meteorologia

Bacias Hidrográficas

Obra em todo lugar

Veja o que o Governo de Pernambuco está fazendo na sua região.

Blog de notícias

  • Fernando de Noronha terá separação de resíduos sólidos

    | Meio Ambiente

    Coleta seletiva


    Iniciativa aprovada pela Fundação Banco do Brasil visa desenvolvimento sustentável da ilha

    O projeto da Administração de Fernando de Noronha na área de Meio Ambiente denominado “Jogue Limpo com Noronha – Coleta Seletiva e Compostagem” foi aprovado pela Fundação Banco do Brasil. A iniciativa tem como objetivo estimular a separação e destinação dos resíduos sólidos pela população para um local ambientalmente adequado, além de estabelecer o desenvolvimento sustentável do arquipélago.

    O projeto teve o valor aprovado em R$ 247 mil, recurso que ainda será repassado pela instituição, para a instalação de pontos de entrega voluntária (PEVs) para papel, plástico, vidro, metal e óleo de cozinha, além da distribuição de kits de compostagem para os restaurantes e pousadas.

    Também será distribuído material educativo para a população sobre a importância da coleta seletiva e destinação dos resíduos sólidos de forma adequada. O “Jogue Limpo com Noronha” contempla três etapas distintas que consistem em sensibilização dos moradores e empresários, oficinas de compostagem e na última etapa, a construção de Pontos de Entrega Voluntárias (PEVs), onde a população vai poder separar o lixo de forma seletiva para descartar de forma ambientalmente correta.

    Atualmente, a ilha possui uma população aproximada de 4.500 habitantes, gerando uma alta demanda de resíduos por dia. A coleta seletiva na fonte, que será implementada no primeiro semestre, acontecerá em dias alternados para resíduos recicláveis e não recicláveis. Essas ações de educação ambiental são essenciais para adequação e otimização do serviço de limpeza urbana e do manejo de resíduos sólidos, para transformação da Ilha em um ambiente mais sustentável, de acordo com a política ambiental do governo de Pernambuco, como afirma o administrador da ilha, Luís Eduardo Antunes. “Foi muito importante o projeto ter sido aprovado ainda mais agora, que estamos realizando ações relevantes para conservação do meio ambiente”, comemora o gestor.

    Cidades: Fernando de Noronha
    Assuntos: fernando de noronha, coleta seletiva, meio ambiente, fundação banco do brasil, jogue limpo com noronha,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Paulo Câmara anunciou R$ 2,8 milhões em obras de infraestrutura hídrica e agricultura familiar no Sertão do Pajeú

    | Economia, Meio Ambiente, Agricultura, Administração

    Governador anuncia R$ 2,8 milhões em obras no Sertão do Pajeú

    AFOGADOS DA INGAZEIRA – Serão cinco Sistemas Simplificados de Abastecimento de Água (SSAA) inaugurados e a liberação de mais uma Ordem de Serviço, todos na região do Sertão do Pajeú. Os investimentos são da ordem de R$ 2,8 milhões e foram anunciados durante o primeiro encontro do Pernambuco em Ação, realizado nesta quinta-feira (23.03), em Afogados da Ingazeira, que tem o objetivo de dialogar com a população a fim de repactuar as metas das macrorregiões. As obras de infraestrutura hídrica trarão geração de renda e o fortalecimento da agricultura familiar.

    Para o secretário de Agricultura e Reforma Agrária (Sara), Nilton Mota, estar no Pajeú para realizar anúncios e inaugurações é motivo de alegria. O gestor da pasta destacou, ainda que as inaugurações dos sistemas de abastecimento de água são muito importantes, disponibilizam água na porta da casa dos agricultores. "Em um momento por que passamos por seis anos de estiagem, essa ação faz diferença na vida da população que mora na Zona Rural", concluiu.

    Entre os SSAA inaugurados está o da comunidade de Umbuzeiro Leitão, em Afogados da Ingazeira, que beneficiou 24 famílias que dependiam de açudes, barragens e caminhão-pipa; e a Barragem de Acumulação de Água do Sítio Esperança, em São José do Egito, proporcionando às 40 famílias atendidas a ampliação da renda familiar. Em Itapetim, foram inaugurados o SSAA Sítio Mãe d’Água, Sítio Santo Antonio de Lima e o Sítio Ambó, beneficiando, ao todo, 357 famílias do município. O chefe do Executivo estadual autorizou, ainda, a Ordem de Serviço para a implantação do SSAA Sítio Goiabeira e Canta Galo, em Itapetim. O investimento de R$ 575.457,12 vai atender aproximadamente 70 famílias.

    PPAs - Na ocasião, Paulo Câmara assinou ainda a autorização do início de distribuição de leite e alimentos por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA Alimentos) e do Programa Leite de Todos (PAA Leite). Os programas geram renda para os produtores de alimentos e leite de base familiar. Para o PAA Alimentos, serão investidos R$ 1.680.000,00 para a aquisição de 672 mil quilos de alimentos, beneficiando 16.800 moradores do Pajeú. Já o PAA Leite recebeu um investimento R$ 5.834.926,5 para a distribuição de 2.222.850 litros de leite ao longo de 2017, melhorando a vida de 6.175 famílias.

    Ambos os programas atenderão os municípios de Afogados da Ingazeira, Calumbi, Carnaíba, Iguaracy, Ingazeira, Itapetim, Quixaba, Santa Terezinha, São José do Egito, Solidão, Tabira, Triunfo e Tuparetama. Além desses, o PAA Leite também contemplará as cidades de Brejinho, Flores, Santa Cruz da Baixa Verde e Serra Talhada.

    Sementes - Ainda no âmbito da agricultura familiar, o chefe do Executivo estadual deu início à execução do Programa de Distribuição de Sementes, com a entrega de 128 mil quilos de sementes de milho para os municípios de Afogados da Ingazeira, Brejinho, Carnaíba, Flores, Iguaracy, Ingazeira, Itapetim, Quixaba, São José do Egito, Santa Terezinha, Solidão, Tabira e Tuparetama. O Programa recebeu um investimento de R$ 416 mil e beneficiará 12.800 agricultores familiares.

    ADAGRO –  Também foram entregues certificados de estabelecimento registrado na Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco (Adagro) para o Entreposto de Pescados de Afogados da Ingazeira da Cooperativa para o Desenvolvimento da Apicultura do Nordeste (COODAPIS) e o certificado de regulamentação do Entreposto de Laticínio do município de Itapetim.

    No total, 150 agricultores do  município de Carnaíba receberam certificados de conclusão  e a outros 150 da cidade de Triunfo certificados pela participação no Projeto Implantação de Módulos de Manejo Sustentável de Agrobiodiversidade para o Combate à Desertificação no Semiárido Pernambucano. O projeto faz parte do Programa Caatinga Sustentável, uma parceria entre o Governo Federal, por meio do Fundo Nacional de Mudanças Climáticas (FNMC), e o Governo de Pernambuco.

    Estiveram presentes secretários de Estado; os deputados estaduais Isaltino Nascimento (líder do Governo), Rogério Leão, Waldemar Borges, Laura Gomes, Lucas Ramos, Ricardo Costa, Diogo Moraes e Rodrigo Novaes; e os deputados federais Kaio Maniçoba, João Fernando Coutinho, Fernando Monteiro e Gonzaga Patriota.

    Foto: Aluísio Moreira/SEI

    Cidades: Afogados da Ingazeira, Brejinho, Calumbi, Carnaíba, Flores, Iguaracy, Ingazeira, Itapetim, Quixaba, Santa Cruz da Baixa Verde, Santa Terezinha, Serra Talhada, Solidão, São José do Egito, Tabira, Triunfo, Tuparetama
    Assuntos: Paulo Câmara, Pernambuco em Ação, Governo de Pernambuco, Infraestrutura Hídrica, Agricultura Familiar, Adagro, Sara
    Compartilhe: Link para o post:
  • No Dia Mundial da Água, Arena de Pernambuco é referência em termos de sustentabilidade

    | Meio Ambiente

    ARena de PE

    A preocupação com os recursos hídricos é uma das marcas registradas da Arena de Pernambuco. O empreendimento conta com sistemas modernos de aproveitamento de água da chuva, reaproveitamento de água da drenagem do gramado e reuso de esgoto tratado. Em uma data tão importante quanto o Dia Mundial da Água, a Arena de Pernambuco ratifica uma preocupação constante com este fator.

    Objetivando sempre o uso consciente da água, a Arena de Pernambuco possui uma estrutura eficiente para que o máximo possível deste bem seja reaproveitado. A água da chuva é coletada por calhas localizadas na cobertura e fechamento lateral da Arena, sendo utilizada nos banheiros e na irrigação do gramado.

    Após seu uso na irrigação do gramado, a água segue sendo reutilizada. A mesma passa por tratamento, que consiste em peneiramento e filtração para remoção dos sólidos em suspensão. Após isso, a água está apta novamente para nova irrigação no gramado, em um processo que se denomina “ciclo fechado”. Então determinada quantidade de água coletada da chuva é utilizada várias vezes, acarretando assim em economia e uso consciente deste bem tão importante.

    Já o reuso do esgoto gerado pelos vestiários é encaminhado para uma Estação de Tratamento de Efluentes, onde passa por um tratamento biológico e cloração no final, sendo também reutilizado posteriormente no gramado e nos mictórios e bacias sanitárias dos banheiros. Essas ações chegam a consumir aproximadamente 600m³ de água, gerando uma economia de até 70% no uso de água potável.

    "O uso consciente de água é um dos pontos fundamentais que fizeram a Arena de Pernambuco obter o selo LEED, emitido pelo Green Building Council, às construções e empreendimentos sustentáveis", explica o Secretário de Turismo, Esportes e Lazer, Felipe Carreras”. Este é o selo de maior reconhecimento internacional em termos de certificação ambiental e atesta que as obras executadas e a operação da Arena de Pernambuco foram e são realizadas em alinhamento com os princípios do desenvolvimento sustentável.

    Assuntos: arena de pernambuco, dia mundial da água, sustentabilidade,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Suape oferece 120 vagas para cursos gratuitos de educação ambiental

    | Educação, Meio Ambiente

     Suape

    O Projeto de Pedagogia Ambiental de Suape abriu inscrições para cursos gratuitos nesta sexta-feira (17). Ao todo, estão sendo oferecidas 120 vagas, com turmas de 30 alunos, nas seguintes capacitações: Curso Livre de Educação Ambiental; Curso de Pedagogia Ambiental; Curso de Gestão de Resíduos Sólidos - A experiência de Suape; e o Curso Nascentes - Educação ambiental para conservação dos nascer das águas. As inscrições duram até o preenchimento de todas as vagas e as aulas começam no dia 22 de março. Podem se inscrever participantes com mais de 16 anos e com formação mínima a partir do Ensino Médio.

    As inscrições podem ser feitas diretamente no site do Complexo Portuário de Suape (MailScanner warning: numerical links are often malicious: http://10.10.10.50/pea/view/index.php). Alguns dos cursos ofertados serão realizados com base nas ações realizadas pela Empresa Suape na região. Algumas delas, inclusive, ajudaram a elevar a colocação de Suape para o 4º lugar nacional no Índice de Desenvolvimento Ambiental – IDA, regulado pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). 

    Os cursos fazem parte do Projeto Pedagogia Ambiental, implantado na empresa desde 2010, promovido pela Coordenadoria de Educação Ambiental e Responsabilidade Socioambiental do Complexo de Suape. Cada aluno receberá um certificado de 40 horas, além de material didático, camisa do Projeto, alimentação (almoço e lanche) e transporte com saída do centro do Cabo de Santo Agostinho e do centro de Ipojuca.

    As aulas das novas turmas começam no fim de março de 2017. As aulas teóricas serão ministradas no Centro de Treinamento do Completo Industrial Portuário de Suape e as aulas práticas na Zona de Preservação Ecológica de Suape (ZPEc), uma vez que dos 13,5 mil hectares do Complexo Industrial Portuário, 59% são dedicados à área de preservação.

    “O Complexo de Suape vem disseminando o conhecimento em educação ambiental e incentivando as pessoas a desenvolverem práticas sustentáveis, seja nas comunidades, nas escolas ou empresas. Acreditamos que com seriedade e compromisso é possível promover um modelo de crescimento econômico que colabore com a melhoria de vida da população”, pontuou o diretor de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Suape, Jorge Araújo. 

    Desde 2010, o Projeto de Pedagogia Ambiental de Suape já capacitou mais 3,3 mil pessoas nos cursos e oficinas de educação ambiental. O projeto foi vencedor das edições 2012, 2013 e 2014 do Prêmio Top Socioambiental, realizado pela ADVB-PE, na categoria Meio Ambiente. Em 2015, recebeu o Prêmio Super Top Socioambiental da mesma instituição. No cenário nacional, a Empresa Suape foi contemplada com o Prêmio Benchmarking Brasil, nas edições 2014 e 2015, pelo Instituto Mais. Suape foi o primeiro porto no País a conquistar essa certificação, concedida por especialistas de vários países.

    Serviço:

    PROGRAMA DE PEDAGOGIA AMBIENTAL DE SUAPE
    Data: Aulas a partir do dia 22/03/2017
    Horário: 7h30 às 16h30
    Local: Cetreino – Centro de Treinamento do Complexo de Suape – Rodovia PE-60, km10, Engenho Massangana (ao lado do Centro Administrativo de Suape)
    Vagas: 30 vagas (cada curso)

    Cidades: Cabo de Santo Agostinho
    Assuntos: Projeto de Pedagogia Ambiental de Suape, sdec, educação, sustentabilidade, Projeto Pedagogia Ambiental,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Seminário enfoca as competências dos entes federativos para o licenciamento ambiental

    | Meio Ambiente

     

    Um dos mais importantes instrumentos da Política Nacional do Meio Ambiente, o licenciamento ambiental pode ser de responsabilidade da União, dos estados e dos municípios, de acordo com o artigo 23 da Constituição Federal. Os critérios legais que definem a competência para o licenciamento ambiental pelos entes federativos foram apresentados pelo procurador do Estado Antônio Beltrão, na tarde desta quinta-feira (9) no auditório da Procuradoria Geral do Estado de Pernambuco (PGE-PE).

     

    O seminário atraiu um público diversificado – 69 pessoas de 19 instituições –, entre procuradores, servidores estaduais, estudantes de Direito, engenheiros e advogados da área ambiental, incluindo o ex-presidente da Agencia Estadual de Meio Ambiente (CPRH), Hélio Gurgel. Foi o segundo evento promovido pelo Centro de Estudos Jurídicos (CEJ) da PGE-PE este ano.

     

    O coordenador CEJ, Paulo Rosenblatt, agradeceu a presença do público e lembrou que, ao realizar eventos dessa natureza, a PGE-PE cumpre o objetivo de aproximar o trabalho jurídico desenvolvido na Procuradoria com o meio acadêmico e com outras secretarias. Ressaltou ainda que o CEJ está aberto a receber sugestões de temas a serem abordados.

     

    O procurador do Estado Antônio Beltrão apresentou os fundamentos constitucionais do licenciamento ambiental, segundo os quais os três entes federativos possuiriam a competência comum para realizá-lo. “No intuito de evitar uma duplicidade no licenciamento, tornando-o mais eficiente, a Lei Complementar nº 140/2011 estabeleceu, 23 anos após a Constituição, as hipóteses que definem a competência para o licenciamento ambiental pela União, estados e municípios”, explicou. Até então, os critérios de competência eram fixados na Resolução 237 do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama).

     

    “De acordo com a LC 140/2011, ressalvadas as exceções materiais, o âmbito de influência dos impactos, se nacional/regional, estadual ou local, designa a competência para o licenciamento, se federal, estadual ou municipal, respectivamente”, informou Antônio Beltrão, que é mestre em direito ambiental pela Pace University School of Law (Nova York, EUA) e pela Universidade Católica de Pernambuco (Unicap).

     

    O procurador destacou que sempre que o empreendimento proposto tiver o potencial de causar impactos em âmbito nacional ou regional, ou houver a predominância do interesse nacional, a competência para o licenciamento será federal. “O mesmo ocorre quando se tratar de empreendimento localizado em terras indígenas, ou de natureza militar ou relativo a material radioativo/energia nuclear, independentemente do âmbito de influência dos impactos”, disse.

     

    Em se tratando de unidade de conservação, o critério usado é o da dominialidade, ou seja, se a unidade de conservação foi criada pela União, competirá à União o licenciamento ambiental de empreendimentos nela localizados. “No mesmo sentido, competirá ao estado o licenciamento de empreendimento localizado em unidade de conservação estadual e, da mesma forma, competirá ao município o licenciamento de empreendimento localizado em unidade de conservação municipal”, completou.

     

    Conforme explicou o procurador, aos Estados caberá basicamente uma competência residual para o licenciamento, ou seja, de empreendimentos que não estejam abrangidos na competência da União nem dos municípios, além da competência para licenciar empreendimentos em unidades de conservação estaduais, ressalvada a hipótese de Área de Proteção Ambiental (APA). “Aos municípios, incumbirá o licenciamento de empreendimentos que causem impacto meramente local além da competência para licenciar empreendimentos em unidades de conservação municipais, ressalvada a hipótese de APA”, afirmou, citando exemplos de legislações estaduais que tratam do assunto.

     

    Participaram do evento, servidores dos seguintes órgãos: PGE-PE, CPRH, Arpe, Iterpe, Suape, Prorrural e das secretariais estaduais de Meio Ambiente, de Educação, de Administração, da Fazenda e de Defesa Social, além de integrantes do MPPE, da Justiça Federal, da Marinha, do TCE, da Procuradoria e da Controladoria Geral do Município do Recife, da Prefeitura de São Lourenço da Mata e da Bumerangue Reciclagem.


    Assuntos: licenciamento ambiental, pge-pe, Política Nacional do Meio Ambiente, Paulo Rosenblatt, Antônio Beltrão,
    Compartilhe: Link para o post:
  • No Agreste Meridional, pacote de ações estruturadoras beneficia o município de Jucati

    | Educação, Social, Emprego, Meio Ambiente, Agricultura, Direitos Humanos
    Jucati

    Além de inaugurar novo prédio escolar, governador Paulo Câmara investe mais de R$ 6 milhões na infraestrutura hídrica local e assegura intervenções para a agricultura familiar 
     
    JUCATI - Após cumprir agenda no município de Jupi, nesta sexta-feira (10.02), o governador Paulo Câmara seguiu para Jucati, também no Agreste Meridional, onde entregou um pacote de ações importantes para o desenvolvimento social e educacional da região. Na presença da população jucatiense, o chefe do Executivo estadual deu por inaugurada a nova sede da Escola de Referência em Ensino Médio (EREM) Henrique Justino de Melo, no Centro da cidade, entregou 22 títulos de propriedade aos agricultores rurais, lançou edital de licitação para Complementação do Sistema Adutor a partir da Estação de Tratamento de Água (ETA) de Garanhuns, além de liberar recursos para os Programas do Leite e de Aquisição de Alimentos.
     
    Para Paulo, esse conjunto de intervenções dialoga com os caminhos que o Governo de Pernambuco tem trilhado, buscando enfrentar os desafios. “O que a gente está trazendo aqui, hoje, na área da agricultura, da educação, da água, traça justamente esse olhar para o futuro. Um olhar de oportunidades. E todas essas ações geram empregos e renda para o povo que aqui vive. Então, é assim que eu quero continuar trabalhando, e conto com a ajuda de vocês”, afirmou.
     
    Com investimentos na ordem de R$ 2,2 milhões, o novo prédio da EREM Henrique Justino de Melo possui 12 salas de aula, sendo uma de música e uma de vídeo, além de laboratório de informática, matemática, química/biologia, biblioteca e uma quadra poliesportiva coberta. A estrutura atende 543 estudantes matriculados nas modalidades Ensino Médio integral e Educação de Jovens e Adultos (EJA).
     
    “Quando a gente investe em educação, a gente está investindo no futuro dos nossos jovens, das próximas gerações. E, assim como a água, a educação tem sido uma prioridade. Acreditamos que com uma boa estrutura, professores motivados e programas de incentivo educacional, nós vamos conseguir promover uma transformação social”, ressaltou o secretário estadual de Educação, Frederico Amâncio.
     
    Outra importante ação foi a assinatura dos termos de adesão ao Programa de Aquisição de Alimentos com Doação Simultânea (PAA Alimentos) e ao Programa de Aquisição de Alimentos (PAA Leite). O primeiro recebeu um aporte de R$ 100 mil, beneficiando cerca de 1 mil pessoas com a distribuição de 32 mil quilos de alimentos. Já o PAA Leite, vai distribuir 200 litros de leite de vaca por dia para 1 mil pessoas e contará com recursos no valor de R$ 143 mil.
     
    Na oportunidade, também foram entregues cerca de 22 título de propriedade gratuito, devidamente registrados em cartório, aos agricultores da região. Com o ato, o Governo de Pernambuco passa a garantir a segurança jurídica aos agricultores e seus familiares, além do acesso a crédito e políticas públicas que incentivam o desenvolvimento social. “O nosso objetivo é oferecer mais dignidade para a população carente”, pontuou o secretário estadual de Agricultura e Reforma Agrária, Nilton Mota.
     
    O prefeito Ednaldo Peixoto agradeceu, em nome da população, pelas intervenções no município. “Eu não esperava que, em tão pouco tempo de mandato, eu teria satisfação de receber um conjunto tão grande de ações como o que recebemos hoje. Obras que vão fazer a diferença na vida desse povo guerreiro. Jucati agradece, governador. E o senhor pode ter certeza de que pode contar conosco para fazer as parcerias necessárias”, frisou.
     
    MAIS ÁGUA - Já na área de infraestrutura hídrica, foi lançado o edital de licitação para as obras de complementação do sistema adutor, a partir da Estação de Tratamento de Água (ETA) de Garanhuns, para as localidades de São Pedro, Neves e Jucati. A intervenção contará com um investimento de R$ 6 milhões, beneficiando aproximadamente 13 mil pessoas. A obra consiste na implantação de um sistema adutor em regime de gravidade a partir da ETA Garanhuns, com 31 quilômetros (km) de extensão e diâmetro variável entre 200 e 75 mm.
     
    “Diante do agravamento da seca, diante da perspectiva de mais um ano com pouca chuva, a gente não tinha outra opção senão priorizar aquilo que a gente sabe que é fundamental”, disse governador Paulo Câmara, reafirmando seu compromisso com a área hídrica.
     
    Também foi autorizado, pelo governador, o início das obras de implantação do Sistema Simplificado de Abastecimento de Água (SSAA) no Sítio Cortume, para atender cerca de 225 pessoas da zona rural do município. Os investimentos para esta ação são de R$ 350 mil, com prazo de finalização de 90 dias. “Nós participamos de um governo que governa escutando a população. Nós sabemos dos anseios daqueles que sofrem com a estiagem, e não estamos medindo esforços para trazer soluções de curto, médio e longo prazo que atendam as necessidades existentes”, avaliou o presidente da Companhia Pernambucana de Saneamento e Água (Compesa), Roberto Tavares.

    Acompanharam Paulo durante passagem pelo município, ainda, os secretários estaduais João Campos (Chefe de Gabinete) e Sebastião Oliveira (Transporte), além do presidente do Instituto de Terras e Reforma Agrária do Estado de Pernambuco (Iterpe), Paulo Lócio; o presidente do instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), Gabriel Maciel; e os deputados Fernando Monteiro (federal), Antônio Dourado (estadual) e Claudiano Martins Filho (estadual).
     
    Fotos: Aluisio Moreira/SEI
     
    Cidades: Jucati
    Assuntos: paulo camara, jucati, educação, infraestrutura hidrica, propriedade rural, sistema adutor garanhuns, programa do leite,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Mestrado do Itep está com inscrições abertas até o dia 9 de março

    | Educação, Meio Ambiente

     

    O Instituto de Tecnologia de Pernambuco (Itep) prorrogou até o dia 9 de março as inscrições para a turma 2017.1 do Mestrado em Tecnologia Ambiental. O curso é voltado a profissionais graduados nas áreas das Engenharias, Arquitetura, Geografia, Química e Biologia, preferencialmente com experiência nas áreas de Tecnologia Ambiental e/ou Ciências Ambientais (especialização, estágios de longa duração, cursos de extensão etc.). O edital e mais informações estão disponíveis no site do Itep (www.itep.br ).

    Com aulas no período noturno (19h às 22h) durante duas semanas consecutivas de cada mês (2ª e 3ª) e aos sábados (8h às 17h), o Mestrado Profissional é ideal para quem busca conciliar as atividades acadêmicas com a jornada de trabalho. São oferecidas 24 vagas, sendo 12 para a linha de atuação de Gestão e Degradação Ambiental e 12 para a de Tecnologia Ambiental. Entre os diferenciais do curso estão as aulas práticas, o acesso ao ambiente multiusuário do Itep e o corpo docente qualificado e com experiência de mercado.

     Os candidatos interessados em participar do processo seletivo devem se submeter a provas de conhecimentos (bibliografia disponível no edital) e de suficiência em língua inglesa (não eliminatória), no dia 11 de março; e apresentar currículo Lattes atualizado e Proposta de Projeto de Pesquisa (PPP), que deverá estar obrigatoriamente vinculada a uma das linhas de atuação do programa. O resultado final da seleção será divulgado no dia 23 de março. A matrícula ocorrerá nos dias 30 e 31 de março e as aulas terão início no dia 10 de abril.

    EGRESSOS - “A possibilidade de fazer o curso sem sair do mercado de trabalho foi primordial para mim. Sem dúvidas, o Mestrado Profissional nos projeta e também amplia bastante o networking. A pesquisa que resultou na minha dissertação gerou um novo serviço no meu local de trabalho e também obtive crescimento na empresa”, ressalta o biólogo Sílvio Mário Filho, que concluiu o Mestrado do Itep em 2011.

    Conheça a história de Sívio Mário Filho e de outros egressos do curso e de que maneira o Mestrado do Itep foi benéfico para eles e para a carreira profissional do aluno no link http://www.itep.br/index.php/quem-ja-fez

    Mais informações
    mestrado@itep.br
    (81) 3183.4226

    Assuntos: itep, tecnologia ambiental,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Projeto propõe reutilizar efluente tratado para o cultivo de plantas ornamentais

    | Meio Ambiente, Agricultura
    ETE esgoto

    Com o apoio técnico da UFRPE, a Compesa já iniciou o projeto na Estação de Tratamento de Esgoto Garanhuns, para cultivar espécies de plantas ornamentais e florestais
     
    Em Garanhuns, também conhecida como a 'cidade das flores', a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) inicia um projeto de reuso de efluentes gerados pela Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) para a produção de plantas ornamentais e espécies florestais. O trabalho, realizado com o apoio técnico da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), vai avaliar o desenvolvimento das espécies que serão irrigadas com o efluente tratado, além de testar a viabilidade técnica e ambiental de produção vegetal diretamente no solo, sem causar nenhum tipo de impacto ambiental. A ideia é promover a urbanização e paisagismo na unidade operacional utilizando as espécies cultivadas na própria ETE Garanhuns.
     
    De acordo com o diretor de Articulação e Meio Ambiente da Compesa, Aldo dos Santos, o projeto-piloto poderá ser reproduzido em outras unidades da companhia. "A nossa ideia é desenvolver o paisagismo das unidades operacionais, buscando tornar esses espaços mais agradáveis para os nossos colaboradores e também para a população", explica o diretor, pontuando que, no momento atual de crise hídrica no estado, que se apresenta ainda mais severa na região Agreste, o projeto traz uma alternativa de economia de água, que seria utilizada na irrigação, por meio do reaproveitamento dos efluentes tratados na ETE.
     
    Hoje, os efluentes produzidos na ETE Garanhuns, que realiza o tratamento do volume de esgoto produzido por 18 mil pessoas, são transportados e lançados no Rio Canhoto. "Parte dos nutrientes que as plantas necessitam também está presente nos efluentes tratados, assim é possível reduzir o uso de químicos no cultivo, e também evitar a poluição das águas e do solo. Os efluentes tratados pelas nossas unidades atendem todos os parâmetros exigidos pela legislação brasileira", informa a engenheira ambiental da Compesa, Luane Lins da Silva.
     
    No último dia 30, foram realizados estudos topográficos e altimétricos da área que abrigará o projeto, bem como a delimitação do terreno - com 500 metros quadrados de área - e a coleta de solo para realização de ensaios físico-químicos e de fertilidade. Todas as análises serão realizadas nos laboratórios de Física do Solo e Fertilidade da UFRPE, campus Recife. Até o final do mês de março, o plantio deve ser iniciado. A Compesa já desenvolve projeto semelhante na ETE Caruaru, que faz o reuso dos efluentes para a produção de espécies florestais e agrícolas.
            

     

    Cidades: Garanhuns
    Assuntos: Compesa, saneamento, reutilização efluente, impacto ambiental, ete garanhuns,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Jardim sensorial da Casa Verde Compesa promove experiência única de aprendizado socioambiental

    | Meio Ambiente

    Compesa

    Novo espaço de atividades educativas fica em Arcoverde, no Sertão, e tem visitação gratuita

     

    Comunidades, escolas, e visitantes da região de Arcoverde, no Sertão de Pernambuco, terão agora um espaço para vivenciar uma experiência única de aprendizado socioambiental. A Casa Verde Compesa acaba de inaugurar o Jardim Sensorial, que já está aberto à visitação, e proporciona a interação entre as pessoas e a natureza por meio do estímulo dos cinco sentidos do corpo humano. A ideia é promover atividades educativas que busquem sensibilizar as pessoas sobre o seu papel no desenvolvimento sustentável. O espaço também servirá como uma ferramenta de integração entre a companhia e a comunidade, essencial para o trabalho da empresa em assegurar um crescimento responsável, preservando os recursos naturais.

    "A Compesa tem um carinho especial pelos projetos voltados ao meio ambiente e trabalhos sociais. Porque fazer obra a gente sabe, mas o que ainda estamos aprendendo é fazer as pessoas compreenderem a importância de ter o serviço de saneamento. A gente não pode deixar que as próximas gerações percam os valores essenciais que dialogam com a vida. A Compesa não só tem essa proposta no discurso. Ela começou a mudar por dentro, quando colocou o verde na sua marca", explicou o presidente da Compesa, Roberto Tavares, durante a inauguração do espaço, que também contou com a presença dos diretores Regional do Interior, Marconi Azevedo, e de Articulação e Meio Ambiente, Aldo Santos, além da prefeita de Arcoverde, Madalena Brito.

    O Jardim Sensorial foi pensado e estruturado para garantir a acessibilidade de cadeirantes, deficientes visuais e pessoas idosas, por isso, fica suspenso a uma altura que permite o livre acesso de todos que queiram tocar nas espécies. No lugar, os visitantes irão aprender sobre a importância e propriedades das diferentes espécies, começando pelas plantas nativas da Caatinga. O jardim é dividido em setores com suas respectivas espécies. Na parte do Olfato e Paladar, é possível sentir os aromas e sabores da Hortelã Graúda e Miúda, Coentro, Capim-Santo e Erva Cidreira.

    Dracena, Espada de São Jorge Cilíndrica e Babosa são algumas das espécies disponíveis no setor do Tato, enquanto que para a parte da visão foram selecionadas espécies como Leiteiro Vermelho e Icsória. A Audição é representada pelo barulho da água em harmonia com o ambiente. Em Pernambuco, só existe um Jardim Sensorial semelhante ao da Casa Verde Compesa, que fica no jardim Botânico do Recife.

    A Casa Verde Compesa está localizada no Centro de Arcoverde (Rua Augusto Cavalcante, nº 512) e desenvolve atividades educativas socioambientais junto a população da região desde o ano de 2014. Só no ano passado, a casa recebeu a visita de 1.417 pessoas, realizou 58 oficinas com materiais reutilizáveis, 33 palestras socioambientais, sete treinamentos, além de 56 ações nas comunidades. "A Casa Verde já tem uma história na região de Arcoverde como um espaço voltado para o desenvolvimento do trabalho socioambiental. E agora, as pessoas terão a oportunidade de aprender pela percepção do sentir, do olhar e do paladar das plantas, ampliando a sensibilidade para as questões ambientais", informa o diretor Aldo Santos.

    Assuntos: compesa, casa verde compesa, jardim sensorial, meio ambiente, sustentabilidade, ação social,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Programa TE Suape é apresentado às novas equipes municipais

    | Meio Ambiente, Suape, Mobilidade

     

    O presidente da Agência Estadual de Planejamento e Pesquisas de Pernambuco - Condepe/Fidem, Flávio Figueiredo, esteve reunido nesta segunda-feira (30), com representantes de sete dos oito municípios localizados no entorno do Complexo Industrial Portuário de Suape, que integram as equipes recém-empossadas. Na pauta do encontro estava uma conversa sobre as ações do  Programa Especial de Controle Urbano Ambiental do Território Estratégico (TE) de Suape. O programa busca melhorar a qualidade de vida da população destes municípios a partir da implantação de atividades voltadas para o equilíbrio das questões como mobilidade, habitação e patrimônio físico e ambiental. Na ocasião, também foram indicados os interlocutores municipais que vão fazer a interface de informações com o Estado.

    O objetivo principal da reunião foi o de apresentar o programa às novas equipes, através de um balanço das ações, com destaque para os projetos que estão em andamento e os que ainda serão iniciados, entre eles a implantação do Sistema de Informações Geográficas Integrado - SIG TES; o projeto de Monitoramento e a campanha de divulgação social. A previsão é a de que o programa seja concluído até maio. O programa é coordenado pela Agência Condepe/Fidem, com recursos do BNDES.

    Flávio Figueiredo falou sobre a importância e sobre as principais ações, enfatizando a continuidade do programa, mesmo após o término, através da ação de monitoramento, (onde já foram identificados  24 indicadores de Gestão Sustentável). "O novo gestor municipal deve ter a sensibilidade de dar prosseguimento às ações que independem de quem está à frente da governança. A ideia do programa é desenvolver cidades sustentáveis boas de se viver. Meta de toda administração municipal",  afirma o presidente.

    O evento ocorreu no auditório da Agência Condepe/Fidem com a participação de cerca de trinta pessoas, entre elas o prefeito de Moreno Edvaldo Rufino, os vice-prefeitos de Rio Formoso, Sebastião Barros e Escada, Ivanildo  Bezerra, além de secretários municipais, diretores e técnicos dos demais municípios da área : Cabo de Santo Agostinho,  Ipojuca, Ribeirão, Rio Formoso e Sirinhaém.  Também estavam presentes representantes do BNDES, Juliana Pessoa, da Empresa Suape, Gustavo Henrique Guerra, além de diretores e técnicos da Agência Condepe/Fidem, entre outros.

    A coordenadora executiva do programa pela Agência Condepe/Fidem,  Antonia Santamaria mostrou, através de gráficos e tabelas, as ações desenvolvidas onde já foram investidos mais de R$ 10 milhões, em capacitações, aquisição de veículos e equipamentos para as unidades administrativas, revisão de legislações urbanísticas, entre outras. Também falou sobre as três ações ainda a realizar, a exemplo do Sistema de Informações Geográficas, o SIG para o TES.  "Essa ação é muito importante pois os municípios terão à disposição uma base cartográfica única e centralizada daquela região", destacou a técnica. .

    O prefeito de Moreno Edvaldo Rufino comentou a importância desta troca de informações sobre o TE Suape para a questão metropolitana e também da mediação que vem sendo feita pela Agência Condepe/Fidem para o desenvolvimento sustentável da área.  Já a representante de Rio Formoso, Nádia Gomes, ficou satisfeita de que o município esteja participando das ações, "principalmente quando estamos começando, é importante ver o quanto já se avançou em controle urbano, com o apoio do Estado".

     Texto e Fotos - Ceça Ataides

    Assuntos: suape, condepe/fidem, programa especial de controle urbano ambiental, flávio figueiredo,
    Compartilhe: Link para o post: