meteorologia

Bacias Hidrográficas

Obra em todo lugar

Veja o que o Governo de Pernambuco está fazendo na sua região.

Blog de notícias

  • CECH alerta para os riscos da lesbiofobia

    | Direitos Humanos

    visibilidade lesbiofobia

    CECH alerta para os riscos da lesbiofobia

     

    No próximo sábado (29) é o dia Nacional da Visibilidade Lésbica, por isso, o Centro Estadual de Combate à Homofobia (CECH), programa vinculado à Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH), alerta a toda a população para as consequências causadas pela lesbiofobia ou lesbofobia, termo utilizado para o preconceito e discriminação contra a pessoa lésbica. De acordo com o programa, as maiores violações contra esta população são: cárcere privado, violência psicológica, física, até a sexual, e as consequências vão desde a ansiedade, isolamento social, depressão e, em alguns casos, o suicídio.

     

    A vendedora Rosemere Tavares sentiu na pele o primeiro ato lesbiofóbico aos 17 anos de idade. “Fui posta para fora de casa, mas depois meus avós me acolheram, porque o amor fala mais alto. Hoje tenho um relacionamento maravilhoso com os meus pais. Tiveram umas tentativas de estupros por homens, escapei por um triz. Eu já fui, sim, vítima de homofobia e procurei ajuda no CECH e na delegacia. Por isso, a cada dia estou encorajando minhas colegas e amigas a irem em frente e denunciar. Violação é uma coisa que fere a alma da gente”, relata.

     

    O Secretário-executivo de Direitos Humanos, Diego Barbosa, explica como são feitos os atendimentos. “Nenhum caso é igual e sempre vai depender do tipo de serviço que a pessoa está precisando. Após a escuta humanizada, são realizados os encaminhamentos das demandas para a nossa rede integrada”, informa. Ele ainda complementa e afirma “que o maior objetivo do Governo do Estado, neste dia tão importante, mas também durante todo o ano, é proteger e promover os Direitos Humanos das lésbicas, bem como de toda a população LGBTI+, no enfrentamento a qualquer tipo de LGBTIfobia. Por isso, ao primeiro sinal de violação, pedimos que entrem em contato com o CECH e realize a denúncia”.

     

    Mesmo em meio à pandemia, causada pelo novo coronavírus, nenhum dos serviços do CECH foi interrompido, mas, sim, adaptados para serem prestados de forma remota, a exemplo dos atendimentos que ocorrem por telefone ou videoconferência. Denúncias de violações contra a população LGBTI+ podem ser feitas ao Centro Estadual de Combate à Homofobia (CECH), pelo telefone (81) 3182-7665 ou pelo e-mail centrolgbtpe@gmail.com e assim, o CECH, poderá atuar e realizar os encaminhamentos cabíveis a cada caso, inclusive, para que os responsáveis pelas violências possam ser identificados e, se for o caso, punidos criminalmente.

     

    Foto: Ray Evllyn/SJDH  

     

     

     

    Cidades: Recife
    Assuntos: Secretaria de Justiça e Direitos Humanos, CECH, lesbiofobia
    Compartilhe: Link para o post:
  • Fiscalização conjunta encontra irregularidades em instituição para idosos

    | Direitos Humanos

    fiscalização instituição para idosos

    Fiscalização conjunta encontra irregularidades em instituição para idosos

     

    O Centro Integrado de Atenção e Prevenção à Violência Contra a Pessoa Idosa (CIAPPI), programa vinculado à Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH), juntamente com a Vigilância Sanitária, Procon, ambos do município do Recife, e Ministério Público de Pernambuco (MPPE), realizaram a Operação Longa Permanência, nesta quinta-feira (20). A fiscalização foi desencadeada após o recebimento de denúncias em que a instituição, localizada no bairro de Casa Forte, na Zona Norte do Recife, havia recebido novos residentes durante o período da pandemia.

     

    Em fiscalização anterior, a Vigilância Sanitária já havia autuado a ILPI e orientado que não recebesse novos residentes, o que não foi cumprido. Além desta infração, na instituição também foram encontradas irregularidades como: quantidades de camas além do permitido nos quartos, ventilação precária nos dormitórios e leitos colados com a parede. Após a fiscalização, a vigilância municipal enviará o relatório para ILPI, junto com uma notificação, informando os ajustes que deverão ser providenciados e as demais medidas cabíveis e o CIAPPI, por sua vez, acompanhará todo o procedimento. 

     

    “O objetivo da operação é identificar irregularidades nas Instituições e sensibilizar a população sobre a importância de denunciar qualquer tipo de violações contra as pessoas de 60 anos ou mais, em qualquer lugar que ela esteja acontecendo”, relata o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico.

     

    Durante a realização da fiscalização, foram tomadas todas as medidas de higienização necessárias, para proteger as pessoas idosas residentes, os profissionais da instituição e a equipe que integrou a operação.

     

    Para realizar denúncia de violações contra pessoas idosas, qualquer pessoa da população pode entrar em contato pelo telefone (81) 3182-7649 ou pelo e-mail ciappi2016@gmail.com, no horário das 9h às 13h (horário especial durante a pandemia).

     

     

     

    Cidades: Recife
    Assuntos: CIAPPI, SJDH, MPPE, idosos
    Compartilhe: Link para o post:
  • Denúncias de violações contra a população idosa cai 70% no período de pandemia

    | Direitos Humanos

    denuncias de violação contra pessoa idosa

    Denúncias de violações contra a população idosa cai 70% no período de pandemia

    De março a julho, deste ano, o CIAPPI recebeu 98 queixas. Em comparação ao mesmo período de 2019, houve uma diminuição de 69.47%

    Dados do Centro Integrado de Atenção e Prevenção à Violência Contra a Pessoa Idosa (CIAPPI), programa vinculado à Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH), com foco no período pandemia, revelam que de março a julho, deste ano, foi registrada uma redução considerável no número de denúncias recebidas pelo Centro, com 98 queixas. No mesmo período de 2019, foram 321 denúncias registradas. Um percentual de quase 70% a menos. O número de violações, identificadas mediante o recebimento das denúncias, também teve uma redução de 41.08%.

     O Secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico alerta a população para que fique atenta aos mínimos sinais de violação de direitos da pessoa idosa. “Esses números revelam uma queda muito expressiva nas denúncias. O isolamento social e a falta de contato com pessoas pode estar impedindo essa população de denunciar”, explica. Ainda com base nos dados de 2020, de março a julho, foi registrado que a faixa etária que mais sofreu abusos está entre 70 a 79 anos.

    De acordo com o levantamento, os abusos mais cometidos neste período foram os de negligência, violência financeira, psicológica, física, patrimonial e ameaça. Já as cidades com os maiores índices de denúncias continuam sendo, na sequência: Recife, Olinda, Jaboatão, Paulista, Camaragibe e Caruaru.   “Todos precisam estar atentos. Vizinhos, cuidadores, enfermeiros, familiares. Não hesitem em denunciar, caso percebam qualquer mudança de comportamento de uma pessoa idosa. Qualquer mínimo sinal já pode ser um indício de violação”, acrescenta Eurico.

    Para realizar a denúncia de violações contra pessoas idosas, a população pode entrar em contato pelo telefone (81) 3182-7649, das 9h às 16h (horário especial durante a pandemia) ou pelo e-mail ciappi2016@gmail.com.  

     Confira o ranking de violações em números:

     1 – Negligência (124)

    2 – Violência Financeira (99)

    3 – Violência Psicológica (86)

    4 – Violência Física (70)

     5 – Violência Patrimonial (29)

     6 – Ameaça (29)

      Foto: Ray Evllyn   

     

     

    Cidades: Jaboatão dos Guararapes , Olinda, Paulista, Recife
    Assuntos: CIAPPI, SJDH, violência, idosos
    Compartilhe: Link para o post:
  • Visitas presenciais às unidades prisionais do estado serão retomadas a partir de 8 de agosto

    | Direitos Humanos

    Pedro Eurico

    Neste primeiro momento, as visitas terão duração de duas horas e serão restritas à apenas uma pessoa da família, com idade entre 18 e 60 anos, a cada 15 dias

    Após quase cinco meses da suspensão das visitas presenciais às unidades prisionais de Pernambuco, a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH) anuncia o plano de retomada das atividades, a partir do próximo dia 8 de agosto. O comunicado foi feito oficialmente pelo secretário da pasta, Pedro Eurico, durante coletiva de imprensa, nesta quinta-feira (30/07). A suspensão, provocada pela pandemia global de Covid-19, teve início no último dia 20 de março, nas 23 UPs do estado.

    Neste primeiro momento, as visitas terão duração de duas horas e serão restritas à apenas uma pessoa da família, com idade entre 18 e 60 anos, a cada 15 dias. “Muitas vidas foram salvas no sistema prisional do estado e fora dele também devido a esse período de interrupção de visitas e isolamento social. Com muito esforço e trabalho, conseguimos minimizar os impactos da pandemia, contrariando as expectativas dos mais pessimistas”, diz o secretário Pedro Eurico.

    Os novos visitantes, aqueles que tiveram seus entes presos durante o período de paralisação de visitas, terão de 03 a 07 de agosto para realizar o cadastro no Sistema Integrado de Administração Prisional (SIAP), através do endereço eletrônico www.siap.pe.gov.br.

    O último boletim da Secretaria Estadual de Saúde (SES) apontou 1.321 casos confirmados nas 23 UPs do estado. Destes, 1.057 já foram curados e retornaram ao convívio coletivo. Outros 32 estão isolados por suspeita e oito foram a óbito em decorrência da Covid-19. Testes rápidos e swab vêm sendo realizados entre os PPLs.

    Pedro Eurico salienta, ainda, que a decisão não é permanente e deverá ser reavaliada periodicamente, tendo como base o quadro epidemiológico do estado. “Estamos reabrindo porque os números comprovam que é possível fazê-lo. Mas podemos mudar a decisão a qualquer tempo, considerando que o nosso foco continua sendo a preservação da vida de todos os envolvidos com o sistema prisional de Pernambuco”, garante.

    O programa de retomada das visitas será executado a partir do último número de prontuário dos PPLs.  No primeiro dia de visitas, o sábado (08/08), serão contemplados os PPLs com final de prontuário de números 0 (9h às 11h) e 1 (13h às 15h), no domingo (09/08), os PPLs com último dígito de prontuário 2 e 3 (9h às 11h) e 4 (13h às 15h).

    VISITAS VIRTUAIS - Para minimizar os impactos do distanciamento das famílias e detentos, a SJDH implantou, no dia 18 de maio, as visitas virtuais da família que, atualmente, abrangem as 23 unidades prisionais do Estado.  O contato de presos e seus familiares acontece uma vez por semana, com a duração de até três minutos, numa sala reservada – onde fica o tablet ou o celular -, e sob supervisão de um servidor da unidade prisional.

    Os 30 smartphones e dez tablets foram doados pela Secretaria de Educação de Pernambuco. Até esta quinta-feira (30/07), foram realizadas mais de 15 mil visitas virtuais em todo o estado. Os dias e horários são definidos de acordo com a rotina da unidade. Mesmo com a retomada das visitas presenciais, os encontros virtuais seguem mantidos.

    Para continuar preservando a saúde dos policiais penais e pessoas privadas de liberdade (PPLs), várias medidas de segurança e higiene vêm sendo adotadas pela Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres).  Entre os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) distribuídos entre os servidores e PPLs, estão 150.467 máscaras faciais, 4.549 protetor faciais, 10.735 aventais e 35.408 luvas. Outros 103.836 EPIs  (máscaras, aventais e protetores faciais) foram produzidos pelos PPLs e distribuídos entre os profissionais que atuam no sistema prisional e também fora dele, como hospitais e conselhos, entre outros.

    Confira algumas das medidas de higiene e segurança adotadas para o retorno das visitas presenciais:

    •        Reforço na higienização dos espaços individuais e coletivos, realizada pelos próprios PPLs;

    •        As visitas serão restritas à apenas uma pessoa da família, com idade entre 18 e 60 anos, a cada 15 dias;

    •        Os familiares deverão manter o distanciamento mínimo de 1,5m dos PPLs durante a visita;

    •        Todos os visitantes terão a temperatura verificada antes de adentrar os estabelecimentos prisionais;

    •        Mãos, calçados e bolsas de visitantes serão higienizados na porta de entrada;       

    •        O uso de máscaras faciais será obrigatório durante todo o período de permanência dos visitantes nas UPs;

    •        Permanece proibido o ingresso de pessoas idosas, crianças e gestantes;

     

    Confira o calendário de visitas, dividido pelo último número do prontuário:

     

    SÁBADO (08/08)

    9h00 às 11h | Final de prontuário: 0

    13h às 15h | Final de prontuário: 1

     

    DOMINGO (09/08)

    9h00 às 11h | Final de prontuário: 2 e 3

    13h00 às 15h00 | Final de prontuário: 4

     

    SÁBADO (15/08)

    9h às 11h | Final de prontuário: 5

    13h às 15h | Final de prontuário: 6

     

    DOMINGO (16/08)

    9h às 11h | Final de prontuário: 7 e 8

    13h às 15h | Final de prontuário: 9

     

    SÁBADO (22/08)

    9h00 às 11h | Final de prontuário: 1

    13h às 15h | Final de prontuário: 0

     

    DOMINGO (23/08)

    9h00 às 11h | Final de prontuário: 4

    13h00 às 15h00 | Final de prontuário: 2 e 3

     

    SÁBADO (29/08)

    9h às 11h | Final de prontuário: 6

    13h às 15h | Final de prontuário: 5

     

    DOMINGO (30/08)

    9h às 11h | Final de prontuário: 9

    13h às 15h | Final de prontuário: 7 e 8

     

    Foto: Ray Evllyn/SJDH

    Assuntos: Não há assuntos relacionados.
    Compartilhe: Link para o post:
  • No Cabo, centro profissionalizante inova ao integrar comunidade socioeducativa

    | Direitos Humanos

    Funase Cabo

    Projeto desenvolvido dentro de unidade da Funase é um dos concorrentes ao 17º Prêmio Innovare, o principal da Justiça brasileira

    Na maior unidade da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase), instituição vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude de Pernambuco (SDSCJ), uma prática desenvolvida ao longo dos últimos oito anos busca atravessar os muros da instituição. A qualificação profissional de adolescentes em internação, realizada em uma estrutura com oito salas de aulas práticas, tem o diferencial de aproveitar talentos de agentes socioeducativos e de ex-socioeducandos que já passaram pelo local. O projeto é uma das iniciativas que pleiteiam reconhecimento nacional no 17º Prêmio Innovare, o principal da Justiça brasileira.

    A ação ocorre no Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife, que atende cerca de 180 adolescentes e jovens com idades entre 17 e 21 anos. Por meio de articulações do Eixo Profissionalização, Esporte, Cultura e Lazer da Funase junto a instituições parceiras, diversos cursos profissionalizantes foram ofertados no local nos últimos anos. Em tempos de distanciamento social, a estrutura do centro de profissionalização do Case Cabo tem viabilizado a capacitação de turmas de socioeducandos de forma simultânea, com número reduzido de alunos para evitar a disseminação do novo coronavírus.

    Em junho, por exemplo, 80 jovens foram inseridos nos cursos de Operador Logístico, Atendimento ao Cliente, Informática Básica, Corte de Cabelo Masculino e Introdução à Segurança do Trabalho, sob certificação do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE). Outras temáticas, ofertadas pela própria unidade socioeducativa, estão na programação fixa do espaço e sob instrutoria dos próprios agentes socioeducativos, como Tapeçaria, Encadernação Artística e Introdução a Agente Comunitário de Saúde. Já o curso básico de Corte de Cabelo Masculino tem como professor um ex-socioeducando do Case Cabo, hoje funcionário da Funase.

    “A qualificação profissional é o eixo para o qual os demais eixos da medida socioeducativa podem convergir, atrelando educação, saúde, convivência familiar, esporte, cultura e lazer, para que seja possível a escolha, pelo adolescente, de uma nova trajetória. Nesses oito anos, temos visto a equipe de profissionalização da Funase, junto com parceiros, coordenar essas ações, com acompanhamento das nossas equipes locais. Conseguimos também oportunizar a ex-socioeducandos e a agentes socioeducativos a possibilidade de transmitir seus conhecimentos”, relata a gerente do Case Cabo de Santo Agostinho, Tatiane Moraes.

    Assistente social de formação e responsável pela inscrição do projeto no Prêmio Innovare, a gestora mostra-se confiante na possibilidade de a iniciativa inspirar outras ações no sistema socioeducativo país afora. “Na minha concepção, a ressocialização só é possível quanto oportuniza aos socioeducandos condições de qualificação para o trabalho de forma concreta, transformando sua trajetória infracional em inclusão e cidadania. A estrutura montada, com oito salas, auditório, biblioteca, sala de informática, e a participação da própria comunidade socioeducativa nesse esforço de transformar vidas por meio da profissionalização são aspectos que nos levam a acreditar na inclusão desse projeto no rol de boas práticas e no reconhecimento nacional”, completa Tatiane.

     

    Imagem: Divulgação/Funase

    Assuntos: funase
    Compartilhe: Link para o post:
  • Pessoa idosa: Junho supera os cinco meses deste ano em número denúncias

    | Direitos Humanos

    CIAPPI e ouvidoria da SJDH receberam 89 denúncias de violações contra a população idosa, um aumento de 147,22%, em comparação com o mês de maio

    Em casa, na rua ou em uma Instituição de Longa Permanência para Idosos (ILPI), a violência contra a população idosa pode ocorrer de diversos modos, que vão desde uma negligência, quando a pessoa não recebe os cuidados essenciais, a uma agressão verbal ou psicológica e, nos piores casos, a violência física. Por isso, a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH), por meio do Centro Integrado de Atenção e Prevenção à Violência Contra a Pessoa Idosa (CIAPPI), tem redobrado e ampliado a sensibilização contra as violações, principalmente, neste momento de pandemia, o que gerou o aumento nas denúncias recebidas pelo órgão, no mês de junho, em comparação com os cinco primeiros meses deste ano.

    De acordo com o CIAPPI e a ouvidoria da SJDH, só em junho foram recebidas 89 denúncias. Comparado ao mês de maio, que teve 36 queixas, houve um aumento de 147,22%. Os números de violações, identificadas a partir das denúncias, foram de 192, sendo as principais: negligência, violência psicológica, física, financeira e ameaça. Já as cidades que mais apareceram nos dados, são: Recife, Paulista, Olinda e Jaboatão dos Guararapes. “Cuidar da pessoa idosa é dever de todos nós, poder público, sociedade e familiares. Precisamos estar atentos aos mínimos sinais de violação para que possamos denunciar e punir os agressores”, explica o  secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico. 

    Para realizar a denúncia de violações contra pessoas idosas, a população pode entrar em contato pelo telefone (81) 3182-7649, das 9h às 13h (horário especial durante a pandemia) ou pelo e-mail ciappi2016@gmail.com.

    Assuntos: ilpi, sjdh, pessoa idosa
    Compartilhe: Link para o post:
  • Secretários mantêm uso de máscaras em unidades prisionais

    | Direitos Humanos
    O Conselho Nacional de Secretários de Estado da Justiça, Cidadania, Direitos Humanos e Administração Penitenciária (Consej) decidiu, por unanimidade, manter a determinação do uso de máscaras nas unidades prisionais das 27 unidades da federação, com o objetivo garantir a integridade dos policiais penais e Pessoas Privadas de Liberdade (PPLs), como também dos seus familiares e demais servidores que atuam no sistema.
     
    “Estamos nos pautando pela ciência, pelas diretrizes traçadas pela Organização Mundial da Saúde e, principalmente, pelos protocolos que os estados definiram e vêm seguindo, respaldados pelo Supremo Tribunal Federal” enfatiza o secretário de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco e presidente do colegiado, Pedro Eurico.
    Assuntos: sjdh, consej, unidades prisionais, mascara
    Compartilhe: Link para o post:
  • Instituições sociais são instrumentos importantes na ressocialização de cumpridores de penas alternativas

    | Direitos Humanos

     sjdh

    ONG's, escolas,  órgãos governamentais e até parques ecológicos contribuem para o resgate da cidadania dessas pessoas
     
    É através do trabalho de prestação de serviços à comunidade em diversas instituições do estado, que muitas pessoas, autoras de delitos leves pagam a pena alternativa determinada pela justiça. Em Pernambuco, são 746 entidades cadastradas à Gerência de Penas Alternativas e Integração Social (Gepais), órgão da Secretaria de Justiça e   Direitos Humanos (SJDH), disponíveis para receber os cumpridores.

    Entre as instituições estão escolas estaduais e municipais, ONG's, postos de saúde, Instituição de Longa Permanência (ILPI), hospitais e até parques ecológicos. Nesses locais eles realizam várias funções, desde serviços gerais e limpeza, até atividades de almoxarifado e  administrativas. 

    O Centro Poliesportivo Comunitário de Barra de Jangada (Cepec), é uma das entidades vinculadas a Gepais que recebeu cumpridores em 2019, e continua de portas abertas. “Procuramos quebrar o gelo quando eles chegam aqui e, por isso, se tornam parceiros, desempenham suas funções e fazem a diferença, tenho certeza, na nossa vida  e na vida deles”, revela Maria Tereza Mendes da Silva, presidente do Cepec.  

    O Centro de Reabilitação e Valorização da Vida (Cervac), que completou 32 anos de funcionamento em Junho deste ano, também tem  cumpridor, que ajuda na sala de mobilidade. De acordo com a determinação da justiça, cada cumpridor presta serviço uma ou duas vezes na semana. Secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico explica que "valoriza a parceria com instituições que tenham compromisso com o acolhimento, pois o processo de responsabilização perpassa ao cumprimento da pena aplicada, uma vez que promove a reflexão sobre a conduta praticada e contribui para o resgate da cidadania."

    FOTOS: Divulgação
    Assuntos: sjdh, gepais, ressocializacao,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Consej debate saúde no sistema prisional com Drauzio Varella

    | Saúde, Direitos Humanos

    consej

    A situação de saúde e o combate à disseminação do novo coronavírus nos presídios brasileiros pautaram a videoconferência realizada nesta terça-feira (16/06) entre o Conselho Nacional dos Secretários de Estado da Justiça, Cidadania, Direitos Humanos e Administração Penitenciária (Consej) e o médico Drauzio Varella. O encontro integra a iniciativa Todos Pela Saúde, movimento idealizado pelo banco Itaú, que tem por objetivo contribuir no combate a pandemia nas diferentes classes sociais e apoiar as iniciativas da saúde pública.

    A reunião foi conduzida pelo promotor de justiça e membro do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), Antônio Suxberger, e contou também com a participação de representantes do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) e Instituto Ação Pela Paz. Vinte e um estados, dos 27 que compõem o Consej, estiveram presentes no encontro virtual.

    “Dr. Drauzio é uma referência em saúde em todo o país. Ele continua a ser um farol para aqueles que acreditam nos direitos humanos e defendem uma sociedade mais justa e mais humana”, pontua o secretário de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco e presidente do Colegiado, Pedro Eurico. De acordo com o gestor, entre as inúmeras medidas adotadas para combater a Covid-19 nas unidades prisionais brasileiras, a suspensão das visitas foi a mais acertada. “Foi a partir desse isolamento que conseguimos chegar a três meses de quarentena sem indicadores alarmantes de casos no sistema penitenciário”, completa.

    O oncologista Drauzio Varella, conhecido pelo seu engajamento no sistema de saúde prisional desde a década de 80, foi enfático ao falar sobre a pandemia no Brasil. “Infelizmente quando o Governo Federal entrou na história foi para atrapalhar, para questionar o isolamento. O ministério da Saúde praticamente não existe e nós não podemos contar com ele de forma alguma”, disse.

    Sobre o sistema prisional, o médico afirmou que, diante das possibilidades e das dificuldades tão adversas, os estados vêm sabendo conduzir a situação com muito sucesso até aqui. “Dada às dimensões do problema e da facilidade de propagação do vírus, o número de mortes nas prisões brasileiras tem sido proporcionalmente muito pequeno” concluiu.

    Cada região foi representada por um secretário: Norte (Pará), Nordeste (Alagoas), Centro-oeste (Mato Grosso), Sudeste (São Paulo), Sul (Santa Catarina), que de forma objetiva apresentou os desafios de cada localidade. Secretários de outros estados também puderam fazer uso da palavra.

    Assuntos: consej, drauzio varela, covid
    Compartilhe: Link para o post:
  • SJDH doa 476 máscaras de tecidos à etnia Fulni-ô

    | Direitos Humanos

     sjdh

    Foram entregues nesta segunda-feira (15), à comunidade indígena de Fulni-ô localizada no município de Águas Belas, no Agreste do Estado, a doação de 476 máscaras de tecidos doadas pela Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH), com o objetivo de contribuir para a proteção de indígenas no enfrentamento do novo coronavírus. Os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), produzidos por reeducandos da Penitenciária Doutor Edvaldo Gomes (PDEG), em Petrolina, foram entregues ao Distrito Sanitário Especial Indígena Pernambuco  (DSEI) na última sexta-feira (12).

    A ação da SJDH foi realizada em conjunto entre as Secretarias Executivas de Ressocialização (Seres) e de Direitos Humanos (SEDH), com o apoio e a articulação do Programa de Proteção aos Defensores dos Direitos Humanos de Pernambuco (PEPDDH/PE). No dia 10 de junho, as secretarias, já haviam realizado a doação de 500 máscaras para os territórios indígenas de Pankararu, Entre Serras Pankararu, Kapinawá, Kambiwá.

    Assuntos: sjdh, mascaras, coronavirus
    Compartilhe: Link para o post: