meteorologia

Bacias Hidrográficas

Obra em todo lugar

Veja o que o Governo de Pernambuco está fazendo na sua região.

Blog de notícias

  • Cais do Sertão lança projeto “Cais do Sertão nos bairros”

    | Cultura

    cais

    Ação convida o público a vivenciar a experiência de uma visita ao equipamento, com auxílio de realidade virtual. A  primeira parada do projeto itinerante será no bairro do Ibura, no Recife

     O Cais do Sertão vai levar informações e  histórias da cultura sertaneja e de Luiz Gonzaga para a população dos bairros do Recife. O lançamento do projeto itinerante “Cais do Sertão nos bairros” acontece neste domingo (22), no bairro do Ibura, zona sul do Recife, das 14 às 17h, durante o Recife de Coração nos bairros - ação promovida pela Prefeitura do Recife.

    A ação constitui em um cubo de madeira com lona, intitulado “Cubo Sertanejo”, onde as pessoas serão convidadas a entrar e terão a experiência de vivenciar o Cais do Sertão por meio da visão e audição. Óculos 360° de realidade virtual mostrarão o interior do museu ao som das músicas de Luiz Gonzaga.  

    “Nosso objetivo é disseminar o Cais do Sertão para os recifenses. Queremos que as pessoas conheçam o equipamento, que apresenta as raízes da cultura nordestina, a vida sertaneja e a história do mestre Gonzaga. A ação do “Cubo Sertanejo” vai apresentar, de uma forma tecnológica, as belezas e encantos do museu”, comenta o vice-presidente da Empetur, Ciro Couceiro.

    Serviço:
    “Cais do Sertão nos bairros”
    Local: Rua Rio da Prata no Ibura de Baixo
    Data: 22/04/2018
    Hora: das 14h às 17h

    Assuntos: seturel, cais do sertao, cubo sertanejo, cultura
    Compartilhe: Link para o post:
  • Pernambuco lidera crescimento de argentinos no Brasil

    | Economia, Cultura

    aeroporto

    A empresa espanhola Forwardkeys estima um crescimento 80% superior no número de argentinos no Estado, até o fim do primeiro semestre de 2018, em relação ao mesmo período do ano passado.

    Pernambuco é líder absoluto no Brasil na chegada de turistas argentinos. Até junho de 2018, o crescimento esperado no número de argentinos no Estado será 80% superior ao mesmo período do ano passado, entre janeiro a junho. A estimativa foi apresentada pela Forwardkeys - empresa global que trabalha com antecipação de demanda - na última terça-feira (17), em Buenos Aires, durante o WTTC Summit 2018. O estudo teve como base as reservas de viagens realizadas a partir da América do Sul e Caribe, e revelou ainda que Pernambuco segue à frente na preferência dos vizinhos sul-americanos em relação a estados como Santa Catarina (47,8%), Rio de Janeiro (23%), São Paulo (16,5%) e Bahia (8,1%).

    Em 2017, Pernambuco recebeu mais 110 mil turistas vindos da Argentina, um crescimento de 543% comparado ao mesmo período de 2014 - ano de Copa do Mundo - quando foram 17 mil visitantes. A escolha de Pernambuco como destino pelos argentinos tem sido demanda inclusive para o aumento de frequências aéreas e lançamento de novos voos. No último mês de março, entraram em atividade as novas rotas de Córdoba e Rosário, operadas pela Azul. Além dos novos voos, uma nova frequência da Latam para Buenos Aires será lançada ainda no primeiro semestre de 2018, além das três ligações já existentes entre o Estado e a capital  argentina. Vale ressaltar que os novos voos vêm atender principalmente uma demanda dos próprios argentinos.

    A política de conectividade aérea adotada a partir de 2015, quando o Governo de Pernambuco, através da Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer, começou a multiplicar a presença de turistas no Estado, e consequentemente a dos argentinos, foi fundamental para esse crescimento. Desde a chegada dos dois voos já em operação, pela Latam (2015) e Gol (2016), o número dos nossos vizinhos sul-americanos só cresce. Em 2014, o Estado recebeu 17 mil turistas argentinos; em 2015, 26 mil; em 2016, 56 mil e em 2017, 110 mil.

    "Comparando os números com o início da política de expansão aérea do Governo Paulo Câmara com o cenário atual, constatamos um crescimento de mais de 500% no número de argentinos que chegaram em Pernambuco. A intenção é aproveitar esta curva ascendente e potencializar a vinda dos visitantes para o Estado, através de ações estruturais, capacitação dos profissionais do turismo e divulgação dos destinos que vão além do Litoral Sul, o principal destino dos argentinos", comenta a secretária em exercício de Turismo, Esportes e Lazer, João Vinícius Figueiredo.

    Em 2018, o cenário se mantém animador. Só nos três primeiros meses de 2018, Pernambuco já recebeu 48 mil turistas argentinos, um incremento de 134% em relação ao mesmo período de 2017, quando cerca de 16 mil hermanos desembarcaram no Estado. Para a economia, o momento também é favorável. O fortalecimento das moedas estrangeiras também contribuiu para facilitar a vinda de turistas internacionais para Pernambuco e potencializou o valor do Gasto Médio Diário Individual (GMID) por aqui. Em 2017, o GMID dos argentinos foi de R$ 175,78 e a permanência foi de 11 dias. No total, só os portenhos injetaram R$167.986.222,09 nos cofres pernambucanos, o que representa um crescimento de 118,36% em relação a 2016.  

    Assuntos: secult, seturel, paulo camara, turismo, governo de pernambuco, argentina,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Programa Mãe Coruja realiza oficinas de atividades culturais

    | Saúde, Cultura

    Ação acontece no Sertão e é voltada para gestantes e crianças

    Com o objetivo de fortalecer a prática do brincar e a vivência em atividades culturais, o Programa Mãe Coruja Pernambucana realiza, nos dias 18 e 19 de abril, oficinas voltadas para mulheres, gestantes e crianças nos municípios sertanejos de Parnamirim, Terra Nova, Moreilândia e Exu. As atividades fazem parte do projeto “Cultura nos Cantos”, realizado em parceria com a Secretaria de Cultura de Pernambuco/ Fundarpe.

     Na oficina “É Brincando que se Aprende”, que acontece no dia 18, das 9 às 12h em Parnamirim, e no dia 19, no mesmo horário, em Moreilândia, os participantes poderão vivenciar aspectos do universo da palhaçaria, tendo-se em vista a compreensão do lúdico como canal potencializador da autoestima, superação e expressão artística.  

     Na ocasião serão realizadas rodas de conversa, jogos de interação e improviso, dublagem e criação de coreografias em grupo, compartilhamento de histórias e experiências pessoais, entre outras dinâmicas. A atividade será ministrada pela jornalista, atriz e palhaça Ana Nogueira.  

    Já na oficina “Família: Coração Cheio de Memórias e Poesia”, que ocorre no dia 18, das 14 às 17h, em Terra Nova, e no dia 19, no mesmo horário, em Exu, a proposta é promover a convivência em família e sociedade, o fortalecimento dos vínculos e memórias afetivas, através do uso da música, poesia, e danças como ciranda. A atividade será ministrada pela contadora de histórias Adélia de Oliveira.

    MÃE CORUJA – O Programa Mãe Coruja Pernambucana tem como objetivo prestar atenção integral às gestantes usuárias do Sistema Único de Saúde (SUS) e aos seus filhos, garantindo a eles um desenvolvimento saudável e harmonioso durante os primeiros cinco anos de vida.

    Com presença em 105 municípios, representa uma parceria entre o Governo de Pernambuco, prefeituras e a sociedade civil, funcionando de modo intersetorial, com ações nos eixos de Saúde, Educação, Assistência Social e Desenvolvimento Infantil.

    O Mãe Coruja foi implantado nos municípios de Parnamirim, Exu e Moreilândia no ano de 2008, já tendo cadastrado 1.526 mulheres e 1047 crianças (Parnamirim), 3731 mulheres e 2900 crianças (Exu) e 1008 mulheres e 1026 crianças em Moreilândia. Em Terra Nova, o programa chegou em 2012, já tendo cadastrado e acompanhado 777 mulheres e 694 crianças nascidas vivas no município. Em toda sua história, desde 2007, o Mãe Coruja já cadastrou e acompanhou mais de 214 mil gestantes e 142 mil crianças pernambucanas. 

     Programação das Oficinas

    18/04/2018

    Parnamirim - Oficina “É Brincando que se Aprende”

    Horário: 9 às 12h

    Local: Auditório do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) 
    Endereço: Loteamento Simpatia I, s/n. Bairro Simpatia, Parnamirim (Próximo a UBS Leopoldina)
    Público-alvo: Mulheres, gestantes e crianças cadastradas no Mãe Coruja (40 participantes)

    Terra Nova - Oficina “Família: Coração Cheio de Memórias e Poesia”

    Horário: 14 às 17h
    Local: Mirante Clube de Terra Nova
    Endereço: Avenida Agamenon Magalhães, Centro, Terra Nova 
    Público-alvo: Mulheres, gestantes e crianças cadastradas no Mãe Coruja (40 participantes)

     19/04/2018

    Moreilândia - Oficina “É Brincando que se Aprende”

    Horário: 9 às 12h

    Local: Clube do Idoso
    Endereço: Rua José Miranda, s/n, Centro, Moreilândia 
    Público-alvo: Crianças (a partir de 6 anos) e gestantes vinculadas ao Mãe Coruja (40 participantes)

    Exu - Oficina “Família: Coração Cheio de Memórias e Poesia” -

    Horário: 14 às 17h
    Local: Quadra Poliesportiva
    Endereço: Rodovia Asa Branca, BR 122 (após o açude Itamarati, na entrada do município), Exu
    Público-alvo: Mulheres, gestantes e crianças cadastradas no Mãe Coruja (40 participantes)

    Assuntos: secult, fundarpemae coruja, sus, saude, oficinas
    Compartilhe: Link para o post:
  • Tem início os torneios de Handebol e Vôlei nos Jogos Escolares de Pernambuco

    | Esportes, Cultura

    inter

    Começo das competições conta com estreia da escola Santa Maria de Abreu e Lima, que nunca haviam participado dos JEPS.  

    Recife, 17 de abril de 2018 - A 59ª edição dos Jogos Escolares de Pernambuco segue em seu ritmo de competições com o início das disputas nas modalidades de handebol e vôlei, na fase Regional Metropolitana dos jogos, na última segunda-feira (16).

    Antes da primeira partida do handebol, as alunas-atletas puderam conversar com Cleryston Novais, jogador do Sport Club do Recife e da Seleção Brasileira. Para a estreia do voleibol Marcus Vinicius, ponteiro da Uninassau que teve seu começo no esporte nos JEPS, foi quem dialogou e tirou dúvidas das alunas-atletas.

     Os JEPS tiveram um aumento de 20% no número de escolas inscritas nas competições coletivas em 2018 no comparativo com 2017, e isso ficou muito claro hoje, com a estreia do Colégio Santa Maria, de Abreu e Lima, que nunca havia disputado os Jogos Escolares de Pernambuco, contra o Anglo Líder.

    “Vale a experiência” ressaltou Eduarda Letícia, destaque do Santa Maria. “É uma boa experiência, a gente não ganhou, mas valeu a pena, a gente se esforçou, treinou muito mais do que de costume e vão ter outros jogos pela frente, e também foi ótimo ter a chance de escutar um jogador profissional”, comentou Eduarda.

    Para a primeira partida do vôlei, Marcus Vinicius falou sobre sua experiência e a importância de eventos como os Jogos Escolares na formação de atletas. “Para mim foi muito bom começar pelo JEPS, foi onde eu peguei gosto pelo vôlei, me deu a oportunidade de participar de uma competição nacional, onde conheci atletas de um nível mais alto que serviram de espelho para que eu procurasse melhorar” conta o ponteiro.

    “São mais duas modalidades com o pontapé inicial dado e dando a oportunidade para os alunos de interagirem diretamente com profissionais, atletas que já passaram pelos desafios que eles estão passando. É importante demais esse contato não só pelos estudantes, mas também para trazer os atletas para mais perto do esporte de base” explica Diego Pérez, secretário executivo de Esportes de Pernambuco.

    Assuntos: secult, jogos escolares, competicao, educacao, esportes,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Editais do Funcultura Geral e da Música encerram suas inscrições nesta sexta-feira (13)

    | Cultura
    projeto

    Termina nesta sexta-feira, 13/04, o período de inscrição nos editais Funcultura Geral e da Música, realizados pelo Governo de Pernambuco, por meio da Secult-PE e Fundarpe. Devido às chuvas dos últimos dias e a fim de oferecer mais comodidade aos produtores culturais, a entrega dos projetos, nesta sexta (13), será direcionada à Estação Central Capiba/Museu do Trem (Rua Floriano Peixoto s/n, São José - Recife). O atendimento do Funcultura será estendido e funcionará das 9h às 14h. Para mais informações: (81) 3184-3026. 

    MÚSICA - O edital da música chega com o valor de R$ 4.680 milhões. Na sua 2ª edição, o Edital da Música 2017/2018 foi concebido com grandes novidades. Sua formatação está disposta em categorias, sendo que cada categoria contém níveis que representarão diferentes possibilidades de valores para o produto cultural do projeto a ser apresentado. “Numa mesma categoria, tem três tipos de tetos para encaixar seu projeto, e não um único valor, como antes era encaixado na linha. As vezes o projeto era mais arrojado e não podia, ficava amarrado ao valor fixado”, exemplifica o superintende  do Funcultura, Gustavo Araújo. Esse formato, segundo ele, representa a materialização do debate com o segmento música, na medida em que permitirá maior liberdade na apresentação dos projetos, dando ao produtor uma condição de dimensionamento mais próxima da realidade do seu projeto cultural.

    GERAL - O valor destinado aos projetos que foram selecionados dentro do edital do Funcultura Geral dividirão o montante de R$ 17.640 milhões. Sendo dividido da seguinte forma: Dança (R$ 1.904 milhões), Circo (R$ 1.220 milhões), Teatro (R$ 2.130 milhões), Ópera (R$ 437 mil), Fotografia (R$ 1.330 milhões), Literatura (R$ 1.228 milhões), Artes Plásticas, artes gráficas e congêneres (R$ 1.796 milhões), Cultura Popular e tradicional (R$2.392 milhões), Artesanato (R$ 850 mil), Patrimônio (R$ 3 milhões), Artes Integradas (R$ 445 mil), Gastronomia (R$ 486 mil) e Design e Moda (R$ 420 mil).

    Para os editais Geral e da Música, os projetos devem ser protocolados 13 de abril de 2018, no horário das 08 às 12 horas, na FUNDARPE, no Setor de Atendimento ao Produtor Cultural do FUNCULTURA (Rua da Aurora, nº 463/469 – Térreo, Boa Vista), ou pelos correios, via SEDEX, desde que postado até o último dia estabelecido para as inscrições.

    Assuntos: secult, funcultura, fundarpe, projetos, musica, inscricoes
    Compartilhe: Link para o post:
  • Olhos e ouvidos do RIO2C se voltaram à música e ao audiovisual de Pernambuco

    | Cultura

    A cena musical contemporânea e a força da produção cinematográfica do Estado impressionaram os participantes do maior encontro de criatividade e inovação da América Latina

    Sob o calor de um fim de tarde carioca, centenas de pessoas, de diversos cantos do País, se aglomeraram em frente ao palco montado na Cidade das Artes (Rio de Janeiro) no sábado, 07 de abril, para sentir um pouco da força e da beleza que marcam mais um momento da música produzida em Pernambuco. O show “Nova Cena Pernambucana”, representou o Festival de Inverno de Garanhuns na programação do Festivália, o “Festival dos Festivais” inserido na programação do Rio Creative Conference (Rio2C 2018), o maior encontro de criatividade e inovação da América Latina.

    Com direção musical de Juliano Holanda, o show apresentou a um público formado especialmente por entusiastas da nova música brasileira, jornalistas, produtores e curadores musicais os cantores AlmérioRomero Ferro e Martins; as cantoras IsaarIsadora MeloAninha Martins Flaira Ferro; e ainda os instrumentistas Amaro FreitasPhilipe Moreira Sales, Rafa B e Rogê Victor.

    “A nova cena pernambucana me encantou porque mostrou um show consistente, onde todos os artistas cantaram entre si, interpretaram canções uns dos outros. Mostraram não apenas seu trabalho, sua força individual, mas a força do conjunto. Existe uma nova cena pernambucana muito transformadora que a gente precisa dar eco, fazer com que ela ande cada vez mais”, destacou Zé Ricardo, cantor, compositor e curador do Festivália. 

    Do fazer coletivo de novos arranjos para as músicas, da generosidade e do cuidado de cada artista com as composições do outro, passando pelo clima de amizade e colaboração com figurino e maquiagem, unidade e representação definem bem o que se viu por lá. A cantora Flaira Ferro, pouco antes de interpretar – junto às outras mulheres no palco – sua composição “Coisa Mais Bonita”, fez questão de ressaltar “que cada artista presente traz consigo milhares de outros artistas que não puderam estar aqui hoje, mas que compõem a cena da música pernambucana”. Para Juliano Holanda, um dos elementos que dão unidade a esta geração de artistas é o fato de “praticamente todos terem sido formados no FIG, tanto no palco, como no público do Festival”. “Subimos com essa noção muito clara de estar representando tantos outros artistas e apresentar um recorte deste momento atual da música pernambucana”, continuou o diretor musical. 

    Em meio às treze músicas apresentadas, couberam ainda homenagens a pernambucanos consagrados cujas composições dialogam com o trabalho dos artistas no palco: “Sol e Chuva”, de Alceu Valença, “Desterro”, de Reginaldo Rossi, “Pense N’eu”, de Luiz Gonzaga, e “Preta Cirandeira”, de Lia de Itamaracá. Iluminado por Natalie Revorêdo, o show contou ainda com projeções de Gabriel Furtado desenvolvidas a partir de um mergulho nos filmes em Super8 de Jommard Muniz de Brito. “Foi a forma que encontramos de aliar a potência da nossa música à força inventiva, à busca pela liberdade e por uma linguagem própria que marca historicamente o audiovisual pernambucano”, explicou André Brasileiro, diretor artístico do show. 

    “Representando o Governo de Pernambuco, realizador do FIG, tenho certeza de que nosso objetivo foi alcançado, que era o de apresentar este novo ambiente da música pernambucana, perceber este encontro como uma grande oportunidade para divulgar nacionalmente o Festival e, especialmente, esses maravilhosos artistas que se dedicaram intensamente, que emprestaram seus talentos e suas almas para apresentar um espetáculo lindo como o que vimos”, comemorou Márcia Souto, Presidente da Fundarpe. A gestora destacou ainda que o show “refletiu a política cultural em curso no Estado, como a política de editais para ciclos festivos e do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (Funcultura) que, desde 2017, disponibiliza um edital específico para a Música, destinando cerca de R$ 4,7 milhões para projetos de circulação, gravação, manutenção de bandas, entre outras categorias”. 

    A positiva repercussão do FIG foi sentida ainda nos comentários do público, produtores musicais de reconhecimento internacional e outros artistas convidados do evento. “Convidei o FIG para fazer parte da programação porque o FIG é mais do que um festival de música, é uma experiência imperdível, por toda a pluralidade artística que ele apresenta. O Brasil precisa conhecer mais o FIG, precisa ter mais proximidade com esse importante festival que já fez tanto pela música brasileira, que revela tantos nomes e dá espaço para artistas de todos os tamanhos mostrarem sua arte”, convidou Zé Ricardo, curador do Festivália. 

    Olhos e ouvidos do RIO2C se voltaram à música e ao audiovisual de Pernambuco

    A cena musical contemporânea e a força da produção cinematográfica do Estado impressionaram os participantes do maior encontro de criatividade e inovação da América Latina

    Sob o calor de um fim de tarde carioca, centenas de pessoas, de diversos cantos do País, se aglomeraram em frente ao palco montado na Cidade das Artes (Rio de Janeiro) no sábado, 07 de abril, para sentir um pouco da força e da beleza que marcam mais um momento da música produzida em Pernambuco. O show “Nova Cena Pernambucana”, representou o Festival de Inverno de Garanhuns na programação do Festivália, o “Festival dos Festivais” inserido na programação do Rio Creative Conference (Rio2C 2018), o maior encontro de criatividade e inovação da América Latina.

    Com direção musical de Juliano Holanda, o show apresentou a um público formado especialmente por entusiastas da nova música brasileira, jornalistas, produtores e curadores musicais os cantores AlmérioRomero Ferro e Martins; as cantoras IsaarIsadora MeloAninha Martins Flaira Ferro; e ainda os instrumentistas Amaro FreitasPhilipe Moreira Sales, Rafa B e Rogê Victor.

    “A nova cena pernambucana me encantou porque mostrou um show consistente, onde todos os artistas cantaram entre si, interpretaram canções uns dos outros. Mostraram não apenas seu trabalho, sua força individual, mas a força do conjunto. Existe uma nova cena pernambucana muito transformadora que a gente precisa dar eco, fazer com que ela ande cada vez mais”, destacou Zé Ricardo, cantor, compositor e curador do Festivália. 

    Do fazer coletivo de novos arranjos para as músicas, da generosidade e do cuidado de cada artista com as composições do outro, passando pelo clima de amizade e colaboração com figurino e maquiagem, unidade e representação definem bem o que se viu por lá. A cantora Flaira Ferro, pouco antes de interpretar – junto às outras mulheres no palco – sua composição “Coisa Mais Bonita”, fez questão de ressaltar “que cada artista presente traz consigo milhares de outros artistas que não puderam estar aqui hoje, mas que compõem a cena da música pernambucana”. Para Juliano Holanda, um dos elementos que dão unidade a esta geração de artistas é o fato de “praticamente todos terem sido formados no FIG, tanto no palco, como no público do Festival”. “Subimos com essa noção muito clara de estar representando tantos outros artistas e apresentar um recorte deste momento atual da música pernambucana”, continuou o diretor musical. 

    Em meio às treze músicas apresentadas, couberam ainda homenagens a pernambucanos consagrados cujas composições dialogam com o trabalho dos artistas no palco: “Sol e Chuva”, de Alceu Valença, “Desterro”, de Reginaldo Rossi, “Pense N’eu”, de Luiz Gonzaga, e “Preta “Cirandeira”, de Lia de Itamaracá. Iluminado por Natalie Revorêdo, o show contou ainda com projeções de Gabriel Furtado desenvolvidas a partir de um mergulho nos filmes em Super8 de Jommard Muniz de Brito. “Foi a forma que encontramos de aliar a potência da nossa música à força inventiva, à busca pela liberdade e por uma linguagem própria que marca historicamente o audiovisual pernambucano”, explicou André Brasileiro, diretor artístico do show. 

    “Representando o Governo de Pernambuco, realizador do FIG, tenho certeza de que nosso objetivo foi alcançado, que era o de apresentar este novo ambiente da música pernambucana, perceber este encontro como uma grande oportunidade para divulgar nacionalmente o Festival e, especialmente, esses maravilhosos artistas que se dedicaram intensamente, que emprestaram seus talentos e suas almas para apresentar um espetáculo lindo como o que vimos”, comemorou Márcia Souto, Presidente da Fundarpe. A gestora destacou ainda que o show “refletiu a política cultural em curso no Estado, como a política de editais para ciclos festivos e do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (Funcultura) que, desde 2017, disponibiliza um edital específico para a Música, destinando cerca de R$ 4,7 milhões para projetos de circulação, gravação, manutenção de bandas, entre outras categorias”. 

    A positiva repercussão do FIG foi sentida ainda nos comentários do público, produtores musicais de reconhecimento internacional e outros artistas convidados do evento. “Convidei o FIG para fazer parte da programação porque o FIG é mais do que um festival de música, é uma experiência imperdível, por toda a pluralidade artística que ele apresenta. O Brasil precisa conhecer mais o FIG, precisa ter mais proximidade com esse importante festival que já fez tanto pela música brasileira, que revela tantos nomes e dá espaço para artistas de todos os tamanhos mostrarem sua arte”, convidou Zé Ricardo, curador do Festivália. 

    Assuntos: secult, funcultura, governo de pernambuco, fig, festival, rio creative conference
    Compartilhe: Link para o post:
  • Governo de Pernambuco prorroga período de inscrições no Edital Nacional do FIG 2018

    | Cultura
    Artistas podem enviar propostas de programação até 17 de abril 

    Por meio da Secult-PE e da Fundarpe, o Governo de Pernambuco prorrogou o período de inscrições no Edital Nacional do 28º Festival de Inverno de Garanhuns. Artistas de todo o País têm até o dia 17 de abril para participar.

    Marcação importante no calendário cultural do Estado e no roteiro nacional de eventos deste perfil, o FIG 2018 vai acontecer no mês de julho, oferecendo centenas de atividades gratuitas de fruição e formação em todas as áreas culturais e linguagens artísticas.

    Para Marcelino Granja, Secretário Estadual de Cultura, "em mais uma edição, as marcas do FIG serão a reafirmação de nossa identidade como um povo de enorme diversidade cultural e do intercâmbio entre grupos e artistas das mais diversas expressões". Márcia Souto, presidente da Fundarpe, reforça que "o FIG é ainda uma oportunidade imperdível de convivência da tradição com a novidade, da cena cultural consolidada com a experimentação artística, elementos essenciais à renovação e à vitalidade da nossa cultura".

    Propostas de shows, cortejos, performances, intervenções, recitais, vivências criativas, espetáculos, desfiles, exposições, mostras, ações de gastronomia e patrimônio cultural, entre outras atividades, podem ser enviadas ao Edital.

     Confira o edital e seus anexos no link: http://www.cultura.pe.gov.br/editais/fig-2018-edital-nacional/

     A Prefeitura de Garanhuns é parceira do Festival.

    Todas as notícias oficiais sobre o FIG 2018 serão primeiramente veiculadas no site: www.cultura.pe.gov.br/fig2018.

    Assuntos: secult, fundarpe, governo de pernambuco, fig 2018,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Cais do sertão comemora 4 anos com ensaio de quadrilhas juninas

    | Turismo, Cultura

    esi

    A Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco, por meio do Centro Cultural Cais do Sertão, promove neste domingo (08),  a ação Anavantú - Cais do Sertão.  O evento acontecerá em todos os domingos de abril até maio, a partir das 14h, no Espaço Umbuzeiro - Vão Livre do Cais do Sertão. O ensaio é aberto ao público.

    Localizado na Av. Alfredo Lisboa, o Cais do Sertão, está comemorando quatro anos de atividade, e em favor disso, foi criado a ação Anavantú, que tem o objetivo de promover investimentos nas quadrilhas juninas do Estado, buscando fortalecer a cultura popular nordestina.

    E para fortalecer a comemoração, o evento contará com várias quadrilhas representantes do nosso Pernambuco,  dentre delas estão: Tradição, Fusão, Raio de Sol, Zabumba, Sapeka, Dona Matuta e Raízes Nordestinas.

    O evento tem parceria com a Federação de Quadrilha Juninas de Pernambuco (FEQUAJUPE), a Liga das Quadrilhas Juninas de Pernambuco (LIQUAJU), a Fundarpe e o MobiBrasil.

    Serviço:

    Anavantú - Ensaio de Quadrilhas Juninas no Cais do Sertão
    Quando: 08, 15, 22 e 29 de abril de 2018
    Horário: a partir das 14h
    Local: Espaço Umbuzeiro - Vão Livre do Cais do Sertão
    Entrada: Aberto ao público

    Assuntos: secult, centro cultural cais do sertão, Quadrilhas Juninas
    Compartilhe: Link para o post:
  • Sead e sistema Secult/Fundarpe oferecem capacitações para artistas com deficiência

    | Cultura

    As oficinas reuniram mais de 50 artistas e produtores culturais, além de representantes de ONGs que trabalham com pessoas com deficiência

     A Superintendência de Apoio à Pessoa com Deficiência (Sead) se uniu a Secretaria de Cultura de Pernambuco (Secult-PE) e a Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe) para oferecer oficinas culturais para artistas e produtores com deficiência. O Ciclo de Capacitação do Funcultura Geral e Música aconteceu na  quinta (05) e sexta-feira (06), na sede da Sead, no bairro de Santo Amaro e teve a participação mais de 50 artistas e produtores culturais, além de representantes de ONGs que trabalham com pessoas com deficiência que atuam no conjunto da cadeia cultural do Estado. 

    A capacitação ofereceu conteúdos práticos e divulgou informações necessárias para a elaboração de projetos que buscam o apoio do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (Funcultura). Para o superintendente da Sead, Edimilson Silva, o evento é mais uma ação de fundamental importância na garantia de direitos das pessoas com deficiência. “Com as oficinas, conseguimos levar informação e valorizar os artistas com deficiência garantindo um direito que temos. O momento foi uma maneira de esclarecer como é possível ter acesso ao fundo cultural e incentivar o trabalho desses artistas e produtores”, destaca.

    De acordo com a presidente da Fundarpe, Márcia Souto, a ação pretende contribuir para o processo de descentralização e regionalização no acesso aos editais de Música e Geral 2017/2018. “A inclusão de pessoas com deficiência nas políticas públicas tem sido uma meta crescente em governo por todo país, e aqui em Pernambuco tem acontecido de forma transversal, e ganhado cada vez mais importância. Não temos dúvidas que representa um fortalecimento de nossa cidadania em torno dessa temática”, pontua.  

    Durante a capacitação, a coordenadora de apoio à Gestão Funcultura, Laudijane Domingos, pontuou a importância dos projetos sejam acessíveis para pessoas com mobilidade reduzida ou com deficiência e incluírem ações comunicacionais, como libras, áudio descrição, braille, legenda para surdos e ensurdecidos e outros. “Queremos que todo o Estado tenha acesso ao fundo e que a população com um todo consiga consumir produtos culturais, por isso sempre recomendamos que os projetos tenham pelo menos uma forma de acessibilidade”, destaca.

     O músico Márcio de Moraes, 39 anos, é um dos nomes que marcou presença na capacitação. Ligado a cena musical pernambucana desde os 23 anos, ele destaca que a oficina foi um momento único para a garantia de igualdade às pessoas com deficiência. “De maneira geral, os artistas têm uma dificuldade muito grande em relação a incentivos e patrocínio, por exemplo. As pessoas com deficiência têm ainda menos oportunidades. Não há apoio e valorização, não somos incluídos e nem temos destaques nos eventos. Essa ação é muito importante por garantir a oportunidade de evolução e valorização do artista com deficiência. Queremos que nos enxerguem como profissionais e nos valorize pelo nosso trabalho”, ressalta.  

    Assuntos: sead, secult, funcultura, fundarpe, capacitacao, artistas
    Compartilhe: Link para o post:
  • Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco entrega pacotes de obras no Cais de Santa Rita, no Recife

    | Cultura

    set

    Com o intuito de requalificar e reordenar o comércio na região central do Recife, O Governo de Pernambuco, por meio da Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer, através do Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur), realiza a entrega do pacotes de obras no Cais de Santa Rita, nesta quinta-feira (5). Entre as melhorias estão o novo Mercado das Flores, a coberta de toda área e a requalificação do Pátio da Feira.

    Com um investimento total de 7,3 milhões provenientes de recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), a Seturel-PE, em parceria com a Prefeitura do Recife, propõem uma reordenação do comércio informal, contribuindo com a valorização da área.

    “O Cais de Santa Rita é uma área tradicional de comércio no Recife. Com as entregas de hoje, estamos promovendo mais infraestrutura para os comerciantes, com novo piso, coberta e boxes. As melhorias vão proporcionar mais conforto aos comerciantes e frequentadores, impactando diretamente na economia da cidade”, comentou o Secretário de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco, Felipe Carreras.

    MERCADO DAS FLORES - O novo Mercado das Flores foi implantado na área vizinha à segunda praça de alimentação do projeto integrado do Pátio da Feira do Cais de Santa Rita, aproximadamente 100 m do antigo mercado. O projeto inclui a construção de 48 boxes padronizados e protegidos com cobertura metálica. Os boxes serão atendidos com sistema de água, esgoto e rede elétrica. Também será implantada a urbanização, paisagismo e acessibilidade no local. O investimento da obra foi de R$ 1,7 milhão.

    COBERTA - O projeto foi elaborado pela necessidade de evitar que os novos ocupantes do Pátio da Feira improvisassem a coberta sobre seu próprio quiosque, dando aspecto desvalorizado ao novo empreendimento. O investimento na coberta metálica foi de R$ 3,7 milhões.

    PÁTIO DA FEIRA -  Projeto de Requalificação do Pátio de Feira do Cais de Santa Rita ocupa um espaço de 6000 m², sendo 5318 m² de área construída e 385 m² de área verde. O projeto inclui instalações elétricas, pavimentação, instalação de gradil, drenagem, passeios e instalações hidrosanitárias. Oinvestimentoda obra do pisoda feira de Santa Rita foi de R$ 1.9 milhão. 


    Assuntos: seturel, prodetur, governo de pernambuco, mercado das flores,
    Compartilhe: Link para o post: