado em 2020, prevê a entrega de 750 milhões de metros cúbicos de gás/dia, o que representa quase 50% do mercado não-termelétrico atendido pela empresa pernambucana. A partir de 2023, esse volume passará para um milhão de m³/dia. Já a Petrobras fornecerá, este ano, 790 milhões de m³/dia. Os volumes distribuídos em Petrolina e Garanhuns ainda são pequenos e têm pouco peso no número global.
 
“O nosso pioneirismo, ao selecionar novos fornecedores, começa a apresentar bons resultados. O ganho de competitividade será compartilhado com toda a cadeia produtiva de Pernambuco, atendida por nossa rede de distribuição. Esse sempre foi o objetivo do governador Paulo Câmara, que trabalhou para que a Copergás soubesse aproveitar as oportunidades criadas pelo novo mercado do gás natural no País”, argumentou o presidente da Copergás, André Campos. 
 
Segundo ele, a mesma estratégia se aplica ao projeto de rede local, inaugurado em outubro do ano passado em Petrolina (Sertão do São Francisco), e que está chegando também a Garanhuns (Agreste Meridional). “Estamos levando desenvolvimento e aumentando a competividade desses polos regionais, criando novas oportunidades de emprego e melhorando a renda local. Seguimos o planejamento do Plano Retomada, apresentado pelo governador e pelo secretário de Desenvolvimento Econômico, Geraldo Júlio”, concluiu André Campos.