meteorologia

Bacias Hidrográficas

Obra em todo lugar

Veja o que o Governo de Pernambuco está fazendo na sua região.

Blog de notícias

  • Itep é referência na análise de frutas para exportação

    | Economia, Tecnologia

     Itep

    Na contramão da crise, a exportação de frutas continua alavancando a economia brasileira. Só em 2016, o setor movimentou mais de 700 mil dólares segundo dados da Associa­ção Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados (Abra­frutas). A qualificação das frutas em atendimento às exigências da União Europeia está entre os principais pontos que contribuíram para o crescimento e consolidação do segmento. O Instituto de Tecnologia de Pernambuco (Itep) é referência na realização de análises para atestar e elevar a qualidade das frutas made in Brasil, atendendo todo o país, com destaque para os produtores do Vale do São Francisco, que hoje já é responsável por 99% de toda exportação nacional de uva e 85% de todas as mangas exportadas pelo Brasil, de acordo com informações da Associação de Produtores e Exportadores de Hortigranjeiros e Derivados do Vale do São Fran­cisco (Valexport).

    A gerente do Núcleo Alimento Seguro e Sustentável do Itep, Adélia Araújo, ressalta que o trabalho desenvolvido pelo instituto segue os critérios de qualidade e de rastreabilidade exigidos pelo mercado, em especial o importador. Cada fruta passa por uma avaliação minuciosa para verificar a existência de resíduos de agrotóxicos, englobando mais de 500 compostos. As análises realizadas pelo Itep são acreditadas (ISO/IEC 17025), credenciadas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Anvisa e Inmetro. O resultado é um serviço confiável e com nível de excelência abalizado pela União Europeia.

    O reconhecimento das soluções e serviços oferecidos tem relação com o investimento em pesquisa e capital humano. “Nossos profissionais são comprometidos em estudar soluções. A nossa equipe tem mestres, doutores e técnicos especializados que participam de treinamentos, feiras, palestras e eventos científicos no Brasil e no exterior”, destaca a gerente.

    QUALIFRUIT.COM - Para incentivar a exportação de frutas do Vale de São Francisco para a Europa, o Itep desenvolveu, em parceria com o Governo de Pernambuco, um programa de acompanhamento à inspeção das frutas realizada no Porto de Roterdã, na Holanda, porta de entrada de todo o material produzido no Sertão pernambucano. Iniciado em 2010 e mantido até 2015, o programa pioneiro no país foi decisivo para a consolidação das frutas do Vale do São Francisco no mercado europeu. “O Qualifruit funcionava como o olho do produtor no exterior. Através das informações das condições e da qualidade das frutas, os produtores ganham poder na negociação de preço de venda e definição de mercado, além da possibilidade de identificar melhorias de produção, embalagem e transporte”, explica Adélia Araújo.

    Assuntos: itep, semptec, exportação, abrafrutas, governo de pernambuco, Vale do São Francisco
    Compartilhe: Link para o post:
  • Na Semana da Energia, exposição do Espaço Ciência convida para uma experiência sensorial com a luz

    | Educação, Tecnologia

    Espaço Ciência

    O Espaço Ciência inaugura nesta segunda (22), durante a abertura da Semana da Energia, a Exposição “De Olho na Luz". Sombras coloridas, laser show, labirinto de lasers, hologramas, fibras óticas... cada experimento é um convite para que o visitante embarque num universo lúdico e compreenda melhor o que é a luz.

    Um salão de 200m2  se transforma em um espaço performático no qual as luzes, imagens e cores são protagonistas. A sensação de passar da luz à escuridão, de brincar com suas sombras coloridas, de tocar em fibras óticas ou observar o efeito de luz negra são algumas das estratégias que permitem aos visitantes uma experiência sensorial com os conceitos relacionados à óptica.

    Os visitantes também poderão aprender sobre a formação das imagens como se estivessem dentro de uma câmara fotográfica. Ou atravessar um labirinto de lasers que, como no filme “Missão Impossível”, ao serem tocados fazem soar uma campainha.  Os hologramas, com aves flutuando no ar ou peixes nadando, também impressionam o visitante.

    “De Olho na Luz” foi financiada pelo CNPQ e conta também com apoio da TIM. Foi realizada pela equipe do Espaço Ciência, com a colaboração de pesquisadores da UFPE.

    OFICINAS -  Outra atração da Semana da Energia são as oito oficinas temáticas. Os visitantes poderão, por exemplo, construir um sistema de rastreamento de luz solar, para melhor aproveitamento deste tipo de energia ou elaborar um capacitor para armazenamento de energia.

    Também poderão participar da realização de diferentes reações químicas para aproveitamento de energia, a exemplo da separação das moléculas da água ou geração de luminescência a partir de uma reação à base de acetona. Outra opção é acompanhar a construção de um chuveiro que, feito com material de baixo custo, desliga automaticamente quando não está sendo utilizado.

    Os visitantes conseguirão ainda enxergar alguns microrganismos presentes na água por meio de um microscópio construído com apenas uma gotícula de água e um feixe de laser. Completam a programação experimentos com propagação da luz e utilização de radiação ultravioleta para tratamento da água.

    PERMANENTE – Além da programação específica, estarão disponíveis os experimentos permanentes do Museu que enfocam o tema da energia. É o caso da maquete de hidrelétrica, barco fotovoltaico  e Exposição Energia Total, que ilustra os vários tipos de energia e aborda aspectos como reuso e reciclagem, aquecimento global e efeito estufa. 

    Outra atração é a Casa de Energia, construção que une sustentabilidade e eficiência energética em detalhes como iluminação e ventilação naturais, telhado verde, aquecedor solar, bombeamento fotovoltaico e fogão solar.

    Grupos de mais de 10 pessoas devem agendar visita pelo telefone (81) 3241.3226O Espaço Ciência funciona de segunda a sexta, das 8h às 12h e das 13h às 17h;  e nos finais de semana, das 13h30min às 17h.

     
    Cidades: Recife
    Assuntos: Secti, espaço ciencia, semana da energia, "De Olho na Luz", energia,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Secti leva conhecimento, aprendizado e inovação para a Zona da Mata

    | Educação, Tecnologia

    Secti

    Nesta sexta-feira (12), o Pernambuco Em Ação segue em mais uma rodada pelas matas Norte e Sul do estado, apresentando os investimentos que vem sendo realizados no estado. A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) desenvolve várias ações na região, visando a disseminação do conhecimento, aprendizado e inovação. Com a Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia de Pernambuco (Facepe), durante 2015 e 1016, mais de R$ 1.7 milhões foram investidos em bolsas científicas, auxílios para projetos de pesquisa e participação em eventos. Nesse mesmo período, mais de R$ 7 milhões em bolsas foram ofertadas para estudantes da rede municipal pelo Programa Universidade para Todos (Proupe).

    O financiamento da Facepe foi direcionado a bolsas de mestrado, doutorado, iniciação científica, incentivo acadêmico, desenvolvimento científico regional e outras modalidades, além dos projetos de pesquisa e a participação em eventos. Neste ano, está previsto o aumento de 5% nas bolsas e auxílios oferecidos em 2015/2016 para 2017/2018.

    Pelo Proupe, este ano, estamos ofertando 970 bolsas neste semestre, somando um investimento de R$ 934 mil, além da contratação de 30 professores para os campi de Nazaré da Mata e Carpina. Nesses locais, 28 professores já foram contratados e as obras da quadra de esportes e bloco de salas de aula e laboratórios foram concluídas (R$ 1 milhão).

    Secti1

    Ciência - Buscando a interiorização da ciência, a Secti também levou para fora da região metropolitana do Recife programas de disseminação científica. Em 2015 e 2016, mais de 40 escolas participaram do Ciência Jovem, uma feira internacional que reuniu quase mil participantes de todo Brasil e exterior. Além disso, 32 ações foram desenvolvidas pelo Projeto Itinerante Ciência Móvel na Zona da Mata, popularizando ainda mais a ciência.

     

     

    Assuntos: secte, pernambuco em ação, tecnologia, facepe, bolsa de estudo, proupe, disseminação científica, ciencia jovem,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Itacuruba entra no mapa mundial e avança como polo de ciência na região

    | Tecnologia

     Itacuruba

    Após entrar no mapa mundial nomeando o asteroide 10468, Itacuruba prepara-se para virar referência na área de ciências no Sertão pernambucano. A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), junto com o Espaço Ciência e a Prefeitura de Itacuruba, avançam no planejamento para ampliar e consolidar esse potencial da região. As próximas ações no município já têm data marcada.   

    Além de definir medidas para intensificar as atividades de difusão científica e aproximar o tema da população de Itacuruba, a secretária Lúcia Melo, o diretor do Espaço Ciência, Antônio Carlos Pavão, e o prefeito de Itacuruba, Bernardo Maniçoba, em reunião nesta terça-feira (18), discutiram outros caminhos para transformar a cidade em um polo de educação, cultura e turismo a partir da astronomia. Entre as possibilidades está a implantação de um Centro Vocacional Tecnológico voltado para a astronomia, clima e sustentabilidade, assim como uma a criação de uma Rota de Observação Astronômica.

    “Com essa conquista, Itacuruba leva para o mundo uma vocação e patrimônio raros. É preciso aproveitar essa característica como um meio para a promoção de conhecimento e desenvolvimento”, ressaltou a secretária. A confirmação de nomeação do asteroide como 10468 Itacuruba ocorreu no último dia 13, em um congresso científico realizado em Montevidéu, no Uruguai.

    No próximo 2 de junho, a placa de batismo do asteroide será formalmente inaugurada pelo Observatório Nacional com uma grande festa na cidade. O Espaço Ciência levará seu projeto itinerante, o Ciência Móvel, inaugurando também a estratégia de intensificar atividades como exposições, observações noturnas e visitas ao Observatório Astronômico de Itacuruba, o Observatório Astronômico do Sertão de Itaparica (OASI).

    Asteroide Itacuruba - O asteroide 10468, descoberto em 1981, ganhou o nome de Itacuruba depois da sugestão feita pela equipe do OASI, como uma homenagem à cidade onde está instalado e é desenvolvido o projeto IMPACTON, que analisa e monitora asteroides, sobretudo os que oferecem maior risco ao planeta. O asteroide Itacuruba está localizado no cinturão principal de asteroides, região do Sistema Solar entre os planetas Marte e Júpiter. Tem um período orbital de 3,58 anos em torno do Sol e um tamanho estimado entre 2 a 5 km de diâmetro. 

    Assuntos: itacuruba, ciencia, tecnologia, asteroide 10468, secti, espaço ciencia, lucia melo, antônio carlos pavão, bernardo maniçoba, astronomia, centro vocacional tecnologico,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Espaço Ciência e Itacuruba se unem para transformar a cidade em Polo Astronômico

    | Tecnologia

     

    O Espaço Ciência e representantes da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado se reúnem nesta terça (18) com o prefeito de Itacuruba, Bernardo Maniçoba, para discutir um projeto de consolidação do município como Polo Astronômico. Desde a última quinta-feira (13), a cidade, do Sertão pernambucano, passou a nomear o asteroide 10468, graças às pesquisas realizadas no Observatório Astronômico que funciona na cidade.

    A proposta do Espaço Ciência e prefeitura local é aproveitar o potencial de Itacuruba para observações Astronômicas: “A ideia é sensibilizar a população quanto ao potencial de sua cidade, consolidando Itacuruba como um polo de educação, cultura e lazer associados à Astronomia. A proposta deverá atrair pesquisadores e curiosos para as observações e atividades que serão desenvolvidas no local”, explica o diretor do Espaço Ciência, Antonio Carlos Pavão.

    Para isso, serão realizadas exposições permanentes e itinerantes, a exemplo de Planetário inflável, relógio solar e observatório indígena, e atividades de divulgação da Astronomia com observações diurna e noturna.

    Uma das propostas é a readaptação da iluminação pública para que não prejudique a visão do céu noturno. “Nosso Sertão já permite uma visão privilegiada. Mas podemos avançar e chamar a atenção para a importância da preservação do céu noturno”, ressalta Pavão.

    O ASTEROIDE - O asteroide 10468, descoberto em 1981, ganhou o nome de Itacuruba desde a última quinta, quando foi realizado o congresso científico “Asteroids, Comets, Meteors - ACM”, no Uruguai.  O fato ajuda a dar visibilidade ao município e cria um ambiente favorável à implantação do projeto.

    O nome foi sugerido pela equipe do OASI - Observatório Astronômico do Sertão de Itaparica, como uma homenagem à cidade onde está instalado. No local é realizado o projeto IMPACTON, que analisa e monitora asteroides, sobretudo os que oferecem maior risco ao planeta.

    O asteroide Itacuruba está localizado no cinturão principal de asteroides, região do Sistema Solar entre os planetas Marte e Júpiter. Tem um período orbital de 3,58 anos em torno do Sol e um tamanho estimado entre 2 a 5 km de diâmetro.  

    O OASI – O Espaço Ciência tem acompanhado e apoiado a implantação do OASI desde sua raiz, entre 2003 e 2004. Na época, o governo federal lançou um edital para execução de um projeto de monitoramento dos asteroides que pudessem oferecer riscos à Terra. Foi quando teve início o projeto IMPACTON.  “Para se ter uma ideia, todo o Hemisfério Sul só tinha um projeto de observação de asteroides, que era na Austrália”, explica o astrofísico Antonio Carlos Miranda.

    Segundo ele, após a escolha do projeto, o segundo passo foi a definição do local onde ele seria implementado. A escolha de Itacuruba foi feita após várias visitas técnicas e teve dois motivos principais: “O céu escuro e o clima seco facilitam as observações, pois as moléculas de água podem absorver a luz”, explica.

    Na época, o apoio de cientistas e de entidades como a RENE – representação do MCTI no Nordeste e o Espaço Ciência  também criou um clima favorável para sensibilizar as autoridades públicas e população do município para receber o Observatório.

    O ano de 2011 marca a chamada “a primeira luz” do OASI. Ou seja, a primeira observação. Desde então, ele tem se destacado mundialmente. No ano passado, por exemplo, recebeu certificado da ESA (Agência Espacial Europeia) por ter sido o único a observar um asteroide que passou bem próximo à Terra.

    Durante todo este tempo, o Espaço Ciência tem mantido contato com o Observatório Nacional  e, no início deste ano, o projeto de transformação de Itacuruba em Polo Astronômico foi pauta de  reunião entre representantes do Espaço Ciência; Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação; e Observatório Nacional. 

    Assuntos: semptec, espaço ciencia, itacuruba, bernardo maniçoba, polo astronomico,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Espaço Ciência promove Semana dos Povos Indígenas

    | Tecnologia, Direitos Humanos


    Oficinas, histórias, brincadeiras e outras atividades enfocam a ciência dos povos indígenas a partir desta segunda (17)

    De hoje a quinta-feira, 17 a 20, o Espaço Ciência realiza a Semana dos Povos Indígenas. Nestes quatro dias, oficinas, brincadeiras, mostra de vídeos, apresentações culturais e contação de histórias enfocam a Ciência e Cultura dos povos indígenas.

    Um grupo dos povos Fulni-ô estará no Museu na tarde do dia 18 e na manhã do dia 19 para apresentar um momento de pinturas, Toré (dança e música indígena) e roda de conversa.  Também no dia 19 de abril, quando se celebra o Dia dos Povos Indígenas, haverá um bate-papo com Boró, indígena Fulni-ô. Ele vem acompanhado de uma criança da comunidade, que apresentará aos visitantes alguns cantos de seu povo.

    Os Fulni-ô, também conhecidos como Carnijós, compõem uma etnia que habita próximo ao Rio Ipanema, situado no Agreste e Sertão pernambucanos. Algumas das suas principais expressões culturais são o Toré, os rituais e o idioma Yathê. Trata-se da única etnia pernambucana que preserva sua língua originária.

    As oficinas acontecem no primeiro e no terceiro dia. Os visitantes poderão construir um pequeno observatório indígena e aprender como utilizar a luz do sol para marcar a passagem das estações e saber os melhores momentos para plantar ou colher, por exemplo.

    Também poderão utilizar o urucum e aprender mais sobre a pintura corporal indígena. Ou conhecer as possibilidades de utilização de vários tipos de plantas para cura, rituais, bebidas, higiene e alimentação e fabricar, por exemplo, um repelente natural.

    Na terça e na quinta, o foco são as brincadeiras: a meninada poderá se divertir com arco e flecha, cabo de guerra, zarabatana, futebol indígena e outras atividades. Também serão exibidos documentários sobre a cultura dos povos indígenas.

    Os experimentos e exposições permanentes do Museu também estarão disponíveis com este enfoque. É o caso da oca, já existente; e do Planetário, que mostrará as constelações indígenas.

    O Espaço Ciência funciona de segunda à sexta, das 8h às 12h e das 13h às 17h e, nos fins de semana, de 13h30min às 17h. No caso de grupos de mais de dez pessoas, a visita deve ser agendada pelo telefone 3241.3226.

     

     
    Assuntos: espaço ciencia, semptec, ciencia, cultura, povos indígenas,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Governo do Estado promove audiência pública sobre o PE Conectado

    | Tecnologia

    Representantes de órgãos públicos e de empresas privadas tiraram dúvidas e deram sugestões a respeito do processo licitatório

    O Governo de Pernambuco, por meio da Secretaria de Administração (SAD) promoveu na tarde desta sexta-feira (31), uma audiência pública a respeito do processo licitatório do PE Conectado (rede integrada de dados, voz e imagens) do Governo de Pernambuco. O objetivo do encontro foi esclarecer dúvidas de empresas interessadas em concorrer à licitação, além de contribuir para a elaboração do Termo de Referência (TR). Além da  SAD, estiveram presentes servidores da  Agência de Tecnologia da Informação (ATI), Procuradoria Geral do Estado (PGE), Secretaria Estadual de Saúde, Educação, Defesa Social e representantes de empresas privadas. O evento foi realizado no auditório da SAD, no bairro do Pina, no Recife.

    O contrato que irá ampliar a rede de conectividade em todo o Estado de Pernambuco representará a segunda versão do PE Conectado, prevista para iniciar no segundo semestre deste ano. A proposta é tornar a comunicação ainda mais eficiente e rápida em todo o Estado. O valor global da contratação está previsto para R$ 515 milhões e o edital deverá ser publicado dentro de 30 dias.

    Benefícios - Com o novo contrato os serviços de saúde, educação e segurança pública, por exemplo, serão otimizados. Para se ter uma ideia a Secretaria de Defesa Social (SDS) terá seus serviços de videomonitoramento das vias públicas ampliados, proporcionando mais segurança para todos os pernambucanos. Na área de saúde, será possível que os prontuários médicos estejam integrados com as unidades de pronto atendimento e hospitais de toda rede pública do Estado, trazendo mais qualidade e segurança nos diagnósticos médicos dados aos pacientes. Já para o sistema educacional os estudantes e o corpo docente poderão ampliar o seu nível de conhecimento através dos links de acesso à internet com alta velocidade, aumentando ainda mais a inclusão digital.

    PE Conectado – O PE Conectado é composto por serviços de rede, como voz, imagens, videomonitoramento, rede sem fio, telefonia fixa e internet corporativa, que são aplicados para melhorar a qualidade dos serviços públicos prestados à população pernambucana.

    Assuntos: pe conectado, governo de pernambuco, sad, ati, pge, licitação
    Compartilhe: Link para o post:
  • Itep aprova 11 novos projetos para incubação no Estado

    | Tecnologia

     

    O Instituto de Tecnologia de Pernambuco (Itep) divulgou hoje (31) o resultado do processo seletivo do programa de incubação da instituição, classificando 11 projetos inovadores. Para a Incubatep, foram selecionados seis projetos. Em Caruaru, na Itac, foi escolhido um projeto. Na Incubadora do Pajeú, duas vagas serão ocupadas; e na Invasf, em Petrolina, dois projetos serão incubados.

    Na Incubatep, no Recife, os projetos selecionados são: Starthérmic (pré-incubação), Reservatório térmico sem coletores solares (pré-incubação), SILO42 (incubação), Prol Educa Soluções Educacionais (incubação), SIRI - Serviço inteligente de Reciclagem de Resíduos e Impurezas (pré-incubação) e Cinza vegetal para fabricação de artefatos de cimento (pré-incubação).

    Em Caruaru, na Itac, será incubado o projeto Seopi (incubação). Em Petrolina, na Invasf, os projetos selecionados são: Abatedouro móvel (incubação) e Queijo Capri (pré-incubação). Em Serra Talhada, na Incubadora do Pajeú, os futuros incubados serão: Bode in Box (pré-incubação) e Eco Sertão (incubação).

    CONVOCAÇÃO – Os representantes dos projetos aprovados são convocados para uma primeira reunião de trabalho no dia 10 de abril, às 14h, no auditório da Incubatep (para os aprovados no Recife). Para os aprovados no interior, a data e o horário serão os mesmos, devendo os responsáveis se dirigir para as incubadoras locais (Itac, Invasf e Pajeú). Na reunião, será abordado o novo modelo de incubação e pré-incubação do Itep, a documentação necessária para a formalização do processo e esclarecimentos gerais.

    Endereço das Incubadoras:

    Incubatep – sede do Itep – Av. Prof. Luiz Freire, 700 – Cidade Universitária
    Itac – Centro Tecnológico do Agreste – CT Moda – Av. Dalton Santos, 319, Bairro São Francisco, Caruaru – (81) 3701.1108
    Incubadora do Pajeú – Centro Tecnológico do Pajeú – CTP – Av. Custódio Conrado, nº 600, Bairro AABB, Serra Talhada – (87) 3831.9303
    Invasf – Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina – Facape – Campus Universitário, s/nº, Vila Eduardo – Petrolina

     

    Assuntos: itep, incubatep, caruaru, pajeú, petrolina, sectec
    Compartilhe: Link para o post:
  • Administração de Noronha faz parceria para aumento da velocidade da internet em prédios públicos

    | Tecnologia, Administração


    Palácio São Miguel, sede administrativa do distrito, é um dos locais contemplados

    Está em fase de finalização a implementação de links de internet banda larga em cinco prédios públicos de Fernando de Noronha, executado pelo provedor Noronha Online, responsável pela distribuição do sinal da empresa O3B. A Administração do Distrito está dando apoio técnico e logístico. Os pontos de implantação da internet de alto desempenho são: Palácio São Miguel, Hospital São Lucas, Escola Arquipélago, Creche Bem-Me-Quer e Posto de Saúde da Família Dois Irmãos.

    A O3B instalou no ano passado um backbone, equipamento responsável por receber o sinal de satélite que circula numa órbita quatro vezes mais próxima da terra do que os satélites convencionais. Isso dá condições de fornecer uma velocidade equivalente ao do continente.

    A parceria com o provedor Noronha Online, portanto, passa a atender as demandas por uma Internet de qualidade em lugares essenciais do arquipélago, como nas áreas de educação e saúde, com todos os recursos necessários para uma boa qualidade de acesso. “Com a implementação dos links vamos ter um ganho de produtividade, além do aumento da velocidade no atendimento para os moradores e turistas, por conta da eliminação de interrupção da internet”, diz Rodrigo Valença, Superintendente de Tecnologia, Orçamento e Finanças da ilha.

    Noronha Connect

    O acesso à internet de qualidade sempre foi um dos principais questionamentos de quem visita o arquipélago, por isso a Administração da ilha sempre teve a preocupação pelo suporte de qualidade tecnológico. Atualmente nove pontos da rede WiFi estão disponíveis gratuitamente, pelo Noronha Connect, para quem mora e também visita a ilha, através de contrato firmado com o consórcio PE Conectado, projeto do Governo de Pernambuco, gerando dessa forma inclusão digital além de fortalecer a rede turística do distrito.

    Cidades: Fernando de Noronha
    Assuntos: Fernando de Noronha, internet banda larga, noronha on line, noronha connected
    Compartilhe: Link para o post:
  • Pernambuco será o primeiro Estado do País a levar nova rede de banda larga ao Interior

    | Comunicação, Educação, Tecnologia
    Brasília

    Governador Paulo Câmara firmou acordo com o ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab


    BRASÍLIA – O governador Paulo Câmara e o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, assinaram nesta quarta-feira (08.03) um Acordo de Cooperação Técnica para consolidar e expandir as redes digitais avançadas para Ensino e Pesquisa em Pernambuco. A parceria vai possibilitar, ao menor custo possível, levar banda larga de alta qualidade, de 1 a 10 Gigabytes, às instituições de ensino e pesquisa da Região Metropolitana do Recife e Interior do Estado, conectando-as à Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP).

    “Pernambuco é o primeiro Estado da Federação a fazer essa parceria com o Ministério, mais uma vez sendo pioneiro nessa área de Ciência, Tecnologia e Inovação. É muito importante porque vai possibilitar a expansão da rede, chegando a cantos que precisam de comunicação, da agilidade da Internet”, avaliou Paulo Câmara.

    Para o governador, o acordo assinado hoje permitirá uma melhoria expressiva na área educacional, de Ciência e Tecnologia e nos arranjos produtivos do Estado. “É uma grande parceria em favor do Brasil, em favor do futuro. O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações dá um expressiva contribuição a Pernambuco, ao nos escolher como o primeiro Estado a implantar essa nova rede de banda larga”, disse Paulo Câmara.

    Já a secretária estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, Lúcia Melo, afirmou que o acordo de cooperação técnica é fundamental, como projeto estratégico, é estruturante de um futuro sobre o qual as tecnologias da informação são dominantes.

    “Trata-se de Pernambuco participar, num momento muito decisivo, desse projeto-piloto, que vai avançar nesse novo modelo do backbone (rede principal, a espinha dorsal’, pela qual passam todos os dados da Internet) da RNP, em parcerias com o setor privado, com o sistema elétrico, permitindo disseminar a banda larga em todo o interior do Estado de Pernambuco”, explicou Lúcia.

    RNP – A RNP é uma Organização Social (OS) desde 2002, mantida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação (MCTIC), por meio de um Contrato de Gestão, em conjunto com os ministérios da Educação (MEC), Cultura (MinC), Saúde (MS) e Defesa (MD). Opera um backbone com pontos de presença (PoPs) nas 27 unidades da federação, formando a espinha dorsal da rede acadêmica nacional - a Rede IPÊ.

    Em Pernambuco, a RNP é operada pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti-PE), por meio do Instituto de Tecnologia de Pernambuco (ITEP) e atende várias instituições de ensino e pesquisa da RMR.

    A parceria entre o Governo do Estado e o MCTIC permitirá, em convênios futuros com empresas do setor elétrico e entidades públicas, a expansão da RNP em Pernambuco, consolidando a Rede Pernambucana de Pesquisa e Ensino (RePEPE). 

    Por meio de uma rede digital óptica avançada, com velocidade de 1 a 10 Gb/s, integrada à RNP, a RePEPE pretende conectar diversas unidades de ensino e pesquisa de Pernambuco, beneficiando com banda larga de alta qualidade instituições como o Armazém da Criatividade, em Caruaru, centros tecnológicos, universidades e faculdades do interior do estado, com destaque para a interligação das Escolas Estaduais de Ensino através do Projeto Giga Léguas da Secretaria Estadual e Educação e Secti-PE.

    Fotos: Humberto Pradera/Divulgação


    Assuntos: paulo camara, governo de pernambuco, internet banda larga, ciencia e tecnologia, lucia melo, Gilberto kassab, ensino de pesquisa em pernambuco
    Compartilhe: Link para o post: