meteorologia

Bacias Hidrográficas

Obra em todo lugar

Veja o que o Governo de Pernambuco está fazendo na sua região.

Blog de notícias

  • Cooperação entre Governo e Ministério garante R$ 1 milhão para fortalecer gestão da APA de Guadalupe

    | Meio Ambiente

    apa

    O Governo de Pernambuco, por meio da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade - SEMAS e da Agência CPRH, firmou Acordo de Cooperação com o Fundo Brasileiro para a Biodiversidade - FUNBIO, por intermédio do Ministério do Meio Ambiente, para implementar o Projeto Áreas Marinhas e Costeiras Protegidas - GEF- Mar, do Governo Federal, que tem como objetivo promover a conservação da biodiversidade marinha e costeira. A formalização do acordo foi publicada no Diário Oficial do Estado de hoje (26/01) e terá vigência de quatro anos, garantindo um investimento de R$  R$ 1.050.000,00 (um milhão e cinquenta mil reais) proveniente do Fundo Global para o Meio Ambiente, do Banco Mundial, voltado para ações de fortalecimento da gestão da Área de Proteção Ambiental (APA) de Guadalupe, UC estadual com 44.799 hectares, localizada no litoral sul do estado.

    Para o secretário em exercício de Meio Ambiente e Sustentabilidade Carlos André Cavalcanti, os recursos do Projeto GEF-Mar voltados para a APA de Guadalupe são fundamentais para que Pernambuco e o Brasil possam cumprir a Convenção sobre Diversidade Biológica – CDB, especialmente nas ações de proteção e conservação da biodiversidade marinha e costeira. É através do apoio às comunidades envolvidas e no engajamento do conselho gestor da UC, que é possível aprimorar a gestão ambiental”, ressaltou.

    De acordo com o plano de trabalho aprovado, o Projeto GEF-Mar garantirá a aquisição de bens e contratação de serviços e obras para a APA de Guadalupe. Além disso, proporcionará ações de apoio aos sistemas produtivos sustentáveis, como a elaboração de diagnóstico e implantação de Arranjos Produtivos Locais (APL´s) no Assentamento Rural Amaraji, no município de Rio Formoso, beneficiando cerca de 455 pessoas da comunidade. Estão previstas ainda atividades para sensibilização e mobilização dos atores locais envolvidos nos APL´s selecionados.

    De acordo com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), os Arranjos Produtivos Locais ou APLs, “possibilitam dinâmicas de empoderamento e afirmação local e representam um importante instrumento estratégico para o aumento da competitividade, incremento da atividade empreendedora, geração de sustentabilidade e inclusão dos micro e pequenos negócios (ou produtores) nas políticas de desenvolvimento do Brasil”.

    A comunidade Amaraji é formada por 91 famílias do assentamento da reforma agrária reconhecido pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) em 1997 e está inserida na região da APA que abrange também os municípios de Tamandaré, Sirinhaém e Barreiros. Para a seleção dos arranjos produtivos, deverá ser realizado na comunidade um diagnóstico participativo que permita aos produtores locais indicarem, entre as atividades já realizadas pelos agricultores familiares, como a agroecologia, a cultura orgânica de hortaliças e a apicultura, qual delas deverá ser transformada em arranjo e contemplada com a elaboração de um plano de negócio.

    Outra importante ação prevista no projeto que visa à conservação dos ambientes marinho costeiro da UC estadual é a mobilização dos atores locais envolvidos com os APL´s. A ideia é promover a sensibilização da população, visando a melhoria da qualidade de vida da comunidade e a proteção dos ecossistemas.

    O presidente da CPRH, Eduardo Elvino, ressaltou que o acordo de cooperação com o MMA é mais uma ação importante do Governo de Pernambuco no âmbito das questões ambientais, com o fortalecimento das Unidades de Conservação do Estado. “O investimento ganho com o projeto GEF-Mar vai nesse caminho, da necessária conservação e do uso sustentável de nossa biodiversidade”.

    A implantação do GEF-Mar na UC estadual será supervisionado pelo Ministério do Meio Ambiente e pelo Fundo Brasileiro para a Biodiversidade - FUNBIO,  responsável pela execução financeira, com o apoio a Secretaria Estadual de Meio Ambiente, que podem propor adequações e melhorias contínuas nos arranjos produtivos.

    Saiba mais sobre a APA de Guadalupe: A APA de Guadalupe foi criada pelo Decreto Estadual n° 19.635, de 13 de março de 1997 e abrange os municípios de Sirinhaém, Rio Formoso, Tamandaré e Barreiros. Está inserida na mesorregião da Mata Pernambucana, na Zona Costeira. Possui uma área total continental e marinha de 44.255 hectares e tem como objetivos proteger e conservar os sistemas naturais essenciais à biodiversidade, especialmente os recursos hídricos, visando a melhoria da qualidade de vida da população local, a proteção dos ecossistemas e o desenvolvimento sustentável. A APA teve o seu Plano de Manejo aprovado no final de 2017 pelo Conselho Estadual de Meio Ambiente de Pernambuco (Consema/PE). O documento estabelece o zoneamento e as normas de uso, bem como o uso dos recursos naturais da UC, de acordo com os seus objetivos principais.

    Cidades: Barreiros, Rio Formoso, Sirinhaém, Tamandaré
    Assuntos: governo de pernambuco, semas, cprh, doe, apa de guadalupe
    Compartilhe: Link para o post:
  • Filhote de jaguatirica resgatado no Agreste recebe cuidados no Cetas

    | Meio Ambiente

    Felino foi encontrado por moradores de uma comunidade quilombola em Águas Belas. Bombeiros ajudaram o resgate

    Um filhote de jaguatirica (Leopardus pardalis), com entre dois a três meses, é o mais novo animal silvestre a receber cuidados do Centro de Triagem de Animais Silvestres de Pernambuco (Cetas Tangara), da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH). Ele chegou ao Cetas na noite da quarta-feira (24), dois dias após ser encontrado, sozinho, por moradores de uma comunidade quilombola do município de Águas Belas, no Agreste Meridional.

    Fêmea, o filhote apresenta sinais de trauma na pata esquerda e ainda está sendo avaliado por veterinários do Cetas. Em Águas Belas, ele foi encontrado sozinho, como se estivesse perdido. Não se sabe se terminou se afastando da mãe ou se esta morreu, vítima de caçadores. Decididos a salvar o filhote, moradores procuraram a unidade de Garanhuns da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), que, por sua vez, informou à CPRH e ao Grupamento de Bombeiros. Foi aberto, assim, o caminho para dar o destino certo ao felino.

    No início da tarde da quarta (24), a pequena jaguatirica foi levada por integrantes do 6º GB (Grupamento de Bombeiros) de Águas Belas para a sede da Unidade Integrada de Gestão Ambiental (Uiga-Garanhuns), braço da CPRH no Agreste Meridional. No mesmo dia, a equipe da Uiga levou o animal ao Cetas Tangara, no Bairro da Guabiraba, Zona Norte do Recife, onde ficará até apresentar as condições ideais para a soltura – provavelmente na fase adulta.

    Uma espécie de gato-do-mato, a jaguatirica é o terceiro maior felino presente na América, depois da onça-pintada e da onça-parda (suçuarana), podendo chegar a 1,35 metro e a pesar 16kg quando adulto. Já esteve na lista nacional de animais com risco de extinção.

    Cidades: Recife
    Assuntos: semas, cprh, cetas tangara, jaguatirica
    Compartilhe: Link para o post:
  • Secretário Nacional de Saneamento acompanha processo de financiamento para obras em Pernambuco

    | Saúde, Meio Ambiente

    Henrique Pires foi recebido pelo presidente da Compesa, Roberto Tavares, na sede da companhia

    O secretário Nacional de Saneamento, do Ministério das Cidades, Henrique Pires, fez na manhã desta quarta-feira (24) uma visita ao presidente da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), Roberto Tavares, na sede da empresa, no bairro de Santo Amaro. O secretário veio ao Recife para acompanhar o andamento dos contratos de financiamento para dez obras de saneamento firmados no dia 29 de dezembro do ano passado, em Brasília, que beneficiarão ao todo 18 municípios pernambucanos, recursos captados diretamente pela Compesa na seleção da Instrução Normativa 14, no valor de R$ 384 milhões. Durante o encontro, Henrique Pires demonstrou satisfação pela celeridade do governo Paulo Câmara para iniciar os processos de licitação de algumas obras, com recursos da Caixa Econômica Federal/FGTS. O secretário Nacional de Saneamento também garantiu a Tavares que irá se empenhar para destravar os recursos para obras de saneamento vinculados ao Ministério das Cidades.

    O presidente da Compesa, Roberto Tavares, explicou ao secretário que dois desses projetos já estão com licitações em andamento, para a escolha das empresas que executarão as obras: a Adutora do Alto Capibaribe e a adutora Caetés-Capoeiras. ”Cumpriremos a meta colocada pelo governador Paulo Câmara de iniciar as obras nos próximos 90 dias”, informou Tavares.

    No detalhamento da Adutora do Alto Capibaribe para o secretário Henrique Pires, o presidente da Compesa ressaltou que a obra é alternativa encontrada pelo Governo de Pernambuco para acelerar a chegada da água da Transposição do Rio São Francisco em nove cidades da região do Agreste Setentrional, que apresentam situação crítica de abastecimento decorrente dos sete anos consecutivos de seca: Santa Cruz do Capibaribe, Toritama, Jataúba, Taquaritinga do Norte, Vertentes, Frei Miguelinho, Santa Maria do Cambucá e Vertente do Lério, além do Distrito de São Domingos, pertencente à Brejo da Madre de Deus.

    Cidades: Frei Miguelinho, Jataúba, Santa Cruz do Capibaribe, Taquaritinga do Norte, Toritama, Vertentes
    Assuntos: seplag, compesa, ministerio das cidades, roberto tavares, paulo camara, governo de pernambuco, adutora do alto capibaribe, adutora caetes-capoeiras
    Compartilhe: Link para o post:
  • Campanha estimula entrega voluntária de animais silvestres em Porto de Galinhas

    | Meio Ambiente

    Iniciativa será realizada nesta quinta (25), na Colônia de Pescadores, numa parceria da CPRH com a Prefeitura de Ipojuca

    Um dos destinos mais procurados por turistas durante as férias, a praia de Porto de Galinhas, no município de Ipojuca, receberá nesta quinta-feira (25), das 9h às 16h, uma campanha de entrega voluntária de animais silvestres. O evento será realizado na Colônia de Pescadores, na Rua Esperança, nº 129, e faz parte de um projeto contínuo da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), desta vez em parceria com a Prefeitura de Ipojuca, por meio de sua Secretaria de Meio Ambiente e Controle Urbano. O objetivo é conscientizar sobre a importância da preservação das espécies e alertar que animais silvestres devem viver em seus habitats naturais.

    De acordo com a gerente de Educação Ambiental em exercício da CPRH, Taíza Nascimento, a criação ilegal de animais silvestres muitas vezes acontece por falta de informação dos próprios criadores. “As pessoas que entregam os animais de forma voluntária ficam isentas de multas e sanções criminais e, em troca, contribuem com a manutenção da biodiversidade do Estado”, destacou.

    Após o recolhimento, os animais serão direcionados para o Centro de Triagem de Animais Silvestres de Pernambuco (Cetas Tangara), unidade da CPRH que fica na Zona Norte do Recife. Lá, eles passarão por análise de biólogos e veterinários e, se necessário, receberão os cuidados necessários para depois serem reinseridos na natureza.

    As entregas voluntárias também podem ser feitas na própria sede da CPRH, situada na Rua Santana, 367, no bairro de Casa Forte, das 8h às 12h e das 13h às 15h30, de segunda a sexta, ou no Cetas Tangara, na Estrada de Mumbeca, no Bairro da Guabiraba, todos os dias (inclusive domingos e feriados), das 7h às 17h.

    Também esta semana, a CPRH promove, em Porto de Galinhas, a exposição “Animais Silvestres: Eles Precisam de Nós”, com registros fotográficos de animais silvestres que receberam tratamento no Cetas. A mostra foi aberta na terça (23) e pode ser visitada até o domingo (28), das 8h às 14h, na Praça do Relógio.

    Cidades: Ipojuca , Recife
    Assuntos: cprh, cetas tangara, animais silvestres, semas
    Compartilhe: Link para o post:
  • Parque de Dois Irmãos realiza o Zoo Comunidade

    | Meio Ambiente

    Com o objetivo de mostrar a importância da preservação ambiental e aproximar crianças e jovens da Comunidade de Sítio dos Macacos, o Parque Estadual de Dois Irmãos (PEDI) realiza de 29 de janeiro a 02 de fevereiro o Zoo Comunidade. A proposta é aproveitar o mês de férias da criançada e realizar uma série de atividades para que eles conheçam a rotina dos profissionais, como veterinários, biólogos, zootecnistas, engenheiros florestais, além de aprender muito sobre como vivem e se comportam as espécies sob cuidados humanos no Parque Estadual de Dois Irmãos. 

    As atividades programadas são as mesmas elaboradas para o Zoo Férias, realizado do dia 15 até o dia 26 de janeiro O público-alvo são crianças de 4 a 10 anos, que moram na comunidade que fica nos arredores do Parque, para aproveitarem as férias e aprenderem dicas de educação ambiental e preservação da natureza.

    Para o gerente do Parque de Dois Irmãos, Walter Blossey, “é uma oportunidade especial para essas crianças começarem a aprender noções de educação ambiental e sustentabilidade, além de estarem em contato com a natureza. É através delas que vamos garantir a preservação da mata”, ressalta o gerente.

    Entre as atividades programadas estão: oficinas sobre abelhas-sem-ferrão, com a participação do secretário da associação nordestina dos criadores de abelhas-sem-ferrão e aulas práticas na sementeira do Parque; miniengenheiro florestal, onde os pequenos vão aprender sobre as espécies vegetais, nativas e exóticas, encontradas no fragmento da Mata Atlâtica do Parque; minizootecnista, onde as crianças vão observar e ajudar a preparar as refeições dos animais, diferenciando os detalhes da alimentação para as diferentes espécies, entre carnívoros, frugívoros, onívoros e herbívoros.

    Haverá também o miniveterinário, onde as crianças vão acompanhar o atendimento de animais em tratamento, uma oportunidade de conhecer o trabalho dos médicos-veterinários e tirar dúvidas. “As atividades ajudam a integrar as crianças com o Parque e as ações programadas vão ajudar a transformá-los em defensores do meio ambiente”, informa a bióloga e coordenadora de educação ambiental do Pedi, Marcela Belém.

    Outra atividade que promete muitas curiosidades é o Zoo Noturno, um passeio realizado a partir das 18h, para observar os animais de hábitos noturnos. Nessa atividade os pais são indispensáveis. O Zoo Comunidade será realizado gratuitamente para as crianças dos arredores do Parque.

    O Secretário Interino de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Carlos André Cavalcanti, afirma que é através da educação que podemos garantir a preservação dessa área tão importante de Mata Atlântica. “Para proteger algo é necessário antes conhecer, e, é exatamente isto que nós estamos construindo com o Zoo Comunidade; trazemos as crianças para dentro do Parque e oferecemos conhecimento aplicado e garantimos vivências práticas com a realidade daquela natureza silvestre“ disse Carlos André Cavalcanti.

    Triplicação da área do PEDI – No dia 4 de dezembro de 2017, o governador Paulo Câmara assinou, em solenidade no Palácio do Campo das Princesas, as escrituras de aquisição e regularização de 774,09 hectares do terreno denominado Fazenda Brejo dos Macacos, localizado na Zona Norte do Recife. A medida objetiva ampliar a extensão do Parque Estadual Dois Irmãos (PEDI), que passa ao triplo do tamanho a partir da integração com a área adquirida e a modernização com a implantação do conceito Bioparque no Zoológico. Além disso, será implantada uma unidade de Conservação Ambiental no local. O total investido foi de R$ 26,8 milhões.

    Cidades: Recife
    Assuntos: semas, parque dois irmaos, zoo comunidade, paulo camara
    Compartilhe: Link para o post:
  • Quase 300 guaiamuns e caranguejos de volta ao manguezal

    | Meio Ambiente

    crustáceos  

    Crustáceos apreendidos pela Cipoma no domingo (21), em Aldeia, foram devolvidos à natureza nesta terça (23) pela CPRH

    Uma equipe da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) realizou nesta terça-feira (23), em áreas de mangue do município de Itamaracá, na Região Metropolitana, a soltura de guaiamuns e caranguejos que foram apreendidos no domingo (21), em Aldeia, durante ação de combate a crimes ambientais da Cipoma (Polícia Militar). Em período de defeso, e com muitas fêmeas e filhotes (carapaça inferior a 6 cm), os crustáceos estavam sendo comercializados por um homem que conseguiu fugir pela mata.

    O guaiamum está na lista dos animais marinhos em risco de extinção no Brasil e terá a captura proibida a partir de 30 de abril deste ano, conforme portaria do Ministério do Meio Ambiente. Junto com os caranguejos, todos os apreendidos no domingo foram encaminhados ao Centro de Triagem de Animais Silvestres de Pernambuco (Cetas Tangara), da CPRH, na Zona Norte do Recife, onde foram alimentados. Na manhã desta segunda (23), acomodados em várias gaiolas, foram levados de volta ao habitat natural.

    Os caranguejos foram soltos em um ponto de mangue do pontal de Itamaracá, onde foram vistos locas habitadas pela espécie. Dos 112, cinco não resistiram e terminaram morrendo. Dos 187 guaiamuns (sendo 84 fêmeas), sete morreram e 180  foram soltos em três pontos distintos, igualmente com locas habitadas pela espécie. Também no fim de semana, agentes da Cipoma apreenderam 298 aves de diversas espécies na feira livre do Cabo de Santo Agostinho. Os pássaros estão em tratamento no Cetras Tangara e ainda não têm previsão de soltura.

    Cidades: Camaragibe
    Assuntos: semas, cprh, cipoma, cetas tangara, devoluçao
    Compartilhe: Link para o post:
  • CPRH articula parceria em programa estratégico da ABIN

    | Meio Ambiente

    programa proteção ambiental  

    Programa foca na proteção e salvaguarda dos chamados conhecimentos sensíveis, de interesse da sociedade e do País

    Por meio de uma parceria estratégia, a Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) pretende contar, em breve, com um importante instrumento preventivo para a proteção e salvaguarda de informações vitais para o bom andamento de suas ações, como, por exemplo, as de combate a crimes ambientais no Estado: o Programa Nacional de Proteção e Conhecimento Sensível (PNPC), instituído pela Agência Brasileira de Inteligência (ABIN). As tratativas para isso foram iniciadas pelos dois órgãos.

    Conforme a definição explicativa publicada no site da ABIN, extraída de portaria do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, “Conhecimento Sensível é todo conhecimento, sigiloso ou estratégico, cujo acesso não autorizado pode comprometer a consecução dos objetivos nacionais e resultar em prejuízos ao país, necessitando de medidas especiais de proteção”.

    Com o PNPC, instituído em 2009, o órgão de inteligência vem estabelecendo, junto a instituições públicas e privadas, a cultura de proteção dos conhecimentos sensíveis nacionais. O programa é desenvolvidos por meio dessas parcerias, tendo entre os objetivos principais – além de conscientizar sobre possíveis ameaças de acessos indesejados a informações sigilosas – fomentar a cultura de proteção e apresentar medidas que garantam uma maior salvaguarda.

    A parceria entre os dois órgãos foi discutida numa reunião do diretor de Recursos Florestais e Biodiversidade da  CPRH, Walber Santana, com o superintendente da ABIN em Pernambuco, Edilmar Costa de Melo.

    Assuntos: semas, cprh, pnpc, abin, programa de proteçao
    Compartilhe: Link para o post:
  • Aves, guaiamuns e caranguejos apreendidos pela Cipoma recebem cuidados no Cetas

    | Meio Ambiente

     resgate de animais

    CPRH promove a soltura de 243 aves no Sertão e recebe outras 298, além de 299 crustáceos que seriam comercializados ilegalmente

    Na primeira ação de soltura do ano, a Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) devolveu à natureza, na manhã desta segunda-feira (22), em área de mata do Araripe, 243 aves comumente encontradas no Sertão, que passaram por tratamento e/ou reabilitação no Centro de Triagem de Animais Silvestres de Pernambuco (Cetas Tangara). Ao mesmo tempo, recebeu outras 298 aves, 187 guaiamuns e 112 caranguejos, apreendidos no fim de semana no Cabo de Santo Agostinho e em Aldeia, Camaragibe.

    As aves soltas no Araripe, em área do município de Exu, foram apreendidas em ações da 1ª Companhia Independente de Policiamento do Meio Ambiente (Cipoma) em 2017. Passaram um período no Cetas Tangara, unidade da CPRH no Bairro da Guabiraba, no Recife, antes do retorno ao habitat natural. O grupo reuniu, entre outros, 54 canários-da-terra, 44 galos de campina, 44 papa-capins e 28 ticos-ticos, agora livres em área de soltura monitorada pelo órgão ambiental.

    Também foram em ações da Cipoma contra o tráfico e outros crimes ambientais, realizadas no fim de semana, que novos animais silvestres foram apreendidos e encaminhados para avaliação e tratamento no Cetas. No sábado (20), na Operação Feira Limpa, junto com agentes municipais, os policiais militares apreenderam 298 pássaros na feira livre do Cabo de Santo Agostinho, de espécies diversas: canários, patativas, galos de campina, caboclinhos, curiós, sanhaçus etc. Quatros pessoas foram conduzidas à delegacia local, onde foi registrada a ocorrência.

    Já no domingo (21), os 187 guaiamuns (sendo 84 fêmeas) e os 112 caranguejos foram apreendidos no km 7 da Estrada de Aldeia, próximo à entrada da Escola Internacional de Aldeia, em Camaragibe. Os crustáceos estavam sendo comercializados durante o período de defeso, o que configura crime ambiental, sem contar que havia muitas fêmeas e filhotes (carapaça inferior a 6 cm) no grupo.

    O guaiamum corre risco de extinção e terá a captura proibida a partir de 30 de abril deste ano, de acordo com portaria do Ministério do Meio Ambiente. Conforme a Cipoma, o homem que tentava comercializar os crustáceos fugiu pela mata, não sendo encontrado. Os guaiamuns e caranguejos deverão ser soltos em área de mangue nesta terça (23).

    Cidades: Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe
    Assuntos: semas, cprh, cipoma, cetas tangara
    Compartilhe: Link para o post:
  • Porto de Galinhas recebe exposição fotográfica sobre animais silvestres

    | Meio Ambiente

    animais silvestres 

    Mostra será aberta terça (23), numa parceria da CPRH com a Prefeitura de Ipojuca que busca chamar a atenção sobre a realidade da fauna local

    Moradores e visitantes da praia de Porto de Galinhas poderão visitar, a partir desta terça (23) e até o domingo (28), a exposição fotográfica itinerante “Animais Silvestres: Eles Precisam de Nós”. A mostra, promovida em parceria da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) com a Prefeitura de Ipojuca, por meio da Secretaria de Meio Ambiente e Controle Urbano, terá espaço na Praça do Relógio, podendo ser visitada das 8h às 14h.

    A exposição reúne registros fotográficos de animais silvestres que receberam (ou ainda recebem) tratamento no Centro de Triagem de Animais Silvestres de Pernambuco (Cetas Tangara), unidade da CPRH que funciona no Bairro da Guabiraba, no Recife, alguns deles vítimas do tráfico e de maus-tratos. Seu objetivo é sensibilizar a população para que possa conhecer a realidade da fauna e dos diferentes modos de vida dos animais, além de tomar conhecimento sobre como e a qual órgão recorrer em caso de denúncias. 

    Lançada inicialmente na Semana da Fauna de 2017, no Plaza Shopping, em Casa Forte, a exposição é itinerante e, este ano, já esteve no município de Sirinhaém (Shopping Sirinhaém), também numa parceria com a gestão municipal. Em Porto de Galinhas, durante a mostra, a CPRH promoverá uma campanha de entrega voluntária de animais silvestres, que será realizada na quinta (25), das 9h às 16h, na Colônia de Pescadores local, na Rua da Esperança, 129.

    Ao longo de 2017, o Cetas Tangará acolheu um total de 9.153 animais silvestres, sendo a grande maioria (7.886) aves, muitos delas apreendidas em ações de fiscalização realizadas em parceria com a Cipoma (Polícia Militar). Já o número de solturas, em áreas e mata monitoradas pelo órgão ambiental, foi de 5.454.

    Cidades: Ipojuca
    Assuntos: semas, cprh, exposiçao fotografica, animais silvestres
    Compartilhe: Link para o post:
  • Curso forma Agentes Populares em Educação Ambiental para a APA de Santa Cruz

    | Meio Ambiente

    Formação é uma parceria da CPRH com o Cepan e, após a conclusão, os 50 participantes vão desenvolver ações na Área de Proteção Ambiental  

    Depois da Área de Proteção Ambiental (APA) de Guadalupe, na Mata Sul, e do Parque Estadual Mata da Pimenteira, em Serra Talhada, Sertão do Pajeú, é a vez da APA de Santa Cruz, na Região Metropolitana Norte de Pernambuco, iniciar um curso de Formação de Agentes Populares em Educação Ambiental. Com 50 participantes, em duas turmas, o curso foi iniciado nesta segunda (15) e prossegue até a sexta-feira (19).

    A formação é promovida pela Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) em parceria com o Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste (Cepan), dentro dos programas voltados para o desenvolvimento de atividades de Educação Ambiental nas Unidades de Conservação (UCs) do Estado. A iniciativa é tocada com recursos da compensação ambiental.

    Com foco na formação, a primeira etapa do curso vai até a sexta (19), com aulas pela manhã e à tarde, na Escola de Referência em Ensino Médio (EREM) Professor Eurídice Cadaval, em Itapissuma. Foram selecionados 50 atores sociais da sociedade civil e do poder público que possuem envolvimento com atividades e projetos inseridos na APA. Entre eles, agricultores, pescadores, gestores, professores e estudantes das redes municipais de Itapissuma, Itamaracá e Goiana, municípios com territórios na APA.                

    Entre os temas contemplados na formação, estão: Conservação da Biodiversidade e Serviços Ambientais, Geotecnologias Aplicadas a Conservação, Invasões Biológicas, Legislação Ambiental, Ética e Resolução de Conflitos e Educação Ambiental. Posteriormente, numa segunda etapa ainda a ser agendada, os participantes vão elaborar projetos de intervenção (EA) que serão desenvolvidos na APA.

    Cidades: Goiana, Itamaracá , Itapissuma
    Assuntos: semas, cprh, cepan, apa de santa cruz, curso de formaçao, educaçao ambiental
    Compartilhe: Link para o post: