meteorologia

Bacias Hidrográficas

Obra em todo lugar

Veja o que o Governo de Pernambuco está fazendo na sua região.

Blog de notícias

  • Feiras orgânicas terão datas e horários alterados neste fim de ano

    | Agricultura


    Em virtude das comemorações de fim de ano, algumas feiras orgânicas de Pernambuco terão dias e horários alterados nas próximas semanas. As alterações devem impactar, principalmente, as feiras realizadas entre a quinta-feira e o sábado, período em que cairão os feriados de Natal e Ano Novo.

     Por causa das mudanças, a Secretaria de Desenvolvimento Agrário, as Organizações de Controle Social (OCSs) responsáveis pelas feiras e as ONGs que prestam assessoria técnica aos produtores e produtoras de orgânicos recomendam que os consumidores consultem as datas e horários dos espaços que costumam frequentar.

    Assuntos: Não há assuntos relacionados.
    Compartilhe: Link para o post:
  • Secretaria de Desenvolvimento Agrário apresenta propostas de parcerias a prefeitos eleitos

    | Agricultura

    agrilcutura

    O secretário Dilson Peixoto apresentou, nesta terça-feira (15), possibilidades de parcerias para potencializar as ações do Governo de Pernambuco no meio rural. Os principais programas em execução, sob a coordenação da Secretaria de Desenvolvimento Agrário e as possíveis contribuições das administrações municipais foram discutidas durante o Encontro de Novos Gestores, promovido pela Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), realizado em Gravatá, no Agreste do Estado.

    Entre as principais iniciativas comandadas pela pasta voltadas à geração de emprego e renda no campo estão inseridas no Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar (PEAAF), que direciona 30% dos recursos destinados às compras governamentais de alimentos à agricultura familiar e à economia solidária; o programa Circuito Pernambuco Orgânico, que visa estimular o cultivo orgânico de alimentos e a ampliação da rede de feiras orgânicas e agroecológicas; e o Selo Arte, que permite aos produtores artesanais de derivados de leite comercializar, em todo o território nacional, produtos como queijo coalho, queijo manteiga, manteiga de garrafa e doce de leite, produzidos artesanalmente.

    De acordo com o secretário Dilson Peixoto, fortalecer a agricultura familiar e gerar emprego e renda é uma prioridade do Governo Paulo Câmara. "Com PEAAF, Circuito (Pernambuco) Orgânico e o Selo Arte estamos abrindo novos mercados para a agricultura familiar e para a produção artesanal de alimentos. Só com o PEAAF estamos criando um mercado potencial de R$ 30 milhões, por ano, para os produtores rurais. Já contamos com 121 feiras orgânicas cadastradas, além de 1.083 produtores orgânicos, o que constitui a maior rede de comercialização de orgânicos do Nordeste; e também fomos o primeiro estado do Nordeste a conceder o Selo Arte aos nossos derivados de leite artesanais", destaca.

    Para o secretário, as parcerias com os municípios, movimentos sociais, ONGs e organizações sociais foram fundamentais para a construção dessas iniciativas. "Todas essas ações foram amadurecidas durante o processo de construção conjunta com as gestões municipais e com os movimentos sociais e organizações ligados ao campo, mas há ainda algumas parcerias que podem ampliar o alcance desses programas, como por exemplo a criação dos Serviços de Inspeção Municipal de Alimentos (SIM) e Apoio Técnico aos produtores rurais", acrescentou.

    Na área de infraestrutura hídrica em comunidades rurais, foram debatidos o Programa de Integração do Rio São Francisco (PISF), que vai construir 42 sistemas simplificados de abastecimento de água, em 108 comunidades localizadas a até cinco quilômetros de distância dos Ramais Norte e Leste da Transposição do Rio São Francisco, e o Programa Água Doce (PAD), que implantará 170 dessalinizadores em poços artesianos de água salobra, em 21 municípios do Semiárido Pernambucano, beneficiando cerca de 60 mil pessoas. Ambos os programas estão atualmente em execução, com estimativa de conclusão em até 24 meses.


    "Com esses programas (PISF e PAD) estamos levando água de qualidade para mais de 70 mil pessoas que vivem em regiões de extrema escassez hídrica e que muitas vezes só têm acesso a água potável por meio de carros-pipa", reforçou Dilson.

     
     
     
     
     
    Assuntos: Não há assuntos relacionados.
    Compartilhe: Link para o post:
  • Secretário Dilson Peixoto alerta prefeitos e parlamentares sobre mudanças no Garantia-Safra em estudo pelo Governo Federal

    | Agricultura

    Dilson

    Em ofício enviado aos prefeitos e parlamentares pernambucanos nesta segunda-feira (31), o secretário de Desenvolvimento Agrário do Estado, Dilson Peixoto, faz uma alerta sobre as mudanças no programa Garantia-Safra em estudo pelo Governo Federal, o risco de descaracterização do programa e a necessidade da realização de um amplo debate quando a proposta chegar ao Congresso Nacional.

    Entre as propostas em estudo destacadas no documento está a destinação de parte do benefício recebido pelos agricultores, em caso de perda de 50% ou mais das lavouras, às empresas de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER). Segundo a alteração proposta, dos atuais R$ 850 pagos pelo programa, as empresas de ATER ficariam com R$ 350 e os agricultores e agricultoras familiares teriam o benefício reduzido para R$ 500.

    Outra mudança em estudo altera o calendário de pagamentos das contribuições de estados e municípios, que passariam a desembolsar o seu aporte (R$ 51 por agricultor inscrito, no caso dos municípios, e R$ 102 por agricultor, no caso dos estados) no início do processo de adesão e não mais de forma parcelada, ao longo do processo, como ocorre atualmente.

    De acordo com o secretário, além de penalizar os agricultores com a redução do benefício, a divisão com as empresas de ATER é insuficiente para cobrir as despesas. “É preciso refletir sobre a falta que esse valor (R$ 350) fará aos agricultores e a efetividade de seu repasse às empresas de ATER, uma vez que, segundo levantamento do IPA, cada família assistida pelo instituto demanda um investimento de R$ 1.600”, comparou.

    Sobre a mudança no calendário de pagamentos dos aportes de estados e municípios, o documento chama a atenção para o impacto nas contas das cidades de pequeno porte do semiárido nordestino. “Em geral, esses municípios possuem baixo IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) e o caixa já comprometido com a folha de pagamentos e custeio da saúde e da educação. A exigência desse pagamento no início do processo pode inviabilizar a adesão de muitos municípios e de sua população rural”, destacou Dilson.

    Assuntos: Não há assuntos relacionados.
    Compartilhe: Link para o post:
  • Em Caruaru, adolescentes fazem horticultura dentro da Funase

    | Agricultura

    funase

     Em Caruaru, adolescentes fazem horticultura dentro da Funase

     Ensinadas por agentes socioeducativos, técnicas estão viabilizando o fornecimento de gêneros alimentícios para familiares dos alunos, para funcionários da instituição e para um mercadinho


    Adolescentes do Centro de Internação Provisória (Cenip) Caruaru, no Agreste do Estado, estão participando de uma oficina de horticultura. O ensino das técnicas é feito por três agentes socioeducativos que atuam na unidade, administrada pela Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase). Além de dispor de um conteúdo profissionalizante, a ação também tem o intuito de estimular a educação ambiental e a percepção sobre possibilidades de aproveitamento de espaços de forma produtiva e sustentável.

     Coentro, cebolinha, alface, beterraba, abóbora e feijão verde são plantados em uma área do terreno da unidade, perto de instalações administrativas e de alojamentos. Depois de cultivados, os itens são fornecidos para familiares dos adolescentes participantes da oficina, para um mercadinho da região e para funcionários da unidade vizinha, o Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Caruaru. “Vejo que os adolescentes estão gostando muito da oficina, mostrando que, apesar das dificuldades impostas pela pandemia, são capazes de aprender e produzir”, afirma a coordenadora geral do Cenip Caruaru, Maria Clara Amorim.

     A gestora ainda explica que a experiência dos agentes socioeducativos na horticultura vem fazendo a diferença no processo de ministração das aulas. “Tem sido fundamental para a realização da atividade e para o envolvimento dos adolescentes nas oficinas. Em cada aula prática, eles aprendem a maneira certa de preparar o terreno, de plantar e de colher. Os resultados são muito bons. Os produtos cultivados são totalmente orgânicos, livres de agrotóxicos e de substâncias que podem afetar a saúde”, completa.

     Imagens: Divulgação/Funase


     

     

    Cidades: Caruaru
    Assuntos: funase, horticultura, caruaru
    Compartilhe: Link para o post:
  • Estado de Pernambuco e Província de Buenos Aires trocam experiência sobre a agricultura familiar

    | Agricultura

    agricultura

    Representantes do Estado de Pernambuco e da Província de Buenos Aires (Argentina) trocaram experiências sobre políticas públicas de apoio à agricultura familiar durante o 1º Intercâmbio Multilateral sobre Agricultura Familiar entre Pernambuco e Buenos Aires, realizado nesta segunda-feira (24). O evento, realizado de forma virtual, contou com 22 participantes, entre gestores governamentais, parlamentares, representantes dos movimentos sociais dos dois países.

    O encontrou contou com a participação do secretário estadual de Desenvolvimento Agrário, Dilson Peixoto; do deputado estadual Doriel Barros, presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária e Política Rural da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), que foi coorganizador da iniciativa; e da presidente da Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado de Pernambuco (Fetape), Cícera Nunes.  Representando a Província de Buenos Aires, estiveram presentes o ministro de Desenvolvimento Agrário (MDA), Javier Rodriguez; a diretora de Relações Internacionais do MDA, Cecilia Julia Llabres; o presidente de Comissão de Assuntos Agrários da Câmara dos Deputados, Gabriel Godoy, e o senador da Província de Buenos Aires Facundo Ballesteros, além de Raul Contreras como observador da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

    As discussões giraram entorno de temas como os avanços e desafios para o desenvolvimento da agricultura familiar no atual contexto político e econômico da América Latina, a participação dos movimentos sociais e entidades representantes dos agricultores e agricultoras familiares na construção de políticas públicas e o avanço na elaboração de legislações específicas voltadas para esse segmento.

    Apresentando as ações governamentais voltadas ao fortalecimento da agricultura familiar, o secretário Dilson Peixoto destacou o Programa Estadual de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar (PEAAF), que vai reservar ao menos 30% das compras governamentais de alimentos à Agricultura Familiar, o recém-lançado Sistema de Informações Regionais da Agricultura Familiar (Siraf), portal que vai integrar as informações da agricultura familiar de todo o Nordeste; distribuição de sementes, apoio à agroecologia; apoio à cadeia produtiva do leite e formalização das queijarias artesanais, que poderão passar a comercializar em todo o território nacional por meio do Selo Arte; além de ações voltadas à infraestrutura hídrica no semiárido, como o Programa Água Doce e o Programa de Integração do São Francisco.

    De acordo com o secretário, a agricultura familiar tem papel importante na produção de alimentos no Estado. “Em Pernambuco, a agricultura familiar responde por 52,5% das áreas dedicadas à agropecuária, com grande concentração no semiárido, onde essa proporção chega a 58,8%, respondendo por 90% da produção de grãos (feijão e milho), 96% da mandioca e 70% da produção de leite”, destacou. 

    De acordo com o deputado Doriel Barros, a reunião foi considerada bastante produtiva pelas representações de Pernambuco e Buenos Aires. “O encontro se constituiu como um marco inédito de cooperação multilateral para debater e construir alternativas para promoção e desenvolvimento da agricultura familiar. Como resultado desse primeiro encontro, será elaborada uma minuta de entendimentos comuns visando mostrar possibilidades de cooperação entre os dois estados”, avaliou.

    A partir desse primeiro encontro, segundo o parlamentar, a ideia é ampliar o debate com a participação de outras entidades, parlamentares e segmentos relacionados à agricultura familiar, com a possibilidade da realização de intercâmbios técnicos, estudos temáticos, permutas de legislações, entre outras ações.

    Assuntos: Não há assuntos relacionados.
    Compartilhe: Link para o post:
  • Na Mata Norte, Paulo Câmara prestigia a centésima moagem da Usina Olho D’Água

    | Agricultura

    paulo Câmara usina olhoD' agua

    Na Mata Norte, Paulo Câmara prestigia a centésima moagem da Usina Olho D’Água

    Expectativa é de uma produção aproximada de 1,8 milhão de toneladas de cana-de-açúcar para a safra deste ano

    Em visita à Zona da Mata Norte do Estado, nesta quinta-feira (20.08), o governador Paulo Câmara esteve na Usina Central Olho D’Água, no município de Camutanga, para prestigiar a centésima moagem de safra da cana-de-açúcar, iniciada no último dia 17 de agosto e prevista para seguir até 28 de fevereiro do próximo ano. A estimativa para a safra 2020-21 é da moagem de 1,8 milhão de toneladas de cana. Processada, essa matéria-prima deverá render 3,5 milhões de sacos de açúcar de 50 quilos, além de 35 milhões de litros de álcool.

     “A indústria do açúcar e do álcool vai conseguir cumprir metas, atingir objetivos, e está gerando emprego e renda. Isso é muito importante para Pernambuco atravessar esse momento tão difícil. É um setor que tem se renovado a cada ano, buscando aprimorar-se e se profissionalizar. E os exemplos ficam, quando a gente vê uma usina como esta colhendo a sua centésima safra e, ao mesmo tempo, tendo um planejamento para os próximos anos e as próximas décadas. Isso é muito importante para a melhoria da produtividade de Pernambuco e para a geração de emprego e renda”, afirmou Paulo Câmara.

     O vasto conhecimento e experiência do Grupo Olho D’Água na produção de açúcar, etanol, aguardente, energia e diversos outros tipos de álcool – associados a contínuos investimentos em novas tecnologias – possibilitam um alto índice de produtividade, gerando 3,5 mil empregos diretos e 1,5 empregos indiretos.

     Satisfeito com o início da centésima safra, o diretor-presidente do Grupo Olho D’Água, Gilberto Tavares de Melo, ressaltou tratar-se da maior produção na história de Pernambuco. “Ela está gerando o equivalente a 4,5 milhões de sacos, entre álcool e açúcar convertidos. No ano passado, Pernambuco já fez uma maior safra. Este ano, comemorando o centenário, o grupo está desafiado a bater esse recorde”, enfatizou.

     QUARTA GERAÇÃO – Considerado o maior processador de produtos de açúcar e álcool do Nordeste, o Grupo Olho D’Água teve origem em 1920, quando os empresários Artur Tavares de Melo, Samuel Hardman e José Hardman assumiram o Engenho Olho D’Água em Pernambuco. Atualmente, o grupo é comandado pela quarta geração de administradores, uma empresa familiar de base sólida.

     O grupo iniciou um amplo processo de expansão, tanto no setor sucroalcooleiro como na diversificação para outras atividades industriais. Atualmente, reúne três empresas sucroalcooleiras: Usina Central Olho D'Água; COMVAP – Açúcar e Álcool Ltda., no Piauí (município de União); e Usina GIASA, adquirida em 2019 e localizada na Paraíba (município Pedras de Fogo).

     Pernambuco é, atualmente, o quarto maior produtor de cana-de-açúcar do Nordeste, com uma média estimada entre 12 e 13 milhões de toneladas por ano, gerando cerca de 200 mil empregos diretos e indiretos. O setor sucroalcooleiro é o que mais emprega no Brasil, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho. Hoje, o Estado contabiliza 11 usinas em operação. A Zona da Mata é a maior região produtora, e, no total, 25 cidades pernambucanas têm na indústria sucroalcooleira a sua principal atividade econômica.

     BENEFÍCIO FISCAL – Por meio da Lei nº 15.584, aprovada pela Assembleia Legislativa em setembro de 2015, o Governo de Pernambuco concedeu benefícios fiscais nas operações com Álcool Etílico Hidratado Combustível (AEHC) e açúcar, proporcionando uma redução de 50% na carga tributária para usinas em situação de recuperação judicial, inativas há mais de um ano e que estejam arrendadas a cooperativas de produtores de cana-de-açúcar.

     Com a medida, foram gerados mais empregos e renda na Zona da Mata pernambucana, favorecendo, sobretudo, pequenos agricultores, que antes precisavam escoar sua produção para Estados vizinhos. A iniciativa possibilitou a retomada da produção de duas grandes usinas da Zona da Mata, Cruangi e Pumaty, que se encontravam paralisadas e em processo de recuperação judicial. As empresas foram arrendadas às cooperativas de produtores de cana AGROCAN e COAF – com o apoio do Governo de Pernambuco, por meio da Secretaria estadual de Desenvolvimento Agrário – em mais uma investida no soerguimento do setor sucroalcooleiro.

    Fotos: Pedro Menezes/SEI

    Cidades: Camutanga
    Assuntos: Paulo câmara, Usina Central Olho D’Água, governo de pe
    Compartilhe: Link para o post:
  • Paulo Câmara participa de lançamento de programas voltados para agricultura familiar

    | Agricultura

    O governador Paulo Câmara participa, nesta quarta-feira (19.08), ao lado do secretário de Desenvolvimento Agrário, Dilson Peixoto, de evento online em que o Fórum dos Gestores da Agricultura Familiar do Nordeste lança o Programa de Alimentos Saudáveis do Nordeste (PAS/NE) e o Sistema de Informação Regional da Agricultura Familiar (Siraf/NE). As ações visam fortalecer o cooperativismo e o associativismo da agricultura familiar do Nordeste.

    Enquanto o PAS/NE é uma estratégia do fórum com o Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável do Nordeste que visa fortalecer e expandir a agricultura familiar, o Siraf/NE é um portal regional que sistematizará a oferta dos produtos da agricultura familiar existentes na região Nordeste. Além de facilitar o acesso e qualificar as informações de mercado. O evento contará com a participação de governadores dos estados da Região e terá transmissão ao vivo no canal do fórum no YouTube, às 16h.

     

    16h – Lançamento do Programa de Alimentos Saudáveis do Nordeste (PAS/NE) e do Sistema de Informação Regional da Agricultura Familiar (Siraf/NE)

    Link para acompanhar: Canal do Fórum dos Gestores e Gestoras da Agricultura Familiar do Nordeste no Youtube: https://www.youtube.com/channel/UC-1PG6a8d2koyQ7L9MELGZw?view_as=subscriber

    Assuntos: governo de pernambuco, governador, covid19, agricultura
    Compartilhe: Link para o post:
  • Feira Agroecológica de Surubim recebe apoio da Secretaria de Desenvolvimento Agrário

    | Agricultura

    feira agro surubim

     

    Feira Agroecológica de Surubim recebe apoio da Secretaria de Desenvolvimento Agrário

    A Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA) segue desenvolvendo ações em apoio às feiras orgânicas de Pernambuco. Nesta quarta-feira (12) foram entregues pela Secretaria 100 galeias (caixas vazadas para transporte de alimentos) à Feira Agroecológica de Surubim, no Agreste Setentrional do Estado. A iniciativa faz parte das ações desenvolvidas no âmbito do Circuito Pernambuco Orgânico, que tem o objetivo de fortalecer a rede de feiras orgânicas do Estado. Além das galeias, foram entregues pela Agroflor as declarações de registro na Organização de Controle Social (OCS) de quatro agricultores da feira:  Silvana Santana, Adriano Santana, Joelma Pereira e Ednaldo de Souza. A vinculação a uma OCS permite aos agricultores e agricultoras serem reconhecidos como produtores orgânicos.

     Contando com apoio da Prefeitura Municipal, Governo de Pernambuco, Banco do Nordeste e das ONGs Agroflor e Centro Sabiá, a Feira Agroecológica de Surubim possui atualmente um ano de atividades e contempla agricultores das cidades de Bom Jardim, João Alfredo, Cumaru, Vertente do Lério, além de Surubim. “O apoio à agroecologia e às feiras orgânicas é um compromisso do Governo do Estado e da Secretaria de Desenvolvimento Agrário com o fortalecimento da agricultura familiar”, destacou o gerente de Processos Agroecológicos da SDA, Mailson Pedro Rodrigues, que representou o secretário Dilson Peixoto no evento.

     De acordo com a prefeita Ana Célia, o fortalecimento dessa cadeia no município e na região é importante diante do cenário que vivemos hoje no País. “Essa feira aqui é uma ação de saúde e com ela estamos dando à população condições de consumir alimentos saudáveis e livres de agrotóxicos”, reforçou, acrescentando que o espaço da feira está garantido por lei municipal aprovada em julho pela Câmara Municipal, e a feira não depende mais da boa vontade de quem estiver à frente da gestão municipal para existir.

     “Nossas condições de trabalho melhoraram bastante. Antes a gente sofria muito porque não tínhamos um espaço aberto, não tínhamos estrutura, nem padronização das barracas, por exemplo. Hoje, além do apoio do Governo, da Prefeitura, da Agroflor, Centro Sabiá, Banco do Nordeste e sindicatos (dos trabalhadores rurais); temos acesso a financiamento e divulgação para a população”, comemora Ednaldo de Souza, responsável pela coordenacão da feira.

     Circuito Pernambuco Orgânico

     Com um ano de existência, o Circuito Pernambuco Orgânico conta atualmente com 120 feiras orgânicas ou agroecológicas cadastradas, 37 a mais que quando foi lançado. O estado possui ainda 1.030 agricultores pernambucanos inscritos no Cadastro Nacional de Produtores Orgânicos (até dezembro de 2019) e 52 Organizações de Controle Social (OCSs)  aptas a emitir o reconhecimento do agricultor pernambucano como produtor orgânico, cinco a mais que no lançamento do programa.

    Cidades: Surubim
    Assuntos: SDA, Agroecológica de Surubim, feira
    Compartilhe: Link para o post:
  • Mulheres do assentamento Santo Antônio produzem roupas como alternativa de aumentar a renda

    | Agricultura

    iterpe

    Capacitadas pelos empreendedores do polo têxtil do Agreste Central, 17 agricultoras do assentamento estadual Santo Antônio, localizado no município de Gravatá, estão sendo responsáveis pela produção de 300 roupas por semana. A iniciativa foi idealizada pelas próprias mulheres, com o objetivo de atender a demanda latente dos cuidados com a saúde da população nesse período da pandemia.

     “As mulheres estão animadas com mais essa chance de conseguir um dinheirinho nesse período. As costuras já são há muito tempo uma alternativa de renda para essas mulheres”, comemorou a vice-presidente e agricultora do assentamento Santo Antônio, Edilene Maria Santos Araújo, assegurando que além da produção de vestimentas, as agricultoras costureiras também produziram 500 máscaras por semana até o mês de julho.

    A agricultora relata que as mulheres já haviam sido beneficiadas há oito anos com as máquinas de costura, quando receberam capacitação do município para desenvolver a habilidade de corte e costura. A expertise que proporcionou a autonomia das agricultoras, historicamente começou para atender a demanda de produção de vestimentas dos empreendimentos do pólo têxtil da região.

    Ao longo do tempo, as mulheres do assentamento Santo Antônio se juntaram com as mulheres da Cooperativa de Bordadeiras Flor de Jurema, no município de Gravatá, para desenvolverem a arte do bordado. Juntos, os dois grupos de mulheres fortaleceram a própria rede de apoio; contribuíram para alavancar a economia local e ampliaram a autonomia financeira por meio das habilidades em corte, costura e bordado.

    A comunidade rural, que possui duzentas famílias assentadas que vivem da concessão da terra, integra o conjunto de assentamentos estaduais administrados por meio do Instituto de Terras e Reforma Agrária de Pernambuco (Iterpe), órgão vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Agrário do Estado (SDA). 

    Assuntos: agricultura, assentamento, iterpe
    Compartilhe: Link para o post:
  • Suape implanta segundo Laboratório Vivo de Ecotecnologias no Engenho Massangana

    | Economia, Saúde, Meio Ambiente, Agricultura

    laboratório vivo de ecotecnologia

    Suape implanta segundo Laboratório Vivo de Ecotecnologias no Engenho Massangana

    Projeto acontece em parceria com o Serviço de Tecnologia Alternativa (Serta) e vai alcançar dez comunidades

    O Engenho Massangana, localizado no território do Complexo Industrial Portuário de Suape, em Ipojuca, ganhou um espaço especial, que teve entrega concluída nesta segunda-feira (27). Trata-se do segundo laboratório vivo de ecotecnologias implantado na região pelo Serta (Serviço de Tecnologia Alternativa), Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) reconhecida internacionalmente. A entidade foi contratada por Suape para levar a comunidades consolidadas no território metodologias sustentáveis, inovadoras e de baixo custo que promovem a segurança alimentar e geram renda.

     O projeto Comunidades Ecoprodutivas, lançado em março, precisou ter o formato reajustado, devido a pandemia da Covid-19, para garantir o distanciamento social.  Em vez do mutirão utilizado no primeiro laboratório, implantado no Conjunto Habitacional Nova Vila Claudete, o de Massangana contou com apenas dois técnicos e cerca de três moradores por dia.

     “Levamos mais tempo, mas o importante é garantir a segurança de todos, ao mesmo tempo em que capacitamos essas famílias, contribuindo para que elas tirem o alimento e o sustento do próprio quintal, o que se tornou ainda mais relevante no momento atual, já que muitos são trabalhadores informais e estão sem fonte de renda”, declara Germano de Barros, diretor da Escola Técnica do Serta. 

    O laboratório foi instalado em um terreno de 77,8 metros quadrados da Associação de Moradores de Massangana, que ganhou dez tecnologias: aquaponia, cisterna de ferro e cimento, sistema de captação de água, minhocário, compoteira caseira em balde, fechamento automático da porteira, farmácia viva, horta vertical em pallet, hidroponia de milho e o sistema agroflorestal, que já tem plantadas várias hortaliças, como alface, coentro, cebolinha, couve, berinjela e hortelã. Tudo para consumo próprio ou revenda das famílias do Engenho Massangana. O ambiente também recebeu pintura lúdica e plaquinhas indicativas.

     “Os próprios moradores escolheram as ecotecnologias que queriam implantar no terreno. Eles participaram de oficinas e ações pedagógicas de consciência ambiental em unidade do Serta, em Gloria de Goitá, no início do ano, onde puderam compreender a proposta e participar ativamente de todo esse processo, que é inspirador e desperta neles a vontade de cuidar do lugar onde moram”, observa o diretor de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Suape, Carlos Cavalcanti. “

     “É a primeira vez que temos uma oportunidade como essa. Antes, plantávamos no chão, sem estrutura. E hoje estamos muito satisfeitos e felizes com o quintal produtivo. Com apenas 30 dias, poderemos colher alimentos livres de agrotóxicos. Isso será a nossa mesa, o nosso almoço”, comemorou Vicente Luiz Aguiar, vice-presidente da Associação de Moradores do Engenho Massangana e morador do local há 45 anos. 

     O próximo laboratório a ser inaugurado será no Assentamento Sacambu, no próximo dia 30. O programa tem investimento de R$ 1 milhão e alcançará dez comunidades, no período de um ano.


    Fotos: Danielle Coutinho/Divulgação Suape 


     

     

    Cidades: Ipojuca
    Assuntos: suape, ecotecnologia, alimentação sustentável
    Compartilhe: Link para o post: