Governo do estado de
Pernambuco

Blog

OPERA+ irá realizar cerca de 50 mil novos procedimentos ao longo de 15 meses, resgatando as cirurgias que não foram realizadas durante a pandemia

Com a pandemia da Covid-19, os serviços de saúde precisaram se reestruturar para atender a demanda de pacientes com quadros suspeitos ou confirmados para a síndrome respiratória aguda grave (Srag). Por diversos meses, foi necessária a suspensão das cirurgias eletivas, aquelas não urgentes e com marcação prévia, para manter leitos, tanto de enfermaria quanto de UTI, para os acometidos pela nova patologia. Com o avanço da vacinação, a consequente queda nos indicadores do novo coronavírus e a retomada das eletivas, o Governo de Pernambuco lança, nesta sexta-feira (15/10), no município Paulista, o OPERA+ - Programa de Ampliação de Cirurgias Eletivas em Pernambuco, com o intuito de resgatar aqueles que tiveram seus procedimentos adiados ou atrasados. Com um investimento de R$ 81,5 milhões, a expectativa é ampliar, até dezembro de 2022, o número de procedimentos eletivos na rede estadual, garantindo a realização de cerca de 50 mil cirurgias eletivas que ficaram represadas desde o início do período pandêmico.

O Programa irá diminuir o tempo de espera para realização dos procedimentos e, consequentemente, evitar complicações secundárias à evolução das doenças. No primeiro momento, busca-se realizar os procedimentos que foram adiados durante a pandemia, seguindo com os demais pacientes que estão aguardando algum tipo de cirurgia eletiva. Cada unidade irá operar de acordo com o seu perfil de atendimento e grau de complexidade cirúrgica. Importante reforçar que o público não deve se dirigir às unidades, já que cada serviço ou a Central de Regulação fará o contato com os usuários, convocando para realização de consulta e exames pré-operatórios que permitam a realização do procedimento cirúrgico, assim como o acompanhamento pós-operatório.

Nesta sexta e sábado (16/10), algumas unidades já têm programação cirúrgica, como os hospitais Barão de Lucena, Agamenon Magalhães, Getúlio Vargas, no Recife; Regional José Fernandes Salsa, em Limoeiro; Regional Prof. Silvio Magalhães, em Palmares; Mestre Vitalino, em Caruaru; Regional Dom Moura e UPAE, em Garanhuns; Regional Inácio de Sá, em Salgueiro, Belarmino Correia, em Goiana; Regional Ruy de Barros Correia, em Arcoverde; Regional Emília Câmara, em Afogados da Ingazeira; Regional Fernando Bezerra, em Ouricuri, entre outros.

"Este programa é mais uma iniciativa do Governo de Pernambuco nas ações de retomada frente a maior crise sanitária do mundo nos últimos 100 anos. Com a queda nos adoecimentos pela Covid-19, conseguimos reconverter leitos para o atendimento das mais diversas patologias, retomar ambulatórios e procedimentos cirúrgicos e, agora, faremos um grande aporte financeiro para que os hospitais estaduais e conveniados possam ampliar suas programações de cirurgias eletivas, inclusive com mutirões, com foco em ações descentralizadas e regionalizadas, beneficiando todas as áreas do Estado. Os trabalhos serão feitos de forma escalonada e, permanentemente, iremos informar à população sobre as etapas", afirma o secretário estadual de Saúde, André Longo.

Além das cirurgias nos serviços próprios e já conveniados ao Estado, também será lançado um edital de credenciamento para a rede conveniada que deseje se juntar a esse esforço. Todos os estabelecimentos deverão adotar protocolos clínico e assistencial compatíveis com a especialidade ofertada, além de tomar as medidas sanitárias para evitar casos de Covid-19, além da testagem de seus pacientes.

"Vamos garantir toda a linha de cuidado necessária para que a eletiva possa ocorrer. Sabemos que a pandemia ampliou o represamento no número de procedimentos e que a população ficará ansiosa por sua vez. Mas reforço que as unidades estaduais e a Central de Regulação estão organizando as filas para fazer o chamamento e que a rede conveniada também dará o suporte a partir dos encaminhamentos feitos por meio da Central de Regulação", frisa o secretário André Longo.

DOAÇÃO DE SANGUE - Com a intensificação das cirurgias eletivas, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) também reforça a importância da população doar sangue ao Hemope, para que o órgão se mantenha abastecido de sangue para atender a demanda. "As unidades de saúde sempre incentivam familiares e amigos de seus pacientes a doarem sangue para auxiliar na cirurgia do ente querido, mas precisamos do apoio permanente de toda a sociedade para manter os estoques do Hemope. Por ano, cada pessoa pode fazer entre 3 e 4 doações, a depender do sexo, e cada ato pode salvar a vida de até quatro pessoas. Essa é uma ação solidária de suma importância para que possamos manter os atendimentos nos serviços hospitalares do Estado", frisa o secretário André Longo.

 
Mobilização, que acontece neste sábado, visa ampliar as coberturas vacinais do público infanto-juvenil, ofertadas no calendário de rotina dos postos de Saúde
 
O secretário André Longo convocou a população, durante coletiva de imprensa nesta quinta-feira (14.10), para participar do Dia D da Campanha de Multivacinação para atualização da caderneta de vacinação, que ocorre neste sábado (16.10). O gestor reforçou o compromisso do Governo de Pernambuco com a proteção do público infanto-juvenil. O Estado permanece com baixas coberturas vacinais para as imunizações ofertadas no calendário de rotina dos postos de saúde, como poliomielite, BCG, pentavalente, tríplice viral, varicela, hepatite A, entre outras.
 
“Estamos preocupados com a baixíssima cobertura das vacinas para este público. Muitas das doenças que são evitáveis por esses imunizantes são ainda mais graves para as crianças do que a Covid-19. Com as atuais coberturas, todos, mas especialmente as crianças, estão correndo perigo. É cada vez mais latente o risco do retorno de doenças que estavam erradicadas ou com baixa ocorrência, até porque não atingimos meta para nenhuma das vacinas indicadas para o público infantil em 2021”, enfatizou André Longo.
 
No próximo sábado, pais, mães ou responsáveis por crianças e adolescentes menores de 15 anos devem se dirigir aos mais de 2,4 mil postos de vacinação espalhados pelo território pernambucano. “Para revertermos a situação e protegermos nossas crianças precisamos que vocês, pais, mães ou responsáveis compareçam ao posto de vacinação mais próximo para que um profissional de saúde faça a análise do cartão e, se necessário, aplique as doses em atraso. O acesso às vacinas é um direito de todas as crianças e adolescentes. Se você ama seu filho, não deixe de levá-lo a um posto de vacinação”, finalizou o secretário.
 
“Os municípios devem elaborar estratégias que possibilitem o acesso desse público-alvo de maneira efetiva e rápida. Alternativas podem ser criadas, como a abertura de postos de saúde ou pontos de vacinação nos fins de semana, e até mesmo ir às escolas realizar a imunização no local”, afirmou a superintendente de Imunizações do Estado, Ana Catarina de Melo.
 
DADOS EPIDEMIOLÓGICOS - De acordo com a análise semanal da Secretaria Estadual de Saúde, o cenário epidemiológico da Covid-19 em Pernambuco está em um momento de estabilidade, com indicadores em patamares baixos. Na Semana Epidemiológica 40, encerrada no último sábado, que compreende o período entre 03 e 09 de outubro, foram registrados 454 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag), o que representa 28 a mais que a Semana 39 (03 a 09.10). Ao mesmo tempo, 36 a menos que o registrado na semana 38 (26.09 a 02.10). Em relação às solicitações por vagas de UTI, foram registrados 246 pedidos na semana 40. Este número é praticamente o mesmo da semana 39, quando foram 247, e 35 a menos do que o registrado na semana 38 (281 solicitações).
 
 

 

Secretário de Saúde também convocou toda a população nos municípios para atualizar a carteira de vacinação de crianças e adolescentes

O Governo de Pernambuco informou, durante coletiva de imprensa, que está autorizada a aplicação da dose de reforço da vacina contra a Covid-19 nos profissionais de saúde que completaram o esquema vacinal até o dia 31 de março, exatos seis meses após a segunda dose. Também foi liberada a terceira dose para a população pernambucana a partir dos 60 anos de idade. A estratégia, balizada pelo Comitê Técnico Estadual para Acompanhamento da Vacinação, foi pactuada com os gestores municipais em reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), na manhã desta sexta-feira (01.10).

A primeira remessa de imunizantes destinada a esse público está prevista para chegar ao Estado na tarde deste sábado (02.10), com novos lotes de vacinas da fabricante Pfizer/BioNTech. “Como na primeira fase da vacinação dos profissionais de saúde pernambucanos, ainda no primeiro trimestre de 2021, o Estado assumirá a imunização da dose de reforço desses trabalhadores da rede estadual. Já os municípios devem ficar responsáveis pelos serviços municipais, atentos também aos profissionais autônomos da categoria. Dessa forma, reforçaremos ainda mais a imunidade de quem está na linha de frente do combate à pandemia, assim como dos idosos a partir de 60 anos, um dos grupos vulneráveis ao vírus”, pontuou o secretário estadual de Saúde, André Longo.

O secretário informou ainda que, após reuniões com o Ministério da Saúde, novas doses de imunizantes devem ser enviadas a Pernambuco nos próximos dias para avanço da aplicação da terceira dose nos profissionais de saúde. “Sabemos do desafio que é administrar a dose de reforço em toda a categoria num curto prazo de tempo. Por isso, precisamos mobilizar esforços para convocar os trabalhadores da saúde e vaciná-los em tempo oportuno”, reforçou Longo.

IMUNIZAÇÃO CONTRA OUTRAS DOENÇAS – O secretário informou também que Pernambuco ainda não atingiu a meta de cobertura mínima para as vacinas indicadas para proteção de crianças e adolescentes menores de 15 anos. Nessas faixas etárias é indicada a aplicação de alguns imunobiológicos que já fazem parte do calendário de rotina nos postos de saúde de todo o País, como poliomielite, hepatites A e B, tríplice viral, rotavírus humano e dTp, entre outras.

Para aumentar essas coberturas e promover a proteção contra doenças imunopreviníveis em crianças e adolescentes, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) mobiliza os 184 municípios do Estado, durante este mês de outubro, para a realização da Campanha de Multivacinação para Atualização da Caderneta de Vacinação. No Estado, pernambucanos e pernambucanas podem buscar as mais de 2,4 mil salas de vacinação, munidos do cartão de vacina, e efetuar sua proteção. A campanha de atualização vai até o dia 29, com o Dia D de mobilização marcado para 16.10.

Atualmente, a cobertura vacinal em Pernambuco para os imunobiológicos indicados às crianças menores de 1 ano de idade se configura da seguinte forma: BCG (71,35%), pneumocócica (68,26%), pentavalente (66,57%), poliomielite (66,32%), meningocócica (65,14%) e rotavírus humano (64,68%). A situação se repete quando observado o público maior de um ano de idade: hepatite A (61,71%), tríplice viral – D1 e D2 (69,43% e 42,58), meningococo C (64,43%), pneumocócica (64,70%), poliomielite – 1º reforço (51,16%) e 2ª reforço (38,57), dTp – 1º reforço (56,26%) e 2ª reforço (45,14%) e varicela (62,07%).

“Enquanto vivemos essa expectativa de ampliação na cobertura e também de público na vacinação contra a Covid-19, a imunização contra outras doenças já previstas no calendário segue bem abaixo da meta. Isso é um risco para a saúde de todos, porque vivemos o perigo do retorno de doenças que estavam erradicadas. Para revertermos esta situação e protegermos nossas crianças, neste mês de outubro, em todo o País, acontece a campanha de multivacinação para atualização da caderneta de vacinação de crianças e adolescentes. O acesso às vacinas é um direito de todas as crianças e adolescentes. Neste mês das crianças, se você ama seu filho, não deixe de levá-lo a um posto de vacinação A saúde é o melhor presente que você pode proporcionar a uma criança”, destacou André Longo.

 

 

Reflexo da imunização, cenário epidemiológico da Covid-19 no Estado apresenta tendência sustentada de redução em todos os indicadores
 
O secretário estadual de Saúde, André Longo, afirmou, em coletiva de imprensa do Governo de Pernambuco, na manhã desta quinta-feira (07.10), que a desobrigação do uso da máscara de proteção para contenção da Covid-19 só será possível com o avanço da vacinação completa no Estado. De acordo com o gestor, será preciso atingir, no mínimo, 80% da população elegível vacinada com duas doses, ou com a vacina de dose única, para começar a pensar em suspender cuidados preventivos. Atualmente, em Pernambuco, 50% da população acima dos 12 anos já concluiu o esquema vacinal.
 
“Só podemos pensar em abdicar de algum tipo de cuidado quando atingirmos ao menos 80% da população elegível totalmente vacinada. Antes disso, qualquer medida nesse sentido significa correr riscos e, aqui em Pernambuco, nosso compromisso é com a vida. Por isso, vamos continuar trabalhando seguindo a ciência”, destacou André Longo.
 
No entanto, o secretário ressaltou que este mês de outubro pode ser decisivo para o avanço na vacinação e, consequentemente, a superação da pandemia. “Nesta quinta-feira, vamos alcançar a marca de 50% da população acima dos 12 anos com ciclo de vacinação completo. são mais de 3,8 milhões de pessoas. Até o final deste mês, já teremos oferecido as duas doses da vacina para todos os adultos acima dos 18 anos. A vacinação, mais que um direito de cada pernambucana e de cada pernambucano, é a única forma de voltarmos a viver uma vida normal, sem o risco de contaminação pelo vírus”, afirmou Longo, acrescentando que todas as vacinas em uso no Brasil passaram pelas fases clínicas de pesquisa, tiveram seus dados de eficácia e segurança avaliados e aprovados pela Anvisa e pelas mais importantes agências internacionais. Portanto, são seguras, estão mostrando na prática que são eficientes e que podem salvar vidas.
 
O pediatra Eduardo Jorge – representante regional da Sociedade Brasileira de Imunizações (Sbim) no Comitê Técnico Estadual para Acompanhamento da Vacinação em Pernambuco – também participou da coletiva de imprensa e ratificou a importância de o Estado alcançar ao menos 80% da população vacinada para reavaliar as medidas de precaução contra a doença. “Reforçamos, mais uma vez, que o debate sobre a desobrigação de máscaras é extremamente precoce e inadequado neste momento. Estamos no caminho certo, mas ainda há muito a ser trilhado nesta batalha contra o novo coronavírus. Precisamos ter, no mínimo, 80% da população com o esquema vacinal completo, o que deve acontecer, provavelmente, em novembro. Até lá, todas as medidas de cuidados possíveis devem continuar”, pontuou.
 
DADOS EPIDEMIOLÓGICOS – Reflexo do avanço da vacinação no Estado, o cenário epidemiológico da Covid-19 em Pernambuco apresenta uma tendência sustentada de redução em todos os indicadores. Na Semana Epidemiológica (SE) 39, que compreende o período entre 26/09 e 02/10, foram registrados 426 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag), o que representa uma queda de 13% em relação à SE 38 (19 a 25/09) e de 17% em comparação à SE 37 (12 a 18/09). Além disso, a taxa de positividade geral (número de testes positivos em relação ao total de exames realizados) permanece baixa, oscilando entre 7 e 6% há 6 semanas seguidas.
 
Já em relação às solicitações de vagas de UTI, a Central Estadual de Regulação Hospitalar voltou a registrar queda expressiva no indicador. No total, foram 247 solicitações na Semana Epidemiológica 39 – uma redução de 12% em relação à semana 38. “Reforço que, para evitarmos um novo repique na doença, e para mantermos esta tendência de queda, só há um caminho possível: o engajamento de todos para o avanço da vacinação, e da vacinação com ciclo completo”, salientou André Longo.
 
 
 
O Comitê Técnico Estadual para Acompanhamento da Vacinação decidiu, por unanimidade, manter a vacinação contra a Covid-19 em adolescentes com e sem comorbidades no Estado de Pernambuco. A proteção deverá ser continuada com o imunizante da Pfizer/BionTech, o único autorizado até o momento para esta finalidade. O grupo pactuou a decisão a partir de análise técnica e de decisões anteriores sobre o assunto, embasadas no arcabouço científico da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ,da Organização Mundial de Saúde (OMS) e dos posicionamentos da Sociedade Brasileira de Imunizações e da Sociedade Brasileira de Pediatria .


Ficou definido, ainda, que os membros do Comitê irão elaborar documento salientando a importância e a necessidade do Ministério da Saúde (MS) reconhecer o grupo de adolescentes como elegíveis para imunização, pois também têm risco de adoecimento e podem transmitir a doença, e que o órgão federal passe a ofertar doses de vacina para dar seguimento à campanha nos Estados.

Após a ratificação da Anvisa sobre a necessidade de se manter a proteção dessa população, o Comitê Técnico enxerga a obrigação do órgão federal de garantir a oferta de imunizantes aos Estados brasileiros, tendo em vista que a Anvisa e a OMS não fizeram objeção sobre a proteção deste público.

“Com a decisão do Comitê Técnico Estadual para Acompanhamento da Vacinação, queremos acalmar nossa população e trazer uma mensagem de amparo na ciência. Pernambuco está atuante para fazer o que for possível para que a vacinação siga, tranquilizando os adolescentes, pais e responsáveis por esses jovens”, reforça o secretário estadual de Saúde, André Longo.