meteorologia

Bacias Hidrográficas

Obra em todo lugar

Veja o que o Governo de Pernambuco está fazendo na sua região.

Blog de notícias

  • Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Idosa apresenta nova gestão

    | Direitos Humanos

    idosos

    Presidente e vice do biênio 2018-2020 foram anunciadas em reunião extraordinária.

    Para compor a gestão do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Idosa (CEDPI), com referência para o biênio 2018-2020, conselheiros da entidade anunciaram presidente e vice-presidente, em reunião extraordinária, que aconteceu na sede da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH), na tarde desta segunda-feira (25).

    Os nomes de Sandra Rosa Jucá Mota e Milza Souto Maior de Moura foram referendados, respectivamente, como representantes governamentais e da sociedade civil. “Tenho satisfação em assumir a gestão e tenho certeza que poderei contar com a colaboração de todos e todas, que integram o CEDPI, bem como as pessoas que fazem a Superintendência de Defesa e Promoção dos Direitos da Pessoa Idosa”, comentou Sandra, que é coordenadora do Centro Integrado de Atenção e Prevenção à Violência contra a Pessoa Idosa (CIAPPI).

    Como vice-presidente, Milza Souto Maior de Moura integra a Associação Nacional de Gerontologia de Pernambuco (ANG-PE) – que desenvolve trabalhos na área do envelhecimento, com base nos aspectos biológicos, psicológicos e sociais, com vistas a garantir um processo multidisciplinar, para promoção da qualidade e assistência, da velhice ao final da vida. “É uma área da saúde que interage com os diversos aspectos que dizem respeito à saúde e vida da pessoa idosa. Espero contribuir de forma significativa nesta etapa”, destacou Milza.

    Como entidade paritária, o CEDPI elege, de forma alternada, os representantes de presidência e vice-presidência, indicados pelos dezesseis conselheiros, que compõem o órgão. Sendo, a cada biênio, um presidente do governamental e, no outro, um escolhido pelos membros da sociedade civil.

    Serviço:

    Superintendência de Defesa e Promoção dos Direitos da Pessoa Idosa – Av. Cruz Cabugá, 665, Santo Amaro.
    Contato: 3183-3094
    Centro Integrado de Atenção e Prevenção à Violência contra a Pessoa Idosa (CIAPPI) – Rua Santo Elias, 535, Espinheiro
    Contato: 3182-7649
    Secretaria Executiva de Segmentos Sociais (SESES) – Praça do Arsenal da Marina, s/n, Bairro do Recife
    Contato: 3182-7642

    Assuntos: sjdh, cedpi, conselho estadual, presidentes, pessoa idosa,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Case Caruaru recebe projeto com oficinas de esportes, arte e literatura

    | Juventude, Direitos Humanos

    sjdh

    Iniciativa, que ocorreu pela primeira vez nesse formato, foi promovida pela Secretaria de Educação e deve ser estendida para mais unidades da Funase.

    O Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Caruaru, uma das unidades da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) no Agreste de Pernambuco, recebeu um projeto na área de educação que ofertou 12 oficinas para os cerca de 100 socioeducandos que estão na unidade. As ações foram realizadas pela Secretaria Estadual de Educação, por meio da Secretaria Executiva de Desenvolvimento da Educação (SEDE) e da Gerência de Educação Inclusiva, Direitos Humanos e Cidadania (GEIDH). Só entre professores, coordenadores e outros técnicos das duas instituições, foram mobilizadas 35 pessoas. O grupo passou o dia na unidade, promovendo oficinas simultaneamente.

    Houve contação de histórias, oficina de mamulengo, atividades artísticas inspiradas nas obras do artista plástico Romero Britto e torneio esportivo. Além das ações realizadas para os socioeducandos, o projeto contou com uma formação continuada para os professores. “O objetivo das oficinas foi conscientizar os socioeducandos sobre os motivos de eles estarem no Case, além de ficarem cientes sobre seus direitos e deveres enquanto cidadãos”, ressaltou a gerente de Educação Inclusiva, Direitos Humanos e Cidadania da Secretaria de Educação, Vera Braga.

    O projeto teve a sua primeira edição realizada em Caruaru, porém, de acordo com o chefe de unidade de Educação no Atendimento Socioeducativo, Hugo Regis, a intenção é estendê-lo. “Queremos levar essas oficinas a todas as unidades de internação”, ressaltou.

    Pela Funase, além da equipe do Case Caruaru, estiveram presentes a assessora técnica de Políticas de Atendimento Socioeducativo, Nereida Pontes, a coordenadora do Eixo Educação da instituição, Sônia Melo, a representante do Eixo Saúde, Mirtes Martins, e a integrante da Assessoria Técnica de Unidades de Internação (Atin), Marlene Albuquerque. “Levamos professores e coordenadores de outras unidades, como Abreu e Lima, Cabo, Jaboatão, Vitória e Timbaúba. Foi um momento de troca que buscou dar uma visão mais concreta das ações de educação dentro do Case Caruaru e promover um nivelamento do trabalho em benefício dos socioeducandos”, declarou Sônia Melo.

    Para a coordenadora técnica do Case Caruaru, Thaysa Vila Nova, a ação foi importante por estimular os adolescentes em múltiplas dimensões, além de também enriquecer a prática de todos os que trabalham com o atendimento socioeducativo. “Isso promove a transformação e o desenvolvimento social desses adolescentes, além de ser uma motivação a mais para todos os profissionais”, destacou.

    Na ocasião, ainda foi lançado o jornalzinho “O Mundão”, voltado aos adolescentes e seus familiares. Com seis páginas, a primeira edição do periódico publicou orientações sobre os efeitos do álcool no organismo, curiosidades acerca da Copa do Mundo, seção de passatempo e uma página com espaço para que os socioeducandos ou seus parentes façam relatos sobre planos e expectativas. A publicação será sempre construída coletivamente nas reuniões do Grupo de Orientação sobre Drogadição (GOD), com pautas que contemplem, além de saúde, orientações jurídicas e nas áreas de psicologia, educação, serviço social, recreação e atualidades.

    Assuntos: sdscj, funase, case, caruaru, oficinas, sede, geidh,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Oficinas em unidade da Funase abrem semana dedicada à prevenção ao uso de drogas

    | Juventude, Direitos Humanos

    cenip

    Adolescentes do Cenip Recife assistiram a uma peça e a vídeos com alusão à temática, que tem o dia 26 de junho como marco das ações de enfrentamento.

    Socioeducandos do Centro de Internação Provisória (Cenip) Recife participaram, nesta segunda-feira (25), de duas oficinas voltadas à conscientização e prevenção ao uso de drogas. A ação na unidade da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase), que recebe adolescentes com idades entre 12 e 18 anos e, excepcionalmente, jovens com até 21 anos, foi promovida por meio da articulação de três secretarias executivas da Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude (SDSCJ). O momento fez alusão ao Dia Internacional contra o Abuso e o Tráfico Ilícito de Drogas, lembrado nesta terça (26) e com atividades programadas para esta semana em todo o Estado.

    A primeira oficina, de teatro, usou o humor para falar de coisa séria: os males causados pelo uso de drogas. O retrato da perda do equilíbrio em várias esferas, como a financeira e a das relações com familiares e amigos, levou o público a refletir. Intitulada “Ébrio e Sóbria”, a peça foi encenada pela equipe de dramatização do Programa Atitude, composta por um psicólogo e por educadores sociais. Já a outra oficina, de cinema, buscou sensibilizar os adolescentes sobre a prevenção por meio de vídeos de curta duração.

    A superintendente de Prevenção às Drogas da Secretaria Executiva de Política sobre Drogas (Sepod), Áquila Cabral, destacou que ações como as que ocorreram no Cenip Recife buscarão contemplar diversos públicos atendidos pela SDSCJ ao longo da semana. Além da Sepod, estão envolvidas as secretarias executivas de Políticas para a Criança e Juventude e de Assistência Social. “Hoje estamos trazendo essa mensagem de prevenção aos adolescentes da Funase, mas em todos os municípios onde há o Atitude (Recife, Jaboatão dos Guararapes, Cabo de Santo Agostinho e Caruaru), também estão acontecendo ações planejadas previamente e desenvolvidas de maneira integrada”, ressaltou.

    A assessora técnica de Unidades de Internação Provisória da Funase, Zélia Mesquita, salientou que a ação somou-se às estratégias desenvolvidas na rotina da unidade, por meio do Grupo de Orientação sobre Drogadição (GOD). “Começar a semana de ações da secretaria pelo Cenip foi muito importante por contemplar um local que é, de certo modo, a porta de entrada do sistema socioeducativo. Aqui os adolescentes ficam 45 dias, e é interessante eles passarem por uma revisão de conceitos sobre esse tema. No fim das oficinas, houve um arremate com foco na construção de uma melhoria de vida, com ampla participação deles”, afirmou.

    No mesmo sentido, a coordenadora geral do Cenip Recife, Anny Sales, avaliou as atividades como positivas para os socioeducandos. “O momento foi bem proveitoso e importante porque trabalhamos o tema drogadição de forma lúdica. O objetivo era atingir os adolescentes e conseguimos fazer com que eles participassem”, afirmou a coordenadora, que ainda destacou a participação ativa dos agentes socioeducativos.

    Assuntos: sdscj, funase, cenip, semana de prevencao, drogas, oficinas, sepod, assistencia social
    Compartilhe: Link para o post:
  • Ação educativa leva informação sobre drogas ao bairro de Cavaleiro

    | Direitos Humanos

    sepod

    Técnicos e educadores sociais do programa Atitude reuniram moradores e comerciantes para debater sobre o assunto.

    O bairro de Cavaleiro, em Jaboatão dos Guararapes, recebeu na manhã da segunda-feira (25), uma ação educativa sobre os problemas em torno do consumo abusivo e vendas de drogas. A atividade, promovida pela Secretaria Executiva de Políticas sobre Drogas (Sepod), órgão vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude (SDSCJ), em alusão a Semana Internacional Contra o Abuso e Tráfico Ilícito de Drogas, reuniu moradores e comerciantes na quadra do bairro, localizada na Praça Rita Coelho, além de distribuir insumos preventivos e material informativo.

    Com cartazes contendo palavras-chaves sobre o assunto espalhados pelo chão, técnicos e educadores sociais do programa Atitude, projeto voltado para o cuidado de usuários de drogas e seus familiares, iniciaram a atividade explicando as diferenças entre as drogas lícitas e ilícitas e como a população pode ajudar a reduzir os danos causados por elas. “Nosso objetivo é levar conhecimento à população sobre os prejuízos das drogas para conscientizar aqueles que participam da ação e possibilitar que essas pessoas levem informação para os familiares e amigos”, destaca a técnica Nika di Oliveira. Os profissionais levaram o debate a partir da linha da prevenção e redução de danos convidando os participantes a construir o conhecimento e a contribuir com as estratégias de reinserção social daqueles que fazem o uso.

    Para o vigilante Edmilson Paulo da Silva, que se deparou com a movimentação dos técnicos na praça e decidiu participar do momento, a atividade impulsiona a discussão sobre o tema e ajuda a população a entender o seu papel na luta contra as drogas. “A ação é muito importante por explicar, de forma educativa, os males que as drogas trazem para as pessoas e para a cidade. Acredito que entender sobre o assunto é o primeiro passo para que o usuário queira parar de usar, além de fazer com que a juventude e até os mais velhos, como eu, não ande por esse caminho”, afirmou.

    Durante tarde, a equipe do programa promoveu a mesma atividade em frente à Casa da Cultura, área central de Jaboatão dos Guararapes.

    Assuntos: sdscj, sepod, programa atitiude, drogas, prevencao, acao educativa, cavaleiro,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Ações educativas marcam a Semana de Combate ao Abuso e Tráfico Ilícito de Drogas

    | Direitos Humanos

    sdscj

    Na terça-feira (26), acontece a Ação de Impacto, na Praça do Diário, com atividades culturais e abordagens sociais com a população.

    Para sensibilizar e alertar a população sobre os problemas sociais causados pelo abuso e tráfico de drogas, a Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude (SDSCJ), através da Executiva de Políticas sobre Drogas (Sepod), promove ações e abordagens educativas, entre os dias 25 e 29 de junho, para marcar a semana do Dia Internacional contra o Abuso e Tráfico Ilícito de Drogas, lembrado em 26 de junho.

    Nas cidades do Recife, Jaboatão dos Guararapes, Cabo de Santo Agostinho e Caruaru, a secretaria reúne técnicos e usuários do programa Atitude, que atende usuários de drogas e seus familiares, para promover e participar de apresentações teatrais, exibição de filmes, cine teatro, oficinas culturais e socioeducativas, rodas de diálogo, além de abordagens sociais de orientação que acontecem nas ruas.

    Na terça-feira (26), dia que marca o combate ao abuso e venda de drogas, técnicos do Atitude nas Ruas se reúnem, às 14h, na Praça do Diário, área Central do Recife, para promover a Ação de Impacto. O evento terá música ao vivo e a exibição das peças “Ébrio e Sóbria” e “Você me olha mais não me vê”, além de oficinas de grafitagem e percussão, teatro de mamulengo, apresentação do cordel e abordagens educativas. "A ideia é trabalhar o tema sem preconceitos, próximo da população, ouvindo e construindo estratégias de prevenção, cuidado e reinserção social alinhada à nossa realidade”, explica a secretária executiva da Sepod, Márcia Ribeiro. “Nestes dias intensificamos as atividades, mas estamos trabalhando permanentemente em conjunto com as demais Secretarias de Estado, como Saúde, Educação, Cultura, Esporte e Lazer, com os municípios e com a sociedade civil para ampliar os fatores de proteção e reduzir os fatores de risco e os danos associados ao uso/abuso de drogas lícitas e ilícitas, considerando que estes representam um dos mais importantes e desafiadores problemas de saúde pública no Brasil e no mundo”, completa.

    A data foi criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) para conscientizar a sociedade a temática na necessidade de combater a problemática criada pelas drogas ilícitas.  

    Confira a programação da semana:

    tabtab2

    Assuntos: sdscj, semana de combatre ao trafico, drogas, ressocializacao, teatro, musica,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Adolescentes da Casem Caruaru ganham certificação de cursos de Informática e Espanhol

    | Educação, Direitos Humanos

    Ao todo, 12 adolescentes concluíram as formações, que tiveram 32 horas/aula e duraram dois meses.

    A Casa de Semiliberdade (Casem) Caruaru, uma das unidades da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) no Agreste do Estado, realizou a entrega de certificados para socioeducandos que participaram dos cursos de Informática Básica e Espanhol Básico. As atividades foram promovidas dentro de uma parceria entre a instituição e a Prefeitura de Caruaru, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos. Ao todo, 12 adolescentes foram beneficiados pelos cursos.

    As aulas, que foram ministradas por professores voluntários da rede, tiveram início em abril e eram realizadas todas as segundas e terças, com carga horária de 32 horas/aula e duração total de dois meses. A entrega dos certificados ocorreu em cerimônia que contou com a presença da prefeita de Caruaru, Raquel Lyra, de outros representantes da gestão municipal e de integrantes da Funase.

    Dos 12 socioeducandos, nove concluíram o curso de Informática e três, o de Espanhol. Esse último contou com a presença de um socioeducando que foi destaque na última edição e participou na nova turma como instrutor, promovendo a integração entre professores e alunos.

    Para a coordenadora geral da Casem Caruaru, Anabel Brandão, cursos como esses promovem a integração dos socioeducandos. “É de suma importância profissionalizar os adolescentes e fortalecer as parcerias. É gratificante para nós, pois essas atividades proporcionam a integração após a liberação”, afirma.

    Assuntos: sdscj, funase, case, caruaru, cursos, espanhol, informatica, prefeitura,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Conselho do Idoso apresenta representantes do biênio 2018-2020

    | Direitos Humanos

    idosos

    Posse dos 16 conselheiros e suplentes aconteceu na sede da SJDH.

    Na tarde da última quarta-feira (20), 16 representantes, entre governamentais e sociedade civil, bem como seus respectivos suplentes, tomaram posse para o biênio 2018-2020, no Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Idosa (CEDPI). O ato aconteceu na sede da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH) – pasta a qual a Superintendência de Defesa e Promoção dos Direitos da Pessoa Idosa pertence. “Temos acompanhado os serviços das Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI’s). Além de identificarmos as dificuldades, também sabemos que, às vezes, as famílias são co-responsáveis por situações de descaso para com os idosos e idosas. Meu desejo é que a população saiba que este Conselho é mais um organismo vivo na vida do estado de Pernambuco, na defesa da integridade destas pessoas.

    A prestigiar o ato de posse estavam o representante do Ministério Público de Pernambuco, Marco Aurélio; a Defensora Pública, Cristina Sakaki; a Delegada Estadual da Pessoa Idosa, Eliana Caldas; o secretário de Segmentos Sociais da SJDH, Sérgio Moura; o secretário Executivo de Direitos Humanos, Eduardo Figueiredo e o ex-presidente do CEDPI, Amaro Bezerra.

    Para a Delegada da Pessoa Idosa em Pernambuco, o segmento sofre com o descaso nas esferas públicas e privadas de convivência social. “Além de bancos e hospitais não oferecerem o devido respeito à Pessoa Idosa em atendimentos comuns, percebemos que o maior obstáculo está na criação do afeto e respeito por eles.”

    Conselheiros governamentais que foram contemplados com assentos no CEPDI integram as secretarias de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude (SDSCJ), Justiça e Direitos Humanos (SJDH), Defesa Social (SDS), Saúde (SES), Turismo, Esporte e Lazer (SecTur), Cidades (Secid), Secretaria de Educação e Gabinete do Governador.

    O Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Idosa é um colegiado de instância superior, de consulta e natureza permanente e paritária. O princípio é a elaboração de diretrizes para a formulação e implementação da política da Pessoa Idosa; bem como fiscalizar, acompanhar e avaliar a execução da mesma, no âmbito do estado de Pernambuco.

    Assuntos: sjdh, conselho do idoso, direitos humanos, cedpi, sdscj,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Reeducandos trabalham no São João de Caruaru e Petrolina

    | Direitos Humanos

    sjdh

    O São João de Caruaru e Petrolina conta com o reforço de reeducandos do livramento condicional e regime aberto atendidos pelo Patronato Penitenciário. Os apenados fazem parte da equipe de limpeza urbana e trabalham na varrição da cidade, limpeza dos focos do forró, manutenção das praças, decoração, paisagismo e pontos turísticos. A iniciativa faz parte de um convênio assinado entre a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH), por meio do órgão de execuções penais, e as prefeituras dos municípios.  A parceria de empregabilidade também é executada pelas prefeituras de Jaboatão dos Guararapes e Olinda.

    Os 68 reeducandos trabalham oito horas por dia, de segunda a sexta-feira, e recebem remuneração de R$ 937,00 em Caruaru e R$ 1.295 em Petrolina.

    Atualmente, 655 egressos do sistema prisional trabalham no estado por meio de convênios públicos e privados. O órgão exerce as funções de acompanhamento de processos, atenção psicossocial, pedagógica e de inclusão produtiva, com o objetivo de dar novas oportunidades a esse público e diminuir a reincidência criminal.

    "O convênio do Patronato Penitenciário com as prefeituras proporcionam um recomeço para essas pessoas excluídas da sociedade e do mercado de trabalho, essa ação permite a elevação desse público à verdadeira cidadania e reduz a condição de vulnerabilidade social", ressalta Josafá Reis, superintendente do Patronato  Penitenciário. 

    Assuntos: sjdh, reeducandos, servicos publicos, patronato penitenciario, asces, sao joao, caruaru, petrolina
    Compartilhe: Link para o post:
  • Governo de Pernambuco avança no enfrentamento à violência contra o idoso

    | Direitos Humanos

    idoso

    Com o aumento de ações no enfrentamento à violência, só nos primeiros cinco meses de 2018, o CIAPPI recebeu 304 denúncias de violações de direitos, três vezes mais do que o mesmo período do ano passado.

    Conhecido como o mês violeta, junho é voltado ao enfrentamento à violência contra a pessoa idosa e o dia 15 é a data dedicada a esta conscientização.  Para intensificar essa luta, o Governo de Pernambuco, por meio do Centro Integrado de Atenção e Prevenção a Pessoa Idosa (CIAPPI), vem reforçando as ações para o enfrentamento à violência contra esta população. Só nos primeiros cinco meses de 2018, o CIAPPI recebeu 304 denúncias de violações de direitos, três vezes mais do que o mesmo período do ano passado.

    Vinculado à Secretaria Executiva de Direitos Humanos (SEDH), o CIAPPI recebe denúncias de maus-tratos e outros tipos de violência (financeira, psicológica, etc.), as encaminha para os órgãos responsáveis, monitora os processos abertos e realiza visitas sistemáticas a locais denunciados e a Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs).

    Um idoso e várias violações

    O dia a dia dos profissionais do Centro Integrado de Atenção e Prevenção a Pessoa Idosa (CIAPPI) é sempre marcante. Entre as visitas realizadas, diversas histórias são encontradas pelos técnicos e uma delas aconteceu no mês de janeiro. Em parceria com representantes do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF), do Centro de Referência Especializado em Assistência Social (CREAS) e da Secretaria de Saúde do município de Camaragibe, os profissionais se depararam com o caso do senhor Antônio (nome fictício para preservar a sua identidade), de 78 anos, que se encontrava em uma situação de vulnerabilidade, pois sofria com a negligência de sua cuidadora.

    Deitado numa cama, no quarto com um forte cheiro de urina e bastante debilitado, por não se alimentar de forma correta, o senhor Antônio também tinha dificuldade em sua locomoção, por conta de um Acidente Vascular Cerebral (AVC), que havia sofrido. O estado do idoso comoveu não apenas a equipe do CIAPPI, mas a todos que estiveram no ambiente. Além da omissão de cuidados, o programa também identificou outra violência, o abuso financeiro, pois o dinheiro enviado para a cuidadora, pela filha do idoso, que mora em outro país, não era utilizado para o bem-estar do ancião.

    De forma rápida e articulada, o CIAPPI agiu na proteção do senhor Antônio, juntamente com o CREAS, o NASF, o Conselho do Idoso e a Secretaria de Saúde de Camaragibe que providenciaram a remoção da residência em que vivia, para um local provisório. O caso do idoso foi, então, encaminhado pelo programa ao Ministério Público de Pernambuco (MPPE), que deferiu uma medida protetiva; além disto, retiraram a tutela financeira da então cuidadora e assim o transferiram para os cuidados de uma ILPI, onde atualmente está sendo cuidado. Os técnicos do CIAPPI, também realizaram uma busca intensiva pela filha do senhor Antônio, que mora em Portugal, até a encontrarem. Após ser feito o contato e saber de toda a história a filha do idoso decidiu voltar a Recife para levá-lo de volta ao país europeu.

    O secretário-executivo de Direitos Humanos, Eduardo Figueiredo, explica as outras vertentes da atuação do CIAPPI e a atuação do Governo de Pernambuco. “A atuação do CIAPPI não se resume exclusivamente no atendimento à pessoa idosa, mas acima de tudo em difundir ações no enfrentamento às violências, que muitas vezes ocorrem de forma silenciosa nas residências e dentro das famílias. Por este motivo, segundo as determinações do governador Paulo Câmara, a entoação das equipes tem sido intensificada, inclusive promovendo, junto a outras instituições, fiscalizações para coibir abusos e a responsabilizar as pessoas envolvidas”.

    O final feliz da história do senhor Antônio aconteceu por conta da rapidez na atuação da resolutividade dos casos que o CIAPPI recebe. Segundo a coordenadora do CIAPPI, Sandra Jucá, a equipe utiliza de forma cabal o estatuto do idoso. “Atuamos de forma prioritária e com a maior brevidade possível. Até porque, nos deparamos com diversos tipos de violência e ter uma rede de atendimento consolidada faz toda a diferença”, informa. Ela ainda completa “Agir de forma rápida e integrada pode salvar vidas e devolver a dignidade humana e o respeito à pessoa idosa”.

    CIAPPI

    Formado por uma equipe multidisciplinar, o Centro Integrado de Atenção e Prevenção à Violência Contra a Pessoa Idosa (CIAPPI) atua com atendimento especializado, escuta qualificada e humanizada, serviço de orientação psicossocial e jurídica. Além do encaminhamento de casos de violência, maus-tratos e abandono a rede integrada de promoção e defesa dos direitos da pessoa idosa, o acompanhamento, e visitas periódicas a instituições filantrópicas, públicas e privadas denunciadas.

    Assuntos: sedh, governo de pernbambuco, pessoa idosa, cuidadores, ciappi,
    Compartilhe: Link para o post:
  • No Junho Verde, Funase e Compesa firmam parceria para implantar viveiro florestal em unidade socioeducativa

    | Direitos Humanos

    ordem de serviço

    Espaço, que funcionará no Case Vitória, produzirá até seis mil mudas e vai proporcionar educação ambiental a socioeducandos.

    Marcando as ações do Junho Verde em Pernambuco, a Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) e a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) firmaram uma parceria que proporcionará educação ambiental e contato com a natureza para socioeducandos. Trata-se do Projeto Semeando Cidadania, eixo de atuação do Programa Florestar, que prevê a implantação de um viveiro florestal para produção de mudas dentro da área do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata do Estado. A ordem de serviço para a ação foi assinada nesta segunda-feira (18), em solenidade com a presença de representantes das duas instituições.

    A instalação do viveiro será realizada em até 60 dias, a partir de um investimento de R$ 13.441,20 feito pela Compesa. A capacidade de produção será de seis mil mudas. O Programa Florestar já é desenvolvido pela companhia, por exemplo, junto a prefeituras municipais, por meio da formação de estudantes como viveiristas florestais e da parceria técnica para criação do plano de arborização municipal, além da distribuição de mudas produzidas em três viveiros administrados pela Compesa em Pirapama (Cabo de Santo Agostinho), Poção e Bonito. Agora, pela primeira vez, ocorrerá dentro de uma unidade socioeducativa.

    Para a gerente de Meio Ambiente da Compesa, Lucíola Beltrão, um ponto positivo do projeto é que ele está estruturado de forma a ter continuidade. "Não queríamos apenas instalar um viveiro. Os adolescentes vão ser treinados sobre como se coleta, como se planta, e será um trabalho continuado. É um projeto que fica na unidade", destacou a gestora, que, na ocasião, representou o diretor de Articulação e Meio Ambiente da Compesa, Aldo Santos. "O grande objetivo do Florestar é que as pessoas tenham esse vínculo com a terra. Aqui queremos, literalmente, plantar uma semente junto aos adolescentes", completou a engenheira florestal Ana Luz, gestora do contrato.

    A presidente da Funase, Nadja Alencar, ressaltou que os momentos viabilizados pela parceria serão muito ricos no processo de socioeducação. "Nada melhor do que colocar a mão na terra e respeitar a natureza. É isso que queremos para nossos adolescentes aqui: estimulá-los a valorizar a vida em todos os aspectos que ela pode ter", declarou. "A Funase, sozinha, não faz socioeducação. Precisamos dessas parcerias para nos ajudar a fazer com que os adolescentes ressignifiquem seus projetos de vida", complementou a diretora geral da Política de Atendimento, Íris Borges.

    Articulador da parceria dentro da Funase, o coordenador do Eixo Profissionalização, Esporte, Cultura e Lazer, Normando Albuquerque, lembrou que a chegada do Programa Florestar ao Case Vitória marca a retomada de atividades com perfil voltado ao meio ambiente naquela unidade, que, inserida no distrito de Pacas, na zona rural do município, foi conhecida outrora por práticas agrícolas. "O alcance da implantação desse viveiro florestal transborda esses muros e agrega um valor à formação dos socioeducandos que a gente sempre tem observado como positivo: eles se sentirem úteis socialmente e enxergarem os frutos das atividades que eles desenvolvem", afirmou.

    Na unidade, a expectativa pelo projeto é grande. "Esses espaços que temos são muito férteis e produtivos. Acredito que o projeto dará certo e vai transformar muitas vidas dentro da unidade e fora dela", disse o coordenador geral do Case Vitória, Ricardo Veríssimo.

    Assuntos: sdscj, funase, viveiro, case, compesa, investimento, cabo de santo agostinho
    Compartilhe: Link para o post: