meteorologia

Bacias Hidrográficas

Obra em todo lugar

Veja o que o Governo de Pernambuco está fazendo na sua região.

Blog de notícias

  • Suape realiza 11ª edição do projeto Tô na Feira

    | Suape

    feira

    12 comunidades do território de Suape participam da iniciativa

    Fevereiro é mês de festa e para aproveitar as celebrações carnavalescas, a primeira edição do Tô na Feira deste ano terá como tema o carnaval. O evento, que acontecerá na próxima quinta-feira (13), no hall do Centro Administrativo de Suape, traz produtores rurais, agricultores e artesãos das comunidades do território de Suape para comercializar produtos para os colaboradores de Suape e das indústrias que fazem parte do Complexo. A feira começa às 7h30 e vai até às 15h.

    O Tô na Feira foi criado no fim de 2017 e tem o objetivo de fortalecer a relação de Suape com as comunidades, gerando renda e fomentando o empreendedorismo na economia local. São, ao todo, 40 expositores das seguintes comunidades: Vila Cepovo, Vila Claudete (Horta Terra Coração), Vale da Lua, Vila Nazaré, Praia de Gaibu, Assentamento Bruno de Albuquerque Maranhão, Assentamento Valdir Ximenes, Engenho Boa Vista, Vila Dois Irmãos (Ateliê Massangana), Mata do Zumbi, Habitacional Nova Vila Claudete e Artesanato do Cabo de Santo Agostinho.

    “Tão importante quanto as empresas e as atividades econômicas de grande porte são as pequenas comunidades e suas microeconomias. Apoiar o seu fortalecimento é meta prioritária para Suape. Nosso objetivo é zelar por essas pessoas, fomentando a economia local, capacitando-os e, dessa forma, contribuindo para o desenvolvimento social e humano das comunidades”, afirmou Sebastião Pereira, diretor de Gestão Fundiária e Patrimônio de Suape.

    Além de adereços carnavalescos, vão ser comercializados muitos lanches, frutas, artigos de decoração para casa, roupas, artesanato, hortaliças, raízes, entre outros. O preço dos produtos varia de R$ 1,00 a R$ 100. Os participantes também podem comprar cosméticos derivados de argila, sabão ecológico, mudas de plantas, sandálias customizadas, bolsas e carteiras. A cada R$ 50 em compras, os clientes ganham um cupom para participar do sorteio de uma peça de artesanato.

    “O Tô na Feira é um projeto fundamental. Ele serve de vitrine para o trabalhador rural. Com isso, a gente consegue mostrar nosso trabalho para os grandes empresários, incentivando ainda mais a agricultura familiar. Eu parabenizo Suape pelas suas atitudes e eu tenho certeza que nunca vamos nos esquecer daqueles que fizeram tanto por nós”, afirmou Clodomir Vieira, agricultor do Assentamento Bruno de Albuquerque Maranhão. 

    Serviço:
    Projeto Tô na Feira – 11ª edição
    Local: Centro Administrativo do Complexo de Suape – Rodovia PE 60, KM 10, S/N, Engenho Massangana, Ipojuca – PE.
    Hora: 7h30 às 15h

    Cidades: Ipojuca
    Assuntos: sdec, suape, projeto to na feira
    Compartilhe: Link para o post:
  • Suape investe no desenvolvimento social do habitacional Nova Vila Claudete

    | Suape

    suape

    Capacitação acontecerá no SENAI do Cabo de Santo Agostinho

    Com o intuito de fomentar o desenvolvimento social e econômico das famílias residentes no Conjunto Habitacional Nova Vila Claudete, cuja primeira etapa foi entregue em julho, o Complexo Industrial Portuário de Suape promove cursos de formação para os membros da associação de moradores do local. As aulas acontecem ao longo do primeiro semestre deste ano.

    As temáticas dos módulos vão abordar associativismo e cooperativismo, capacitando sobre os aspectos formais da associação, como a caracterização de papéis e cargos dentro da diretoria, procedimentos de registros, aspectos burocráticos e funcionais.  As aulas serão ministradas pelo professor Samuel Sampaio, doutor em sociologia.

    Além de desenvolver a democratização da sociedade, por meio da execução de atividades que propiciem a formação de espaços de construção coletiva, os membros da associação terão aulas de habitação e meio ambiente, educação e cultura, promoção à saúde e bem-estar, esporte e lazer e suporte à atividade econômica.  

    Os cursos serão ministrados no SENAI do Cabo de Santo Agostinho e fazem parte do Plano de Desenvolvimento Socioterritorial de Suape, que compõe o escopo do Projeto Habitacional de Suape. O plano tem objetivo de incentivar o desenvolvimento de atividades sociais voltadas ao atendimento de famílias residentes nas comunidades que integram o Projeto Habitacional.

    “Tão importante quanto as empresas e as atividades econômicas de grande porte são as pequenas comunidades e suas microeconomias. Apoiar o seu fortalecimento é meta prioritária de Suape. Esses cursos estão previstos no Plano de Desenvolvimento Socioterritorial que busca dar suporte às famílias residentes no local”, afirma Sebastião Pereira Lima, diretor de Gestão Fundiária e Patrimônio.

    “Esse curso vai ser muito importante para o aperfeiçoamento dos moradores da Nova Vila Claudete. Toda aprendizagem é válida, principalmente porque podemos compartilhar com outras pessoas o que vamos aprender nessas aulas, propagando o conhecimento”, diz João José da Silva, Presidente da Associação Nova Vila Claudete.

    O conjunto é um modelo de bairro planejado, construído pela Caixa Econômica Federal (CEF), dentro do Programa Minha Casa Minha Vida. Foi erguido em um terreno de 97 hectares doado por Suape à CEF (lotes habitacionais) e à Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho (espaços públicos). Nele, 27 hectares são de área verde preservada. Ao todo são 2.620 casas. A segunda etapa será entregue em breve pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação de Pernambuco.

    Cidades: Cabo de Santo Agostinho
    Assuntos: sdec, suape, conjunto habitacional nova vila claudete
    Compartilhe: Link para o post:
  • Novembro tem recorde mensal de contêineres em 41 anos de funcionamento do Porto de Suape

    | Suape

    suape

    Principal porto do Norte/Nordeste na movimentação de contêineres, Suape bateu recorde no mês de novembro, alcançando 43.505 TEUs (unidade equivalente a um contêiner de 20 pés), a melhor marca mensal da história do porto, em seus 41 anos. Novembro também registrou o maior percentual de crescimento do ano. No comparativo com o mesmo mês de 2018, o aumento foi de 15%. No acumulado de 2019, Suape registra 433,7 mil TEUs, número 5% maior do que o apurado no período de janeiro a novembro do ano passado, quando foram movimentados 412.412 TEUs.

    A curva de crescimento mostra um cenário bastante positivo para encerrar o ano com recorde na movimentação deste tipo de carga. A melhor marca foi atingida em 2017, quando Suape fechou o ano com mais de 464 mil TEUs. No cenário nacional, o atracadouro pernambucano continua na 4ª posição entre os portos públicos com maior movimentação de carga conteinerizada.

    “O crescimento na movimentação de contêineres só reforça o potencial de Suape ser um hub para o Norte/Nordeste. O Governo do Estado está trabalhando fortemente para alcançar esse objetivo e, por isso, na semana passada estivemos no Panamá buscando ampliar o fluxo de negócios entre o país e Pernambuco, priorizando estreitar o vínculo comercial marítimo com um dos equipamentos mais importantes do mundo na área portuária. Acreditamos que Suape vai desempenhar um papel de proeminência e de relevância no que vai acontecer nos próximos anos no comércio exterior, especialmente na rota Ásia-Brasil”, comemora Leonardo Cerquinho, presidente do Porto de Suape.

    Os principais produtos transportados dentro de contêineres de janeiro a novembro foram os plásticos (894 mil toneladas); cereais (384 mil toneladas); ferro fundido e aço (248 mil toneladas); gesso, cal e cimento (245 mil toneladas), e bebidas alcóolicas (150 mil toneladas).

    A cabotagem é a principal navegação das mercadorias conteinerizadas no Porto de Suape. Os embarques e desembarques, de janeiro a novembro, somaram 340.295 TEUs. Já a importação foi responsável por 68.764 TEUs, seguida da exportação com 24.649 TEUs.

    Cidades: Ipojuca
    Assuntos: sdec, suape, conteineres
    Compartilhe: Link para o post:
  • Porto de Suape vai receber tecnologia Port Community Systems

    | Suape, Tecnologia

    suape

    O projeto é fruto de investimento britânico e tem objetivo de agilizar importação e exportação de cargas entre portos do mundo

    O Porto de Suape está entre os quatro portos brasileiros que vão participar da construção de um Port Community System - sistema de informações capaz de integrar todos os atores que fazem parte da comunidade portuária. O projeto é viabilizado pelo Prosperity Fund, fundo de investimento britânico para países em desenvolvimento, e diminuirá o tempo de importação e exportação de produtos, reduzindo em dois dias a importação e, para um dia, as exportações.  

    Exemplos e cases do software em outros portos no mundo foram apresentados para representantes da comunidade portuária de Suape, indústrias que fazem parte do Complexo e entidades ligadas ao comércio exterior na manhã desta quinta-feira (12), no auditório do Centro Administrativo do Complexo Industrial Portuário de Suape. O seminário foi organizado pelo Prosperity Fund, em parceria com o Ministério da Infraestrutura e Secretaria Nacional de Portos e Transportes Aquaviários.

    Para Leonardo Cerquinho, presidente de Suape, a implementação do Port Community Systems é uma grande conquista para o Porto. “Com o software, iremos ter um grande aumento de produtividade, dando grande visibilidade a Pernambuco no comércio internacional. O PCS é um dos principais projetos da nossa gestão que trará uma condição de trabalho mais eficiente, integrando toda a comunidade”, ressaltou.

    De acordo com Marcelo D’Antona, líder do projeto de modernização portuária da Palladium UK, consórcio de empresas contratadas pelo Prosperity Fund para implementar o PCS, o sistema operacional vem para agregar aos que já existem. “O Port Community Systems que, já é realidade em vários países do exterior, como no Porto de Hamburgo, por exemplo, agilizará o dia a dia de quem faz parte da gestão portuária, garantindo previsibilidade, segurança e comunicação entre todos os entes. Ele vem para somar aos sistemas operacionais que já existem”, afirmou.

    O primeiro passo da implementação do sistema será um mapeamento de processos e sistemas existentes nos quatro portos selecionados para verificar as principais necessidades e identificar as oportunidades para um Port Community System no Brasil. Além de Suape, Santos, Paranaguá e Rio de Janeiro foram selecionados para integrarem o projeto.

    Assuntos: sdec, suape, port community systems
    Compartilhe: Link para o post:
  • Porto de Suape recebe seminário sobre sistemas de comunidade portuária

    | Suape

    suape

    O projeto tem como objetivo integrar as plataformas de comunicação entre todos os atores envolvidos na importação e exportação de cargas

    O auditório do Centro Administrativo do Complexo Industrial Portuário de Suape será palco, nesta quinta-feira (12), de seminário sobre sistemas de comunidade portuária (Port Community Systems - PCS). Promovido pelo Ministério da Infraestrutura, por meio da Secretaria Nacional de Portos e Transportes Aquaviários (SNPTA), o encontro acontecerá das 9h às 13h e tem como objetivo apresentar o PCS, software utilizado para facilitar e integrar a comunicação entre todos os entes que compõem a gestão portuária.

    Suape está entre quatro portos brasileiros que serão mapeados para a implantação do sistema operacional.  Os outros são Santos, Rio de Janeiro e Paranaguá. Esse trabalho terá como foco identificar oportunidades para melhorias dos sistemas utilizados entre as empresas que desenvolvem atividades ou utilizam os serviços portuários.

    A iniciativa é do Prosperity Fund, fundo de cooperação do Governo Britânico. No Brasil, o investimento dá assistência a projetos de comércio internacional, com o objetivo de reduzir o tempo de importação e exportação nos portos brasileiros.

    O software será implantado por um consórcio de empresas, liderado pela Palladium UK, contratada pelo Prosperity Fund, com participação da Aliança Procomex, EY Brasil e  Universidade de São Paulo (USP).

    No evento, foram convidadas instituições que participam das atividades portuárias e comércio exterior, como Receita Federal, Anvisa, Antaq, Polícia Federal, representantes do Governo Federal e Municipal, Vigiagro e Capitania de Portos.

    “A implementação do Port Community Systems facilitará a comunicação entre os principais agentes envolvidos em importação e exportação. Tudo será interligado, de forma mais eficiente, evitando o desperdício de tempo e trabalho. Ainda no primeiro trimestre de 2020, será feito um engajamento na comunidade portuária em Suape e nos outros três portos participantes do projeto”, explica Leonardo Cerquinho, presidente de Suape.

     O PCS, além de otimizar, gerenciar e automatizar processos logísticos por meio de único envio de dados, é um forte instrumento para estimular a competitividade do comércio exterior no Brasil. Ele vem para se somar aos sistemas já existentes, como o Porto sem Papel (PSP). A diferença entre eles é que o PCS, além de integrar os entes envolvidos no comércio exterior, organiza os fluxos de informações e repassa para os agentes envolvidos, inclusive para o PSP que tem conexão direta com o Governo Federal.

    Cidades: Ipojuca
    Assuntos: sdec, suape, seminario
    Compartilhe: Link para o post:
  • Complexo de Suape comemora dois anos do projeto Tô na Feira

    | Suape

    to na feira

    Em dez edições, 13 comunidades participaram do projeto

    É em clima de confraternização que o Complexo Industrial Portuário de Suape celebra os dois anos do projeto Tô na Feira nesta quinta-feira (5), das 7h30 às 13h, no Centro Administrativo do complexo. Essa será a 10ª edição da iniciativa criada no fim de 2017 para fortalecer a relação com as comunidades locais e desenvolver a sustentabilidade ambiental e social dos residentes no território. Ao longo das edições, 13 comunidades participaram do projeto comercializando mercadorias produzidas pelas famílias que moram em Suape ou em assentamentos rurais criados pela administração da empresa.

    O Tô na Feira é uma oportunidade para os agricultores e artesãos divulgarem e comercializarem seus produtos, que são vendidos para os colaboradores das empresas de Suape, gerando renda e fomentando o empreendedorismo. Em cada edição do Tô na Feira, participaram cerca de 40 agricultores e artesãos das seguintes comunidades: Vila Cepovo, Vila Claudete (Horta Terra Coração), Vale da Lua, Vila Nazaré, Praia de Gaibu, Assentamento Bruno de Albuquerque Maranhão, Assentamento Valdir Ximenes, Engenho Boa Vista, Vila Dois Irmãos (Ateliê Massangana), Mata do Zumbi, Habitacional Nova Vila Claudete, Artesanato do Cabo de Santo Agostinho e Mata do Zumbi.

    “Temos muito orgulho de realizar esse projeto, que conta com o envolvimento de agricultores e artesãos de Suape, colaboradores da empresa e das indústrias. Estamos celebrando dois anos de uma ação fortalecedora do relacionamento entre a administração do complexo e as comunidades locais. Isso só reforça o comprometimento do Governo do Estado com as causas sociais”, comenta Leonardo Cerquinho, presidente de Suape.   

    O preço dos produtos comercializados na feira varia de R$ 0,30 a R$ 100. São oferecidas mercadorias diversas e selecionadas especialmente, como: doces, geleias, licores, pães, tortas, bolos, salgados, ovos, frutas, mel, raízes e hortaliças. Os participantes também podem comprar artesanatos, cosméticos derivados de argila, sabão ecológico, mudas de plantas, joias, calçados, bolsas e carteiras. A cada R$ 50 em compras, os clientes ganham um cupom para participar do sorteio de uma peça de artesanato.

    Assim como na nona edição e seguindo a política de sustentabilidade da empresa Suape, o Tô na Feira não vai utilizar sacolas plásticas. Os participantes devem levar ecobags, sacolas reutilizáveis ou de papel para transportar os produtos comprados.

    SERVIÇO
    Projeto Tô na Feira – 10ª edição
    Local: Centro Administrativo do Complexo de Suape – Rodovia PE 60, KM 10, S/N, Engenho Massangana, Ipojuca – PE.
    Hora: 7h30 às 13h30

    Assuntos: sdec, suape, to na feira
    Compartilhe: Link para o post:
  • Projeto SuapeGEO vai usar tecnologia SIG na gestão territorial do Complexo

    | Suape

    suapegeo

    A gestão territorial de Suape e sua complexidade será um dos temas do Encontro de Usuários ESRI Brasil 2019, maior evento online do país sobre a plataforma SIG (Sistema de Informações Geográficas) ou, em inglês, GIS (Geographic Information System). A administração de Suape está implantando uma nova tecnologia de gestão de informações geográficas e estatísticas chamada de Projeto SuapeGEO, que será apresentada nesta quinta-feira (17), em São Paulo, com transmissão em tempo real pela internet para a América Latina e inscrição gratuita pelo site euesri.com.br.

    “O objetivo da apresentação será mostrar os desafios de como fazer com que a tecnologia apoie a integração entre as empresas e o porto, entre as empresas e as pessoas e entre as pessoas e o porto. Ou seja, auxiliar nas demandas diárias de informações geográficas desse grande ecossistema”, explicou o especialista em geotecnologia e coordenador de Informações Territoriais de Suape, Gleidson Dantas, que fará a apresentação no EU Esri 2019.

    O SuapeGEO vai unir várias tecnologias como geoprocessamento e geolocalização, entre outras, consolidando informações sobre o território e sobre a dinâmica de como esse território atua entre os diversos atores. Um dos ganhos será o reconhecimento e a caracterização do espaço geográfico mais precisos. Tudo isso será disponibilizado num sistema na web, em software desktop e em aplicativos para celulares, permitindo fornecer informações geográficas em grande escala, coletar dados em campo, além de processar dados geográficos com maior solidez e velocidade, apoiando os estudos e análises sobre o território.

    O sistema terá um grande banco de dados com imagens de satélites, dados cartográficos, fotográficos, digitais e planilhas. A utilização do SIG, aliado com imagens de satélites diárias, será muito eficaz no combate ao desmatamento e invasão das áreas de proteção ambiental. “Por meio da análise das imagens orbitais vamos perceber qualquer impacto maior do que 81 metros quadrados no território e, em seguida, vamos detalhar esses fatos por meio de imagens coletadas com drones que serão capazes de caracterizar as situações registrando centímetros do solo. Podemos analisar as imagens integradas e ver como está sendo a ocupação do solo, o que está acontecendo dentro de uma área de interesse e como ela mudou ao longo do tempo”, esclareceu.

    Um dos desafios da apresentação no EU Esri 2019 será a caracterização da complexidade do território de Suape em suas diversas dimensões: histórica, ambiental, cultural, econômica e social. “Pretendemos mostrar como a tecnologia de geoinformação, por meio do SIG, poderá auxiliar na consolidação de dados de interesse comum sobre o território e sua dinâmica espacial, e como esses conteúdos serão compartilhados entre os diversos atores que constituem a comunidade do Complexo, apoiando, desse modo, as tomadas de decisão e os fluxos operacionais desses atores”, concluiu Gleidson Dantas.

    O Projeto SuapeGEO já está em desenvolvimento e deve ser lançado no início do próximo ano. Num primeiro momento, a plataforma será alimentada com os dados já disponíveis de diversas áreas, tais como: ambiental, dados relativos ao Plano Diretor e ao zoneamento territorial, dados das empresas instaladas, entres outras informações, que ficarão disponíveis para acesso por meio do sistema web. Na segunda fase, haverá um mergulho mais detalhado nos processos de negócios de cada diretoria da empresa Suape para compreender o seu funcionamento e identificar como o SIG poderá ajudar em seus fluxos de trabalho.

    EU Esri Brasil 2019 - O Encontro de Usuários Esri Brasil 2019 acontece no dia 17 de outubro, a partir das nove horas, com transmissão online gratuita. É um evento para quem acompanha as novidades da plataforma ArcGIS e todos que buscam conhecer as últimas tendências de tecnologia e mercado. É uma versão brasileira do encontro de usuários que acontece todos os anos em San Diego, nos Estados Unidos, e que reúne mais de 18 mil pessoas.

    Assuntos: sdec, suape, projeto suapegeo
    Compartilhe: Link para o post:
  • Complexo de Suape realiza evento de conexão com empresas

    | Suape

    suape conecta

    Objetivo do Suape Conecta é formar uma rede de relacionamento e firmar parcerias em novas ações

    Fomentar e fidelizar o relacionamento com as empresas instaladas no Complexo Industrial Portuário de Suape. Este foi o mote do Suape Conecta, evento que a administração do porto realizou nesta terça-feira (03/09), das 9h às 12h, no auditório do centro administrativo, em Ipojuca, Grande Recife. O presidente de Suape, Leonardo Cerquinho, recebeu empresários, representantes de órgãos e parceiros na intenção de criar uma rede de relacionamento entre as empresas e o Governo do Estado, com foco em propor soluções para as necessidades comuns dos empreendimentos, bem como apresentar ideias e projetos para incrementar as atividades das empresas. A expectativa é de que o programa seja realizado três vezes ao ano, dependendo da quantidade de demandas que forem surgindo.

    O Conecta reuniu 120 participantes de 50 empresas de Suape, representantes do Consulado da Argentina no Recife, Receita Federal, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, BNDES, BNB, Antaq, Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho, Prefeitura do Ipojuca, Sebrae, FCAP/Jeep, Porto Social, AD-Diper, Copergás, Associação das Empresas de Suape (Assessuape), Compesa, Fiepe, Senai/Cabo e Grupo Neoenergia/Celpe. “O objetivo do projeto é criar um senso de comunidade entre as empresas que fazem parte de Suape. Nós estamos querendo mudar tanto a forma de nos relacionarmos com essas organizações, quanto a forma de elas se relacionarem entre si. E também o modelo de relacionamento de todos nós com as comunidades inseridas. Nós entendemos que esta é uma grande oportunidade de sinergia entre as entidades, criando novos fornecedores, parcerias e a possibilidade de as empresas se integrarem aos projetos socioambientais que Suape tem desenvolvido com tanta seriedade e carinho aqui dentro do Complexo”, explicou Cerquinho.

    Nesse primeiro encontro, além de serem tratadas pautas de interesse comum das empresas, o Sebrae foi convidado para apresentar o Programa Nacional de Encadeamento Produtivo e seus principais resultados. O programa é uma estratégia para aumentar a competitividade por meio de relacionamentos cooperativos estabelecidos entre grandes companhias e pequenos negócios. De acordo com o head em Encadeamento Produtivo da instituição, Renato Perlingeiro, “Toda a cadeia ganha quando todas as partes, independente de porte, atuam de forma competitiva. Que possamos atuar em Suape para termos um porto diferenciado, com mais vantagens e uma cadeia fortalecida, sustentável, madura e diferenciada. Dessa forma, todo o território será beneficiado”.

    A montadora Jeep também participou apresentando o case do Projeto de Qualificação de Fornecedores Locais, desenvolvido em parceria com o Sebrae-PE. O analista de compras da planta, Bruno Andrade, explicou como a fábrica de Goiana está desenvolvendo a cadeia produtiva de fornecedores locais com pequenas empresas de Pernambuco e da Paraíba. Outra convidada, o Porto Social, incubadora de projetos sociais que trabalha com mais de 200 organizações, mostrou que é possível ter um ecossistema sustentável. “É necessário haver um equilíbrio entre valor social e econômico”, destacou Carolina Maciel, gestora de Soluções de Impacto da entidade.

    O departamento de inovação de Suape apresentou as iniciativas para a construção estruturada de oportunidades e soluções inovadoras a partir dos desafios encontrados no complexo industrial portuário. Essas ações fazem parte do programa Suape Projeta, cujo objetivo é fomentar uma cultura de criação de negócios. Para Ed Dantas, gerente de Inovação, “o projeto busca conectar indústrias e startups, imergir em contextos reais e projetar inovação como uma nova possibilidade de diferenciação dos atores envolvidos”.

     “O Suape Conecta superou nossas expectativas. Foi uma excelente oportunidade de conhecer as demandas das empresas, de aproximar a administração de Suape e os empreendimentos do ponto de vista de relacionamento e de ouvir o que os executivos precisam para se manterem competitivos e gerando empregos” comemorou o diretor de Desenvolvimento de Negócios, Luiz Alberto Barros.

    Além da programação no auditório, o Suape Conecta contou com exposição de parceiros em estandes montados no hall do local do evento, como as secretarias de Desenvolvimento Econômico das prefeituras do Cabo de Santo Agostinho e de Ipojuca, que apresentaram portfólios de serviços e iniciativas. Já o Senai expôs os cursos disponíveis para os colaboradores das empresas e comunidade em geral. O Sebrae também aproveitou o espaço para divulgar o encadeamento produtivo e outras ações.

    Tô na Feira - O Complexo de Suape divulgou, durante o evento, o Projeto Tô na Feira, iniciativa criada para dar visibilidade às comunidades produtoras do território de Suape, dando divulgação e comercializando seus produtos, que vão desde frutas a artesanato. A partir desse projeto, o governo promove o empreendedorismo e o desenvolvimento econômico dos agricultores e artesãos participantes. O Tô na Feira é realizado no centro administrativo de Suape e caminha para a nona edição no dia 10 de outubro.

    Cidades: Ipojuca
    Assuntos: sdec, suape, suape conecta
    Compartilhe: Link para o post:
  • Pamesa contrata startup pernambucana que apresentou soluções no I Macht Day Suape/Softex

    | Suape

     pamesa

    Realidade virtual vai ajudar clientes da fábrica de cerâmica e porcelanato a escolher produtos

    Sabe aquela angústia na hora de escolher um revestimento e não ter certeza se ele vai ficar bem na parede da sua casa? E se você pudesse aplicá-lo e, caso não gostasse, trocá-lo por outro com apenas um toque de botão? É assim que os clientes da Pamesa, empresa espanhola que possui fábrica de cerâmica e porcelanato em Suape, poderão escolher seus produtos, dentro de poucos meses. A indústria assinou contrato, esta semana, com a startup pernambucana de realidade virtual Orb Estúdio, após negociações iniciadas no primeiro Match Day Suape, evento de inovação organizado pelo Complexo em parceria com a Softex. A visualização dos produtos aplicados acontecerá através de óculos de realidade virtual que ficarão disponíveis junto a totens interativos nos principais home centers do Brasil. O segundo Match Day acontecerá em setembro.

    Os representantes da Pamesa e da Orb Estúdio iniciaram a articulação em maio deste ano, durante a primeira edição do Suape Match Day, evento já consolidado no calendário da empresa e que tem o intuito de aproximar startups e empresas instaladas no Complexo de Suape. “Como empresário e pernambucano gostaria de parabenizar o Porto de Suape pela iniciativa de ligar essas duas pontas, que é quem está fornecendo o produto de tecnologia com quem está precisando. Nós poderíamos ter buscado essa solução em São Paulo ao até na Espanha, tendo uma empresa aqui a poucos quilômetros de distância”, pontua o diretor-presidente da Pamesa, Marcus Ramos Junior.

    Ramos explica que com o aprimoramento da tecnologia, sobretudo nos processos de produção das cerâmicas, há possibilidade de um mesmo produto variar por metro quadrado em cores, desenhos e impressões. Para que o cliente tenha uma ideia desse todo, as marcas costumam disponibilizar em loja, de quatro a oito peças de cerâmica, na tentativa de fornecer a maior quantidade de informações palpáveis possível. Esse processo pode tornar o custo inviável e não conseguir transmitir de fato como o produto ficará aplicado. “Expomos uma peça com mármore Carrara, por exemplo, aquele com a maior parte branca e com uns veios pretos, que neste caso podem ter a predominância de branco. Nessas peças, algumas podem ter os veios bem marcados, já outras não. Como resolver essa questão, onde o consumidor consegue ver todo esse produto? Realidade virtual.”, explicou.

    “Tenho um orgulho muito grande de participar desse processo de transformação. Minha expectativa é que as pessoas consigam se aproximar cada vez mais dessa tecnologia, que parece tão distante e futurista, ligada só a jogos, de uma forma mais pragmática e de facilitação”, completona a CEO da ORB Estúdio, Débora Rodrigues.  A Orb é uma startup que cria desenvolvimento de experiências em realidade virtual e aumentada, e é especializada em ambientes interativos. A partir da assinatura do contrato, ela vai desenvolver a solução específica para a Pamesa.

    O presidente do Porto de Suape, Leonardo Cerquinho, está animado com a receptividade das indústrias do território à proposta de considerar as soluções tecnológicas locais para as suas demandas. “As empresas já entenderam que inovar é mandatório. O que muitas não sabiam é que o ecossistema de inovação de Pernambuco pode prover as soluções que normalmente elas buscariam no Sudeste ou mesmo fora do país. Temos certeza de que novas parcerias serão firmadas a partir de outros Match Days, estando o próximo já marcado para a próxima semana, contando com ainda mais empresas do complexo. Nós mesmos já contratamos uma startup e estamos abertos a novas parcerias”, declara.

    SUAPE MATCH DAY – Criado pela equipe de Inovação do Complexo de Suape, o Suape Match Day é um evento que surgiu a partir da preocupação da Empresa Suape em buscar soluções cada vez mais práticas, de baixo custo, usando ferramentas tecnológicas e de inovação para otimizar processos e solucionar possíveis problemas e gargalos das empresas instaladas no território. O primeiro, realizado em maio, reuniu 23 startups e cinco indústrias.

    A própria empresa Suape contratou, este mês, a startup pernambucana Fábrica de Negócio, especializada em Analytics e que desenvolve algoritmos de inteligência artificial para análise e cruzamentos de grandes volumes de dados. O serviço oferecido para o Complexo será de agrupamento de informações de três sistemas utilizados diariamente pela administração de Suape: o Porto sem Papel (que funciona como concentrador de informações necessárias para o controle das embarcações e suas cargas), o sistema de movimentação de cargas da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) e o sistema contábil-financeiro e de operações portuárias. Todos os indicadores gerados por essas fontes serão compilados dentro da plataforma Pentaho Business Analytics Community Edition.

    Assuntos: sdec, suape, pamesa, realidade virtual
    Compartilhe: Link para o post:
  • Projeto Tô na Feira promove integração e fomenta o empreendedorismo em Suape

    | Suape

    Frutas e hortaliças livres de agrotóxicos, plantas de diversos tipos, doces, geleias, licores, pães, bolos, mel, artesanatos, cosméticos derivados de argila, sabão ecológico e até pufes. A produção de agricultores e artesãos das 11 comunidades localizadas no território de Suape é imensa e vem sendo estimulada pela empresa Suape por meio de um evento que já entrou para o calendário do complexo portuário: o projeto Tô na Feira, que chega à sua oitava edição no próximo dia 12/06, no Centro Administrativo de Suape, das 8h às 15h.

    Participam do evento cerca de 40 agricultores e artesãos das comunidades de Massangana, Vila Nazaré, Vale da Lua, Gaibu, Engenho Algodoais, Vila Claudete, Vila Dois Irmãos, Engenho Boa Vista, Vila Cepovo, Assentamento Valdir Ximenes e Assentamento Bruno de Albuquerque Maranhão. Os expositores vendem seus produtos para os colaboradores da administração de Suape e trabalhadores das empresas do Complexo, que são convidados a participar da feira. Há produtos de R$ 0,50 a R$ 100 e muitos aceitam cartão de crédito.

    “O projeto começou em novembro de 2017, com o objetivo de fortalecer a relação com os moradores locais, desenvolver a sustentabilidade ambiental e social das famílias do território e dar oportunidade para os agricultores e artesãos divulgarem e comercializarem seus produtos, gerando renda e fomentando o empreendedorismo”, afirma o diretor de Gestão Fundiária e Patrimônio de Suape, Sebastião Pereira Lima. “Estamos estudando outras iniciativas para ajudar a aumentar essa produção e a clientela”.

    O “Tô na Feira” disponibiliza 19 barracas, que podem ser divididas para dois expositores. Em 2018, foram executadas outras seis edições, sempre com temas ligados ao mês de realização e uma atração musical. Este mês, o tema é o São João e quem vai animar o evento é o sanfoneiro Ricardo Lima. Nas últimas edições, cerca de 200 pessoas circularam pela feira. E a expectativa é que esse número cresça. Quem comprar acima de R$ 40 receberá uma ecobag de brinde.

    SERVIÇO: Projeto Tô na Feira

    Data: 12/06/2019

    Horário: 8h às 15h

    Local: Centro Administrativo de Suape – Rodovia PE-60, Km 10, s/n, Engenho Massangana, Ipojuca-PE

    Assuntos: sdec, porto de suape, projeto to na feira, empreendedorismo
    Compartilhe: Link para o post: