meteorologia

Bacias Hidrográficas

Obra em todo lugar

Veja o que o Governo de Pernambuco está fazendo na sua região.

Blog de notícias

  • Governo entrega Planos de Resíduos Sólidos beneficiando 106 municípios pernambucanos

    | Meio Ambiente

    O governo Paulo Câmara, por meio da SEMAS - Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade, entrega os Planos Intermunicipais de Resíduos Sólidos (PIRS) para 106 municípios pernambucanos. O secretário Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Sérgio Xavier, anunciou oficialmente nesta quarta (27/12) a conclusão dos Planos para os municípios localizados nas regiões da Zona da Mata, Agreste e Sertão.

    Elaborados pela SEMAS, com apoio institucional do Ministério do Meio Ambiente, os PIRS são requisitos para que os municípios cumpram a Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS (Lei Nº 12.305, de 2/8/2010), implantem processos de coleta seletiva e reciclagem de lixo e possam ter acesso aos recursos da União destinados a empreendimentos e serviços relacionados à limpeza urbana e ao manejo de resíduos sólidos.

    Para apoiar os municípios na destinação final dos seus resíduos já estão disponíveis na SEMAS os Planos referentes a cinco agrupamentos (2, 3, 4, 5 e 7) e, no primeiro semestre de 2018, estarão prontos os planos municipais dos agrupamentos 1 e 8, que abrangem as regiões da Mata Norte, Agreste e Sertão do Araripe, beneficiando outras 47 cidades do estado, num total de 153 cidades contempladas. A elaboração dos sete Planos envolveram recursos da ordem de R$ 1.082.601,75 do Ministério do Meio Ambiente – MMA/Caixa Econômica Federal e contrapartida do estado no valor de R$ 799.134,33 (Confira abaixo a lista dos municípios beneficiados).

    Para o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade Sérgio Xavier, “os Planos de Resíduos Sólidos são primordiais para que as municipalidades se adequem à legislação ambiental (Lei Federal e Estadual de Resíduos Sólidos - 14.236/10), de forma a garantir uma nova cultura de gestão de lixo para desenvolver uma economia sustentável, gerar empregos na cadeia produtiva da reciclagem e melhorar a qualidade de vida da população local”.

    Entre as diretrizes e metas propostas pelos PIRS, estão a gestão e o gerenciamento dos resíduos sólidos, garantindo a destinação adequada dos resíduos através da instalação de equipamentos como aterros sanitários individuais e compartilhados, além da implantação do plano de limpeza urbana e programas de coleta seletiva e de educação ambiental para cada um dos cinco agrupamentos, considerando os diversos tipos de resíduos: De serviços de saúde; Da construção civil; Resíduos industriais; Resíduos agrossilvopastoris; Resíduos sujeitos à logística reversa, entre outros.  

    Para se chegar a um documento que refletisse as demandas e realidades locais, antecederam à proposta dos Planos Intermunicipais a elaboração de diagnósticos de abrangência regional, elaborados para os cinco diferentes agrupamentos do Estado de Pernambuco, considerando as características socioeconômicas e ambientais dos municípios contemplados. Durante o processo de construção dos Planos Intermunicipais de Resíduos Sólidos (PIRS) foram capacitados, no primeiro semestre de 2017,  662 gestores públicos sobre legislação ambiental relativa aos resíduos sólidos.

    Os Planos, que a partir de agora irão nortear a construção e a execução das políticas públicas sobre o tema resíduos sólidos, foram elaborados de forma participativa, envolvendo diretores e secretários municipais, representantes de consórcios regionais, sociedade civil organizada, membros de associação e cooperativas de catadores.

    Assuntos: semas, paulo camara, plano de residuos solidos, pirs
    Compartilhe: Link para o post:
  • Com apoio da Semas e CPRH, Timbaúba lança plano para conservação da Mata Atlântica

    | Meio Ambiente

    mata atlântica  

    A partir do documento, serão definidos programa e metas para a conservação e recuperação de áreas degradadas e uso sustentável do bioma no âmbito municipal

    Timbaúba, na Mata do Norte do Estado, já tem o seu Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica (PMMA), importante instrumento para execução de um programa que fixe metas voltadas à conservação, recuperação e uso sustentável do bioma no âmbito municipal. Após nove meses de planejamento, com estudos e trabalho de campo que tiveram o apoio da Secretaria estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) e da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), o PMMA foi lançado em ato na Câmara Municipal de Timbaúba.

    Nos estudos para definição do plano foram catalogados 19,73% de remanescentes de vegetação nativa no município, dados que mostram a importância de uma estratégia voltada para a recuperação de áreas degradadas. O documento vai auxiliar as tomadas de decisão do poder público municipal nesse sentido, além de ser também um instrumento Voltado para a Educação Ambiental. “Esses são objetivos centrais do PMMA e esperamos que os timbaubenses se apropriem do documento e ajudem nessa direção”, afirmou a técnica ambiental Jennifer Belarmino, da Unidade Integrada de Gestão Ambiental (Uiga) de Carpina.

    Junto com técnicos da Semas, a equipe da Uiga Carpina – braço importante da CPRH na Mata Norte – participou da elaboração do plano, uma iniciativa da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico do município. Além de Timbaúba, outras três cidades da região já lançaram seu PMMA, o quem atende à Lei Federal nº 11.428/2006 (dispõe sobre a utilização e proteção da vegetação nativa do Bioma Mata Atlântica): Carpina, Paudalho e Vicência, que também tiveram a cooperação técnica do Governo de Pernambuco, por meio da Semas e CPRH.

    Assuntos: semas, cprh, pmma, plano de conservacao da mata atlantica
    Compartilhe: Link para o post:
  • CPRH apreende 196 canários em uma casa na área central de Gravatá

    | Meio Ambiente

    Dona dos pássaros tem cadastro de criadora amadora, mas os mesmos não apresentavam anilhas. Ela foi autuada, com multa de R$ 19,8 mil.

    A volta de uma ação de rotina de uma equipe de fiscalização florestal da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), na tarde desta sexta-feira (15), surpreendeu os agentes: ao passar pelo município de Gravatá, no Agreste, um deles avistou três gaiolas numa residência, nas proximidades do centro, e a equipe resolveu investigar. Durante a abordagem, a surpresa: no quintal do imóvel, inúmeras gaiolas e nada menos que 196 canários-da-terra, além de dois curiós, um galo de campina e um sabiá, configurando uma criação ilegal de animais silvestres.

    Com a continuidade da ação, outra surpresa: a proprietária dos pássaros tem cadastro no SisPass – o Sistema de Controle e Monitoramento da Atividade de Criação Amadora de Pássaros, do Ibama – Instituto Brasileiro do Meio Ambiente dos Recursos Naturais Renováveis. Só que, em seu cadastro no sistema, o plantel citado é de apenas 15 pássaros e nenhum dos 200 encontrados em sua residência tinha anilha. Assim, ela foi autuada, com multa de R$ 19.800,00.

    Em razão do seu canto, o canário-da-terra (Sicalis flaveola) é uma ave muita visada para criação em cativeiro e há também criação para promoção de rinha, o que é crime. Do total de pássaros apreendidos na ação, 30 tiveram que ficar com o esposo da autuada, como fiel depositário, já que estão com ovos e filhotes. Os demais foram encaminhados ao Centro de Triagem de Animais Silvestres de Pernambuco (Cetas Tangara), da CPRH, que fica no bairro da Guabiraba, no Recife. Lá, serão avaliados e passarão por um período de reabilitação, antes de serem devolvidos à natureza, em áreas de soltura do Estado.    

    Cidades: Gravatá
    Assuntos: semas, cprh, fiscalizaçao, cetas tangara, canarios
    Compartilhe: Link para o post:
  • Semas realiza Seminário em Triunfo para apresentação dos resultados do Projeto de Combate à Desertificação no Estado de Pernambuco

    | Meio Ambiente

    O Governo de Pernambuco através da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) realiza nos próximos dias 19 e 20 de dezembro, em Triunfo, o Seminário para apresentação dos resultados do Projeto de Implantação de Módulos de Manejo Sustentável da Agrobiodiversidade para o Combate à Desertificação no Semiárido Pernambucano. O projeto é desenvolvido em parceria com o Fundo Nacional de Mudanças Climáticas/Ministério do Meio Ambiente e mudou a realidade de cerca de 400 famílias de 12 municípios, escolhidos pela proximidade das zonas de amortecimento de Unidades de Conservação do bioma Caatinga em implantação.

    O projeto começou a ser desenvolvido em 2011 e prevê ações distribuídas em cinco eixos: segurança hídrica, com a construção de poços e sistemas simplificados de abastecimento; segurança alimentar, com a criação de 12 unidades produtivas, distribuídas de acordo com a aptidão das comunidades; segurança energética, com aconstrução de 338 fogões ecológicos; saneamento básico, com a construção de 298 banheiros com fossa e capacitações foram realizadas 36 capacitações para agricultores e professores e gestores públicos dos municípios.

    Esse projeto foi premiado em 2014 com o Prêmio Dryland Champions, concedido pela United Nations Convention to Combat Desertification (UNCCD)/ONU), por meio do Ministério do Meio Ambiente, por fazer parte essencial do combate à degradação do solo e à desertificação para o convívio com o semiárido. Pernambuco possui cerca de 80% do seu território no clima semiárido, dos 184 municípios, 122 estão em áreas que vem sofrendo degradação ambiental progressivamente. Foram beneficiadas 30 famílias em 12 comunidades atendidas, entre elas: Sítio Dois Irmãos, em Afrânio; Comunidade Jatobá, em Cabrobó; Sítio do Rosário, em Exu;  Sítio São Gonçalo, em Floresta; Almirante/Vista Alegre, em Parnamirim; Sítio Estreito, em Santa Maria da Boa Vista; Sítio Onça, em  São Caetano; Serra do Catolé, em São José do Belmonte; Lajinha, em Serra Talhada;  Serrote do Teles, em Serrita; Sítio Carro Quebrado, em Triunfo e Serra da Matinha, em Carnaíba.

    gerente do Programa do Semiárido, Caatinga e Combate à Desertificação da Semas, Sérgio Mendonça, revela a importância da mudança na vida dessas pessoas com a conclusão de etapas do projeto. “O projeto tem como objetivo integrar ações que envolvem água, geração de renda, segurança energética, saneamento e formação, por meio das capacitações nas comunidades tornando-as sustentáveis e visando impactar o mínimo possível a caatinga, como também estabelecendo uma relação de parceria e respeito com as unidades de conservação”, revela Sérgio Mendonça.

    “Quando criamos Unidades de Conservação é importante o envolvimento da população local e esse projeto insere as pessoas no cuidado e proteção dessas áreas, proporcionando um novo olhar e uma nova perspectiva de renda sem agressão aos recursos naturais, de forma totalmente inclusiva e isso é sustentabilidade”, diz o Gerente Geral de Desenvolvimento Sustentável da Semas, Paulo Teixeira.

    Na programação do Seminário haverá a apresentação dos indicadores de avaliação do projeto; diálogo e debate com grupos por arranjos produtivos que vai proporcionar uma troca de experiência entre as comunidades e um levantamento com sugestões de propostas para o futuro, que serão avaliadas para uma possível ampliação do projeto nas comunidades ou em outro locais. O encontro contará com a participação de representantes do Fundo Nacional de Mudanças Climáticas e do Ministério do Meio Ambiente, entre eles o diretor do departamento de Desenvolvimento Rural Sustentável e de Combate à Desertificação, Valdemar Rodrigues. 

    Seguem alguns exemplos do projeto: Na comunidade de Lajinha, em Serra Talhada, por exemplo, foi montado dois sistemas simplificados de abastecimento de água, que enche duas caixas d`água com capacidade de 10 e 5  mil litros e atende a comunidade de acordo com a necessidade dos moradores.

    Cidades: Triunfo
    Assuntos: semas, governo de pernambuco, seminario, sustentabilidade, projeto
    Compartilhe: Link para o post:
  • Vencedores do Vasconcelos Sobrinho recebem premiação da CPRH

    | Meio Ambiente

     

    Em solenidade no auditório do Sinduscon, órgão ambiental entregou troféu aos ganhadores das oito categorias

    Projetos educacionais desenvolvidos no Araripe e no Agreste Setentrional; um plano de recuperação para o Rio Camutanga; a experiência de uma escola ambiental do Agreste Meridional; um  projeto de reuso de efluentes de uma importante indústria de baterias; a ação de uma pesquisadora da caatinga; um projeto empresarial desenvolvido na APA Aldeia-Beberibe, e uma reportagem sobre cemitérios do Grande Recife com a temática ambiental.  São esses os trabalhos que renderam aos seus autores, em oito categorias, o Prêmio Vasconcelos Sobrinho 2017, entregue em prestigiada solenidade, na tarde da última quarta-feira (13), pela Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH).

    Em rápido discurso na abertura do evento, realizado no auditório do Sindicato da Construção Ciuvil (Sinduscon), o presidente da CPRH, Eduardo Elvino, destacou os avanços do órgão ambiental, agradeceu o compromisso dos servidores e as parcerias desenvolvidas com órgãos como a Cipoma e o Ministério Público, e citou alguns avanços conquistados pela gestão: a desburocratização – possibilitando maior rapidez nos processos de licenciamento ambiental –, o trabalho pelo Centro de Triagem de Animais Silvestres de Pernambuco (Cetas Tangara), que já acolheu e reabilitou mais de 7.500 animais silvestres este ano, e o investimento conseguido com recursos da compensação ambiental – mais de 100 milhões, entre outros.

    Junto com o secretário de Meio Ambiente, Sérgio Xavier, e dos diretores da Agência, Elvino parabenizou os vencedores do prêmio – que lembra o importante legado do ambientalista pernambucano João Vasconcelos Sobrinho (1908-1989). “Vasconcelos Sobrinho já falava de sustentabilidade quando ninguém sabia o que era isso. Ele sabia que o meio ambiente tem a ver com tudo, inclusive com a economia”, destacou Sérgio Xavier.

    PARCERIAS - A CPRH também aproveitou o evento para lembrar a ação de importantes parceiros na luta pelo meio ambiente. Quatro deles foram homenageados com o Certificado de Amigo do Meio Ambiente - além de voluntários que ajudaram no resgate de animais. silvestres. Um dos parceiros homenageados, o síndico do Condomínio Haras de Aldeia, Roberto Alencar, fez questão de registrar, no evento, a parceria com o Centro de Triagem de Animais Silvestres de Pernambuco (Cetas Tangara),e chamou para dividir o momento com ele os biólogos Yuri Valença e Cinthia Lima, e a veterinária Tatiana Clericuzi, que atuam no Cetas e na Agência.

    Os outros parceiros homenageados foram o tenente-coronel Adilson Gomes, comandante da Cipoma (representado no ato por um auxiliar da Companhia); o promotor André Felipe, coordenador do CAOP Meio Ambiente, do Ministério Público de Pernambuco, e o prefeito de Bonito, no Agreste, Gustavo Adoifo, que vem atuando em parcerias importantes na área ambiental, inclusive com convênio entabulado envolvendo o Parque Natural Matas do Mucuri-Hymalaia.

    Confira a relação dos projetos vencedores este ano. A partir da próxima segunda (18), pelo seu Facebook, a CPRH divulgará postagens com detalhamento deles.
     
    OS PREMIADOS NO VASCONCELOS SOBRINHO 2017 POR CATEGORIA 
     
    Projetos e Práticas do Ensino Superior
    Projeto Fragmentação Florestal no Sertão do Araripe de Pernambuco – Desenvolvido  na Faciagra – Faculdade de Ciências Agrárias de Araripina   
     
    Projetos e Práticas do Ensino Fundamental I, II e Médio
    Projeto Transformando Resíduos Orgânicos em um super adubo líquido formando npk na escola – EREM Coronel João Francisco, em São Vicente Ferrer  
     
    Destaque Empresarial
    Projeto Responsabilidade na APA Aldeia-Beberibe – Empresa Ultramega Hospitalar
     
    Destaque Municipal 
    Escola Ambiental de Lajedo: uma nova perspectiva no ensino de educação ambiental
     
    Imprensa
    Reportagem  “Da morte ao descaso”, de Tatiana Notaro, - Folha de Pernambuco 
     
    Iniciativa Comunitária 
    Projeto Recuperação do Rio Camutanga gerando melhor convivência do homem no campo: vida, água e meio ambiente – desenvolvido pela Associação Plantas do Nordeste
      
    Personalidade do Meio Ambiente
    Serliete de Carvalho Mendes Schneider (inscrição feita por Maria Francisca de Souza Alves), pelo trabalho dedicado ao bioma caatinga  
     
    Responsabilidade Ambiental
    Projeto Reuso de Efluentes – Baterias Moura

    Cidades: Recife
    Assuntos: semas, cprh, premiacao, vasconcelos sobrinho 2017, preservação do meio ambiente
    Compartilhe: Link para o post:
  • CPRH fará homenagem a voluntários na luta pelo meio ambiente

    | Meio Ambiente

    semas  

    Agência vai aproveitar entrega do Prêmio Vasconcelos Sobrinho, nesta quarta (13), para homenagear também pessoas que de forma voluntária ajudaram o meio ambiente.

    Um pedreiro que impediu maus-tratos a uma capivara e, para salvá-la, andou oito quilômetros carregando o animal num carro de mão; um casal de noivos que transportou um pintor-verdadeiro (ave ameaçada de extinção) de Gravatá ao Recife, de moto, para entregá-la ao órgão ambiental; duas moradoras de Pau Amarelo que deixaram os afazeres cotidianos para salvar iguanas da morte; um comerciante da Zona Norte do Recife que tirou outra iguana do cativeiro, e um agente ambiental que improvisou um barco para salvar uma garça ferida por uma linha de pipa com cerol. Esses são alguns dos voluntários que receberão, nesta quarta-feira (13), homenagem simbólica da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), dentro da solenidade de entrega do Prêmio Vasconcelos Sobrinho 2017.

    Os vencedores do Prêmio Vasconcelos Sobrinho são pessoas físicas, empresas, escolas, gestão pública e instituições que realizaram projetos significativos na área do meio ambiente. Todos receberão a premiação em solenidade que começa às 14h desta quarta (13), no auditório do Sindicato da Construção Civil (Sinduscon/PE), na Ilha do Leite, e terão seus projetos detalhados posteriormente no Facebook da CPRH. Na solenidade, a Agência – ao mesmo tempo que destacará os vencedores das oito categorias – decidiu conceder a voluntários o certificado de “Amigo (a) do Meio Ambiente”. “São pessoas que, com iniciativa própria e muita determinação, deram sua contribuição ao meio ambiente e à preservação das espécies”, destacou o presidente da CPRH, Eduardo Elvino.

    A premiação lembra o legado do pernambucano João Vasconcelos Sobrinho (1908-1989), um dos pioneiros na área de estudos ambientais no Brasil. Trata-se de uma homenagem que o Governo de Pernambuco – por meio da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) e da CPRH – presta, anualmente, a pessoas físicas, empresas e instituições que realizam projetos com o objetivo de promover a melhoria das condições ambientais ou desenvolvam ações socioambientais. Confira, abaixo, quem foram os vencedores deste ano e quem receberá a homenagem simbólica pela ação voluntária e/ou de destaque em  ações de resgate de animais silvestres:

    OS PREMIADOS NO VASCONCELOS SOBRINHO 2017 POR CATEGORIA

    Projetos e Práticas do Ensino Superior - Projeto Fragmentação Florestal no Sertão do Araripe de Pernambuco – Desenvolvido  na Faciagra – Faculdade de Ciências Agrárias de Araripina   

    Projetos e Práticas do Ensino Fundamental I, II e Médio - Projeto Transformando Resíduos Orgânicos em um super adubo líquido formando npk na escola – EREM Coronel João Francisco, em São Vicente Ferrer  

    Destaque Empresarial  - Projeto Responsabilidade na APA Aldeia-Beberibe – Empresa Ultramega Hospitalar

    Destaque Municipal - Escola Ambiental de Lajedo: uma nova perspectiva no ensino de educação ambiental

    Imprens - Reportagem  “Da morte ao descaso”, de Tatiana Notaro, - Folha de Pernambuco 

    Iniciativa Comunitária - Projeto Recuperação do Rio Camutanga gerando melhor convivência do homem no campo: vida, água e meio ambiente – desenvolvido pela Associação Plantas do Nordeste

    Personalidade do Meio Ambiente - Serliete de Carvalho Mendes Schneider (inscrição feita por Maria Francisca de Souza Alves), pelo trabalho dedicado ao bioma caatinga  

    Responsabilidade Ambiental - Projeto Reuso de Efluentes – Baterias Moura

    QUEM RECEBERÁ CERTIFICADO DE AMIGO DO MEIO AMBIENTE: Francisco da Silva -  O pedreiro que salvou uma capivara - Raul de Oliveira -  O empresário que cuidou de uma preguiça Edvania Bezerra e José Bernardo – Os noivos que cuidaram de um pintor-verdadeiro - Alisson Salvador e equipe – O grupo que retirou uma preguiça de uma linha de alta tensão - Solange e Kátia – As irmãs de Pau Amarelo que salvaram duas iguanas da morte Ronmel Santos – O policial que salvou quatro filhotes órfãos de uma raposa - Paulo Pedro da Silva – O comerciante da Guabiraba que salvou uma iguana do cativeiro - Sebastião Avelino – O salvador de uma garça que se enrascou numa linha de pipa de cerol - André Maia – O biólogo e educador que vive dia a dia a missão de resgatar animais silvestres  

    Cidades: Recife
    Assuntos: semas, cprh, sinduscon-pe, governo de pernambuco, premio vasconcelos sobrinho 201, destaques
    Compartilhe: Link para o post:
  • Dois saguins cegos encontrados no Recife são entregues à CPRH

    | Meio Ambiente

    Animais foram encaminhados na tarde desta segunda (11) para o Cetas Tangara, onde serão avaliados

    Um sagui fêmea, adulto, é visto por um segurança do Hospital São Marcos, no Paissandu, área central do Recife, como se estivesse sem rumo, batendo com a cara em muros e paredes. Vendo que o primata estava cego, o segurança leva o mesmo para casa, cuida, e organiza uma vaquinha pelo Facebook para arrecadar dinheiro e levá-lo a uma clínica veterinária. No dia seguinte, já com R$ 140 prometidos, encontra no mesmo local outro sagui, macho, também cego, e, também pela rede social, recebe a orientação de levar o animal à Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), orientação seguida de imediato, na manhã desta segunda-feira (11).

    O casal de saguis (Callithril sp.) foi encaminhado na tarde desta segunda para o Centro de Triagem de Animais Silvestres de Pernambuco (Cetas Tangara), da CPRH, no bairro da Guabiraba, Zona Norte do Recife, onde será avaliado clinicamente. Os dois foram encontrados pelo segurança Renato Alexandre numa área que fica por trás do Hospital São Marcos, na Rua Portugal – Paissandu, a fêmea no domingo (10) e o macho nesta segunda. Não se sabe se a cegueira foi provocada por maus-tratos ou por alguma infecção.

    Ao fazer a entrega voluntária à CPRH, Renato Alexandre disse ter se compadecido com a situação do sagui fêmea e que, após pesquisa na internet, propôs a vaquinha via rede social, já que viu que o animal precisaria ser levado a um veterinário. Ele lembrou que, também próximo ao local do seu trabalho, há aproximadamente um mês, outro sagui foi encontrado, mas morto, por descarga elétrica.

    Cidades: Recife
    Assuntos: semas, cprh, entrega voluntaria, cetas tangara
    Compartilhe: Link para o post:
  • Surubim recebe oficina sobre a construção da política de educação ambiental de Pernambuco

    | Meio Ambiente

    Encontro promovido pela SEMAS no Agreste busca a elaboração participativa de uma política pública voltada para a sustentabilidade

    A Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade - SEMAS realiza amanhã e quarta-feira, dias 12 e 13/12, na Escola de Referência Severino Farias, no centro de Surubim, uma oficina participativa para a construção da Política de Educação Ambiental de Pernambuco (PEAPE), envolvendo gestores públicos, Organizações Não Governamentais (ONG´s), sindicatos de desenvolvimento rural sustentável, conselhos municipais de meio ambiente, comunidades tradicionais (índios, ciganos e quilombolas), além de representantes da sociedade civil.

    Os encontros coordenados pela SEMAS, em parceria com a Comissão Interinstitucional de Educação Ambiental de Pernambuco (CIEA/PE), serão realizados até maio de 2018, em outras 14 cidades das regiões Agreste, Metropolitana (incluindo o Distrito de Fernando de Noronha), e Sertão do estado. Durante o processo de construção colaborativa da proposta já foram realizados outros dois seminários, o primeiro no Recife, no final de outubro, e o outro no dia 30/11, na cidade de Panelas, no Agreste Central, com participação de representantes de mais de 63 municípios de diversas regiões.

    Para o gerente de desenvolvimento sustentável da SEMAS Paulo Teixeira, “este será um importante instrumento de conscientização ambiental para o Estado de Pernambuco, ressaltando a responsabilidade de cidadãos e gestores públicos de desenvolverem ações voltadas para a sustentabilidade”, ressaltou o gestor.   

    Foram mobilizados e convidados para o encontro de Surubim representantes do setor público e da sociedade civil do Agreste Setentrional, com o compromisso de debater e contribuir, durante os dois dias, no período das 8h às 17h, uma proposta de política pública que incorpore o que já vem sendo realizado pelas municipalidades. A expectativa é de que os debates e propostas considerem os objetivos estabelecidos pela Política Nacional de Educação Ambiental - PNEA (Lei 9.795/99), entre eles: A compreensão integrada do meio ambiente; garantia da democratização das informações ambientais e incentivo à participação individual e coletiva na direção do equilíbrio ambiental.

    Para a gestora de educação ambiental da SEMAS, Genilse Gonçalves,”ao final do processo de construção, no seminário de integração previsto para maio de 2018, as contribuições e sugestões enviadas serão sistematizadas pela Secretaria de Meio Ambiente  e incorporadas à minuta de projeto de lei”,  destacou a gerente.

    SERVIÇO:

    Data: 12 e 13/12/ 17 (terça e quarta-feira)
    Horário: 8h às 17h
    Público: Gestores públicos, Organizações Não Governamentais (ONG´s), sindicatos de desenvolvimento rural sustentável, conselhos municipais de meio ambiente, comunidades tradicionais e representantes da sociedade civil.
    Municípios convidados: Bom Jardim, Casinhas, Cumaru, Feira Nova, Frei Miguelinho, João Alfredo, Limoeiro, Machados, Orobó, Passira, Salgadinho, Santa Cruz do Capibaribe, Santa Maria do Cambucá, São Vicente Férrer, Surubim, Taquaritinha do Norte, Toritama, Vertente do Lério e Vertentes.
    Local: Escola de Referência Severino Farias - Av. Severino Clemente, nº 30, Centro - Surubim - PE
    Informações e inscrições: (81) 3184 7920 e (81) 3184-7981.

    Cidades: Surubim
    Assuntos: semas, oficina participativa, peape, ciea/pe, politica ambiental
    Compartilhe: Link para o post:
  • Compesa e Celpe celebram convênio para assinatura digital de contratos

    | Meio Ambiente, Administração

    compesa celpe  

    Cerca de 32 mil páginas de papel  por ano deixarão de ser impressas pela Companhia Pernambucana de Saneamento-Compesa, graças a um convênio de assinatura eletrônica de contratos firmado entre a estatal  e a Companhia Energética de Pernambuco-Celpe apenas com os 1.100 contratos de alta tensão vigentes. Esse número aumenta se incluir as impressões de aditivos mensais ou novos acordos. Além de possibilitar uma redução significativa no uso de papel – uma postura mais adequada à política socioambiental adotada pela Compesa – com a iniciativa, a expectativa é que os trâmites relativos aos contratos entre as duas empresas ocorram com mais agilidade e segurança. O convênio foi assinado na quarta-feira (6),no bairro de Santo Amaro, Recife, pelo diretor de Gestão Corportativa, Décio Padilha e pela diretora Regional Metropolitana, Simone Albuquerque, ambos pela Compesa  e pelo superintendente de Relacionamento com Clientes  da Celpe, Luis Jorge Lira Neto.

    A Compesa é o maior cliente da Celpe. Por mês, a companhia gasta R$ 16 milhões com a conta de energia, valor que corresponde ao consumo de 40 milhões kilowatt/hora em1.600 unidades consumidoras de energia da companhia,  como as estações elevatórias de água (unidades de bombeamento) e dos grandes prédios administrativos. “Estamos abandonando  o papel para entrar na era eletrônica, que além de mais racional, também nos proporciona uma otimização do tempo e ainda oferece mais segurança”, observa o diretor de Gestão Corporativa da Compesa, Décio Padilha.

    A partir de agora, todos esses contratos serão colocados no formato digital para, posteriormente, serem disponibilizados na plataforma da Celpe. “Nós conseguimos instituir uma plataforma eletrônica para todos os nossos clientes. E agora para a Compesa, que é a nossa maior parceira, teremos esses contratos assinados de forma muito rápida. Os documentos ficarão guardados em pastas digitais específicas, melhorando a disponibilidade e também a integridade desses contratos, a um custo muito baixo, de R$ 300 por ano”, explica o superintendente da Celpe, Luis Jorge Lira Neto.

    De acordo com  Décio Padilha, a intenção  é estender o processo de assinatura eletrônica também para os  mais de 700  contratos  firmados pela Compesa, “Esse passo foi muito importante e nos apresentou uma grande oportunidade. Trata-se de um investimento muito pequeno para que a gente possa adotar essa mesma metodologia em outros contratos”, informou.

    Cidades: Recife
    Assuntos: seplag, celpe, compesa, assinatura digital, unidades de bombeamento
    Compartilhe: Link para o post:
  • Companhias de Saneamento do Brasil debatem responsabilidade socioambiental

    | Meio Ambiente

    ambiental

    Evento acontece até quinta-feira  no Recife  

    Nenhuma empresa pública ou privada pode fugir hoje dos valores da sustentabilidade. Baseada nessa premissa, a Compesa e a Sanepar, as companhias de saneamento de Pernambuco e do Paraná, respectivamente, decidiram promover o I Seminário de Educação e Responsabilidade Socioambiental das Empresas de Saneamento, um marco para o setor. O encontro teve início ontem (5) à noite, no Centro Administrativo Governador Eduardo Campos, no bairro de Santo Amaro, Recife, com a participação de mais de 180 representantes de 15 companhias brasileiras que têm o desafio de discutir diferentes práticas de responsabilidade social, os desafios da área e as metodologias socioambientais aplicadas nos serviços, investimentos e obras de água e esgoto no país.

    Na abertura do Seminário, o presidente da Compesa e da Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento (Aesbe), Roberto Tavares, disse que as companhias precisam discutir suas experiências de educação e responsabilidade socioambiental para que possam se tornar pauta no Congresso e colaborar para posicionar o saneamento como uma prioridade no país. “Estamos aqui numa cruzada. Precisamos nos tornar agentes ativos do saneamento nas nossas casas e nos nossos relacionamentos, falar bem das nossas ações e nos comunicar melhor, valorizando a responsabilidade social”, defendeu Tavares. “Nos últimos anos, começou a nascer um novo protagonismo no saneamento, que é realizar as obras olhando para quem vai ser beneficiado por essas ações, que é a população. Nossa intenção é sair desse debate com diretrizes nas dimensões social e ambiental para o setor”, observa o diretor de Articulação e Meio Ambiente da Compesa, Aldo Santos.
     
    A sustentabilidade tornou-se uma vantagem competitiva de mercado, garantindo a redução de riscos operacionais e custos de financiamentos, por exemplo, como apresentou o  jornalista Ricardo Voltolini, diretor-presidente da consultoria Ideia Sustentável e criador da Plataforma Liderança Sustentável, durante sua palestra “Cenários e Tendências da Gestão de Sustentabilidade nas Empresas”. “A empresa precisa olhar para a sustentabilidade a partir dos próprios impactos negativos de suas atividades, buscando reduzi-los, compensá-los ou eliminá-los completamente”, esclarece Voltolini, lembrando que hoje, para se tomar empréstimos com bancos, como o BNDES, são exigidas contrapartidas socioambientais.
     
    Amanhã (6), a programação do Seminário conta com palestras do ambientalista e  consultor em mobilização social e arte educação do Programa COM+Água do Ministério das Cidades,  Rodolfo Cascão, e da socióloga Andréa Santini Henriques, pesquisadora da Diretoria de Avaliação da Conformidade do Inmetro – e gestora do Programa Brasileiro de Certificação em Responsabilidade Social. O presidente da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária (Abes), o engenheiro Roberval Tavares, atual Superintendente da Sabesp, vai apresentar a experiência com soluções de saneamento em áreas de alta vulnerabilidade social na Região Metropolitana de São Paulo. O evento será encerrado na quinta-feira (7) com a elaboração da Carta da Responsabilidade Social no contexto da política do saneamento.

    Cidades: Recife
    Assuntos: seplag, compesa, aesbe, sustentabilidade, socieambiental
    Compartilhe: Link para o post: