meteorologia

Bacias Hidrográficas

Obra em todo lugar

Veja o que o Governo de Pernambuco está fazendo na sua região.

Blog de notícias

  • Detentos do Presidio de Igarassu recebem certificados em curso de manipulação de alimentos

    | Direitos Humanos

    Certificado

    Na perspectiva de ganhar a liberdade e poder alçar voos maiores rumo ao mercado de trabalho, os reeducandos do Presídio de Igarassu (PIG), foram certificados, na manhã desta quarta (26/07), no Curso Boas Práticas em Manipulação de Alimentos, oferecido pela Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH), por meio da Executiva de Ressocialização (Seres), em parceria com o Centro de Abastecimento Alimentar de Pernambuco (Ceasa).  

    A cerimônia ocorreu no espaço ecumênico da unidade prisional e contou com a presença do secretário da SJDH, Pedro Eurico, do presidente e do diretor de programas especiais do Ceasa, Gustavo Melo e Heber Carlos, respectivamente; da coordenadora de Nutrição da Seres, Cláudia Módolo; e do diretor do PIG, Charles Belarmino.

    A certificação comprova a experiência prática adquirida em 12 horas de aula por 53 detentos, que já trabalham nas cozinhas e padarias, porém nunca tinham sido treinados acerca das técnicas utilizadas para a melhoria da qualidade da alimentação e da racionalização dos recursos financeiros disponíveis. “Muitas coisas não aprendemos porque nunca ninguém nos ensinou como se faz. Um curso como este é sempre muito válido e motivador. Com exceção do direito à liberdade, todas as outras garantias de um cidadão também devem ser conferidas aos presos”, afirma Pedro Eurico.    

    Na ocasião, reeducandos deram depoimentos sobre a importância do treinamento e oito deles fizeram uma apresentação de capoeira. “A nossa preocupação era de humanizar a alimentação dos reeducandos. Isso passa pelo recebimento, manuseio até a distribuição da comida. A ideia é fazer com que todos os participantes possam utilizar a experiência adquirida dentro e fora da unidade”, explica Gustavo Melo.

    O estudo do ensino fundamental não é suficiente para o reeducando José Fernando, 34 anos, que participou do curso. “Muitos pensam que aqui está tudo perdido, mas não é bem assim. Nunca tive a oportunidade de fazer um curso desse lá fora”, informa. Para o detento Lucivaldo Leandro de Oliveira, 31, a cadeia o aproximou do trabalho e à prática de esportes. “Tudo que eu nunca fiz lá fora, faço aqui: judô, jiu jitsu, futebol e cursos”, enumera.   

    A ação faz parte do Programa de Alimentação Prisional do Estado de Pernambuco, ministrado por nutricionistas do Ceasa em 20 unidades prisionais. Ao todo, 560 reeducandos estão inseridos no Curso de Boas Práticas. O treinamento segue até o final deste mês e já certificou 237 alunos. O cumprimento das 12 horas de aula é revertido em um dia de regressão de pena.

     Desde 2015 o Ceasa atua nas unidades prisionais do estado através de um contrato firmado com a SJDH, com 17 nutricionistas trabalhando nas UPs diariamente.

    Cidades: Igarassu
    Assuntos: sjdh, seres, curso, reeducandos, pedro eurico
    Compartilhe: Link para o post:
  • Curso de Mecânica de Moto prepara reeducandos para o mercado de trabalho

    | Direitos Humanos

    Mecânica de motos

    O primeiro curso do maior programa de qualificação profissional para reeducandos de Pernambuco, lançado semana passada pelo Governo do Estado, reúne 100 participantes até o dia 07 de agosto, com duas turmas pela manhã, de 8h às 14h; e duas à tarde, das 14h às 20h, nas cidades do Recife e Paulista. A capacitação faz parte de um cronograma de nove cursos, promovido pela Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH), em parceria com a Associação Brasileira de Desenvolvimento Econômico e Social dos Municípios (ABDESM), por força de convênios oriundos de emendas parlamentares, sem ônus para o estado.

    Os outros cursos oferecidos são nas áreas de Pedreiro Geral, Pedreiro Revestidor, Doces e Salgados, Encanador, Eletricista Geral, Eletricista Predial, Pintura Predial e Gesseiro. Cibele Martins de Souza, 35, é uma das três mulheres reeducandas inscritas. Ela está fazendo o curso em Paulista. “Quando saí do cárcere não tive apoio. Mas encontrei o Patronato Penitenciário, que deu a oportunidade de me preparar para a volta ao mercado de trabalho. Além de me auxiliar na parte psicossocial. Não posso mudar o passado, mas o presente e o futuro vou fazer diferente”, ressaltou.  

    Os cursos do programa de qualificação vão disponibilizar ajuda de custo no deslocamento dos participantes, através do carregamento do cartão VEM, e também na alimentação para os reeducandos. Para José Alexandre Miranda, que assina há dois anos no Patronato Penitenciário e trabalha na área de jardinagem em Jaboatão dos Guararapes, “esta é uma nova oportunidade para se profissionalizar. Já fiz outros cursos de marketing pessoal e manutenção de micro”.    

    Serviço: Curso Mecânica de Moto

    Data: 19 de Julho a 07 de agosto

    Locais: Recife - na Rua Siqueira Campos, 1508. Edf. Brasília, 15º andar.

                  Paulista - Igreja Comunidade Internacional Palavra Viva, Rua 79, nº 20. Maranguape I.  

    Cidades: Paulista, Recife
    Assuntos: sjdh, abdesm, patronato penitenciario
    Compartilhe: Link para o post:
  • ​Projeto trabalha no despertar do potencial empreendedor de adolescentes da Funase

    | Direitos Humanos
    case1
    “Um Olhar Inovador” oferece orientações e noções básicas de impressão 3D, web design e vídeos educativos para Internet, além de atendimentos oftalmológicos  
     

     Adolescentes do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Vitória de Santo Antão participam, juntamente com outros jovens do município, do projeto “Um Olhar Inovador– Empreendedorismo como Agente de Transformação Social”. A iniciativa propõe despertar nesses jovens em situação de vulnerabilidade o seu potencial de empreendedor, sensibilizá-los na importância dos cuidados com a saúde e ajudá-los na criação e desenvolvimento de negócios sociais.

    Para isso, em sua primeira etapa, que aconteceu neste último mês, os alunos receberam orientações e noções básicas de empreendedorismo, impressão 3D, web design e vídeos educativos para internet. Módulos abordando temas como saúde, cidadania, meio ambiente, ética e liderança, além de empreendedorismo, marketing, desenvolvimento de ideias e modelo de negócios também foram oferecidos aos adolescentes.

    As aulas aconteceram no Centro de Convivência do Bairro Lídia Queiroz, em Vitória de Santo Antão, e foram ministradas por professores do Rotary Club, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e do Sebrae. “Atividades como essa têm um efeito forte na questão da auto-estima e do empoderamento pessoal, abre novas portas e mostra outras possibilidades”, destaca o coordenador técnico do Case Vitória, Valdir Peixoto.

    Seguindo para a sua segunda etapa, o projeto irá promover a saúde visual desses adolescentes, por meio de consultas de rotina e exames oftalmológicos realizados pela Fundação Altino Ventura, além de cirurgias. “Há uma carência muito grande, especialmente no Interior, de atendimentos na área de saúde e a visão tem um significado muito importante na vida da pessoa. Nesses 30 anos, a Fundação Altino Ventura tem tido a oportunidade de transformar vidas. Deparamos com muitos casos simples, que com apenas um auxílio ótico, conseguimos contribuir com a reinserção desse paciente na sociedade e aumentar a sua auto-estima”, destacou o gerente de convênios Fundação, José Vieira.

     O projeto está imbuído de uma nova mentalidade de combate à exclusão social, fortalecimento da política de redução de iniquidades e promoção de igualdade racial no estado de Pernambuco e uma gestão eficiente do processo de formação crítica e cidadã. “Este é um projeto de inclusão, visando a diminuir não só a vulnerabilidade daqueles que não podem competir no mercado de trabalho, pois já iniciam em desvantagem, mas diminuir essas diferenças”, disse o coordenador e presidente executivo do Polo de Inovação e Saúde, Recipolis, Jean Rocha.

     O projeto é realizado em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Social Criança e Juventude (SDSCJ), a Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase), as Secretarias Municipais de Educação e de Saúde, a Associação Polo de Inovação em Saúde do Recife (Recipolis) e a Fundação Altino Ventura.

    Cidades: Vitória de Santo Antão
    Assuntos: case, sdscj, funase
    Compartilhe: Link para o post:
  • Reeducandos vinculados ao Patronato Penitenciário começam a trabalhar na Prefeitura de Petrolina

    | Direitos Humanos

    petrolina


    O município de Petrolina, no Sertão do Estado, está com nova equipe de trabalhadores na área de limpeza urbana e na varrição das ruas. Um grupo de 21 reeducandos do regime aberto e livramento condicional iniciou as atividades nessa quinta-feira (20). 

    A iniciativa faz parte de um convênio assinado entre a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH), por meio do Patronato Penitenciário, e a prefeitura do município, que disponibilizou 200 vagas.  A parceria de empregabilidade também é executada pelas prefeituras do Recife, Jaboatão dos Guararapes e Olinda.

    Os amarelinhos, como são chamados esses reeducandos em Petrolina, vão trabalhar das 8h às 17h, e cada um será remunerado com o salário mínimo (R$ 937,00) e vale transporte.

    De acordo com o setor de Empregabilidade do Patronato Penitenciário, atualmente 534 reeducandos do regime aberto e livramento condicional trabalham no estado por meio de convênios públicos e privados.  “O objetivo é dar oportunidades de emprego para que eles não voltem a delinquir”, explica Josafá Reis, superintendente do órgão.

    Cidades: Petrolina
    Assuntos: sjdh, patronato penitenciario, petrolina
    Compartilhe: Link para o post:
  • Reeducandos de Pesqueira viram cordelistas

    | Direitos Humanos
    cordel

    A poesia em forma de cordel faz parte da realidade dos detentos do Presídio Desembargador Augusto Duque (PDAD), em Pesqueira. Há quatro meses, os alunos do Projeto de Educação de Jovens e Adultos (EJA), da Escola Professora Odete de Andrada Alves, que funciona dentro da unidade prisional, estão inseridos no Projeto “Nas Linhas da Minha Poesia Busco a Realidade”.

    A ideia partiu da professora Sandra Silva e com o apoio da equipe formada por um educador de apoio, duas professoras e um apoiador pedagógico, fez com que os reeducandos pudessem retratar, através da cultura nordestina, seus anseios, sentimentos de amor, angústias e formas variadas de enxergar a realidade de dentro do cárcere.

    “A leitura, a arte, o esporte, entre tantas outras atividades inseridas no calendário das unidades prisionais de Pernambuco são preciosos instrumentos no processo de ressocialização. Os cordéis, em sua essência, traduzem de forma sutil o cotidiano dos seus autores. Outro fator importante é que ao desenvolvermos esse tipo de atividade lúdica também estamos estimulando outras esferas pedagógicas” pontua o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico.

    A leitura em tom de rima faz com que o leitor viaje pela vida dos privados de liberdade envolto a sentimentos de fé, perseverança e aprendizados. São 16 alunos cordelistas, um ilustrador e 16 poemas compostos de uma a 15 estrofes. A gerência do presídio imprimirá 300 cópias para divulgação na unidade.

    “Eu pessoalmente achava que não tinha capacidade de fazer nenhum verso, mas sempre a professora incentivava explicando que cada linha que a gente fazia era um verso e a cada quatro versos era uma estrofe, aí me veio uma curiosidade e eu comecei a fazer”, conta o reeducando Márcio José de Oliveira Pinto que criou o poema Encontrei-me com Jesus.

    Já o detento Ivson Pereira Barbosa, resolveu contar em O Amor de Deus - a mais extensa de todas (com 15 estrofes) - a vida de um detento e as boas oportunidades de escolhas. “Através dessas poesias conseguimos falar mais alto e distante o que gostaríamos que todos ouvissem, expressamos muitas coisas positivas e depois ainda ficamos muito felizes”, relata.

    Cidades: Pesqueira
    Assuntos: seres, pesqueira, cordel, eja
    Compartilhe: Link para o post:
  • Garanhuns vai sediar reunião do BPC na Escola

    | Direitos Humanos
    A reunião descentralizada do Programa BPC (Benefício de Prestação Continuada) na Escola será realizada, no próximo dia 25/07, em Garanhuns. O BPC na Escola é um Programa de Acompanhamento e Monitoramento do Acesso e Permanência na Escola das Pessoas com Deficiência contempladas com o benefício social. O evento é uma ação da Secretaria de Desenvolvimento, Criança e Juventude (SDSCJ), sob a gestão do secretário Roberto Franca, por meio da Secretaria Executiva de Assistência Social, dirigida por Socorro Araújo.  

    O encontro é destinado a representantes do Grupo Gestor Municipal dos seguintes municípios Quipapá, São Benedito do Sul, Lagoa dos Gatos, Belém de Maria, Jaqueira, Maraial, Catende, Xexéu, Palmares, Joaquim Nabuco, Cortês, Ribeirão, Amaraji, Primavera, Água Preta, São José da Coroa Grande, Barreiros, Tamandaré, Rio Formoso, Gameleira, Sirinhaém, Águas Belas, Iati, Bom Conselho, Terezinha, Saloá, Paranatama, Garanhuns, Brejão, Lagoa do Ouro, Correntes, Palmeirina, São João, Jucati, Capoeiras, Caetés, São Bento do Una, Jupi, Calçado, Angelim, Canhotinho, Jurema e Lajedo.
     
    O objetivo do evento é acompanhar as ações planejadas e executadas para o enfrentamento das principais barreiras, que dificultam o acesso e a permanência dos beneficiários do Programa BPC na Escola na rede pública de ensino.

    A reunião terá como público-alvo os representantes do grupo gestor municipal composto pelas Políticas de Assistência Social, Saúde, Educação e Direitos Humanos, além de técnicos dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e profissionais da Previdência Social.
     
    SERVIÇO:
    Evento: Reunião Descentralizada do Programa BPC na Escola.
    Onde: Gerência Regional de Educação - GRE Garanhuns, situada na Praça Tavares Corrêa, 52, Heliópolis - Garanhuns.
    Quando: 25 de julho de 2017
    Horário: 8h30 às 13h30
    Assuntos: bpc, sdscj
    Compartilhe: Link para o post:
  • Patronato Penitenciário lança maior programa de qualificação profissional para reeducandos de PE

    | Direitos Humanos

    Patronato

    O Patronato Penitenciário, órgão de execuções penais vinculado à Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH), lançou nesta quarta-feira (19) o maior programa de qualificação profissional para reeducandos de Pernambuco. O anúncio da abertura de 2.025 vagas em cursos para reeducandos do regime aberto e livramento condicional foi feito pelo secretário Pedro Eurico, na sede do órgão, no bairro de São José, no Recife. 

    Ao todo serão oferecidos nove cursos, em parceria com a Associação Brasileira de Desenvolvimento Econômico e Social dos Municípios (ABDESM), por força de convênios oriundos de emendas parlamentares, sem ônus para o estado. Os cursos são: Mecânica de Moto, Pedreiro Geral, Pedreiro Revestidor, Doces e Salgados, Encanador, Eletricista Geral, Eletricista Predial, Pintura Predial e Gesseiro.

    Durante o evento também foi realizada a aula inaugural do primeiro curso, o de Mecânica de Moto, para 100 reeducandos presentes. Cibele Martins Souza, 35, é uma das alunas. Após passar quatro anos numa unidade prisional, ela está disposta a se qualificar e voltar a trabalhar. “Quando saímos do cárcere não temos muito apoio e o Patronato Penitenciário me deu a atenção e a oportunidade de retornar ao mercado de trabalho. O setor psicossocial também foi muito importante. Começar é difícil, mas recomeçar é mais ainda”, revela. 

    “Vamos trabalhar para fazer uma ponte entre vocês, que estão se preparando profissionalmente, e as empresas conveniadas com o Patronato para que haja a contratação do maior número de participantes possível, com a maior celeridade possível também” pontuou Eurico.

    O Setor Educacional do Patronato Penitenciário ficará responsável pelo cadastramento, organização, acompanhamento e avaliação dos cursos. De acordo com a Lei de Execução Penal, a assistência educacional do Estado visa proporcionar a instrução escolar e a formação profissional do reeducando. O ensino profissional deverá ser ministrado em nível de iniciação ou de aperfeiçoamento técnico.

     O curso de Mecânica de Moto terá 80 horas/aula e será realizado de segunda a sexta-feira, pela manhã e à tarde, em dois locais: na Igreja Internacional Palavra Viva, localizada na rua 79, nº 200, bairro de Maranguape I, Paulista; e na rua Siqueira Campos, 1508, Edifício Brasília, 15º andar, Recife. As aulas seguem até o dia 07 agosto. Os demais cursos serão realizados na sequência, até o mês de dezembro.

    O evento também contou com a participação da secretária-executiva de Justiça e Promoção dos Direitos do Consumidor, Mariana Pontual, e do superintendente do Patronato Penitenciário, Josafá Reis. 

    Cidades: Recife
    Assuntos: sjdh, abdesm, patronato penitenciario, pedro eurico
    Compartilhe: Link para o post:
  • Projeto Minha Certidão é garantia de cidadania a recém-nascidos

    | Direitos Humanos
    Certidão

    Américo e Jocilene exibiram orgulhosos a certidão do bebê recém-nascido

    Instalado em hospitais de 83 municípios de Pernambuco, o projeto traz pioneirismo ao estado na adoção do Programa de Erradicação de sub-registro e Documentação Civil Básica, do Governo Federal.

    O programa Minha Certidão, que realiza a missão de certidão gratuita para recém-nascidos em 83 hospitais no Estado, ocupa a liderança com menor índice de crianças recém nascidas sem registro no Nordeste (4,3%), e a meta é zerar este índice. A afirmativa é do gerente de Políticas para Juventude da Secretaria Executiva de Políticas para a Criança e Juventude (SEPCJ), MacDouglas de Oliveira. “Em 2008, eram 11,8% recém-nascidos sem registro no Estado. Somos o melhor percentual do Nordeste, que registra 11,9% em média”, diz.

    Joelmir Betting (sim, um homônimo do falecido jornalista), 26 anos, ainda estava muito emocionado com o nascimento de Heloísa, sua primeira filha. Emoção semelhante ele também sentiu quando recebeu a Certidão de Nascimento dela, horas após de sua esposa ter dado à luz. O registro é um serviço oferecido gratuitamente pelo projeto Minha Certidão, da Secretaria Executiva de Políticas para a Criança e Juventude (SEPCJ), em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde e o programa Mãe Coruja.

    “É um serviço muito importante. Sem burocracia e com muita agilidade”, declara Betting, feliz por ser pai pela primeira vez. O Minha Certidão funciona numa pequena sala em hospitais de 83 municípios de Pernambuco, estado pioneiro na adoção do Programa de Erradicação de Subregistro e Documentação Civil Básica, do governo federal. “O nome Minha Certidão foi intitulado aqui no Estado, que é responsável pelos registros na maternidade”, explica Cristina Cabral, da ​Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude (SEPCJ) e Coordenadora do Programa Minha Certidão.

    Roberta Silva, secretária do Hospital da Mulher (HM), explica que "para a pessoa receber a certidão já no hospital, sem qualquer burocracia, basta trazer um documento com foto – RG, Carteira de Habilitação, de Trabalho ou a Certidão de Casamento, se for casado no civil. Se não houver união oficial, não há problema. O documento será entregue assim mesmo”, detalha Roberta, que chega a emitir, mensalmente, 120 registros. O Minha Certidão do HM é interligado ao cartório de Tejipió, zona Oeste do Recife.

    No Hospital Agamenon Magalhães (HAM), em Casa Amarela (zona Norte da capital), Américo Luiz de Melo, porteiro, 43 anos, e a mulher, Jocilene Melo, ​esperavam ansiosamente pela Certidão de Nascimento do seu primeiro filho, Jonathas. “Esse programa (Minha Certidão) é muito interessante. Facilita – e muito – a vida da gente. Não precisa ir a cartório e nem pegar ônibus, principalmente para mim, que moro em Carpina (Mata Norte pernambucana)”, afirma. 

    Antônia Valéria, secretária da maternidade do HAM, explica que o Minha Certidão de lá é ligado ao cartório do Poço da Panela, comunidade próxima a Casa Forte, bairro também da zona Norte recifense. Para ela, emitir registros e presenciar a felicidade dos pais é muito gratificante. “Amo de paixão o meu trabalho”, confessa.

    João Suassuna, titular da SEPCJ, informa que a experiência exitosa do Minha Certidão já inspira outros estados da Federação. “Mato Grosso, Rondônia, Acre, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Alagoas, Amapá e o Maranhão se espelharam no nosso Sistema Estadual de Registro Civil (SERC, nome oficial do Minha Certidão) e já implantaram suas experiências”, comemora Suassuna. Pernambuco aderiu ao programa federal em 2007.

     

    Assuntos: sepcj, saude, mae coruja, projeto minha certidão, sdjh,
    Compartilhe: Link para o post:
  • CEDCA comemora 27 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA

    | Juventude, Direitos Humanos, Infância

    Nova versão do Estatuto foi lançada ontem em Pernambuco

    Cerca de 600 pessoas participaram da comemoração dos 27 Anos do Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA, promovida pelo Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente – CEDCA/PE. O evento que aconteceu no auditório do Banco Central do Brasil, teve por objetivo discutir os avanços e desafios na implementação do ECA.

    Na abertura do evento, os presentes tiveram a oportunidade de assistirem a apresentação cultural de crianças e adolescentes da Instituição filantrópica Cidade Evangélica dos Órfãos – CEO, que tem sua sede no distrito de Bonança, do município de Moreno.  Essa instituição foi fundada em 5 de julho 1964. Neste mês completou 53 anos de atividades voltada ao acolhimento de crianças e adolescentes.

    Após esse momento o presidente do CEDCA, Eduardo Figueiredo, destacou a importância da política em defesa da criança e do adolescente. “A nossa luta é diária. Precisamos cada vez mais assegurar os direitos da criança e do adolescente no Estado de Pernambuco”. Ele ainda ressalta que “essa política é construída com respeito e com prioridade”, afirmou.

    Esteve presente também na solenidade o secretário de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude, Roberto Franca. Ele ressaltou o Estatuto como sendo uma das maiores conquistas em defesa das crianças e adolescentes: “O direito da criança e do adolescente expressado no ECA é o mais avançado do mundo. Sabemos que por si só, ele não tem o poder de garantir todos os direitos, mas temos a certeza de que avançamos muito saindo do código de menores para o Estatuto”, declarou.

    Um dos momentos importante do evento, foi a apresentação da conselheira e vice-presidente do CEDCA/PE, Lourdes Viana que historiou os 27 anos do ECA, antes mesmo de sua criação. Também houve a apresentação dos respresentates da Escola de Conselhos de Pernambuco, vinculada a Universidade Federal Rural de Pernambuco. Na ocasião, o professor Humberto Miranda falou sobre o Plano Pedagógico da Escola de Conselhos. Já em outro momento, o professor Almir Básio lançou o projeto de formação Conhecer para Fortalecer.

    Encerrando a solenidade, teve o lançamento do livro “Eu Sou a Lei”, de autoria de Silvino Neto. Esse livro retrata, segundo Silvino, “a prática menorista, decididas por decisões arbitrárias, que no intuito de defender crianças e adolescentes, colocam o Sistema de Garantia de Direitos em constante ebulição.

    ECA - É o conjunto de normas do ordenamento jurídico brasileiro que tem como objetivo a proteção integral da criança e do adolescente, aplicando medidas e expedindo encaminhamentos para o juiz. É o marco legal e regulatório dos direitos humanos de crianças e adolescentes.

     

    Texto: Jacqueline Bezerra
    Fotos: Sheila Marques
    Assuntos: Não há assuntos relacionados.
    Compartilhe: Link para o post:
  • Núcleos de mediação comunitária para a prevenção à violência e o fortalecimento da cultura da paz

    | Direitos Humanos

    Termo de Cooperação Técnica foi assinado com quatro ONGs a para implantação de oito núcleos comunitários em seis bairros da região Metropolitana do Recife.

    Fortalecer a política de mediação comunitária de conflitos. Com este objetivo, a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH), através da Secretaria Executiva de Direitos Humanos (SEDH), firmou parceria com quatro Organizações Não Governamentais (ONGs) para implantação de oito núcleos comunitários em seis bairros da região Metropolitana do Recife. A solenidade que marcou assinatura do Termo de Cooperação Técnica com as instituições aconteceu na manhã desta terça-feira (18/07), no prédio da SEDH, no bairro do Espinheiro. O grupo que vai atuar nos núcleos também vai participar de curso de formação em Direitos Humanos e Mediação Comunitária.

    Secretário Executivo de Direitos Humanos, Eduardo Figueiredo, destaca que o resgate da política de mediação comunitária dialoga com prevenção da violência e a cultura de paz. “Os núcleos de mediação de conflitos se configuram como uma importante ferramenta de pacificação de conflitos dentro das comunidades. Ao fortalecer a atuação desses grupos comunitários, os pequenos conflitos podem ser resolvidos ali mesmo, sem a necessidade de judicialização. São pessoas comuns com a sensibilidade e o compromisso de ajudar na redução dos índices de violência dentro dessas comunidades.”

    Os núcleos comunitários serão implantados e geridos pelas instituições com o apoio do Governo do Estado, através da SJDH e SEDH. A parceria foi firmada com as instituições: Coletivo Mulher Vida, Grupo Ruas e Praças, Cáritas Brasileira NE2 e Grupo Adolescer, que vão implementar espaços em seis bairros da RMR, de acordo com a área de atuação das ONGs. São eles: Caranguejo Tabaiares, Santo Amaro, Arruda, Fundão, Rio Doce e Ilha de Santana/Jardim Atlântico.

    Para Ricardo Rian, coordenador do projeto que reúne as instituições executoras dos núcleos comunitários, a iniciativa contribui para o desenvolvimento social, fortalecendo a cultura de paz. “Esse ato, mas do que assinar um documento, representa a integração do Estado e sociedade civil, que dão as mãos em torno de um objetivo em comum. É essa sinergia, numa perspectiva de complementaridade, que somamos forças para atuar nessas comunidades”, destaca.

    Coordenadora interina do Programa de Mediação de Conflitos, Alessandra Lima, ressalta a importância dos núcleos nas comunidades. “A mediação de conflitos nada mais é do que a mediação feita na comunidade, pela comunidade e com a comunidade. Esses núcleos serão espaços de transformação social”, comemora.  

    Na solenidade também foi ministrada a Aula Magna que marcou o início do curso de formação em Direitos Humanos e Mediação Comunitária. Com o tema “Cultura de Paz”, a palestra foi ministrada pelo professor Marcelo Pelizzoli. Autor de 17 livros publicados, Pelizzoli é coordenador do Espaço de Diálogo e Reparação da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e membro fundador da Rede Justiça Restaurativa de Pernambuco.

    SJDH

    -- 

    Assuntos: sdjh, sedh, nucleos comunitários, prevençao violencia, direitos humanos,
    Compartilhe: Link para o post: