meteorologia

Bacias Hidrográficas

Obra em todo lugar

Veja o que o Governo de Pernambuco está fazendo na sua região.

Blog de notícias

  • Unidades da Funase recebem evento lúdico na véspera de Natal

    | Juventude

    funase

    Ação terá músicas e contação de histórias conduzidas pelo maestro Gil Amâncio 

    Adolescentes de duas unidades da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) participarão de um evento lúdico nesta quinta-feira (24), véspera de Natal, nas instalações da instituição situadas na Avenida Abdias de Carvalho, no Recife. A atividade reunirá música e contação de histórias com o objetivo de trabalhar temáticas como solidariedade, perdão e fraternidade. O maestro Gil Amâncio ficará à frente das ações, que ocorrerão em dois horários para evitar aglomerações e atingir diferentes públicos atendidos no local.

    A programação especial terá início às 13h, com uma apresentação no Centro de Internação Provisória (Cenip) Recife. Como será dia de visitas na unidade, a expectativa é de que o evento lúdico também tenha a participação de familiares dos adolescentes. No local, desde agosto, está sendo autorizado o acesso de apenas um visitante por interno.

    Já às 17h, será a vez do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Santa Luzia, que fica ao lado. As adolescentes se reunirão na quadra poliesportiva da unidade. Em anos anteriores, ações como essas em unidades da Funase costumavam ocorrer nos corredores que dão acesso aos alojamentos, em espaços mais fechados, o que será evitado neste Natal como medida de prevenção ao novo coronavírus.

     O maestro Gil Amâncio explica que o propósito do evento é levar o verdadeiro sentido do Natal para esse público. "Existe o espírito natalino e nós queremos brindá-lo. Será uma conversa com contação de histórias e música, para levar a esses jovens a mensagem de que eles podem aproveitar a energia do Natal para perdoar, se perdoar e construir um novo fim", declarou.

    Para a superintendente da Política de Atendimento da Funase, Íris Borges, a ação é importante por difundir mensagens positivas a um público que passa por uma condição temporária de privação de liberdade. "Buscamos levar os adolescentes e jovens a refletir sobre os sentimentos e virtudes tão propagados durante esta época e que deveriam guiar nossas ações durante todo o ano. Várias unidades da Funase estão promovendo ações nesse sentido e, no Cenip Recife e no Case Santa Luzia, contaremos com a participação especial do maestro Gil Amâncio na véspera de Natal", afirma.

     

    Imagem: Arquivo/Funase

    Assuntos: Não há assuntos relacionados.
    Compartilhe: Link para o post:
  • Socioeducandos da Funase posam em exposição fotográfica sobre heranças negras

    | Juventude
    funase 
    Atividade foi desenvolvida por escolas da Zona da Mata de Pernambuco, o que abrangeu adolescentes de unidade socioeducativa em Vitória de Santo Antão
     
    Rostos que contemplam o céu emoldurado por muros. Dedos que percorrem versos alusivos aos negros do passado. Braços e mãos que se misturam como que reproduzindo um microcosmo da diversidade cultural brasileira. Foi com registros assim que adolescentes em cumprimento de medida de internação na Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) contribuíram para uma exposição fotográfica virtual disponível para o público no Instagram. Intitulada “Heranças Negras: Retratos”, a mostra teve o objetivo de lançar um olhar sobre ancestralidades a partir das percepções de estudantes e servidores de escolas públicas estaduais.
     
    O público envolvido com a atividade trabalha ou estuda na área sob jurisdição da Gerência Regional de Educação (GRE) Mata Centro, vinculada à Secretaria de Educação e Esportes de Pernambuco. Uma das unidades participantes foi a Escola Estadual Professora Amélia Coelho, que, além de alunos não privados de liberdade, também tem como estudantes regulares adolescentes em medidas socioeducativas por meio de um anexo que funciona dentro do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Vitória de Santo Antão, vinculado à Funase. O projeto interdisciplinar foi idealizado pela GRE Mata Centro, aplicado de forma remota pelos professores da escola Amélia Coelho e realizado, in loco, pela equipe da Funase junto a oito socioeducandos negros e não negros.
     
    Para a produção das fotos, foram escolhidos espaços abertos e arborizados do Case Vitória, mas que não encobrissem a condição temporária dos socioeducandos no que diz respeito à internação. “Quisemos mostrar que eles, enquanto alunos regulares da escola, nessa condição de privados de liberdade na Funase, também podem refletir sobre temas tão importantes para a sociedade. Os protestos recentes no Brasil e no mundo geraram uma imagem e uma acústica para orientar o projeto com o que foi proposto pela escola e o envolvimento dos agentes socioeducativos na realização”, enfatizou o gerente do Case Vitória, Abinoan Barboza.
     
    A atividade foi proposta em alusão ao Dia da Consciência Negra, celebrado em novembro. Após a produção das escolas, as imagens foram reunidas e disponibilizadas na página da GRE Mata Centro no Instagram (www.instagram.com/grematacentro). A participação dos estudantes da Funase preservou rostos e nomes, conforme previsto na legislação específica para esse público. “Procuramos retratar religião e amor, braços unidos e contemplando o céu e a literatura de Machado de Assis. Acredito que isso conduziu para o percurso desejado, que foi refletir sobre a herança dos povos africanos e a importância dos elementos da cultura negra no cotidiano brasileiro”, relata a agente socioeducativa Niedja Ferreira, orientadora dos socioeducandos na atividade.
     
    O adolescente W.B.S., de 17 anos, há oito meses na Funase, é um dos que aparecem posando para as imagens. Para ele, o principal ponto positivo foi materializar na pele, por meio de olhares fotográficos, parte das discussões feitas sobre o assunto no ambiente escolar e na sociedade. “Mesmo sem as aulas presenciais com os professores, a gente está tendo várias atividades nessa pandemia. Gostei de poder pensar sobre essa questão dos negros. Foi de uma forma prática, com a gente participando”, avalia.
     
     
     
    Cidades: Recife
    Assuntos: funase
    Compartilhe: Link para o post:
  • Governo do Estado lança o Projeto Casa Virtual que disponibiliza atividades gratuitas para Juventude

    | Educação, Juventude
     
    casa virtual estatuto da juventude
     

    Governo do Estado lança o Projeto Casa Virtual que disponibiliza atividades gratuitas para Juventude

     No aniversário do Estatuto da Juventude, comemorado no dia 05 de agosto, a SDSCJ apresenta proposta, que vai oferecer gratuitamente cursos, palestras, oficinas, entre outras atividades

    Para comemorar os sete anos do Estatuto da Juventude, a Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude inicia , nesta quarta-feira, 05 de agosto, uma série de atividades para os jovens pernambucanos. Dentre elas, o lançamento do projeto Casa Virtual, que vai disponibilizar vagas de cursos, oficinas e palestras a jovens em situação de vulnerabilidade. Na programação de aniversário, também consta a realização do II Seminário O Estatuto é Nosso: Avanços e Desafios, e a posse da mesa diretora do Conselho Estadual de Políticas Públicas de Juventude. As atividades têm início às 18h, no canal de Youtube da secretaria.

    A pasta vai formar parceria com entidade públicas e privadas para disponibilizar vagas gratuitas para cursos, palestras, oficinas e atividades. Tudo oferecido via internet. Para participar das atividades ofertadas, o jovem deve acessar o endereço eletrônico da Secretaria de Desenvolvimento Social Criança e Juventude (www.sdscj.pe.gov.br) e verificar a oferta de cursos e número de vagas periodicamente. No mesmo endereço, ele poderá fazer a inscrição, indicando em que tipo de atividade quer se encaixar. A gerência de Juventude receberá o formulário de inscrição e vai direcionar os dados do interessado para o entidade que estará promovendo a oferta das vagas o curso, palestra ou oficina ofertado.

    Para dar o pontapé no projeto, a secretaria inicia, no dia 05, as inscrições para diversas atividades, entre elas o Curso Elaboração de Projetos e Captação de Recursos para Popularização da Ciência, com 30 vagas, o Mini Curso de Direitos das Mulheres: Dialogando com as Juventudes para construção da Justiça de Gênero, com carga horária de 10h, Curso de espanhol com 30 horas/aulas, outro sobre Juventudes e o Empreendedorismo Comunitário, a oficina Ela Pode Jovem, voltado para mulheres, Edição e processamento de imagens, com 60 horas de carga horária, e ainda aulas de Introdução à História e Cultura africana e Afro brasileira.

    Além disso, durante todo o mês de agosto, para marcar o aniversário do Estatuto da Juventude, a pasta vai promover uma série de lives, encontros virtuais e apresentações culturais. “Com o impacto causado pela Covid-19 na rotina de pessoas do mundo inteiro, surge a necessidade de educar nossa sociedade a proteger a saúde de forma preventiva através do afastamento social. Para isso é necessário criar instrumentos que contribuam para diminuir os possíveis riscos à saúde e lançar novas alternativas para as mudanças do mundo atual.O objetivo é promover uma agenda virtual para o público das Casas das Juventudes, articulando, promovendo e direcionando atividades culturais, de saúde, educação, profissionalização e de lazer para jovens”, explica o secretário Sileno Guedes. 

    Secretário-executivo de Criança e Juventude, Eduardo Vasconcelos explica que, durante três meses, gestores da pasta idealizaram e atuaram na formatação da proposta, com o intuito de ofertar ao público que já participava de atividades das Casas das Juventudes uma nova alternativa. Em Pernambuco, antes do início da pandemia, 60 municípios realizavam atividades através das Casas. “Agora a iniciativa será ofertada para todos os municípios de Pernambuco, incluindo o Arquipélago de Fernando de Noronha, através da Rede de Gestores de Juventude, da rede da Assistência Social e da AMUPE. A Casa das Juventudes que já beneficiou mais de 500 mil jovens em Pernambuco, mudou a vida de muitos desse jovens. Nesse mesmo sentido, devido ao momento de pandemia, a Casa Virtual se torna essencial para as juventudes. Teremos atividades diversas que, sem dúvida, farão a diferença na vida de muitos jovens. Por isso, sim, o projeto Casa Virtual é de grande responsabilidade na vida dos jovens”, afirma o secretário executivo, Eduardo Vasconcelos.

      O projeto Casa Virtual será desenvolvido por meio da Secretaria Executiva de Criança e Juventude, em parceria com as demais Secretarias do Estado, com um grupo de Gestores Municipais, o Conselho Estadual de Políticas de Juventude e instituições privadas,  tendo como base o Programa Casa das Juventudes.   
     
     
     
    Cidades: Recife
    Assuntos: estatudo da juventude, SDSC, cursos, palestras
    Compartilhe: Link para o post:
  • Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude de Pernambuco destina cestas básicas para a população de Noronha

    | Economia, Saúde, Juventude, Infância

    cestas básicas fernando de noronha

    Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude de Pernambuco destina cestas básicas para a população de Noronha

    A Administração de Fernando de Noronha, em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude de Pernambuco, vai distribuir para a população da ilha 1023 cestas básicas, para garantir a segurança alimentar e nutricional das famílias noronhenses. A concessão é feita através da Lei de Benefício Eventual do Estado, em decorrência da vulnerabilidade temporária e da situação de emergência gerada pela pandemia. As cestas devem chegar à ilha nos próximos dias. 

    No total, cada cesta contém quatorze itens, como arroz, feijão, bolacha, macarrão, leite, entre outros gêneros alimentícios e serão distribuídas às famílias cadastradas pela assistência social da ilha. Além das cestas básicas, serão agregados às doações material de limpeza, como 1.023 lava roupas líquidos de 900 ml e 2.046 pacotes de sabão em pó de 800g, doados pela empresa Unilever, dentro da campanha Pernambuco Solidário Contra o Coronavírus. Também serão entregues 194 pares de sapatos e 50 pacotes de meias, oferecidos pelo Grupo Paquetá.
      
    “Desde o começo da pandemia, a administração não tem medido esforços para garantir o amparo à população local. Temos feito doações de cestas básicas, peixes e frango. Também entregamos vale gás e água, entre outras medidas, para ajudar os noronhenses a enfrentar este momento difícil. Agora, mais uma vez, cada família da ilha vai receber uma cesta básica com itens necessários para a alimentação diária, acrescida de produtos de limpeza, em uma parceria com o Governo de Pernambuco, através da Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude. A nossa intenção é não deixar a população desassistida em momento algum”, diz Guilherme Rocha, administrador do arquipélago.
     
    O secretário de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude, Sileno Guedes, explica que entrega das cestas básicas faz parte de um conjunto de ações desenvolvidas durante a pandemia do novo coronavírus com o objetivo de diminuir as dificuldades dos grupos em situação de vulnerabilidade social. “A Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude, em parceria com a administração da ilha, promove essa entrega para os moradores de Fernando de Noronha que precisam do alimento nesse momento tão difícil de retomada gradual das atividades. Em um período anterior já havíamos enviado cestas básicas da campanha Pernambuco Solidário para moradores que estavam fora de suas casas quando a ilha estava fechada. Com certeza, essa nova entrega será um diferencial para essas famílias”, afirma o secretário.
    Cidades: Fernando de Noronha
    Assuntos: sds, fernando de noronha, cestas básicas, pandemia
    Compartilhe: Link para o post:
  • Socioeducandos ganham livros por participação em prêmio nacional de literatura

    | Social, Juventude

     sdscj

    Adolescentes atendidos na unidade de internação da Funase em Caruaru tiveram crônicas concorrendo com obras de acadêmicos e escritores de vários estados

    Seis adolescentes pernambucanos ganharam livros como reconhecimento especial à participação deles no 1º Prêmio de Literatura Josemar Guilhermino. Durante a competição literária, os estudantes, que cumprem medida de internação no Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Caruaru, no Agreste do Estado, tiveram crônicas avaliadas juntamente com textos inscritos por acadêmicos e escritores de vários estados brasileiros. A entrega das obras aos socioeducandos foi feita, na sexta-feira (10), por representantes do Sistema Preciso de Comunicação e do Clube do Livro, instituições idealizadoras da premiação nacional.

    Os livros abordam temas como o racismo e a poesia como ferramenta de transformação. Já as crônicas inscritas pelos socioeducandos tiveram relatos sobre o desejo de liberdade e perspectivas de futuro. Participaram ainda do concurso integrantes da Academia Jovem de Letras de Campos do Jordão (SP), do curso de Antropologia da Universidade Federal do Oeste do Pará, da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e da Associação Mundo das Artes, de São Miguel dos Campos (AL). O texto mais votado pelos jurados foi de uma participante de São Paulo, que recebeu prêmio em dinheiro, um livro de crônicas e certificado.

    Estiveram no ato de entrega dos livros a representante do Sistema Preciso de Comunicação e servidora da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase), Elizabete Nunes, e gestores do Case Caruaru. “Pudemos celebrar o poder transformador da leitura e da escrita, que colocou nossos adolescentes ao lado de pessoas do Brasil inteiro através dos seus textos”, relatou o coordenador geral da unidade, Ramonn Melo. “Houve todo um carinho da equipe do prêmio ao fazer as dedicatórias e a entrega dos livros. Foi uma experiência muito bonita”, completou a coordenadora técnica do Case Caruaru, Ana Paula Ferreira.

    Em mensagem em vídeo, a representante do Clube do Livro no 1º Prêmio de Literatura Josemar Guilhermino, Myrian Araújo, afirmou que a expectativa é de que outras edições sejam realizadas. “Tivemos obras belíssimas inscritas neste concurso. Queremos que esse seja o primeiro de muitos”, disse. No mesmo sentido, a professora Josicleide Guilhermino, também integrante do Clube do Livro, avaliou a premiação de forma positiva. “Nossos agradecimentos aos adolescentes do Case, que tornaram este momento ainda mais significativo. O acesso à leitura e à escrita tem que ser um bem universal", complementou.

    Imagens: Divulgação

    Assuntos: sdscj, funase, adolescentes, leitura
    Compartilhe: Link para o post:
  • Em Caruaru, projeto estimula nova relação de adolescentes com a leitura

    | Social, Juventude

     funase

    Iniciativa, desenvolvida no período de até 45 dias, é uma das boas práticas pernambucanas concorrentes ao 17º Prêmio Innovare

    O contato mais próximo com a leitura proporciona a melhoria do vocabulário e o despertar do senso crítico sobre desigualdades sociais. É essa experiência que adolescentes em internação provisória na Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) em Caruaru, no Agreste de Pernambuco, estão vivenciando em apenas 45 dias, período máximo em que permanecem nesse tipo de regime. A iniciativa, considerada inovadora pelos resultados alcançados em um curto tempo, já impactou 120 pessoas em menos de um ano de funcionamento e é um das práticas pernambucanas que disputam o 17º Prêmio Innovare, o principal da Justiça brasileira.

    Com o título “Entre livros e textos: leitura, diálogo e relações sociais”, o projeto reúne os adolescentes duas vezes por semana. Dos encontros, eles saem com livros emprestados para exercitarem a leitura em seus alojamentos e, na semana seguinte, discutirem sobre os temas abordados. No acervo, composto por mais de 100 exemplares, obras como “Triste Fim de Policarpo Quaresma” e “A Batalha dos Mamulengos”. Os internos são estimulados a produzir redações, anexadas aos relatórios encaminhados ao Judiciário com o intuito de mostrar o viés produtivo do período que passam na Funase e contribuir com a avaliação dos processos de cada um.

    “Os adolescentes que chegam, em sua maioria, têm problemas de autoestima. Então, essa iniciativa tem ajudado nesse processo e estimulado que aproveitem o tempo livre de forma produtiva. Costumamos levar textos com alguma intencionalidade, propondo questões de gênero, machismo, preconceito e outros temas. Fazemos a leitura em grupo, trabalhando a oralidade e estimulando que eles despertem para essas questões. É comum que, alguns encontros depois, eles passem a se perceber em algumas situações, como de racismo, e comecem a problematizar isso”, avalia a pedagoga Maurinúbia Moura, uma das autoras do projeto.

    A ação, que é voltada a internos já alfabetizados, ocorre desde setembro de 2019. Na unidade, é atendido um público oriundo de 42 municípios do Agreste e com idades entre 12 e 18 anos. “O projeto leva o adolescente a fazer uma reflexão e ele passa a ter voz por meio dessa ação. Quando é levado a esse lugar de fala, ele se percebe como indivíduo e passa entender que o espaço dele termina onde o do outro começa. Passa a pensar, inclusive, sobre a possibilidade de retorno à escola, entendendo que a educação é a melhor opção para iniciar um novo projeto de vida”, completa a assistente social Natália de Melo, também autora da iniciativa.

    A expectativa é de que, além de pleitear reconhecimento nacional, por meio da participação no Prêmio Innovare, o projeto possa ser estendido a outras unidades de internação provisória da Funase. “Mesmo tendo apenas 45 dias para trabalhar com esses adolescentes, temos buscado realizar atividades que influenciem positivamente o momento posterior da vida deles. Os resultados do grupo de reflexão e leitura nesses primeiros meses de funcionamento nos orgulham muito e têm potencial, com certeza, para obter reconhecimento nacional”, avalia a coordenadora geral do Centro de Internação Provisória (Cenip) Caruaru, Maria Clara Amorim.

    Imagens: Divulgação/Funase

    Vídeo sobre o projeto: https://youtu.be/blm_puo1Tn8

    Cidades: Caruaru
    Assuntos: sdscj, funase, adolescentes, leitura
    Compartilhe: Link para o post:
  • Funase tem três projetos selecionados para concorrer ao Prêmio Innovare

    | Juventude

     funase

    Iniciativa, que chega à 17ª edição e é a principal premiação da Justiça brasileira, está na fase de visitas técnicas virtuais às boas práticas

    A Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude de Pernambuco (SDSCJ), teve três projetos selecionados para concorrer ao 17º Prêmio Innovare, o principal da Justiça brasileira. As iniciativas desenvolvidas pela instituição buscam promover a cidadania entre adolescentes e jovens em internação provisória e em cumprimento de medidas socioeducativas. Em todo o Brasil, 646 práticas foram inscritas nesta edição do prêmio, que entrou na fase de visitas de consultores, realizadas de forma virtual, com o objetivo de avaliar as ações selecionadas e subsidiar os jurados.

    Um dos projetos da Funase inscritos no prêmio é “Entre livros e textos: leitura, diálogo e relações sociais”. A atividade busca estimular que adolescentes passem a ter uma relação diferente com palavras e imagens em até 45 dias, período máximo em que ficam no Centro de Internação Provisória (Cenip) Caruaru, no Agreste. A prática é desenvolvida pela pedagoga Maurinúbia Moura e pela assistente social Natália de Melo, que atuam na unidade da Funase. “Temos visto adolescentes que chegam à internação provisória sem saber assinar e, após a participação no projeto, vão para audiências conseguindo escrever o próprio nome. Em poucos dias, eles dão passos iniciais muito significativos”, avalia a coordenadora geral do Cenip Caruaru, Maria Clara Amorim.

    Outro candidato à premiação é o Núcleo de Justiça Restaurativa (NJR) da Funase, composto por oito servidores: Amós Lemos, Dilma de Marilac, Lilian Fonseca, Marcela Mariz, Maurinúbia Moura, Tatiana Pires, Tânia Mara e Alexandro Pereira. O grupo, formado em fevereiro de 2019, tendo a pedagoga Socorro Barros como coordenadora na época, busca disseminar práticas que levem à construção de uma cultura de paz nas unidades socioeducativas de Pernambuco. “Apenas um ano depois da formalização do Núcleo de Justiça Restaurativa, é uma alegria ver que essa prática já desenvolveu resultados tão importantes no dia a dia de adolescentes e funcionários e que, agora, pode ter um reconhecimento nacional”, diz a atual coordenadora do NJR, Marcela Mariz.

    Já o Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife, é o cenário do terceiro projeto da Funase inscrito no Innovare. Com o título “Restaurando através da humanização e profissionalização a liberdade e cidadania", a prática consiste na oferta de cursos, feita em parceria com o Eixo Profissionalização da instituição. “A profissionalização depende fundamentalmente da adesão do adolescente para gerar bons resultados. Ele precisa querer. E, nesses últimos oito anos, temos visto resultados animadores na unidade, com os socioeducandos assumindo uma postura de protagonistas. Temos, inclusive, ex-socioeducandos ministrando cursos para adolescentes que ainda estão conosco”, declara a gerente do Case Cabo, Tatiane Moraes.

    Para a presidente da Funase, Nadja Alencar, o fato de os três projetos inscritos terem sido incluídos no rol de práticas a serem analisadas pelos consultores mostra a consistência das ações desenvolvidas. “O Case Jaboatão já foi cenário de uma vitória no Innovare, com uma ação desenvolvida na escola da unidade, e outras experiências já receberam indicações, como uma parceria entre o Case Petrolina e o IF Sertão-PE, com acompanhamento da Vara Regional da Infância e Juventude. Neste ano, estamos com três práticas selecionadas, o que nos coloca em uma posição significativa em número de projetos, junto com o Paraná. O importante é mostrar a coragem e a criatividade dos nossos servidores na execução de iniciativas que promovem a transformação”, afirma.

    Imagens: Divulgação/Funase

    Assuntos: sdscj, funase, premio innovare
    Compartilhe: Link para o post:
  • No Cabo, Funase insere 80 jovens em cursos profissionalizantes

    | Social, Juventude

     sdscj

    Atividades em áreas como logística, barbearia e segurança do trabalho estão ocorrendo em unidade socioeducativa por meio de parceria com o CIEE

    A parceria entre a Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) e o Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE) segue viabilizando a oferta de cursos profissionalizantes para adolescentes e jovens em regime de internação. Nesta semana, na maior unidade socioeducativa de Pernambuco, o Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife, foram iniciadas turmas de Operador Logístico, Atendimento ao Cliente, Informática Básica, Corte de Cabelo Masculino e Introdução à Segurança do Trabalho, o que permitiu a inserção de 80 socioeducandos nas atividades. As aulas estão ocorrendo com grupos reduzidos para atender à recomendação de distanciamento social como medida de prevenção ao novo coronavírus.

    Cada curso conta com 16 alunos, com quatro participantes por sala. As temáticas ofertadas têm bons níveis de trabalhabilidade, de modo que, após certificados, os socioeducandos poderão se colocar à disposição para contratações pelo mercado de trabalho ou mesmo iniciar seus próprios negócios, em áreas como a de barbearia, por exemplo. As formações profissionalizantes têm carga horária que varia de 18 a 60 horas/aula. A oferta dos cursos está sendo viabilizada com coordenação do Eixo Profissionalização, Esporte, Cultura e Lazer da Funase e acompanhamento das coordenações geral e técnica do Case Cabo de Santo Agostinho.

    Para a gerente da unidade socioeducativa, Tatiane Moraes, a continuidade da oferta de cursos na Funase, com a adoção dos devidos cuidados para prevenir o avanço do novo coronavírus, é importante para oportunizar cidadania e reinserção social aos adolescentes e jovens atendidos no local. “Agradecemos a toda a equipe de profissionalização da Funase pelo trabalho desempenhado. Estamos percebendo que os adolescentes estão muito motivados com os cursos oferecidos aqui. A educação, sem dúvida, muda as pessoas, quebra barreiras e possibilita que sejam construídos novos sonhos e projetos de vida”, afirmou.

    Imagem: Divulgação/Funase

    Cidades: Cabo de Santo Agostinho
    Assuntos: sdscj, funase, capacitacao, case cabo
    Compartilhe: Link para o post:
  • Em Timbaúba, cursos em Informática e Logística são ofertados na Funase

    | Social, Juventude

     sdscj

    Além do conteúdo programático normal, formações vêm promovendo para os socioeducandos noções de Empreendedorismo 

    Treze adolescentes do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Timbaúba, na Mata Norte do Estado, estão se preparando para o mercado de trabalho por meio de três cursos profissionalizantes ofertados com certificação do Centro de Integração Empresa-Escola de Pernambuco (CIEE-PE). As formações, nas áreas de Informática e Logística, estão ocorrendo de forma adaptada, com duas turmas com quatro adolescentes, e uma, com cinco, para reduzir a quantidade de pessoas em um mesmo ambiente. Todos os participantes também utilizam máscaras e outros equipamentos de proteção individual, obedecendo às normas determinadas pelo Governo de Pernambuco e por diretrizes internas da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase).

    Todas as aulas, que compõem a grade de cursos ofertada pelo Eixo Profissionalização, Esporte, Cultura e Lazer da Funase, estão sendo ministradas pelo agente socioeducativo Wellington Santana, do Case Timbaúba. Um dos cursos é o de Informática Básica. Os quatro alunos inscritos participarão de quatro módulos – “Conhecendo o computador”, “Ferramentas básicas do Office”, “Internet” e “Noções do empreendedorismo”. As aulas são realizadas três vezes por semana, no laboratório de informática da unidade, que, em abril, ganhou computadores doados pela empresa Klabin, por articulação da Vara Regional da Infância e Juventude de Goiana. No mesmo local, também acontece o curso de Informática Intermediária, com seis módulos, 40 horas/aula e turma de seis alunos.

    Já o curso de Operador Logístico, o terceiro ofertado a partir desta semana no Case Timbaúba, tem cinco alunos participantes. Ao longo da formação profissionalizante, que terá nove módulos, eles vão aprender conteúdos como introdução à logística, processos envolvendo a área, custos logísticos, evolução logística, ética e responsabilidade social, gestão de transporte, fundamentos matemáticos, empreendedorismo e prática profissional. Nesse curso, as aulas estão sendo realizadas em horário integral, nas segundas e quintas. Se concluírem, pelo menos, 75% da carga horária, os alunos receberão certificados emitidos pelo CIEE-PE.

    “Os cursos estão sendo promovidos com uma nova roupagem. Além de oferecer o conteúdo programático tradicional, todos têm dado uma ênfase ao empreendedorismo. Durante esta pandemia, esse trabalho não parou e estamos contando bastante com a equipe do Eixo Profissionalização da Funase. Capacitar os socioeducandos para o mercado de trabalho de forma eficaz e positiva tem despertado nos jovens novos sonhos, desejos e esperança de dias melhores. Eles estarão prontos para atuar como profissionais e reescreverem suas histórias de vida”, avaliou a coordenadora técnica do Case Timbaúba, Karolyne Bezerra.

    Além das turmas em andamento, outros dois grupos de alunos já foram atendidos pelos cursos de Informática Básica e Informática Intermediária no Case Timbaúba desde abril, totalizando 16 inseridos. Outros 13 socioeducandos já foram certificados, no mesmo período, por participação no curso de Operador Logístico, também com certificação feita por meio da parceria entre Funase e CIEE. 

    Imagens: Divulgação/Funase


    Cidades: Timbaúba
    Assuntos: sdscj, funase, case timbauba, socioeducandos, capacitacao
    Compartilhe: Link para o post:
  • Em Garanhuns, Funase insere 40 socioeducandos em cursos de eletrônica

    | Social, Juventude

     sdscj

    Atividades profissionalizantes ocorrerão até o início de julho, com turmas reduzidas devido às normas de distanciamento social

    Quarenta adolescentes em cumprimento de medida de internação no Agreste de Pernambuco estão participando de dois cursos profissionalizantes na área de eletrônica. Até o início de julho, durante dois dias de atividades intensivas por semana, os alunos terão aulas de Introdução ao Reparo de Computadores e de Introdução à Automação Eletroeletrônica. A ação está ocorrendo de forma adaptada, com mais turmas formadas para viabilizar grupos com número menor de socioeducandos, todos com máscaras e respeitando normas de distanciamento social. O cenário das aulas é o Case/Cenip Garanhuns, unidade administrada pela Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude (SDSCJ), por meio da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase).

    Os dois cursos são ministrados pela equipe do Eixo Profissionalização, Esporte, Cultura e Lazer da Funase. Em Introdução ao Reparo de Computadores, sob responsabilidade do instrutor Daniel Lins, os alunos aprendem sobre como utilizar peças inservíveis de vários computadores para colocar novas máquinas em funcionamento. Esse curso tem 16 alunos divididos em quatro turmas. Já no de Introdução à Automação Eletroeletrônica, ministrado pelo instrutor Higino Filho, uma das habilidades ensinadas é a de montar circuitos elétricos, como o de alarmes. Separados em grupos, 24 adolescentes estão sendo inseridos na atividade. Se concluírem, ao menos, 75% da carga horária, os participantes receberão certificados do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE).

    O coordenador do Eixo Profissionalização, Esporte, Cultura e Lazer da Funase, Normando de Albuquerque, explica que o formato da atividade tem o diferencial de viabilizar a oferta de cursos profissionalizantes de forma simultânea, gerando um número de vagas próximo do total de socioeducandos atendidos no regime de internação dentro do Case/Cenip Garanhuns. “É um formato que temos realizado com sucesso, nas 11 edições da Caravana Juventude em Movimento já realizadas desde 2018, uma delas, inclusive, em Garanhuns, naquele primeiro ano. Desta vez, estamos trazendo cursos em laboratórios, que têm se destacado durante a pandemia em algumas unidades, por questões de adaptação e disponibilidade de material de trabalho e recursos humanos”, afirma Normando.

    Imagem: Divulgação 

    Cidades: Garanhuns
    Assuntos: sdscj, funase, capacitacao, curso de eletronica
    Compartilhe: Link para o post: