Governo do estado de
Pernambuco

Blog

 
Com cerca de cinco mil expositores, evento segue até o próximo dia 19 de dezembro, homenageando o Movimento Armorial, e o escritor e dramaturgo Ariano Suassuna
 
O governador Paulo Câmara e a primeira-dama Ana Luiza visitaram, nesta sexta-feira (10.12), a 21ª Feira Nacional de Negócios do Artesanato – Fenearte, no Pavilhão do Centro de Convenções, em Olinda. O evento segue até o próximo dia 19 de dezembro, reunindo cinco mil expositores de todo o Brasil e de mais 21 países. A edição deste ano tem como tema “É Festa no Reino da Arte”, homenageando o Movimento Armorial e o escritor e dramaturgo Ariano Suassuna, um dos seus idealizadores, já falecido. Este ano também é celebrado o cinquentenário do romance “A Pedra do Reino”, de autoria de Ariano, lançado em 1971, um dos ícones estéticos do movimento.
 
“Estamos muitos felizes de estar aqui prestigiando tantos artistas e artesãos que vem não apenas de Pernambuco, mas também de outros Estados e países. Pernambuco tem essa tradição, esse artesanato tão rico, as artes e a cultura, e a Fenearte representa tudo isso neste espaço. Estamos dando essa oportunidade ao povo de Pernambuco, no final de 2021, de fazer uma grande feira”, afirmou Paulo Câmara.
 
Com um investimento de R$ 7 milhões e a expectativa de receber mais de 200 mil visitantes, a Fenearte vai gerar cerca de 2,5 mil postos de trabalho temporário e movimentar cerca de R$ 40 milhões. Entre as novidades deste ano estão a praça de alimentação repaginada e a Cozinha Fenearte, com aulas de chefs renomados; a ampliação da acessibilidade; oficinas inéditas; programação artística inteiramente focada na cultura pernambucana; e a plataforma Fenearte, com bastante conteúdo desenvolvido ao longo do evento e vitrine de produtos.
 
“Estamos todos com uma grande expectativa para realização desta edição. A Fenearte sempre é uma grande oportunidade de bons negócios, principalmente para o artesão pernambucano, porque além de ele comercializar aqui durante os dez dias de feira, também torna possível a ele receber encomendas e produzir durante o ano todo”, ressaltou a coordenadora da Fenearte, Márcia Souto.
 
Muitos são os protagonistas, mas quem dá as boas-vindas aos visitantes são os 64 artistas pernambucanos reunidos na Alameda dos Mestres. O mestre Fernandes Rodrigues, natural de Vitória de Santo Antão, na Mata Sul, participa desde 2004. Ele enfatizou a emoção de estar de volta à maior feira de artesanato da América Latina. “É uma emoção muito grande poder voltar à Fenearte e dizer que é o maior movimento cultural do Brasil”, disse o artesão.
 
Paulo Câmara e a primeira-dama Ana Luíza foram acompanhados durante o evento pelo governador da Paraíba, João Azevêdo; o senador Humberto Costa; o presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco, Eriberto Medeiros; o prefeito do Recife, João Campos;  além de vários secretários estaduais e parlamentares.
 
 

 

Publicação traz depoimentos de artistas e artesãos pernambucanos que fazem parte da história da feira ao longo de duas décadas

O governador Paulo Câmara e a primeira-dama Ana Luiza prestigiaram, na tarde deste domingo (12.12), o lançamento do livro “Fenearte: Duas décadas da maior feira de artesanato da América Latina”, de autoria da jornalista Sílvia Bessa e produzido pela Companhia Editora de Pernambuco (Cepe). Eles também participaram da abertura da exposição “O caminho do artesanato de Pernambuco”, que reúne fotos do livro assinadas pelo fotógrafo Fred Jordão.

“Estamos muito felizes em vir mais um dia na Fenearte, nessa retomada da feira. E hoje, no lançamento do livro que conta a história das duas décadas em que ela vem sendo realizada. O livro retrata a história dos artesãos e de cada momento da feira. Com certeza a Fenearte terá ainda muitos anos em favor da nossa cultura, da nossa arte e do nosso artesanato”, destacou Paulo Câmara.

O livro faz uma reconstituição histórica desde a primeira edição da feira, em 2000, a partir de pesquisas documentais, relatos orais e memorialistas, obtidos por meio de mais de 50 entrevistas. “A preocupação nesse livro foi fazer uma grande reportagem, que perenizasse e contasse a história por completo durante todos esses anos, para que as pessoas pudessem ler e saber o que se passou. Quem foram as pessoas que fizeram essa feira, os mestres, e tantas histórias incríveis que descobrimos ao longo desse tempo. Hoje, a Fenearte é a feira do orgulho pernambucano”, afirmou a autora Sílvia Bessa.

Há, no livro, vários depoimentos de artistas e artesãos pernambucanos que fazem parte da história da Fenearte. O mestre Rosalvo dos Santos, natural de Olinda, Região Metropolitana do Recife, participa desde a primeira edição, e foi o primeiro artesão a receber a publicação das mãos do governador. “A Fenearte é um viés de divulgação do nosso trabalho para todo o público daqui do Brasil e até de fora do país. E esse livro maravilhoso que fizeram representa todo uma história da feira ao longo desse tempo”, ressaltou o mestre.

As fotos do livro são assinadas por Fred Jordão e integram também a exposição “O caminho do artesanato de Pernambuco", no mezanino do Centro de Convenções. A mostra conta com o apoio cultural da Cepe. “Percorremos todo o Estado, visitando cada um dos mestres vivos em seu ateliê, passamos um dia com eles vivenciando o seu trabalho. Criamos um banco de imagem e fizemos essa exposição, que é uma homenagem aos mestres”, frisou o fotógrafo.

Com 186 páginas e cerca de 200 fotos, o livro conta com textos de apresentação assinados pelo governador Paulo Câmara, pela primeira-dama Ana Luíza e pela historiadora Adélia Borges. Também destaca a relevância do artesanato para o presente e o futuro e mostra o quanto a feira inovou ao aliar o trabalho dos artesãos com arte, design e arquitetura. Outro aspecto importante refere-se ao incremento do turismo e à integração entre regiões do Brasil e outros países, que ajudou a difundir os artistas e a diversidade da topografia do Estado, do Cais ao Sertão.

VACINAÇÃO – Para garantir a segurança e a saúde dos expositores, visitantes e integrantes da organização, a Fenearte está seguindo um protocolo específico determinado pelo Governo de Pernambuco. O acesso ao evento só é permitido mediante comprovação do esquema vacinal completo. O uso da máscara também é obrigatório a todos. Na área externa do Centro de Convenções há um ponto de vacinação e de testagem rápida, que tem sido bastante procurado pela população. Só no último sábado (11.12), 242 doses de vacinas foram aplicadas.

 

 

Realizado no Cais do Sertão, encontro visa debater temas como igualdade racial, racismo institucional e outras questões relacionadas

A governadora em exercício Luciana Santos participou, na tarde desta quarta-feira (10.11), da abertura do evento Novembro da Consciência, que tem como tema “Negros em movimento, uma luta de todos e todas”. A iniciativa marca o mês da Consciência Negra e objetiva dar visibilidade às questões que envolvem a negritude, promovendo um debate sobre questões como igualdade racial, combate ao preconceito, desafios de ser negro no Brasil e racismos institucional e estrutural. O evento, coordenado pela Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude (SDSCJ), aconteceu no Centro Cultural Cais do Sertão, no bairro do Recife.

“Nossa intenção aqui é de fortalecer as nossas políticas públicas. A combinação entre boas iniciativas de enfrentamento associadas à elevação da consciência da desigualdade e do racismo é uma necessidade para que possamos fazer uma reparação histórica. Dessa forma podemos fortalecer e abrir horizontes para uma nação verdadeiramente democrática e inclusiva”, pontuou Luciana Santos.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude, Sileno Guedes, o evento trouxe informação e conhecimento para a população em geral, além de promover diálogo entre a gestão estadual e o movimento negro. “Com a discussão das problemáticas atuais que impactam a população negra no Estado, o encontro também vai garantir a escuta qualificada. O objetivo desse momento é ter o embasamento necessário para construir de forma coletiva nossas ações neste âmbito”, afirmou.

Ao longo da tarde, o encontro contou com apresentação cultural e cinco mesas de debate. Também participaram da abertura o secretário de Saúde, André Longo; a secretária executiva de Segmentos Sociais, Marília Bezerra; a coordenadora Estadual da Igualdade Racial, Mãe Lucia; o secretário executivo de Juventude do Recife, Marconi Ribeiro; e o coordenador do Programa de Enfrentamento à Intolerância da Polícia Militar, Major Eduardo Scanoni.

 

 

 

Representantes da Rede de Articulação da Caminhada dos Terreiros estiveram no Palácio do Campo das Princesas para entregar a homenagem

A governadora em exercício Luciana Santos recebeu, nesta terça-feira (09.11), uma homenagem da Rede de Articulação da Caminhada dos Terreiros de Pernambuco. A comenda foi entregue durante reunião no Palácio do Campo das Princesas, em reconhecimento às lutas pela promoção da dignidade da pessoa humana e pelo respeito à diversidade do credo religioso.

De acordo com Mãe Elza de Iemanjá, da coordenação da Rede, no ano em que a entidade completa 15 anos de existência a decisão foi homenagear alguém que há muito tempo apoia as pautas do grupo. “Conhecemos o trabalho da vice-governadora, conhecemos a luta dela desde sempre, no município, como deputada e no Estado. Então, dentro de uma reflexão sobre o que nos aconteceu em 15 anos, não tinha como deixar o nome de Luciana Santos de lado. Tínhamos que trazer, para dizer que acreditamos no seu trabalho, acreditamos na mulher que ela é, na militante que ela é. Estamos muito gratos a essa criatura por tudo que ela nos fez acontecer, disse Mãe Elza.

No encontro, treze representantes da rede, vindos de vários municípios, aproveitaram a homenagem para pedir o apoio de Luciana Santos no combate à discriminação religiosa e na defesa do Estado laico.

“É com muita honra que recebo essa comenda, abrindo o mês da consciência negra. Quando fui deputada estadual, aprovei a criação da Semana da Consciência Negra, e vejo que esse é um esforço para, cada vez mais, elevar a consciência sobre a desigualdade racial, a intolerância e o racismo, que são inaceitáveis. Tudo isso recrudesceu bastante em função desse ambiente nacional. Mas aqui em Pernambuco estamos buscando promover e fortalecer a política pública, que é o caminho pelo qual a gente deve e pode enfrentar o racismo”, disse Luciana Santos.

A tradicional Caminhada dos Terreiros de Pernambuco, que reúne religiões de matriz africana, ocorreu na última quarta-feira (03.11), com o tema “Sou uma, mas não sou só”. O cortejo saiu do Marco Zero do Recife em direção ao Pátio de São Pedro.

 

 

 Desburocratização do acesso às políticas públicas culturais esteve no centro do debate

A governadora em exercício Luciana Santos recebeu, nesta quarta-feira (10.11), parlamentares, gestores e representantes da área da cultura. O objetivo foi anunciar e discutir a recente promulgação da Lei 17.477, que visa desburocratizar o acesso à Lei Aldir Blanc. Luciana aproveitou para promover um momento de diálogo e escuta com agentes que fazem a cultura em Pernambuco.

A nova lei, de autoria do deputado estadual Waldemar Borges - concebida a partir de uma proposta do Coletivo de Cultura Tereza Costa Rêgo - acabou com a exigência de certidões negativas emitidas pelo Estado, quando do pagamento de prêmios e de recursos emergenciais, ao setor cultural, previsto na Lei Federal 14.017 (Aldir Blanc) e em outros editais congêneres de iniciativa do governo estadual. A ideia é democratizar o acesso aos benefícios.

"Recebemos aqui ícones da cultura pernambucana, que festejaram a nova legislação no sentido de desburocratizar o acesso dos artistas e produtores aos editais de cultura. Há hoje muitas exigências e formalizações, que acabam, na prática, atrapalhando o fluxo necessário para que os recursos cheguem aos artistas", disse Luciana Santos.

No centro das discussões esteve, além da importância da parceria entre Executivo, Legislativo e sociedade,  a necessidade de ampliar a desburocratização do acesso às políticas públicas da cultura. "Tiramos como encaminhamento que, a partir dessa experiência com a Lei Aldir Blanc, a gente possa constituir um comitê que reúna os órgãos de controle, os órgãos do Executivo e da Alepe, para tirar lições daqui e facilitar a vida dos artistas. Porque o povo de Pernambuco merece ter acesso a essa rica produção cultural de nosso Estado", afirmou a governadora em exercício.

Participaram da reunião também o secretário de Cultura, Gilberto Freyre Neto; o presidente da Fundarpe, Marcelo Canuto; o presidente da Assembleia Legislativa, Eriberto Medeiros; a poeta e vereadora Cida Pedrosa; a diretora do Paço do Frevo, Luciana Félix; as cantoras Cylene Araújo e Cristina Amaral; o músico Beto Hortis; as produtoras Twilla Barbosa e Tereza Accioly;  o brincante Pedro Salustiano; o artista plástico Zélito Passavante, entre outros.