meteorologia

Bacias Hidrográficas

Obra em todo lugar

Veja o que o Governo de Pernambuco está fazendo na sua região.

Blog de notícias

  • Semas participa da 25ª Agrinordeste

    | Meio Ambiente

    Reserva Particular do Patrimônio Natural no Estado de Pernambuco será o tema do painel que o gerente de desenvolvimento sustentável da Semas Paulo Teixeira participa nesta sexta-feira (25/08), às 14h, durante a programação da 25ª Agrinordeste, evento que reúne produtores rurais, artesãos, pesquisadores, estudantes, além de instituições públicas, privadas e ONG´s com o objetivo de incentivar o agronegócio regional e promover a troca de experiências na área de agricultura, pecuária, fruticultura e artesanato.

    Em 1997, o Governo de Pernambuco, por meio do Decreto Estadual nº 19.815, definiu os critérios para a criação e o reconhecimento de RPPNs no âmbito estadual, como forma de estimular a participação da iniciativa privada na conservação dos recursos naturais. A reservas particulares estão na categoria de unidades de conservação (UCs) de uso sustentável, onde é permitida a exploração da fauna e da flora, desde que haja a garantia da manutenção dos atributos ecológicos da região, de acordo com o Sistema Estadual de Unidades de Conservação - SEUC (Lei nº 13.787/09).

    Pernambuco possui quatro RPPNs no bioma Caatinga e 10 na Mata Atlântica. São 1.637,16 hectares sob a proteção de particulares (Vê tabela). O reconhecimento, de caráter perpétuo, é da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade, através da análise e titulação da Agência CPRH. A solicitação é de iniciativa do proprietário,  que busca a proteção para áreas com importante relevância para a conservação da biodiversidade, além de garantia de  manutenção para as paisagens naturais de grande beleza cênica encontradas em Pernambuco.

    As vantagens para os proprietários que abrigam as RPPNs são a isenção do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (ITR) para a área reconhecida, ter assegurado o apoio do poder público na proteção da área, além da preferência na análise de pedido de concessão de crédito agrícola pelas intuições oficiais de crédito. Além disto, os detentores de RPPN´s podem obter retorno financeiro por prestarem serviços ambientais, com a execução da Política Estadual de Pagamento por Serviços Ambientais.  

    Entre as RPPNs que receberam a titulação, estão a Fazenda Bituri, que abriga importante fragmento de 110 hectares de Mata Atlântica, com vegetação característica de brejo de altitude, localizada em Brejo da Madre de Deus, Agreste pernambucano. Outra importante área particular protegida é a RPPN Pedra do Cachorro, em São Caitano, que abriga 18 hectares representativos da biodiversidade da Caatinga. O local é bastante visitado por pesquisadores e amantes da natureza.  

    De acordo com o gerente da Semas Paulo Teixeira, “a ampliação de novas reservas particulares em Pernambuco é de extrema importância e integra a estratégia da Secretaria de buscar o apoio da iniciativa privada na conservação dos recursos naturais, com a geração de uma economia verde e sustentável, beneficiando proprietários e população do entorno, com atividades de ecoturismo e visitação nestas áreas”, ressaltou o gerente.

    O evento que se encerra nesta sexta-feira (25) oferece também feira de produtos agropecuários e espaço gastronômico, além de uma programação cultural. A iniciativa tem o apoio da Federação da Agricultura do Estado de Pernambuco (FAEPE), Secretaria de Agricultura do Estado, Banco do Nordeste, Sebrae e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/PE).

    Reservas Particulares de Patrimônio Natural (RPPNs) Estaduais

     

     

    Categoria/Nome

    Municípios

    Ecossistema

    Área (ha)

    1

    RPPN Bicho Homem

    Catende

    Mata Atlântica

    90,00

    2

    RPPN Engenho Contestado

    Maraial

    Mata Atlântica

    87,00

    3

    RPPN Engenho Santa Rita

    Água Preta

    Mata Atlântica

    122,75

    4

    RPPN Fazenda Tabatinga

    Goiana

    Mata Atlântica e Mangue

    19,23

    5

    RPPN Jussaral

    Catende

    Mata Atlântica

    331,00

    6

    RPPN Laje Bonita

    Quipapá

    Mata Atlântica

    12,12

    7

    RPPN Pedra do Cachorro

    São Caetano

    Caatinga

    18,00

    8

    RPPN Bituri

    Brejo da Madre de Deus

    Mata Atlântica (Brejo de Altitude)

    110,21

    9

    RPPN Karawa-tá

    Gravatá

    Caatinga

    100,58

    10

    RPPN Pedra D'Antas

    Lagoa dos Gatos

    Mata Atlântica

    325,34

    11

    RPPN Eco Fazenda Morim

    São José da Coroa Grande

    Mata Atlântica

    209,00

    12

    RPPN do Benedito

    Gravatá

    Mata Atlântica

    18,60

    13

    RPPN Santo Antônio

    Gravatá

    Caatinga

    119,75

    14

    RPPN Serro Azul

    Agrestina

    Mata Atlântica e Caatinga

    73,58

     

    TOTAL

     

     

    1.637,16

     

     

    Assuntos: semas, agrinordeste, faepe
    Compartilhe: Link para o post:
  • Plano de Arborização para Sairé concentra plantio para adensamento da mata ciliar do Rio Sirinhaém

    | Educação, Meio Ambiente

    Compesa apoia desenvolvimento da gestão ambiental do município e capacitou 100 alunos da rede pública de ensino como viveiristas

    A Companhia Pernambucana de Saneamento – Compesa contribuiu para o desenvolvimento da gestão municipal de áreas verdes de mais uma cidade do Estado. Sairé, localizada na região Agreste, recebeu o Plano de Arborização elaborado pela Compesa em parceria com a prefeitura do município. O plano prevê o plantio de cerca de 1,7 mil mudas de espécies arbóreas nativas concentrado, principalmente, às margens do Rio Sirinhaém - Área de Preservação Permanente (APP) - com a proposta de ajudar no adensamento da mata ciliar do manancial. A iniciativa da companhia ainda envolveu o trabalho de capacitação de 100 estudantes da rede pública de ensino para atuarem como viveiristas florestais.

    O Plano de Arborização é entregue aos municípios que recebem o Projeto Florestar Vai à Escola, uma linha de ação do Programa Florestar, um dos programas ambientais mais importantes da companhia. O diretor de Articulação e Meio Ambiente da Compesa, Aldo Santos, entregou o plano ao município, na última sexta-feira (18), durante o plantio simbólico de 100 mudas de espécies florestais nativas no Loteamento Luciano Andrade, local bem próximo à entrada da cidade. Caberá à Prefeitura de Sairé revisar anualmente o Plano de Arborização, que deve ser direcionado pelo Plano Diretor Municipal, além de gerenciar e prever o tempo de execução, contando com o apoio técnico da Compesa. Fora a APP do Rio Sirinhaém, algumas praças e ruas da cidade também receberão o plantio de mudas.

    A capacitação dos alunos foi realizada durante quatro dias, na semana passada, no auditório do EREM João Pessoa Souto Maior. Os estudantes ainda conheceram o Viveiro Florestal Educador mantido pela Compesa, em Bonito, onde participaram de uma vivência prática para consolidar o conhecimento construído. "A cada edição do Florestar Vai à Escola percebemos a importância dessa parceria entre a Compesa e os municípios para promovermos a educação socioambiental e ampliarmos a arborização do nosso estado, contribuindo com a preservação do meio ambiente e dos nossos mananciais", informou Aldo Santos.

    Programa Florestar Compesa - O Programa Florestar realizou, em 2016, duas edições do Florestar Vai à Escola, nos municípios de Arcoverde e Venturosa, na região do Sertão. Em 2017, o projeto chegou ao Agreste, nas cidades de Riacho das Almas e Sairé. Ao todo, já foram capacitados 400 alunos da rede pública de ensino, sendo 100 alunos por cidade, que estão aptos a atuar como viveiristas florestais, contribuindo com a implantação dos planos de arborização de suas cidades. Além do Florestar Vai à Escola, o Programa possui ainda os Projetos: Viveiros Educadores, Semeando Cidadania e Florestar Oficinas. A Compesa define os municípios que receberão as ações do Programa Florestar de acordo com alguns critérios como o percentual de arborização de vias públicas, a existência de obra de saneamento básico, a realização de trabalho técnico social no município contemplado, a existência de empreendimentos florestais, e o bioma local.

     

    Cidades: Sairé
    Assuntos: compesa, plano de arborização, seplag, programa florestar
    Compartilhe: Link para o post:
  • CPRH destaca ganho ambiental com a desativação do lixão de Aguazinha

    | Meio Ambiente
    Histórico de problemas ambientais provocou decisão do órgão de determinar o fechamento
     
    O presidente da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), Eduardo Elvino, destacou, nesta terça (8), a decisão da Prefeitura Municipal de Olinda de – cumprindo determinação do órgão ambiental estadual – desativar o lixão de Aguazinha, conforme anúncio feito pela manhã. Elvino lembrou o histórico de problemas levantados pela CPRH no local, nos últimos anos, ressaltando que o ganho ambiental da decisão é enorme, possibilitando uma melhoria substancial no trato dos resíduos sólidos urbanos no município, podendo inclusive ser exemplo para outras cidades. Só de multa, de 2015 para cá, a Agência emitiu autos de infração que, atualizados, passam de R$ 800 mil à gestão municipal.

    A desativação, de acordo com Elvino, só foi possível graças ao empenho da gestão municipal de Olinda, que encarou o problema e atendeu a uma determinação da CPRH. Ressaltou ainda que, além dos ganhos ambientais,  a desativação está diretamente ligada, também, aos ganhos sociais. “Não podemos esquecer dos episódios vistos na década de 90, quando pessoas se alimentavam de restos de comida que eram retirados do lixo”, completou.

    Sobre  o avanço ambiental, o presidente da CPRH destacou que o fato de não haver mais disposição dos resíduos diretamente no solo evitará a contaminação do mesmo e também das águas subterrâneas e superficiais. “Além disso, com o processo de remediação do lixão, vetores como insetos e pequenos roedores deixarão de transmitir doenças provenientes de bactérias e vírus que existem nos resíduos, deixando a população  do entorno com uma maior qualidade de vida”.
    Cidades: Olinda
    Assuntos: cprh, prefeitura de olinda, lixao de aguazinha
    Compartilhe: Link para o post:
  • Projeto Estação Animal é lançado em Fernando de Noronha

    | Meio Ambiente

    ESTAÇÃO ANIMAL

    Em um projeto pioneiro no país, Fernando de Noronha recebeu na tarde da última quarta-feira (2), o lançamento do projeto Estação Animal Pernambuco, que visa inserir na ilha uma política pública através de ações direcionadas à proteção animal. A iniciativa é fruto de uma parceria entre a Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco e a Administração da ilha, que vai atuar por meio da Vigilância Sanitária local. Em um evento bastante prestigiado, o Estação Animal Noronha foi lançado no auditório da Escola Arquipélago e além de contar com a presença de autoridades e moradores, teve a participação ilustre de três animais embaixadores do projeto, o cão Pablo, a gatinha Sardinha e a ovelha Fiona.

    Este é o primeiro município do país a receber um programa de formação onde todas as crianças e adolescentes serão agentes multiplicadores da causa animal. Valorizando os animais entendemos que também estamos cuidando das famílias, já que muitos deles são parte integrante das mesmas. E esse não é só um papel do poder público, mas de toda a população”, afirmou o secretário de Turismo, Esportes e Lazer do Estado, Felipe Carreras, e ressaltou: “saio daqui com o compromisso de angariar os R$ 300 mil necessários para a construção de um gatil onde poderemos cuidar dos gatos selvagens que habitam na ilha. Pernambuco terá seu primeiro gatil e ele será aqui”.

    Fernando de Noronha possui 475 cachorros e 675 gatos. “Nossa preocupação com o bem estar de quem vive aqui e dos turistas vai além. Todos os animais domésticos são microchipados e não há nenhum em situação de abandono. Estamos dispostos a solucionar este impasse dos gatos selvagens, que são os bichanos que se reproduziram e vivem no meio da mata”, pontuou o Administrador da ilha, Luis Eduardo Antunes.

    A ativista da causa animal e coordenadora do Estação Animal Pernambuco, Goretti Queiroz, aponta que Noronha é apenas o plano piloto desta iniciativa que ambiciona ser implementada em outros destinos turísticos. “Promoveremos ações de assistência direta aos animais, domiciliados ou não, onde serão realizadas campanhas de castração e adoção, prioritariamente”, avaliou.

    Além dos a animais Fiona, Sardinha e Pablo, o projeto conta com 23 embaixadores humanos, sendo 13 crianças e 12 adultos que, na ocasião, foram contemplados com um certificado do Estação Animal. “Eles receberão um treinamento e passam a ter, a partir de hoje, a missão de multiplicar todo o conteúdo do projeto e de fiscalizar as atividades”, explicou a gestora do projeto Estação Animal, Marcela Tenório.

    Também participaram do evento, a diretora de Planejamento e Gestão da ilha, Mariana Suassuna, a superintendente de Saúde, Rebeca Dias, e o jornalista Francisco José.

    Cidades: Fernando de Noronha
    Assuntos: setrel, estacao animal pernambuco, projeto pioneiro
    Compartilhe: Link para o post:
  • Governo de Pernambuco realiza ação para coibir crimes ambientais nas áreas da Barragem Eduardo Campos

    | Meio Ambiente

    A Secretaria Executiva de Recursos Hídricos, vinculada à Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag), deflagrou uma ação conjunta com a Companhia Independente de Policiamento do Meio Ambiente da PMPE (Cipoma), a Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) e a Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente de Palmares, que objetiva coibir o acesso de animais às áreas da Barragem Eduardo Campos, localizada em Serro Azul - Palmares.

    O acesso indevido de animais tem destruído a vegetação de gramíneas, plantadas com o objetivo de proteger o equipamento hídrico, o que pode acarretar sérios danos à estrutura e consequentemente à população.

    “É preciso conscientizar moradores e proprietários de animais dos problemas que tal ação acarreta, podendo inclusive ocasionar erosão pluvial”, comenta o secretário executivo de Recursos Hídricos, Mário Cavalcanti.

    Dentre as ações prioritárias, serão feitos alertas por equipes do 10° Batalhão e Cipoma, que atuarão diretamente na coibição de crimes ambientais, visto que o território da barragem tem 43 hectares de área de preservação ambiental. Se alguém for flagrado, sofrerá sanções penais e administrativas, inclusive com aplicação de multa. Durante a operação, a prefeitura de Palmares intensificará a fiscalização no local e as Guarnições Ambientais da Cipoma realizarão, ainda, abordagens a veículos e transeuntes no intuito de apreender armas, drogas e localizar foragidos da justiça.

    Cidades: Palmares
    Assuntos: seplag, cipoma, cprh
    Compartilhe: Link para o post:
  • Espaço Compesa desperta interesse de crianças pelos temas ambientais durante 27º FIG

    | Meio Ambiente

    Espaço Compesa

    Companhia leva ações socioambientais para um dos eventos artísticos e culturais mais importantes da temporada de frio, em Pernambuco

     Colocar a mão na terra, plantar uma semente, adubar e aguar, zelar para que a platinha cresça e floresça. Esse aprendizado ninguém esquece. Por isso, a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) levou para a 27ª edição do Festival de Inverno de Garanhuns (FIG) oficinas de plantio de mudas e jogos educativos como estratégias de educação ambiental para as novas gerações. Desde a última segunda-feira (24), mais de 350 crianças já participaram das atividades, verdadeiros laboratórios ao ar livre, despertando o interesse pela preservação da natureza e o consumo consciente. A programação é gratuita e segue até sexta-feira (29), no espaço montado pela Compesa no Parque Euclides Dourado, no horário das 15h às 19 horas.

    Todos os dias são promovidas cerca de oito oficinas de plantio de mudas, cada uma com 20 minutos de duração. Podem participar até 16 crianças por turma. Na atividade, as crianças plantam mudas de espécies florísticas, fáceis de cultivar em casa, como Girassol, Dália e Cravina. Ao final da oficina, elas levam a muda para casa. A proposta das atividades com os jogos educativos é semelhante. Após participar da brincadeira e aprender as regras, a criança também é presenteada com o jogo de tabuleiro para multiplicar as informações e o conhecimento adquirido, de forma lúdica, com os amigos. Os jogos educativos reproduzem um jogo de ludo gigante, onde as crianças se divertem e, ao mesmo tempo, aprendem sobre conceitos de sustentabilidade, cuidados com o meio ambiente e dicas de preservação dos recursos hídricos.

    O público jovem e adulto que visita o espaço da Compesa no FIG pode conhecer espécies florestais nativas da Caatinga e da Zona da Mata, além de receber material informativo sobre uso racional da água. Para Aldo Santos, diretor de Articulação e Meio Ambiente da Compesa, desenvolver atividades socioambientais num evento como o FIG possibilita à companhia promover educação ambiental e divulgar o compromisso da empresa com a sustentabilidade dentro de um contexto de valorização da nossa cultura. “O FIG é um evento que valoriza a cultura, e para nós da Compesa, a preocupação e a ação da sociedade na preservação do meio ambiente deve atravessar gerações, fazendo parte das ideias, comportamentos e práticas de todos”, observa.

    Cidades: Garanhuns
    Assuntos: compesa, educacao ambiental, fig
    Compartilhe: Link para o post:
  • CPRH estimula parcerias ambientais com os municípios

    | Meio Ambiente

    Meio Ambiente

    Tema foi tratado nesta quarta (26), em Caruaru, durante curso promovido pelo órgão ambiental 

    No último dia do curso Educação para Gestão Ambiental, uma iniciativa da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), a palavra-chave foi “parceria”. Aproveitando os debates, realizados nesta quarta (26), na Faculdade de Filosofia de Caruaru (Fafica), agentes ambientais de municípios participantes e profissionais do órgão estadual discutiram a estratégia de um planejamento comum de projetos e ações em defesa do verde.

    Dentro deste contexto, algumas parcerias serão trabalhadas nos municípios, especialmente na área de Educação Ambiental, buscando maior conscientização de todos sobre a importância de preservação da fauna e flora de cada região.  Também serão articuladas ações em comum voltadas para  a fiscalização florestal – uma maior aproximação e troca de informações são passos importantes nesse sentido.

    Realizado em parceria com a Prefeitura de Caruaru, o curso teve a participação de gestores ambientais das 20 cidades do raio de atuação da Unidade Integrada de Gestão Ambiental (Uiga) de Caruaru. A CPRH já planeja novas edições, ainda sem data definida, para contemplar também os municípios compreendidos nas Uigas de Petrolina, Ribeirão, Araripina, Garanhuns e Carpina.

    As atividades foram realizadas durante dois dias (manhã e tarde), com participação significativa dos municípios. Além de Educação Ambiental e Fiscalização Florestal, foram tratados os temas Gestão do Uso do Solo, Defesa da Fauna, Gestão de Unidades de Conservação e Controle de Fontes Poluidoras, entre outros. 

    Cidades: Caruaru
    Assuntos: cprh, parcerias, meio ambiente
    Compartilhe: Link para o post:
  • Semas apoia campanha de alavancagem de Projetos do Pacto pela Restauração da Mata Atlântica

    | Meio Ambiente

    A Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) sedia na próxima sexta-feira (28/07), no auditório Sofia Graciano, um encontro para alavancar, divulgar e ressaltar a importância do Pacto pela Restauração da Mata Atlântica com a presença de representantes de instituições públicas e privadas, comunidade científica e servidores públicos.   

    O Pacto foi lançado oficialmente em abril de 2009 e é um movimento da sociedade brasileira para restaurar e integrar esforços e recursos na geração de resultados em restauração e conservação da biodiversidade nos  17 estados que possuem a presença da Mata Atlântica Brasileira. A meta do Pacto é viabilizar a recuperação de 15 milhões de hectares até o ano de 2050, mas com metas e monitoramento dos resultados anuais. Em Pernambuco é coordenada pelo Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste (Cepan).

    A proposta inicial do Pacto é fomentar o plantio de 2 milhões de mudas da espécie nativas em áreas degradadas que está sendo patrocinado pela Ecosia, uma empresa de busca online alemã que funciona dentro dos conceitos e premissas de “negócios sociais”, que financia ações de conservação nos pontos críticos da biodiversidade global.

    O Secretário Executivo de Meio Ambiente, Carlos André Cavalcanti, afirmou que “A apresentação da proposta no âmbito da pasta ambiental do Governo de Pernambuco é fundamental para ganhar escala, agregar novos parceiros no processo e estabelecer novos compromissos pela recuperação da nossa Mata Atlântica”.

    O Pacto pela Restauração da Mata Atlântica constitui uma iniciativa de caráter coletivo, com duração indeterminada, envolvendo diversos segmentos da sociedade comprometidos com a restauração da Mata Atlântica, como organizações e associações diversas, governos, empresas, instituições científicas, proprietários rurais entre outros. A adesão a proposta é voluntária, e será formalizada por meio da assinatura de Termo de Adesão.

    Serviço: Apresentação da campanha de alavancagem de Projetos de Restauração Florestal da Mata Atlântica Brasileira

    Data: 28 de julho de 2017

    Local: Auditório Sofia Graciano, Semas - Av. Conselheiro Rosa e Silva, nº 1.339Jaqueira

    Horário: 9h às 12h.

    Cidades: Recife
    Assuntos: semas, cepan
    Compartilhe: Link para o post:
  • Suape oferta vagas para cursos do Projeto de Educação Ambiental

    | Meio Ambiente, Suape

     Suape Ambiental

    Já estão abertas as inscrições para os novos cursos do Projeto de Pedagogia Ambiental, realizado pela Diretoria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Complexo Industrial Portuário de Suape. São 90 vagas ofertadas, distribuídas nos cursos Livre de Educação Ambiental (30 vagas), Pedagogia Ambiental (30 vagas) e Gestão de Resíduos Sólidos (30 vagas).  As inscrições seguem até o preenchimento das vagas oferecidas gratuitamente e deverão ser feitas por e-mail (pea@suape.pe.gov.br) ou telefone: (81) 3527-5088. Podem se inscrever participantes com mais de 16 anos e com formação mínima a partir do Ensino Médio. Os alunos passarão por um processo de seleção e serão escolhidos de acordo com o perfil para cada curso.  

    Os interessados deverão ficar atentos ao calendário e as datas para não perder a oportunidade. As inscrições do curso Livre de Educação Ambiental encerram em 31/07 e as aulas já começam a partir de 01/08 (terça-feira), seguindo até 29/08. Já para o curso de Pedagogia Ambiental, acabam em 01/08. As aulas deste curso acontecem a partir de 02/08 (quarta-feira), seguindo até 30/08. O curso de Gestão de Resíduos Sólidos segue com as inscrições até 02/08, com o início das aulas previsto para 03/08 (quinta-feira) e, conclusão para 31/08. 

    Cada aluno receberá um certificado de 40 horas, além de material didático, camisa do projeto, alimentação (café da manhã e almoço) e transporte com saída do Centro do Cabo de Santo Agostinho e do Centro de Ipojuca.

    Em 17 de março deste ano, o Projeto Pedagogia Ambiental iniciou seu cronograma de atividades. Os cursos integram o Programa de Educação Ambiental de Suape, que vem sendo desenvolvido em atendimento ao EIA-RIMA Suape, à Política Nacional de Educação Ambiental, ao Programa Nacional de Educação Ambiental e ao Programa Estadual de Educação Ambiental de Pernambuco. Os conteúdos programáticos dos cursos e as oficinas são relacionados ao desenvolvimento da educação ambiental com enfoque nas questões socioambientais, conservação ambiental e recuperação dos recursos naturais de Suape.

    SERVIÇO

    Os interessados devem enviar e-mail para: pea@suape.pe.gov.br

    Local: Centro de Treinamento do Complexo Industrial Portuário de Suape – CETREINO
    Endereço: Rodovia PE-60, KM 10, Engenho Massangana, Ipojuca-PE (ao lado do Empresarial Porto de Suape)
    Mais informações: (81) 3527-5088
    Transporte: Cabo de Santo Agostinho (calçada da Justiça do Trabalho, na esquina da Rua do Supermercado Todo Dia -  próximo ao sinal de trânsito, às 7h30) e Ipojuca (em frente a Faculdade de Ipojuca, às 7h30).

     Suape Ambiental 

     

     

    Cidades: Cabo de Santo Agostinho
    Assuntos: sdec, meio ambiente, projeto de pedagogia ambiental, suape,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Manancial em Fernando de Noronha sangra após fortes chuvas

    | Meio Ambiente

    xareu

    O Açude Xaréu, uma das fontes de abastecimento de água em Fernando de Noronha, sangrou, no último sábado (15), após oito anos. Até a semana passada, o reservatório estava com 70% da sua capacidade, mas com as chuvas intensas registradas na ilha nos últimos dias, o Xaréu atingiu o seu volume máximo de acumulação, que é de 500 mil metros cúbicos.

    Choveu 217 mm nos últimos quatro dias em Fernando de Noronha, 14% acima do esperado para o mês de julho, segundo a APAC. O reservatório do Xaréu é responsável pelo atendimento de 60% de Fernando de Noronha e a complementação da distribuição vem da água do mar. A Compesa mantém na Ilha uma Estação de Dessalinização, o maior sistema já utilizado no Brasil para abastecimento humano. A companhia já está desenvolvendo estudos para ampliar a capacidade de tratamento de água a partir do processo de dessalinização.

    Cidades: Fernando de Noronha
    Assuntos: fernando de noronha, manancial, chuvas, compesa
    Compartilhe: Link para o post: