meteorologia

Bacias Hidrográficas

Obra em todo lugar

Veja o que o Governo de Pernambuco está fazendo na sua região.

Blog de notícias

  • SJDH e Prefeitura de Caruaru firmam parceria para reinserção de reeducandos no mercado de trabalho

    | Juventude, Direitos Humanos

     Caruaru Seres

    A comissão do projeto discutiu ajustes na equipe, na primeira reunião de 2018, para estender a ação para todo o estado

    A Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH), através da Executiva de Ressocialização (Seres), realizou, nesta quinta (15/03), na sala de reunião da SJDH, a primeira reunião de 2018 da Comissão de Remição de Pena Pela Leitura do Complexo Prisional do Curado.  Na pauta, a expansão dos integrantes da comissão e construção do calendário de atividades do projeto, entre outros assuntos.

    As adequações na comissão se fazem necessárias pela expansão do projeto para as 22 unidades prisionais, cujo andamento está sendo dado pela SEE através de reuniões nas gerências regionais de oito municípios do estado, que seguem até o dia 19 de abril.

    Posteriormente, a Seres providenciará o treinamento de supervisores de Educação e representantes dos Apoios Pedagógicos e de Laborterapia das novas unidades beneficiadas com o programa. No dia 01 de março de 2018, o Projeto Remição de Pena pela Leitura passou a valer em mais dez unidades prisionais da Região Metropolitana e Agreste, além das três do Complexo Prisional do Curado iniciantes do programa.

    Participaram do encontro a gerente da GEQP, Edvany Oliveira, o supervisor de Educação, Luiz Melo, supervisores das unidades prisionais e representantes da Secretaria Estadual de Educação (SEE) e Patronato Penitenciário. A reunião é coordenada pela Gerência de Educação e Qualificação Profissionalizante (GEQP/Seres).

    Seres Caruaru

    Fotos: Ray Evellny/SJDH 

    Assuntos: sjdh, caruaru, ressocialização, seres, caruaru,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Programa Atitude inaugura nova sede em Jaboatão dos Guararapes

    | Saúde, Juventude, Direitos Humanos

     Programa Atitude

     

    Nova casa vai acolher até 30 usuários por um período de, em média, seis meses

    O novo Centro de Acolhimento Intensivo do Programa Atitude, localizado em Jaboatão dos Guararapes, tem capacidade para acolher até 30 usuários, com o intuito de garantir proteção aos indivíduos ameaçados ou vulneráveis, possibilitando a equipe que dá suporte aos usuários e seus familiares realizar o acompanhamento do caso e diminuição das condições de vulnerabilidade. A casa conta com 11 suítes, espaços para descanso e locais para desenvolver atividades esportivas e culturais, além de ter acesso à capacitação profissional e apoio clínico.

    O programa é coordenado pela Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude (SDSCJ), por meio da Secretaria Executiva de Políticas Sobre Drogas (Sepod), e proporciona proteção às vítimas de violência e atendimento espontâneo aos usuários de crack, álcool e outras drogas com atenção também direcionada aos familiares, oferecendo cuidados de higiene, alimentação, descanso, atendimento psicossocial, além de outros, e com encaminhamentos, direcionados para a rede SUS e Suas e demais políticas setoriais.

    Além da nova casa em Jaboatão dos Guararapes, o intensivo do Atitude possui outras três unidades no estado - no Recife, Cabo de Santo Agostinho e Caruaru. De acordo com a secretária executiva da Sepod, Márcia Ribeiro, foi promovida uma requalificação do serviço. “A reestruturação dessas casas é o nosso foco prioritário dentro do programa, visando oferecer mais conforto para os usuários e equipe. A próxima unidade a ser reformada será a do Cabo de Santo Agostinho, seguida por Recife e Caruaru”, afirma. 

    O programa é voltado ao acolhimento do usuário que precisa de proteção urgente, com problemas relacionados ao consumo abusivo de drogas, cobranças de dívidas com o tráfico e exposição à violência. Tem abrangência regional e é de caráter voluntário, com espaços coletivos para acolhimento, que pode ser misto ou especializado ao atendimento a mulheres com seus filhos.

    “Essas unidades atendem pessoas que precisam de um acolhimento mais intensivo, por um período, em média, de seis meses. Nosso objetivo é proporcionar a reorganização da vida e fazer com que retornem ao convívio social, através de uma metodologia específica orientada pela redução de danos. Serão trabalhadas questões visando à construção de um projeto de vida a partir de suas habilidades e desejos, articulando às necessidades identificadas. Por isso, faz-se necessário um contínuo desenvolvimento de atividades ligadas à sociabilidade, inter-relacionamento, educação, cultura, esporte, terapia ocupacional, para que, integrando esses elementos, possam reconstituir seu protagonismo”, reforça Malu Freire, coordenadora geral do programa.

    Aqueles usuários que resolveram seus problemas externos serão reconduzidos para suas casas, ou, em caso de usuário em condição crônica de rua, estimular e avaliar a possibilidade de inserção no Atitude Moradia, modalidade do programa que oferece moradia às pessoas em situação de rua.

    Programa Atitude

    Com foco em reduzir os riscos e danos individuais, sociais e comunitários, as unidades de apoio funcionam com atendimento regionalizado, através de quatro modalidades: Atitude nas ruas, que atua de forma itinerante em espaços como praças, escolas, bares, ruas, com uma equipe multidisciplinar; Centro de Acolhimento e Apoio, que funciona como uma casa de passagem; o Centro de Acolhimento Intensivo; e o Aluguel Social, que disponibiliza moradia alugada ou acolhimento em repúblicas por seis meses, renováveis por mais seis.

    Em 2017, foram realizados 154.626 atendimentos, destes 6.811 do Atitude nas Ruas; 107.727 dos Centros de Acolhimento e Apoio; 26.295 do Intensivo; e 1.668 do Aluguel Social.  Até fevereiro de 2018, 11.133 atendimentos já foram realizados.

    Cidades: Jaboatão dos Guararapes
    Assuntos: Não há assuntos relacionados.
    Compartilhe: Link para o post:
  • Parceria firmada com o AA leva conscientização sobre o vício e assistência aos socioeducandos

    | Juventude, Direitos Humanos

     

    Grupo realiza visitas quinzenais no Case Garanhuns e também contempla familiares e funcionários

    O Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Garanhuns firmou uma parceria com o grupo Alcoólicos Anônimos (AA). Visando possibilitar aos socioeducandos conscientização e assistência, o grupo realiza visitas quinzenais à unidade. Os encontros acontecem de forma voluntária, onde nenhum jovem é obrigado a participar.

    Para um dos integrantes do Alcoólicos Anônimos, José Henrique, prestar este serviço no Case é de grande satisfação. “Poder ajudá-los a se manterem sóbrios e também a lutarem contra os outros vícios é edificante e gratificante”.

    O trabalho desenvolvido pelo AA também irá contemplar os familiares dos adolescentes, assim como os funcionários do Case Garanhuns. “Ter a conscientização, acompanhamento e prevenção é importante para o atendimento socioeducativo. Para as famílias também, já que temos alguns casos onde o socioeducando não é viciado, mas os familiares sim”, conta a coordenadora técnica do Case Garanhuns, Thaís Fernandes.

    O grupo Alcoólicos Anônimos existe há mais de setenta anos no Brasil, e vem ajudando pessoas de diversas idades e lugares a pararem com o vício do álcool, compartilhando suas histórias entre si e seguindo os “doze passos” e as “doze tradições”, ferramentas criadas para maior facilidade combate ao vício.

     

    Cidades: Garanhuns
    Assuntos: sjdh, case garanhuns, alcoolicos anonimos, funase,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Socioeducandos usam arte de Romero Britto para humanizar espaços

    | Juventude, Direitos Humanos
    ​​romero brito

    “Recuperando Vidas e Espaços” é desenvolvido no Case Cabo, onde os alunos colorem as paredes com a arte vibrante desse artista 
     

    Os muros do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Cabo de Santo Agostinho, unidade da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase), estão ganhando outras cores e significados por meio do projeto “Recuperando Vidas e Espaços”. Através da arte pop pernambucana de Romero Britto, conhecida pelas cores vibrantes e composições ousadas, estudantes do anexo da Escola Estadual Luísa Guerra, instalado dentro da unidade, vem transformando os ambientes, desenvolvendo técnicas de pintura e desenho.

    O objetivo do projeto é valorizar a expressão singular do aluno, desenvolvendo a percepção visual e imaginação criadora. O trabalho começou com oficinas culturais, que tem como proposta político-pedagógica assegurar o direito à educação e à cultura, previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Atividades começaram no ano passado, dentro da sala de aula, onde os alunos conheceram a arte literária, as obras de Romero Britto e sua história de vida. Antes de se aventurarem nos muros, treinaram técnicas de desenho e pintura no papel, usando lápis de cor e de cera.

    Nessa primeira etapa os alunos coloriram o muro localizado de frente ao anexo escolar, e continuam buscando outras telas nos espaços da unidade. A segunda etapa deve ter início no segundo semestre, que vai levar cores às salas de aula. “Esse projeto tem trazido motivação aos adolescentes. Através do lúdico, conseguimos humanizar os espaços e recuperar vidas. É uma atividade terapêutica, estimulante e educativa, traz os adolescentes para a escola”, compartilhou a professora de Língua Portuguesa, Artes e Inglês, responsável pelo projeto, Marlene Francisca.

    Os alunos trabalham com as cores primárias e suas misturas, contorno e desenho, texto, imagem e coordenação motora. Não só a arte se faz presente, a matemática também, com os conceitos de altura, medida e formas geométricas. Ao lado da escola, na execução desse trabalho, têm os oficineiros. Alunos que mostram mais desenvoltura para o desenho e acabam ajudando os demais.

    Romero Brito

    Um dos mais envolvidos nessa missão de transformar os espaços é o adolescente F.H.A.S. de 20 anos. Ele já tem experiência com desenhos paisagens em telhas, que envernizava para vender, além de pintura em painéis. Com um talento natural, ele pinta com amor e se dedica muito, como a maior parte dos que participam do projeto. “Com essa atividade agora eu abri minha mente para mais essa arte. Será algo que eu vou levar comigo. Faço com prazer. Já me acordo para desenhar e incentivo os outros a fazer também”, disse.

    Segundo a gerente do Case Cabo, Tatiane Moraes, ao desenvolver o projeto, a pessoa privada de liberdade exerce também a sua cidadania e reencontra sua dignidade, além de obter o aprendizado que promove uma positiva mudança de comportamento. “As obras são variadas. Algumas apresentam traços mais infantis e amadores, enquanto outras parecem ter sido feitas por profissionais. A oficina de desenho e pintura era um anseio dos próprios internos que desenhavam nas paredes dos quartos, e com o curso poderão ter acesso a técnicas, na maioria das vezes, reservadas a um grupo minoritário”, destacou.

    A previsão é que o projeto passe a contemplar obras de outros artistas pernambucanos e também se espalhe por toda a unidade, transformando paredes em telas. Os alunos participantes receberão certificados de pintor de parede, pedreiro e grafiteiro.

     

     

     

    Texto: Danúbia Julião
    Foto: Divulgação/Funase 

     

    Cidades: Cabo de Santo Agostinho
    Assuntos: Não há assuntos relacionados.
    Compartilhe: Link para o post:
  • Grande Recife amplia serviço para atender estudantes do ensino superior da RMR

    | Educação, Juventude, Transporte, Mobilidade

    De olho na mudança dos hábitos dos usuários do transporte coletivo e atendendo a demanda de instituições de ensino superior, o Grande Recife altera o quadro de horários e o itinerário de algumas linhas do sistema. A medida beneficia trabalhadores e, sobretudo, estudantes que transitam pela Região Metropolitana no período das 21h às 23h. Parte da nova operação teve início já nesta segunda-feira (12) e, num segundo momento, na sexta-feira (16).

    De acordo com pesquisa de origem e destino realizada pela Prefeitura do Recife, em 2016, 3,63% das pessoas entrevistadas durante o estudo – num universo de 84 mil indivíduos – largam do trabalho entre 22h e 23h. Neste mesmo horário, entre os estudantes que saem das universidades, este percentual sobe para 34,70%. Números só da capital pernambucana.

    As alterações acontecem nas seguintes linhas:

    110 – Ibura/Ipsep

    Nos dias úteis, haverá um acréscimo nos atendimentos à Avenida Pinheiros nos horários das 20h50, 21h30, 21h55 e 22h25. Vale destacar que este é o um acréscimo no quadro de horários da linha que beneficia, além dos moradores da comunidade, os estudantes da Universo – na Imbiribeira. Ou seja, os demais horários de atendimento não sofrem alteração.

    1903 – Araçoiaba/TI Igarassu

    A linha tem uma mudança no último horário de saída do terminal, das 22h55 para as 23h20. Com isso, os estudantes do Recife, Olinda e Paulista terão mais tempo para chegar ao Terminal Integrado Igarassu e embarcar numa das linhas alimentadoras do TI.

    Já a linha 2040 – CDU/Boa Viagem/Caxangá terá mudanças no seu itinerário a partir da sexta-feira (16). Durante todo o dia, o ônibus deixa de trafegar pela Rua Pampulha e passa a circular pelas ruas Cachoeira e Jamaica para atender à Faculdade Boa Viagem, no bairro do Ipsep. Confira, abaixo, o novo percurso:

    Terminal/ponto de retorno:

    Rua Jean Émile Favre, Rua Cachoeira, Rua Jamaica, Avenida Marechal Mascarenhas de Morais e Praça Ministro Salgado Filho (pista leste).

    Para outras dúvidas, sugestões ou reclamações, o usuário pode entrar em contato com a Central de Atendimento ao Cliente (0800.081.0158) ou WhatsApp para reclamações (9.9488.3999).

     
    Assuntos: secid, sistema sei, grande consorcio recife, mudança itinerario, universidades, estudantes,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Funase na busca pela Paz, recebe o lançamento da Campanha da Fraternidade

    | Juventude, Direitos Humanos

     fraternidade

    Ato foi promovido pela Diocese de Nazaré e reuniu cerca de 3 mil fieis

    Com o tema “Fraternidade e superação da violência”, e o lema “Em Cristo somos todos irmãos”, a Diocese de Nazaré lançou, na última quarta-feira (28), a Campanha da Fraternidade 2018. Uma caminhada pela paz, que reuniu cerca de 3 mil pessoas, saiu do Pátio da Matriz de Nossa Senhora da Conceição, em Timbaúba, e também da Praça de Timbaubinha, passou pela frente da Cadeia Pública e culminou na frente do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Timbaúba.

    O Bispo Diocesano Dom Francisco de Assis Dantas de Lucena, que conduziu a caminhada, lembrou a todos os presentes a importância do perdão e encerrou o evento com bênçãos aos fieis. Então, juntamente com uma comitiva de sacerdotes, visitou o Case Timbaúba, na companhia do Juiz da Vara Regional da Infância e Juventude, Dr. Tito Lívio Araújo Monteiro, da coordenadora geral da unidade, Elizabete Azevedo, e de funcionários da Funase.

    Todos foram recebidos por socioeducandos, que se sentiram felizes com a presença. “Receber o Bispo na unidade foi muito bom, ele me abençoou, eu me sinto mais leve. Quero que ele venha mais, porque a presença dele é muito boa”, disse o adolescente D.P, de 17 anos. Dom Francisco fez questão de cumprimentar cada um deles pessoalmente, aconselhando-os e concedendo sua benção aos que a solicitaram.

    “A caminhada superou as nossas expectativas. Esperávamos no máximo, 800 pessoas, tivemos 3 mil, na sua maioria, jovens. Eles estão entusiasmados em buscar a paz. Temos que ajudar a sociedade a se organizar nessa busca, e não jogar sempre para o poder público a culpa”, compartilhou o Pároco de Nossa Senhora do Rosário de Goiana, Padre José Edson, integrante da comitiva.

    Para Dr. Tito Lívio Araújo Monteiro, essa Campanha é uma forma de nos lembrarmos de um valor tão fundamental para um cristão: a fraternidade, o amor ao próximo. “A violência não se combate com violência, mas sim, com respeito, com justiça social, com melhor distribuição de renda, com amor (amor da família, do Estado e da sociedade): amor ao próximo”. E complementa: “esse ato público e a visita dos religiosos possuíram um forte simbolismo para toda a comunidade da região, fortalecendo a sensação de pertencimento e conclamando à sociedade a participar mais efetivamente do processo de socioeducação”.

    Para a coordenadora geral do Case Timbaúba, Elizabete Azevedo, ações como essa fortalecem a prática da Funase e fortalecem a alma. “Esse foi um exemplo do exercício da cultura de Paz, que é paz em ação. A paz está dentro de cada um. Ter vivenciado esse momento, no qual os nossos adolescentes não foram apontados como os precursores da violência, foi muito positivo”. A Diocese que realizou o evento é centenária, com sede em Nazaré da Mata, abrange diversas paróquias em 35 municípios do Agreste, Zona da Mata e Litoral Pernambucano.

    Cidades: Nazaré da Mata
    Assuntos: sjdh, funase, freternidade e superacao da violencia, em cristo somos todos irmaos, diocese de nazare, campanha fraternidade 2018,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Torneio Virtual de Ciência será lançado nesta sexta (09/03)

    | Educação, Juventude, Tecnologia

     Espaço Ciência

    O 3º Torneio Virtual de Ciência será lançado na próxima sexta-feira, dia 9, no auditório do Espaço Ciência. Trata-se de uma competição que dura o ano inteiro e, a cada mês, apresenta  um desafio por meio do site do Espaço Ciência, nas diversas áreas do conhecimento:  Física, Química, Biologia, Matemática, Robótica, Astronomia. Durante o encontro, que tem início às 10h, será divulgado o primeiro desafio. 

    O formulário de inscrição, o regulamento e as informações sobre o primeiro desafio também serão divulgadas no site e nas redes sociais. “Convidamos todas as escolas a participarem e trazerem seus alunos para o encontro de lançamento. Será uma oportunidade de trocarmos ideias e escutarmos as sugestões de todos”,  diz Arthur Lima, da coordenação do Torneio.

    Cada desafio lançado pelo Torneio é um convite à experimentação. No ano passado, por exemplo, os estudantes criaram alternativas para aproveitamento de águas residuais; desenvolveram ideias para utilização da energia solar e conseguiram mobilizar a escola e comunidade do entorno em uma campanha de coleta de pilhas secas para destinação adequada.

    Outros desafios envolveram o uso da robótica em equipamentos que facilitassem a acessibilidade de pessoas com necessidades especiais; experimentos de astronomia para fins pedagógicos; ou identificação de conceitos matemáticos em uma logomarca.

    Embora cada equipe seja representada por um professor e dois alunos, a turma inteira e diversos professores participam do processo, transformando os conteúdos escolares em divertidas descobertas interdisciplinares. Todo o processo é registrado em vídeo, postado no Youtube e os links encaminhados ao Espaço Ciência, que os compartilha em suas redes sociais.

    Além da pontuação técnica, os participantes ganham pontos extras pelo compartilhamento dos vídeos nas redes, garantindo maior visibilidade ao processo de descoberta científica.

    Ao mesmo tempo, o uso das ferramentas virtuais permite maior alcance do Torneio, garantindo a participação de equipes do interior do estado. No ano passado, por exemplo, foram mais de mais de 7 mil alunos envolvidos, direta ou indiretamente: 43% da Região Metropolitana, 20% do Agreste, 20% do Sertão e 17% da Zona da Mata.

    Assuntos: secti, espaço ciencia, torneio virtual de ciencias, educacao, robotica, matematica,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Motoristas de ônibus participam de palestra de sensibilização para atuar com pessoas com deficiência

    | Educação, Juventude, Direitos Humanos

     Motoristas de ônibus

    Cerca de 50 profissionais da empresa Caxangá participaram do bate papo

    A Superintendência de Apoio à Pessoa com Deficiência (Sead) promoveu uma palestra sobre convivência com pessoas com deficiência para um grupo de 50 motoristas da empresa de transporte público Caxangá. O bate papo, ministrado pelo superintendente Edimilson Silva, explicou quais as deficiências existentes e deu dicas de relacionamento e de comunicação. A intérprete da Central de Libras Rafaela Briane participou do encontro ensinando aos profissionais expressões básicas e o alfabeto em libras.

    De acordo com o gestor de Recursos Humanos da Caxangá, Filipe Nogueira, a sensibilização é essencial para a prática de trabalho na empresa e no dia a dia dentro dos coletivos. “A capacitação é fundamental para melhorar a prestação dos nossos serviços e para garantir satisfação dos nossos usuários. Trazer os motoristas para ter essa experiência vai aumentar a consciência cidadã deles e mostrar que eles também têm responsabilidade social. Com isso ganha a empresa, os profissionais, os usuários e o sistema’, pontua. Com uma frota de 350 veículos, Filipe garante que todos são acessíveis. Além disso, mais de 80 novos ônibus foram adquiridos neste ano pela empresa oferecendo duas vagas para cadeirantes e seus acompanhantes.

    Há seis anos como motorista de ônibus, Natanael da Silva, de 39 anos, destaca que o conhecimento adquirido vai desenvolver profissional e pessoal. “Algumas coisas que foram apresentadas eu já tinha ideia, mas muitas outra ainda não sabia. Em média, meu ônibus recebe três cadeirantes por dia, por exemplo, e conseguimos ter uma relação com eles. Todo esse aprendizado é de grande valia para que a gente desenvolva um trabalho melhor”, afirma.

    Segundo Edimilson Silva, as ações serão estendidas para todas as empresas que fazem parte do sistema de transporte público que atuam em Recife e na Região Metropolitana do Recife. “Para nós, essa sensibilização tem uma valor muito grande, pois a Sead desenvolve um papel de incentivar a aproximação eliminando as barreiras criadas com as pessoas com deficiência. São operadores que lidam todos os dias com todo tipo de pessoa e, neste contexto, existem aquelas que possuem alguma deficiência e muitas vezes, por falta de aproximação e conhecimento, acabam surgindo situações desagradáveis. Momentos como este, vêm para quebrar paradigmas e propiciar uma sociedade mais igualitária”, destaca o superintendente.

    Assuntos: sdscj, sead, livras, pessoas com deficiencia, capacitação, motoristas de onibus,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Funase promove profissionalização e a reutilização de materiais através de oficina de artesanato

    | Juventude, Direitos Humanos

     Funase

    Adolescentes do Cenip Petrolina aprenderam a produzir peças fazendo uso da palha de bananeira

    Durante duas semanas, doze adolescentes do Centro de Internação Provisória (Cenip) Petrolina aprenderam mais uma atividade profissionalizante na Oficina de Artesanato com Palha de Bananeira, oferecida pela Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase), da Secretaria de Desenvolvimento Social Criança e Juventude (SDSCJ). Além de poderem gerar uma renda extra, os socioeducandos também aprendem sobre a reutilização dos materiais orgânicos.

    Empenhados nessa atividade durante três horas diárias, os alunos dispuseram de palha de banana, caixa de papelão, tesouras colas e canetas para confeccionar os produtos finais. Antes de começarem a confeccionar, eles aprenderam a processar a palha para o artesanato, e a fazer o trançado específico.

    Além de cestas, eles também aprenderam a fazer uma tartaruga, usada como peça de decoração. O adolescente L.S, de 17 anos, que participou da oficina, avalia a experiência de forma positiva. “Foi muito interessante, muito bom. Aprendi a fazer cestas, e penso em continuar fazendo quando sair daqui”. Em média, uma cesta confeccionada pelos adolescentes pode ser comercializada por R$ 25,00.

    A responsável pela oficina, Josefa Rodrigues, ressalta a importância da atividade. “Não custa nada passar o que a gente sabe para outras pessoas. Ainda mais para aqueles meninos, que precisam tanto de uma profissão e uma ocupação para a mente”. Para o coordenador técnico do Cenip Petrolina, Amós Lemos, são muitos os benefícios de uma atividade como essa. “Eles gostaram muito, demonstraram bastante interesse. Além disso, agora eles têm mais uma oportunidade de trabalhar o tempo ocioso com atividades positivas e profissionalizantes”.

    Não é a primeira vez que o Cenip Petrolina recebe uma oficina com dona Josefa, como é conhecida. Ela também já conduziu a reciclagem de revista e jornal. O Cenip Também recebeu oficinas de modelagem com barro e cimento.

    Funase1

    Assuntos: sdscj, funase, cenip petrolina, oficina palha e bananeira, emprego, socialização
    Compartilhe: Link para o post:
  • Funase e Senar-PE formalizam parceria histórica que leva cursos às unidades

    | Educação, Juventude, Direitos Humanos

    funase

    Para este ano, serão 17 turmas, com cursos de Jardineiro, Pintor Imobiliário, Eletricista Predial, Artesanato com material reciclável e Artesanato em Cerâmica.

     A Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Pernambuco (Senar-PE), formalizaram, por meio da assinatura de um termo de cooperação técnica, a parceria exitosa que existe há mais de 15 anos. Levando cursos de artesanato aos socioeducandos e socioeducandas, a iniciativa trabalha na melhoria do atendimento e na mudança de projetos de vida.

     Para este ano, serão oferecidos cursos de Jardineiro, Pintor Imobiliário, Eletricista Predial, Artesanato com material reciclável e Artesanato em Cerâmica. Serão, ao todo, 17 turmas, divididas em várias unidades da Região Metropolitana do Recife e Interior. As primeiras deste ano acontecem neste mês de março: a de Artesanato em Cerâmica, oferecida aos socioeducandos do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Garanhuns, e a de Artesanato com material Reciclável, no Case Timbaúba. Ao final, os alunos recebem certificados.

     Segundo a Diretora-Presidente da Funase, Nadja Alencar, essa parceria leva para os socioeducandos oportunidades de um novo rumo. “Só temos boas lembranças e bons resultados dessa parceria histórica com o Senar-PE, que desenvolve dentro das nossas unidades um trabalho com uma visão humana, social e de envolvimento. Todo o conhecimento oferecido nos cursos toca o coração de cada um dos adolescentes. Isso não tem preço”, destacou.

    Representando o Senar-PE, a coordenadora de treinamento, Mônica Pimentel, destacou a responsabilidade de todos e a necessidade de integração. “Cada um tem que se doar um pouco por essa causa. A sociedade tem que agir em conjunto com as instituições, e pensarmos em ações que venham a colaborar com o crescimento do País e a mudança de vidas dessas pessoas. As instituições se unirem e a sociedade também fazer a sua parte. O Senar-PE se sente muito honrado de colaborar com a Funase”.

     A assinatura do documento aconteceu na última quarta-feira (28), na sede da Funase, e prevê a elaboração e execução de atividades que visem apoiar, estimular e implementar o desenvolvimento das ações de Formação Profissional Rural e atividade de Formação Social do Senar nas unidades de atendimento socioeducativo do Estado.

    Assuntos: sdscj, funase, senar, socioeducandos, cursos, case,
    Compartilhe: Link para o post: