meteorologia

Bacias Hidrográficas

Obra em todo lugar

Veja o que o Governo de Pernambuco está fazendo na sua região.

Blog de notícias

  • Suape realiza audiência pública para empresas interessadas na exploração de GLP

    | Suape

    O Complexo Industrial Portuário de Suape realizará, no próximo dia 30, audiência pública para empresas interessadas em explorar a atividade de envase e distribuição de gás liquefeito de petróleo (GLP). O evento é a primeira etapa antes da abertura de concorrência para cessão de uso onerosa de uma área de 24 mil metros quadrados, localizada no polo de graneis líquidos, em área não afeta à operação portuária. Os estudos e minutas estão disponíveis no www.suape.pe.gov.br e poderão ser objeto de contribuições dos participantes. A audiência será realizada na sede administrativa, em Ipojuca.

    O valor estimado do investimento é de R$ 66,3 milhões, mas poderá variar de acordo com as contribuições apresentadas. O prazo de outorga ou tempo do contrato será de 15 anos. O cessionário que vencer a licitação ficará responsável pela ampliação e desenvolvimento da infraestrutura, benfeitorias ou substituições necessárias e manutenções na infraestrutura existente.

    O pedido para realização da licitação já foi apresentado ao governo federal. Na última segunda-feira (13), o Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil publicou portaria (943/2017) no Diário Oficial da União autorizando a cessão do terreno. Além dos investimentos, o vencedor da concorrência terá que arcar com o valor estabelecido, resultante do estudo simplificado, para contrato de cessão onerosa, que é de, no mínimo, de R$ 5,65/m² por mês. Isso totaliza um valor global estimado mínimo de R$ 24,4 milhões a ser pago a Suape ao longo dos 15 anos. Vencerá a licitação aquele que oferecer o maior valor à autoridade portuária.

    A empresa que vier a fazer uso dos serviços oferecidos pela autoridade portuária se submeterá ao cumprimento das obrigações contidas em tabela pública de tarifas, devendo ainda cumprir com o disposto na minuta de contrato, em especial uma performance mínima de 60 mil toneladas/ano (consumo aparente), considerando-se os dois segmentos de mercado (domiciliar, granel e outros envasados). O GLP é comercializado de duas formas: em botijões de 13kg, para consumo domiciliar, ou a granel, destinado a indústrias, comércio, serviços e condomínios.

    Os estudos preliminares revelaram que as bases de envase localizadas em Suape operam 24% do recorte nacional de consumo de GLP. Essas bases, objeto da licitação, atendem aos estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará, o que em números de 2016 representam 53% do market share de toda a região Nordeste.

    “Suape distribui atualmente 655 mil toneladas de GLP/ano e somente Pernambuco consome 310 mil toneladas/ano. Tudo isso mostra a importância e a necessidade de modernizarmos nossas instalações, o que também trará reflexos positivos em nossa movimentação portuária”, ponderou o vice-presidente de Suape, Marcelo Bruto. O atracadouro pernambucano ocupa a primeira posição nacional na movimentação de graneis líquidos entre todos os portos públicos do país, com 17,3 milhões de toneladas (2016).

    Cidades: Cabo de Santo Agostinho, Ipojuca
    Assuntos: sdec, suape, exploraçao, glp, audiencia publica
    Compartilhe: Link para o post:
  • Suape completa 39 anos de história com os olhos voltados para o futuro

    | Suape

    Suape completa, nesta terça-feira (07), 39 anos de uma história construída com o suor de muitos pernambucanos que lutaram para ver nascer um porto industrial no Estado. Quase quatro décadas depois, é notável a consolidação da zona industrial, abrigando fábricas de diversos setores que contribuem significativamente para o crescimento econômico de Pernambuco. O Porto de Suape, o mais importante e estratégico das regiões Norte e Nordeste, acumula recordes de movimentação de cargas ao longo dos últimos anos, firmando-se entre os principais atracadouros do país.

    O porto-indústria abriga 100 empreendimentos instalados ou em fase de implantação, que geram mais de 18 mil empregos diretos. Outras indústrias e grandes projetos estão a caminho. O Aché Laboratório Farmacêutico vai instalar a maior fábrica do grupo no Complexo de Suape, com aporte de R$ 500 milhões, o maior anúncio de investimento privado no Brasil no ano passado. Serão 500 empregos diretos e 2,5 mil indiretos. O segundo terminal de contêineres (Tecon 2) está bem próximo de tornar-se uma realidade, com previsão de investimento da iniciativa privada da ordem de R$ 1 bilhão. Com a conclusão do Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA), o projeto agora aguarda os trâmites do governo federal e deve estar no mercado no ano que vem.

    Outros projetos devem ser concluídos em breve. É o caso dos parques de tancagem da Pandenor e da Decal, que já receberam autorização para ampliação através do Programa de Parceria de Investimentos (PPI) do governo federal, o que deverá aumentar de forma expressiva a movimentação de graneis líquidos no Porto de Suape. O mesmo PPI também contemplou a ampliação do Terminal de Açúcar da Agrovia, que passará a movimentar outros grãos. Um investimento de R$ 40 milhões que trará novas oportunidades de negócios.

    Suape também já recebeu as propostas dos interessados em explorar o truck center, pátio de caminhões com 500 vagas estáticas e infraestrutura necessária para reduzir o tempo de descarregamento e embarque das cargas provenientes dos terminais localizados no porto. Há, ainda, uma série de outros projetos que devem sair do papel, como o terminal de regaseificação, o arrendamento do pátio de veículos e o terminal de minérios, que depende da conclusão da ferrovia Transnordestina.

    Tudo isso mostra a importância e o potencial de Suape para o Estado e as regiões Norte e Nordeste. Em 2016, o porto fechou o ano com o recorde de 22,74 milhões de toneladas de cargas movimentadas, crescendo quase 15% em relação ao ano anterior. Essa taxa foi a maior entre os 10 maiores portos públicos do país, o que alavancou Suape para a 5ª posição no ranking nacional de movimentação de cargas. Este ano, os contêineres cresceram 22% no período de janeiro a setembro, um dos maiores recordes já registrados desde o início da operação do Tecon Suape em 2002.

    “Seguimos aguardando a tão almejada devolução da nossa autonomia para que possamos tocar, com a rapidez que o momento requer, os projetos que ficaram estagnados desde a sanção da Lei dos Portos em 2013. Enquanto isso, seguimos planejando o nosso futuro. É primordial que tenhamos a estrutura pronta que, aliada à qualidade de nossa mão de obra, fruto de maciços investimentos do governo Paulo Câmara em educação, nos permitirá continuar a receber grandes empreendimentos”, ponderou o presidente de Suape, Marcos Baptista.

    Suape também cuida das pessoas e do meio ambiente. Mais de mil hectares de mata atlântica, restinga e mangue estão em processo de recuperação, dentro de sua Zona de Preservação Ecológica, que possui 59% dos 13,5 mil hectares do território. O maior projeto habitacional em construção no Estado está sendo erguido no Complexo. Mais de 2,6 mil famílias serão beneficiadas com uma residência num local com infraestrutura e próximo de serviços públicos, como posto de saúde, transporte e escolas.

    Olhando o passado e visando o futuro, o Complexo Industrial Portuário de Suape está colhendo os frutos do esforço do povo pernambucano e dos governos que acreditaram no potencial deste grande ativo da economia do Estado. “Por tudo isso, acreditamos que o futuro reserva tempos ainda melhores para o nosso complexo, ratificando sua vocação de ser um dos melhores ambientes de negócios do Brasil”, acrescentou o presidente Marcos Baptista.

    Cidades: Cabo de Santo Agostinho
    Assuntos: sdec, suape, porto industrial, aniversario, completo idustrial
    Compartilhe: Link para o post:
  • Movimentação de cargas no Porto de Suape registra melhor marca do ano

    | Suape

    O Porto de Suape fechou o mês de setembro com a melhor marca na movimentação de cargas de 2017. O atracadouro, que é reconhecido por sua liderança nacional na movimentação de granéis líquidos e na movimentação de cabotagem, apresentou crescimento de 9% nas suas operações. No período, foram 2.118.030 de toneladas de produtos, ante 1.942.437 de toneladas em setembro de 2016. Os dados foram divulgados pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq).

    Este resultado foi impulsionado pela movimentação dos granéis líquidos, com 1.608.550 toneladas dos produtos que chegaram e saíram por Suape. O alcance representou o crescimento de 3% em relação a setembro de 2016, quando este tipo de carga registrou 1.552.997 de toneladas. Também a melhor marca de 2017.

    Dentro deste grupo de cargas, os combustíveis Diesel S-10 (451.404 de toneladas) e o Diesel S-500 (41.298 de toneladas), que somados representam 492.702 de toneladas, foram os produtos mais movimentados. As mercadorias em questão atendem ao mercado nordestino.

    Já o petróleo, segunda carga mais movimentada no porto, apresentou crescimento de 30% em relação ao mesmo período de 2016. Foram 464.797 de toneladas em setembro de 2017, ante 356.932 de toneladas no mesmo mês de 2016. O petróleo tem como destino a Refinaria Abreu e Lima. Outras cargas, como o óleo combustível, a gasolina, o etanol e o Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), complementam a lista.

    ACUMULADONo total, até setembro de 2017, o porto alcançou a movimentação de 16.714.780 de toneladas, mantendo a 5ª posição entre os portos públicos de maior destaque na movimentação nacional. As principais operações continuam sendo as de cabotagem, com 10.927.410 de toneladas, seguidas pelas importações com 4.673.677 de toneladas e as exportações com 1.113.694 de toneladas.

    VEÍCULOSAs operações de importação e exportação de veículos pelo Porto de Suape continuam em plena expansão. As montadoras apostam cada vez mais no transporte marítimo para movimentar seus carros. O crescimento já chega a alcançar a marca de 61% apenas em setembro. Foram 7.321 veículos no mês passado, superando a marca de 4.544 carros em setembro de 2016. Ao longo de todo o ano, já passaram por Suape 53.611 unidades. De janeiro a setembro a alta é de 42% em relação ao mesmo período do ano passado.

    CONTÊINERESCom o final do ano se aproximando, a movimentação de contêineres tem apresentado crescente circulação no porto. O índice de aumento chegou a 28% só em setembro, com 39.435 TEUs registrados, número maior que o apurado no mesmo mês de 2016 quando 30.752 TEUs foram registrados. No acumulado do ano (janeiro a setembro), o aumento é de 21,9% em relação aos mesmos meses de 2016. 

    Cidades: Cabo de Santo Agostinho
    Assuntos: sdec, suape, antaq, movimentaçao de cargas
    Compartilhe: Link para o post:
  • Jeep Compass completa um ano e chega ao mercado argentino por Suape

    | Suape

    Jeep Compass

    Mais um produto 100% pernambucano chega com destaque ao mercado externo. O Jeep Compass, terceiro modelo fabricado na unidade da Fiat Chrysler Automobiles (FCA), no Polo Automotivo de Goiana, completou um ano do início de sua produção e começou a ser comercializado em larga escala na Argentina há algumas semanas. Os veículos saem pelo Porto de Suape com destino ao Porto de Zárate, nas cercanias de Buenos Aires, capital do país vizinho.

     A montadora utiliza o atracadouro pernambucano como porta de saída de suas mercadorias desde 2015, quando outros veículos da marca começaram a ser exportados para países como a Costa Rica, Panamá, Peru, Uruguai e Chile. Em um ano, desde o início de sua fabricação em Pernambuco, 45 mil unidades já foram vendidas. O modelo é a aposta da montadora no mercado de utilitários esportivos.

     O mix de carros da FCA é responsável por 82,9% de todas as operações de veículos no Porto de Suape. Em 2017, a montadora já embarcou mais de 40 mil veículos com destino ao exterior. As demais movimentações acontecem com veículos das montadoras GM, responsável por 2,8% das operações, Toyota (13,4%) e Volkswagen (0,9%).

     De janeiro a setembro de 2017, já passaram por Suape 53.610 veículos. O número já supera em 42% o número de carros que circularam no atracadouro em todo o ano de 2016, quando 37.843 unidades foram movimentadas.

    RENEGADE NO MÉXICO

    Em abril deste ano, a Jeep iniciou uma nova estratégia de mercado com exportações para o México do Jeep Renegade, também fabricado em Goiana (PE). O sucesso e o crescimento contínuo dessas operações portuárias está atrelado diretamente à capacidade que o Porto possui para receber esses carros e abrigá-los em uma área com infraestrutura adequada.

     Em 2014, Suape ampliou o Pátio Público de Veículos de 3,7 para 18,7 hectares e capacidade para movimentar 250 mil veículos por ano. Mais de 70 pessoas estão envolvidas em todo o processo de logística na movimentação deste tipo de carga, incluindo profissionais da administração do Complexo de Suape, órgãos anuentes, trabalhadores portuários do Órgão Gestor de Mão de Obra (OGMO) Suape e empresas de logística. Atualmente, a administração realiza um estudo de viabilidade para o arrendamento do pátio de veículos. A licitação deverá ocorrer em meados do ano que vem.

    Assuntos: SDEC, suape, jeep, comercio exterior, emprego
    Compartilhe: Link para o post:
  • Portos do Açu e de Suape firmam parceria estratégica

    | Suape

    Porto de Açu

    Dois dos maiores complexos industriais portuários do Brasil, os Portos de Suape (PE) e do Açu (RJ), formalizaram, nesta sexta-feira (27), um acordo de cooperação técnica para promover a troca de informações e experiências. O acordo foi firmado, durante a manhã, na sede do Complexo Industrial Portuário de Suape, em Ipojuca (PE), e contou com a participação de diretores das duas empresas.

    “Estamos muito felizes em iniciar a parceria com o Porto de Suape. Além de possibilitar o desenvolvimento de iniciativas comerciais em conjunto, ela poderá contribuir com o desenvolvimento do país, pois integra dois dos principais mercados brasileiros: o Sudeste e o Nordeste”, explicou José Magela, presidente da Prumo Logística, empresa que opera e desenvolve o Porto do Açu. O diretor de diretor de Regulação e Sustentabilidade, Eduardo Xavier, representou o presidente na assinatura do acordo.

    O presidente do Complexo Industrial Portuário de Suape, Marcos Baptista, corroborou a importância da parceria. “A assinatura deste memorando é o passo inicial para realizarmos estudos conjuntos sobre o setor portuário, parcerias comerciais, troca de experiências de gestão, entre outras possibilidades, considerando que um porto é entrada para o Nordeste e outro para o Sudeste”, salientou.

    Entre as possíveis sinergias previstas com a parceria entre os dois complexos, está o desenvolvimento de infraestrutura portuária. Além de compartilhar dados estratégicos sobre a movimentação de cargas dos dois portos, será possível também que o Porto do Açu seja fornecedor de GNL, via cabotagem, para o complexo pernambucano.  

    Conheça o Porto do Açu

    Localizado em São João da Barra, no norte do estado do Rio de Janeiro, o Porto do Açu conta com terminais portuários em áreas onshore e offshore, além de uma extensa retroárea com 90 km² para receber indústrias de diversos setores. Em operação desde 2014, no 1º semestre deste ano o Açu foi o 4º terminal privado em movimentação de cargas (dados Antaq). O número representa um marco para o empreendimento que, em 2015, estava na 15º posição.

    A área offshore é dedicada à movimentação de minério de ferro e petróleo. Em operação desde outubro de 2014, o terminal exporta minério para a Anglo American e já movimentou mais de 37 milhões de toneladas. Neste terminal também está localizado o Terminal de Petróleo (T-OIL), parceria com a alemã Oiltanking, já em operação e que possui capacidade para movimentar 1,2 milhão de barris de petróleo por dia. Com atuais 25 metros de profundidade em seu acesso marítimo e berços, o terminal pode receber navios capesizes e VLCCs. 

    A área onshore está instalada no entorno de um canal para navegação com 6,5 km de extensão, 300 metros de largura e até 14,5 metros de profundidade. As empresas TechnipFMC, NOV, InterMoor, Wartsila, Edison Chouest e BP Prumo (parceria da Prumo com a BP, e que comercializa combustível marítimo) já estão operando suas unidades no terminal. Além disso, também é nesta área que está localizado o Terminal Multicargas, com capacidade para movimentar 4 milhões de toneladas por ano (entre granéis sólidos e carga geral). Atualmente, o terminal já realiza a movimentação de bauxita, coque, carvão e carga geral, entre outros.

     Conheça o Porto de Suape

    O Complexo Industrial Portuário de Suape é um dos melhores ambientes de negócios do país e um dos principais portos públicos brasileiros, sendo hub portpara as regiões Norte e Nordeste. Localizado no munícipio de Ipojuca, em Pernambuco, está situado a 40 quilômetros da capital Recife. Com 38 anos de existência, Suape conta com mais de 100 empresas instaladas e em processo de implantação em seu território de 13,5 mil hectares. Esses empreendimentos somam mais de R$ 50 bilhões em investimentos privados, empregando um total de 18 mil trabalhadores diretamente.

    O Porto de Suape está conectado aos principais atracadouros do mundo. Em 2016, contabilizou 22,74 milhões de toneladas de cargas movimentadas, encerrando o ano com crescimento de 15% em relação a 2015. Essa taxa foi a maior entre os 10 principais portos públicos do país, o que alavancou Suape para a 5ª posição no ranking nacional de movimentação de cargas.

    Ao longo dos anos o Porto de Suape vem se consolidando como movimentador de granéis líquidos (óleo diesel, gasolina, querosene de aviação, óleo bruto de petróleo, etc.) e manteve a liderança nacional na movimentação desse perfil de carga em 2016. Os granéis líquidos aumentaram 21,8% em relação a 2015, alcançando a marca de 17,28 milhões de toneladas. Essa carga é responsável por 76% de toda movimentação no Porto de Suape. 

    Liderando a movimentação de contêineres na região Nordeste, Suape registrou 21,9% de crescimento em TEUs no acumulado de janeiro a setembro, comparando-se com o mesmo período de 2016. As operações de importação no Terminal de Contêineres Suape (Tecon Suape), operado pelo grupo ICTSI, têm crescido, assim como a capacidade da oferta de navios e a diversificação na armazenagem de cargas.

    Assuntos: SDEC, SUAPE, porto do açu, industria, cooperaçao
    Compartilhe: Link para o post:
  • Terminal de combustíveis em Suape ampliará tancagem

    | Emprego, Suape

     

    Tancagem

    O Tequimar – Terminal Químico de Aratu, controlado pelo Grupo Ultra, instalado no Complexo Industrial Portuário de Suape, acaba de solicitar ao Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, por meio da Secretaria Nacional dos Portos, o aumento da capacidade estática para armazenagem de combustíveis (gasolina, óleo diesel e etanol) e a renovação antecipada do seu contrato de arrendamento. A administração de Suape já autorizou o plano de expansão da empresa. Agora, o grupo aguarda a resposta do governo federal que deve ser divulgada até o final deste ano. O investimento no projeto de expansão ultrapassa os R$ 84 milhões.

    Atualmente, o terminal possui capacidade estática de armazenamento de 160 mil m³ em produtos. Após obter a autorização para o seu plano de investimentos, a empresa irá ampliar em 40 mil m³ o seu potencial de estoque, chegando a armazenar, no total, 200 mil m³ de combustíveis com a construção de quatro novos tanques.

    O plano de expansão da empresa ainda contempla a construção de duas novas plataformas de carregamento rodoviário com quatro braços de carregamento cada, a construção de uma nova linha de píer de 14 polegadas e a aquisição de um veículo para combate a incêndio.

    A previsão do Grupo é iniciar as obras em janeiro de 2018 e a operação no segundo semestre de 2019. A construção dos novos tanques e da nova linha de píer deve gerar até 300 empregos diretos, segundo a empresa. Após a conclusão das obras, e com a nova operação já em andamento, serão gerados 28 empregos diretos e mais de 80 indiretos.

    De acordo com dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, a projeção é que a demanda por combustíveis cresça ainda mais nos próximos anos. Em 2017, o consumo de combustíveis na área de influência de Suape, considerando os estados de Pernambuco, Paraíba, Alagoas, Ceará e Rio Grande do Norte, deve chegar a 8,9 milhões de m³ no total, sendo 0,7 milhões de m³ de etanol hidratado, 3,7 milhões de m³ de óleo diesel e 4,5 milhões de m³ de gasolina. Já em 2026, a projeção aponta o consumo de 11,6 milhões de m³ no total nos estados apontados.

    “O plano de investimento da empresa comprova que a demanda no setor de combustíveis só aumenta. Suape mantém, há alguns anos, a liderança na movimentação de graneis líquidos entre os portos públicos do país e essa notícia deve ser comemorada, pois certamente trará um incremento na nossa movimentação”, comentou o presidente do Complexo Industrial Portuário de Suape, Marcos Baptista.

    EXPANSÕES - Este ano, outros dois terminais já conseguiram a autorização para ampliar seus parques de tancagem. A empresa Italiana Decal recebeu permissão para construir novos tanques e armazenar até 437,5 mil m³ de combustíveis. A empresa Pandenor Importação e Exportação também obteve a autorização para aumentar sua capacidade estática de armazenagem e passará a acomodar 122 mil m³ de produtos. Atualmente, os seis parques de tancagem localizados em Suape têm capacidade de armazenamento de aproximadamente 700 mil m³. Com as expansões, ultrapassará 1 milhão de m³.

    Cidades: Cabo de Santo Agostinho, Ipojuca
    Assuntos: sdec, suape, expansao, tequimar
    Compartilhe: Link para o post:
  • Terminal de combustíveis em Suape ampliará tancagem

    | Economia, Suape

    O Tequimar – Terminal Químico de Aratu, controlado pelo Grupo Ultra, instalado no Complexo Industrial Portuário de Suape, acaba de solicitar ao Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, por meio da Secretaria Nacional dos Portos, o aumento da capacidade estática para armazenagem de combustíveis (gasolina, óleo diesel e etanol) e a renovação antecipada do seu contrato de arrendamento. A administração de Suape já autorizou o plano de expansão da empresa. Agora, o grupo aguarda a resposta do governo federal que deve ser divulgada até o final deste ano. O investimento no projeto de expansão ultrapassa os R$ 84 milhões.

    Atualmente, o terminal possui capacidade estática de armazenamento de 160 mil m³ em produtos. Após obter a autorização para o seu plano de investimentos, a empresa irá ampliar em 40 mil m³ o seu potencial de estoque, chegando a armazenar, no total, 200 mil m³ de combustíveis com a construção de quatro novos tanques.

    O plano de expansão da empresa ainda contempla a construção de duas novas plataformas de carregamento rodoviário com quatro braços de carregamento cada, a construção de uma nova linha de píer de 14 polegadas e a aquisição de um veículo para combate a incêndio.

    A previsão do Grupo é iniciar as obras em janeiro de 2018 e a operação no segundo semestre de 2019. A construção dos novos tanques e da nova linha de píer deve gerar até 300 empregos diretos, segundo a empresa. Após a conclusão das obras, e com a nova operação já em andamento, serão gerados 28 empregos diretos e mais de 80 indiretos.

    De acordo com dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, a projeção é que a demanda por combustíveis cresça ainda mais nos próximos anos. Em 2017, o consumo de combustíveis na área de influência de Suape, considerando os estados de Pernambuco, Paraíba, Alagoas, Ceará e Rio Grande do Norte, deve chegar a 8,9 milhões de m³ no total, sendo 0,7 milhões de m³ de etanol hidratado, 3,7 milhões de m³ de óleo diesel e 4,5 milhões de m³ de gasolina. Já em 2026, a projeção aponta o consumo de 11,6 milhões de m³ no total nos estados apontados.

    “O plano de investimento da empresa comprova que a demanda no setor de combustíveis só aumenta. Suape mantém, há alguns anos, a liderança na movimentação de graneis líquidos entre os portos públicos do país e essa notícia deve ser comemorada, pois certamente trará um incremento na nossa movimentação”, comentou o presidente do Complexo Industrial Portuário de Suape, Marcos Baptista.

    EXPANSÕES 
    Este ano, outros dois terminais já conseguiram a autorização para ampliar seus parques de tancagem. A empresa Italiana Decal recebeu permissão para construir novos tanques e armazenar até 437,5 mil m³ de combustíveis. A empresa Pandenor Importação e Exportação também obteve a autorização para aumentar sua capacidade estática de armazenagem e passará a acomodar 122 mil m³ de produtos. Atualmente, os seis parques de tancagem localizados em Suape têm capacidade de armazenamento de aproximadamente 700 mil m³. Com as expansões, ultrapassará 1 milhão de m³. 

    Cidades: Cabo de Santo Agostinho
    Assuntos: sdec, suape, marcos baptista
    Compartilhe: Link para o post:
  • Intertek instala laboratório em Suape

    | Suape

    Intertek investe R$ 3 milhões em laboratório em Suape

    Reconhecido nacionalmente como um dos principais portos para movimentação de granéis líquidos (óleo diesel, gasolina, querosene de aviação, óleo bruto de petróleo, entre outros derivados de petróleo) do país, o Porto de Suape acaba de receber um novo empreendimento para o desenvolvimento deste setor. A empresa Intertek, iniciou a operação do seu primeiro laboratório de análises de combustíveis, químicos e gás GLP para as áreas de petróleo e derivados em Pernambuco. Credenciada como entidade certificadora pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), a empresa opera contribuindo no controle de qualidade de toda a cadeia de movimentação e distribuição dos produtos que chegam no Porto e, por ela são analisados.

    A unidade está instalada na Avenida Portuária, nº 69, dentro da empresa Pandenor. O laboratório chega a realizar mais de mil análises por mês. “Nossa principal missão é garantir que o consumidor será atendido da melhor forma. A instalação da unidade garantiu mais rapidez na realização das análises. Agora, estamos ao lado do porto, o que garante menos tempo para o navio ficar atracado e, consequente, ganho na operação”, comentou João Lustosa da Silveira (na foto), Químico Industrial, que realiza as análises no laboratório da unidade.

    O investimento para a construção da unidade no Complexo Industrial Portuário foi de R$ 3 milhões. A nova unidade tem capacidade para o controle de um milhão de metros cúbicos e, nele já atuam 30 funcionários, todos pernambucanos. “Tendo em vista a notória contribuição do Porto de Suape para a movimentação de produtos no País, julgamos importante investir e contribuir para o controle de qualidade dos produtos movimentados”, comentou Carlos Velasco, diretor geral da empresa para América do Sul.

    Intertek - Estabelecidos em diversos portos do País, em regiões como Santos, Paranaguá e Salvador, os laboratórios da Intertek oferecem testes de controle de qualidade e expertise para identificação de possíveis de problemas, assegurando a conformidade do produto, processo ou equipamento de acordo com os requisitos definidos em normas, regulamentos ou especificações técnicas vigentes. Entre os clientes já atendidos pelo grupo estão as distribuidoras Temape; Teqmar; Pandenor; Raízen; Shell; Total e Ipiranga que já atuam no Estado.

    SUAPE - De janeiro a julho deste ano o Porto de Suape movimentou 12.665.565 milhões de toneladas movimentadas de cargas, deste total, os granéis líquidos representaram 9.211.893 milhões de toneladas. No primeiro semestre de 2017, os granéis líquidos foram responsáveis por 72% de toda a movimentação do atracadouro, com 3,85 milhões de toneladas e incremento de 6% ante 2016.

    Cidades: Cabo de Santo Agostinho
    Assuntos: suape, intertek, anp
    Compartilhe: Link para o post:
  • Movimentação de veículos cresce 38% em 2017

    | Suape

    Os números mostram que Suape deve fechar o ano com novo recorde, ultrapassando 70 mil unidades. Em 2016, foram movimentados 54.677 veículos.

    De janeiro a julho deste ano, 38.118 veículos foram importados e exportados pelo Porto de Suape, alcançando um crescimento de 38% em relação ao mesmo período de 2016. Só no mês passado, 4.628 automóveis entraram ou saíram pelo porto, registrando 14% de aumento perante julho de 2016. Os números mostram que Suape deve fechar o ano com novo recorde, ultrapassando 70 mil unidades. Em 2016, foram movimentados 54.677 veículos.

    O Porto de Suape vem se consolidando, nos últimos anos, como hub port de veículos para o Norte/Nordeste do país.  As montadoras GM, Jeep, Toyota e Volkswagen utilizam o ancoradouro como porta de entrada e saída dos seus automóveis, distribuindo para concessionárias da região ou exportando para países da América Latina. As importações são provenientes da Argentina e México, principalmente. Já os veículos exportados têm como destino os países Chile, Colômbia, Costa Rica e Peru, além da Argentina e México.

    Outro produto que teve destaque no mês de julho foi o trigo importado da Argentina pela empresa Bunge Alimentos. A mercadoria registrou aumento de 5,4%, somando 21.858 toneladas. No acumulado do ano, o cereal foi responsável pelo montante de 179.934 toneladas importadas da Argentina e Estados Unidos, marca 3,3% maior que o registrado de janeiro a julho de 2016.

    A administração do Porto espera, para os próximos anos, um aumento considerável na movimentação de grãos. Isso porque o Terminal de Açúcar da Agrovia do Nordeste, instalado na retroárea do Cais 5, foi incluído no pacote de novas concessões e investimentos do Governo Federal anunciado no último dia 24, por meio do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). O terminal foi autorizado a realizar a movimentação de trigo, cevada e outros grãos, além do açúcar refinado.

    O terminal possui 72,5 mil metros quadrados e capacidade de movimentar 750 mil toneladas por ano. Para poder operar outras cargas, a Agrovia vai investir na instalação de novos equipamentos e ampliação da estrutura de armazenamento do terminal.

    Cidades: Cabo de Santo Agostinho
    Assuntos: suape, hub port
    Compartilhe: Link para o post:
  • Suape registra récorde na movimentação de contêineres em julho

    | Economia, Suape

    Suape

    Julho foi um excelente mês para a movimentação de contêineres no Porto de Suape. Pela primeira vez, desde outubro de 2011, o atracadouro ultrapassou os 40 mil TEUs (unidade equivalente a um contêiner de 20 pés) em um único mês. Com isso, Suape segue firme no caminho para bater o récorde anual na movimentação de contêineres, registrado naquele mesmo ano (434 mil TEUs). Os produtos são movimentados no Tecon Suape, terminal privado instalado no atracadouro pernambucano.

    O crescimento foi puxado pelas operações de cabotagem (navegação entre portos de um mesmo país) que contabilizaram aproximadamente 27,7 mil TEUs, seguido pelas importações, com aproximadamente 8,8 mil TEUs. As exportações chegaram a 3,6 mil TEUs. Em peso bruto, a movimentação alcançou 469.349 toneladas e em unidades, 24.734 contêineres.

    Em julho de 2016, o registro da movimentação foi de 33.247 TEUs.

    “Comemoramos a notícia e estamos otimistas com os dados registrados. Temos a movimentação de graneis líquidos como carro-chefe e, por isso, é importante que alcancemos resultados expressivos nas demais cargas. Esse dado mostra que podemos diversificar nossas operações e que estamos sendo bem avaliados por grandes empresas marítimas que escolhem atracar seus navios em nosso porto”, ponderou o presidente do Complexo Industrial Portuário de Suape, Marcos Baptista.  

    Semestre
    Os números da movimentação de contêineres também foram expressivos no primeiro semestre. De janeiro a junho de 2017, o porto pernambucano cresceu 22,9% na movimentação deste tipo de carga, quando registrou 220.305 mil TEUs movimentados, ante 179.260 mil TEUs do mesmo período em 2016. A marca entra para os maiores récordes já registrados desde o início da operação do Tecon Suape em 2002.

    No semestre, o incremento na movimentação se deveu, principalmente, às operações de cabotagem, que contabilizaram 154.438 mil TEUs. As importações também registraram números significativos, com 47.940 TEUs, seguido pelas operações de exportação com 17.927 TEUs

    Entre as principais mercadorias movimentadas nas cargas conteinerizadas estão os plásticos que lideram a lista com 451.995 mil toneladas; seguido pelos cereais com 240.998 mil toneladas; produtos químicos e orgânicos com 166.510 mil toneladas. Na sequência aparecem ferro fundido e aço com 119.166 mil toneladas; sal, enxofre, cal e cimento com 112.632 mil toneladas; bebidas, líquidos alcoólicos e vinagres com 89.047 mil toneladas, entre outros. No total, o porto registrou a movimentação de 2.576.897 toneladas no primeiro semestre de 2017.

    Portos públicos
    No cenário nacional, Suape se manteve em 4º lugar entre os principais portos públicos na movimentação de contêineres nos seis primeiros meses do ano, com 220 mil TEUs. Em 1º lugar está o Porto de Santos com 1.391.101 TEUs movimentados, seguido pelo Porto de Paranaguá com 357 mil TEUs e, Rio Grande com 345 mil TEUs.

    Cidades: Ipojuca
    Assuntos: porto de suape, recorde, movimentacao de conteineres
    Compartilhe: Link para o post: