meteorologia

Bacias Hidrográficas

Obra em todo lugar

Veja o que o Governo de Pernambuco está fazendo na sua região.

Blog de notícias

  • Fenearte abre inscrições para edição de 2018

    | Cultura
    Vai começar o período de inscrições para Fenearte 2018. De 02 a 31 de outubro, artesãos de todo Brasil podem realizar o procedimento por meio do site www.fenearte.pe.gov.br ou do portal www.artesanatodepernambuco.pe.gov.br, na aba “Fenearte”. As inscrições valem para todos os setores da Feira: artesãos individuais de Pernambuco, Estados, representantes internacionais, prefeituras pernambucanas, associações, setor de alimentação, redes solidárias e Sebraes. 

    Neste ano, o setor de Pernambuco terá um aumento de 9% no quantitativo de vagas, saltando de 275 para 300 oportunidades. Durante a inscrição, os candidatos devem fornecer as informações solicitadas no sistema do evento e também anexar fotos dos produtos cadastrados, sendo três delas individuais e cinco do conjunto da obra. 

    “A cada ano, o Governo de Pernambuco tem o cuidado em realizar o procedimento de inscrição com antecedência para que o artesão selecionado tenha tempo de produzir suas obras e, com isso, chegue até a Feira com o estande abastecido e consiga bons resultados durante o evento”, destacou o coordenador da Fenearte, Thiago Angelus. 

    Todas as inscrições serão avaliadas pela curadoria do Programa do Artesanato de Pernambuco (Pape), atualmente formada por representantes de secretarias e órgãos do Estado, Sebrae, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), além de representantes de categoria artesã e da sociedade civil. 

    Vale destacar que a inscrição não condiciona ou vincula à participação no evento. Os expositores selecionados, além das informações sobre o processo de comercialização dos estandes, serão anunciados posteriormente. 

    Eventuais dúvidas podem ser esclarecidas pelo telefone (81) 3181-3454, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, ou pelo email fenearte@centrodeartesanato.pe.gov.br.
    Assuntos: fenearte, 2018, seturel, inscriçoes
    Compartilhe: Link para o post:
  • Banda Liberdade, formada por socioeducandos, se apresenta na II Festa Literária do Paulista

    | Juventude, Cultura, Direitos Humanos

    Grupo se formou durante oficina de música oferecida no Case Abreu e Lima,que tem influenciado na construção de novos projetos de vida.

    Munidos do violão, zabumba, triângulo, ganzá, baixo e teclado, adolescentes do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Abreu e Lima vem transformando seu dia a dia por meio da música. Desde o ano passado, socioeducandos participam de uma oficina e têm se apresentado dentro e fora da unidade, levando no seu repertório ritmos regionais como o xote, sempre exaltando a cultura nordestina. A próxima apresentação será nesta quinta-feira (14), às 15h, na II Festa Literária do Paulista (FLIPA), que acontece no Shopping North Way Paulista - Piso Térreo. Evento é aberto ao público.

    Até então, nenhum dos adolescentes tinha conhecimento musical, com a oficina eles foram apresentados a toda a parte introdutória do estudo da música - conhecendo um pouco sobre acorde, notas musicais e solfejo -, que dá uma base segura para que eles possam se aventurar em diversos instrumentos. Atualmente eles têm aulas três vezes por semana.

    Segundo o professor Artur Silva, que ministra as aulas, a música para os adolescentes fez não só com que eles saíssem da ociosidade, mas também que mudassem o comportamento. “Foi uma válvula de escape, a oportunidade de uma vida diferente. O trabalho dessa oficina tem sido muito prazeroso. É uma prática que tem trazido resultados muito positivos na capacidade cognitiva deles”, enfatizou.

    Seja qual for o propósito da música, as experiências, anseios, sentimentos e sonhos sempre estão nela registrados, e isso é o que os adolescentes vêm fazendo. O grupo já trabalha na composição autoral de letras de Hip-Hop, Rima, Cordel e Prosas, que em breve passarão a integrar o repertório da Banda Liberdade. “As letras são inspiradas em Luiz Gonzaga e para isso eles fazem pesquisas dentro do contexto da história do forró e assim alimentamos os alunos de informação e cultura”, destacou Artur Silva.

    Segundo o coordenador técnico do Case Abreu e Lima, Júlio Scamaral, o contato com a música tem contribuído com o papel pedagógico. “A oficina tem diminuído a ansiedade dos socioeducandos graças à abordagem voltada à conscientização do que motivou sua chegada à Funase e também de que esse pode ser o caminho para mudança de vida. Isso tem influenciado também no aumento da frequência escolar. Eles estão empolgados e envolvidos”, revelou.

    Cidades: Paulista
    Assuntos: funase, case, flipa, socioeducandos, musica
    Compartilhe: Link para o post:
  • Livro da Cepe resgata aspectos da vida e da luta de Frei Caneca

    | Cultura

    Escrita pelo Frei Tito, a obra, que será lançada às 19h da próxima terça-feira (12.09), na Arquidiocese de Olinda e Recife, transporta escritos do padre revolucionário para grafia atual
     
    Por que, apesar ser herói de duas revoluções que tiveram consequências históricas – a Pernambucana de 1817 e a Confederação do Equador, de 1824 –, Frei Caneca não tem sua vida, obra e luta tão valorizadas quanto Tiradentes, mais conhecida figura da Inconfidência Mineira, movimento revolucionário que, como o próprio nome indica, simplesmente não aconteceu, porque um dos integrantes, Joaquim Silvério dos Reis, delatou os companheiros?

    Uma das possíveis explicações é dada por José Murilo de Carvalho, em A formação das almas: O imaginário da república no Brasil. De acordo com o historiador, o padre revolucionário pernambucano levou, entre outras desvantagens, o fato de que o “Nordeste de fins do século 19 era uma região em decadência econômica e política” e Tiradentes “era o herói de uma área que já era o centro político do país” – o Sudeste.

    Com uma política editorial voltada para promover e resgatar a história e a cultura do Estado, o que inclui a publicação de biografias e obras de grandes personalidades, a Companhia Editora de Pernambuco (Cepe) está lançando o livro Frei Caneca – Vida e escritos, de Frei Tito, doutor em Ciências Humanas pelo Museu Nacional. O lançamento se insere nas comemorações dos 200 anos da Revolução de 1817, episódio histórico sobre o qual a Cepe já lançou e lançará vários livros.

    Com 153 páginas, Frei Caneca – Vida e escritos traz uma biografia do frade – nascido no Recife em 1779 e executado na mesma cidade em 1825 – e vários textos por ele produzidos, todos “traduzidos” para o português contemporâneo e acompanhados de comentários contextualizadores.
     
    Serviço:
    º Lançamento do livro: Frei Caneca – Vida e escritos, de Frei Tito
    º Quando: 12 de setembro, às 19h
    º Local: Arquidiocese de Olinda e Recife (Avenida Rui Barbosa, 409, Graças, Recife)
    º Preço do livro: R$ 25,00

    Cidades: Recife
    Assuntos: cepe, frei caneca, lançamento de livro
    Compartilhe: Link para o post:
  • Domingo na Arena teve a definição das três últimas bandas finalistas do festival Som na Arena II

    | Cultura

    Dentro da programação do Domingo na Arena (03), aconteceu a segunda semifinal do Som na Arena II, com a escolha das três últimas bandas que vão para a final do festival. O público que marcou presença, das 9h às 17h, na Arena de Pernambuco, acompanhou, ainda, a Etapa Estadual da Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR) e aproveitou um dia inteiro de diversão nos cinco polos temáticos.

    Cercada de grande expectativa e participação de torcidas organizadas das bandas, a segunda semifinal do Som na Arena II trouxe ao palco as apresentações de Aliados CP, Mesa 4, Bertony, Albino Baru, Nira Santos e Arcanflô. A comissão julgadora formada por Andrezza Portella (Coordenadora de música da Fundarpe), Rogério Rangel (cantor, compositor e criador de gingles) e Rafa Emery (cantor, compositor, baixista, segundo lugar geral no Som na Arena I – 2016) escolheu Albino Baru e Aliados CP. Já a banda Mesa 4, foi a escolhida do público, por meio de voto na fan page do Facebook da Arena de Pernambuco, até 20h. 

    No próximo domingo (10) acontecerá a grande final e teremos seis bandas disputando o título da segunda edição do festival Som na Arena. São elas: Raízes do Capibaribe, Colt Brothers, Rua Autora, Albino Baru, Aliados CP e Mesa 4. Os três primeiros colocados serão contemplados com apresentações, incluindo cachê, em municípios a serem definidos, além de apresentação no Domingo na Arena. O campeão ganhará ainda 120 horas de produção em estúdio de um CD composto por 10 músicas inéditas. Um olheiro do Rec Beat estará nas apresentações para selecionar uma das bandas para tocar no festival, independente do resultado.

    Uma novidade para as famílias, no palco, foi a apresentação do Maracatu Várzea do Capibaribe trazendo um importante traço musical da nossa cultura popular levando a plateia a interagir com uma grande roda de ciranda. Por fim, a tão esperada aula de Zumba fechou a programação musical e, como sempre, a participação do público foi intensa. 

    O Domingo na Arena trouxe, também, uma diversidade de opções de lazer e entretenimento para as famílias nos polos infantil, esportivo, cultural, sustentabilidade e gastronômico, além do ParCão, que recebeu um encontro de cães da raça Bull Terrier, garantindo a festa dos bichinhos, num espaço seguro e confortável.

    Cidades: São Lourenço da Mata
    Assuntos: domingo na arena, arena pernambuco, obr, festival som na arena
    Compartilhe: Link para o post:
  • Projeto “Música no Palácio” apresenta o Coro de Câmara do Conservatório Pernambucano de Música

    | Cultura
    O prédio-sede do Governo de Pernambuco recebe, neste domingo (03.09), às 10h, o projeto “Música no Palácio”, com a apresentação do Coro de Câmara do Conservatório Pernambucano de Música (CPM). Na ocasião, o grupo apresentará trechos de óperas e extratos de musicais famosos para solistas e coro. Além de desfrutar da seleção musical, o público poderá se aprofundar na história local através da visita guiada. A entrada no evento é gratuita.
     
    Entre os músicos que se apresentarão estão os solistas Dilvan Ferreira, Elias Marques, Flávio Soares, Mônica Muniz, Natália Duarte, Patrícia Calado; os solistas convidados Gleyce Melo e Madson de Paula; e, ao piano, Jetro Rodrigues.
     
    O Coro de Câmara do CPM foi criado no ano de 2012 com objetivo de fomentar o canto coral erudito. Hoje, o grupo é formado por 23 integrantes, todos alunos e professores da escola pernambucana. Sob a regência da maestrina Mônica Muniz, o Coro vem atuando com destaque nos palcos locais, com um repertório que vai da música sacra à ópera.
     
    SERVIÇO:
    Projeto Música no Palácio - Coro de Câmara do Conservatório Pernambucano de Música
    Data: 3 de setembro (domingo)
    Horário: 10h
    Entrada gratuita
    Local: Hall do Palácio do Campo das Princesas, Praça da República, S/N - Santo Antônio, Recife
    Cidades: Recife
    Assuntos: projeto musica no palacio, palacio do campo das princesas
    Compartilhe: Link para o post:
  • Paulo Câmara: "É uma tradição de Pernambuco reverenciar os seus patrimônios vivos"

    | Cultura
    Dia nacional do patrimônio histórico
    Governador prestigiou, na manhã desta quinta-feira, no Teatro de Santa Isabel, evento que integra  a Semana do Patrimônio Cultural de Pernambuco
     
    O governador Paulo Câmara diplomou, ao lado da primeira-dama Ana Luiza, seis novos artistas que, a partir de agora, passarão a integrar a galeria de Patrimônios Vivos de Pernambuco. O evento aconteceu na manhã desta quinta-feira (17.08), no Teatro de Santa Isabel, na mesma data em que se comemora o Dia Nacional do Patrimônio Histórico. Na ocasião, o gestor enalteceu a importância dos diplomados como agentes preservadores e multiplicadores das expressões culturais do Estado.
     
    "É uma tradição de Pernambuco reverenciar os seus patrimônios vivos. A gente fica feliz de estar preservando as raízes culturais, buscando políticas inclusivas. Hoje é um dia para nós homenagearmos esses patrimônios, mas, acima de tudo, para refletirmos. Pernambuco ainda tem muito a avançar, temos uma cultura muito rica que precisa ser tão bem divulgada, tão bem difundida e apropriada pelos pernambucanos. O que nós queremos com movimentos como esse é fazer com que essa mensagem chegue a todos os pernambucanos, para que eles saibam que têm um Estado rico, com artistas maravilhosos que têm muito a contribuir ainda com a nossa cultura", ressaltou o governador.
     
    Paulo Câmara ainda aproveitou o momento para enaltecer o trabalho integrado que é realizado em parceria com os conselhos culturais e os artistas. "Fico muito satisfeito e determinado de trabalhar por Pernambuco sabendo que vamos continuar a ter uma relação com a classe artística, com os movimentos culturais, de preservação do patrimônio histórico. Quero, mais uma vez, reafirmar o nosso compromisso de buscar alternativas, de estar sempre conversando com os conselheiros, com a sociedade civil, com os artistas, procurando valorizar a nossa cultura e o nosso povo. Temos que trabalhar com pés no chão, estar unidos e, acima de tudo, apostar no que vai dar certo, que é a educação e a valorização da cultura de quem faz cultura em Pernambuco", declarou.
     
    O secretário de Cultura de Pernambuco, Marcelino Granja, apontou que as políticas públicas realizadas pelo Estado, em conjunto com os artistas e representantes das artes, são cruciais no processo de promoção de ações democráticas e inclusivas. "Investir em arte é uma forma de fazer com que a gente resista, avance e crie perspectivas para o futuro. Quando o governador Paulo Câmara, desde o dia 1º de janeiro de 2015, fez um diagnóstico preciso de que teríamos meses de grande dificuldade, nós mantivemos Pernambuco de pé também na cultura. Neste período, com toda dificuldade, aumentamos o investimento no Funcultura, criamos um Funcultura dedicado à música e implantamos os três conselhos de cultura, que hoje, ajudam a política pública de Pernambuco a ser democrática, inclusiva e pactuada. O Estado promove ações concretas, com uma política de desenvolvimento social que mantém a arte de pé. Avançamos para que tenhamos um povo mais feliz. Sem arte e sem cultura, isso não seria possível", frisou Granja.
     
    Neste ano, foram agraciados com o título: Maria dos Prazeres (parteira tradicional/Jaboatão dos Guararapes), Mestre Chocho (música, choro/Jaboatão dos Guararapes), André Madureira (dança, música, teatro/Recife), José Pimentel (artes cênicas/Recife), Reisado Inhanhum (reisado/Santa Maria da Boa Vista) e Sociedade dos Bacamarteiros do Cabo (bacamarte, cultura popular/Cabo de Santo Agostinho). Eleitos pelo Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural (CPPC), no último dia 13 de julho, os novos Patrimônios Vivos de Pernambuco já são fruto da atualização da Lei 12.196/2002 (Registro do Patrimônio Vivo do Estado de Pernambuco), que ampliou de três para seis os candidatos outorgados com o título.
     
    Agraciado com o título Patrimônio Vivo de Pernambuco, o ator José Pimentel agradeceu a homenagem, ressaltando que espera continuar o trabalho que vem fazendo de valorização da cultura pernambucana. "Vou continuar fazendo o que eu sei, cuidando do teatro e das artes no geral, com honestidade, com ética e com vontade de ensinar para os outros tudo aquilo que eu aprendi". Outro homenageado da manhã, o bacamarteiro Ivan Martins, que representou toda a Sociedade dos Bacamarteiros do Cabo, destacou que reconhecimentos como esses são importantes para os artistas de Pernambuco. "Os bacamarteiros são um povo que remontam muitas festas e tradições. Hoje estamos recebendo esse reconhecimento, que é muito importante. É uma satisfação muito grande estar aqui, eu acho que em um momento como esse, o reconhecimento não fica apenas com a Sociedade dos bacamarteiros do Cabo, mas com toda a sociedade de bacamarteiros do Estado de Pernambuco".
     
    A solenidade também foi marcada pela entrega da 2ª edição do Prêmio Ayrton de Almeida Carvalho de Preservação do Patrimônio Cultural de Pernambuco. O título é um reconhecimento e também um incentivo à participação social na preservação dos bens e expressões culturais do Estado, sejam eles materiais ou imateriais. Foram agraciados com o prêmio os seguintes projetos: na categoria Formação, a ação "Método Oca - Oficina de Cinema de Animação"; na categoria Promoção e Difusão, a ação "Projeto Cultural Mapeamento de Bandas de Música de Pernambuco"; e na categoria Documentais e Memória Cultural, a ação "Oratorianos Conservação e Restauração da Coleção de Obras Raras São Felipe Neri da Faculdade de Direito do Recife". Os vencedores receberão um prêmio de incentivo no valor de R$ 20 mil.
     
    DIA DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO – Comemorado desde 1998, o Dia Nacional do Patrimônio Histórico é celebrado na mesma data em que nasceu o historiador e jornalista Rodrigo Mello Franco de Andrade (Belo Horizonte-MG, 1898-1969). Por meio da Lei nº 378, de 1937, o Governo Getúlio Vargas criou o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), onde o historiador trabalhou até o fim da vida.
    Cidades: Recife
    Assuntos: paulo camara, homenagens, patrimonio vivo,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Cinema no Hospital exibe "Nise – o coração da loucura" na segunda (14.08)

    | Saúde, Cultura

    Entrada é gratuita. Haverá, ainda, debate com o cantor e compositor Gonzaga Leal

    A temática da próxima edição do Cinema no Hospital, nesta segunda-feira (14.08), a partir das 9h, no auditório do Hospital Agamenon Magalhães (HAM), envolverá a arte e a loucura. Para tratar disso, será exibido o filme Nise - O coração da loucura, do cineasta Roberto Berliner e estrelado por Glória Pires.

     Após a exibição, haverá debate com o cantor e compositor Gonzaga Leal. A entrada é gratuita e aberta para a equipe do hospital, pacientes, acompanhantes e o público em geral. O HAM está localizado na Estrada do Arraial, 2.723, Casa Amarela – Recife/PE.

    O filme traz a história da psiquiatra Nise da Silveira, que, na década de 1950, propôs uma nova forma de tratamento para pacientes psiquiátricos, eliminando o eletrochoque e lobotomia e trazendo a arte para o processo terapêutico. O cantor e compositor Gonzaga Leal foi convidado para o debate por ter trabalhado com Nise no Museu de Imagens do Inconsciente, além de ter escrito Guardados de Gaveta, reunião de cartas trocadas com a psiquiatra.

    O projeto Cinema no Hospital, que completou seis anos, é uma iniciativa da psicóloga, psicanalista e cineasta Isabela Cribari. Teve início no Hospital Barão de Lucena, em 2011. Desde agosto de 2016 é realizado mensalmente no HAM. Só neste ano, já forem exibidos filmes para discutir temas como autismo (A céu aberto), cuidados paliativos (Uma passagem para Mário), questões sobre maternidade (Mãe só há uma) e sobre relações sociais e familiares (Que horas ela volta?).


    Assuntos: ses, projeto cinema no hospital, hospital agamenon magalhaes
    Compartilhe: Link para o post:
  • 10º SEMANA DO PATRIMÔNIO CULTURAL DE PERNAMBUCO VAI TRATAR DE POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO

    | Cultura

    Com ações durante quase todo mês de agosto, em treze municípios do Estado, o evento tem como tema "Políticas públicas e Gestão do Patrimônio Cultural"

    Semana do Patrimônio Cultural de Pernambuco, promovida pela Secult-PE e Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), chega à sua 10ª edição em 2017. Com o objetivo de comemorar o Dia Nacional do Patrimônio Histórico, 17 de agosto, e abrir espaço para reflexão das questões voltadas às políticas de preservação, o evento terá como tema neste ano as “Políticas Públicas e Gestão do Patrimônio Cultural”.

    A programação do evento, nos últimos anos, tem extrapolado a duração de uma semana e as ações acontecem durante quase todo o mês de agosto, estabelecendo um canal de debates, interdisciplinar e interinstitucional sobre as mais diversas temáticas julgadas essenciais para a compreensão das formas de constituição, valorização, reconhecimento e preservação dos patrimônios culturais.

    Na próxima quinta (10), por exemplo, a abertura da exposição “Pernambuco patrimônio e território de um Povo, no Museu do Estado de Pernambuco (Mepe), às 19h, faz parte da programação da Semana. Com curadoria de Raul Loudy e Renato Athias, a mostra contará toda a história de Pernambuco, a partir do acervo do MEPE. E, a partir da próxima segunda-feira (14), de forma inteiramente gratuita, serão ofertadas ao público em geral ações como seminários, oficinas, mesas redondas, exposições, minicursos, rodas de diálogo, teatro, mostra de artesanato, apresentações culturais, entre outras atividades voltadas ao debate público sobre preservação.

    Abertura - A abertura oficial da 10ª Semana do Patrimônio Cultural de Pernambuco, no Teatro Arraial Ariano Suassuna, na segunda-feira (14), será com a conferência do conservador e restaurador Antônio Sarasá, que debaterá o tema A Cultura do Patrimônio e a Zeladoria, a partir das 14h. Além do colóquio, haverá a apresentação do projeto do Funcultura Jardins de Burle Marx, produzido por Sandro Lins, e o lançamento das publicações Cartilha ‘Jogo do Patrimônio 2.0‘ e Revista Aurora 463 – Ano II, ambas confeccionadas pela Fundarpe. Ao final, Mocinha de Passira (Patrimônio Vivo) encerrará a programação do primeiro dia com seus célebres repentes.

    Confira a programação completa aqui

    Dia do Patrimônio – A data mais festiva da Semana do Patrimônio é o dia 17 de agosto, quando é celebrado o Dia Nacional do Patrimônio Histórico, comemorado desde 1998, quando o primeiro presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Rodrigo Melo Franco de Andrade completaria 100 anos. Haverá uma solenidade no Teatro de Santa Isabel. A programação inclui a diplomação dos seis novos Patrimônios Vivos do Estado de Pernambuco (Maria dos Prazeres, Mestre Chocho, André Madureira, José Pimentel, Reisado Inhanhum e Sociedade dos Bacamarteiros do Cabo), do anúncio dos vencedores do Prêmio Ayrton de Almeida Carvalho de Preservação do Patrimônio Cultural 2016 e de uma referência mais do que especial: os 80 anos do Iphan, criado em 1937.

    “Nossa proposta é ampliar o diálogo com a sociedade sobre a gestão a preservação do nosso patrimônio. Traçarmos estratégias, encontrarmos alternativas e novos modelos de gestão compartilhada entre o poder público, os conselhos de preservação e a comunidade”, convida a presidente da Fundarpe, Márcia Souto.

    Ainda de acordo com a gestora, “as atividades terão como base quatro eixos: brincar, experimentar, interpretar e pensar o patrimônio, estabelecendo um canal de debates, interdisciplinar e interinstitucional sobre temáticas essenciais para a compreensão das formas de constituição, valorização, reconhecimento e preservação dos patrimônios culturais”.

    Seminário – Na terça-feira (15), das 8h30 às 12h30, a Semana do Patrimônio promoverá o Seminário – Políticas Públicas e Gestão do Patrimônio Cultural. A atividade acontecerá no Teatro Arraial Ariano Suassuna e terá como tema da primeira mesa, o Marco Legal para o reconhecimento dos patrimônios culturais (panorama da legislação mundial, nacional, estadual e municipal e suas complexidades). Mediado pela presidente de Fundarpe Márcia Souto, contará com os palestrantes Hermano Queiroz, diretor de Patrimônio Imaterial do Iphan, Mário Pragmácio, professor do Mestrado Profissional do IPHAN,  e Marcelo Renan, doutorando Pós-Cultura UFBA.

    A segunda mesa do encontro terá como tema a Preservação dos patrimônios culturais – atuação e limites do estado, dos agentes públicos, dos conselhos e dos detentores de bens culturais. Terá como palestrantes: Telmo Padilha Cesar, do Instituto Defender – Defesa Civil do Patrimônio Histórico, do professor Leonardo Barci Castriota, arquiteto-urbanista e Diretor da pós-graduação da Universidade Federal de Minas Gerais, e será mediada por Rodrigo Cantarelli, do Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural.

    Lançamento - Na sexta-feira (18), os professores Terezinha de Jesus Pereira da Silva – membro do Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural – e Sérgio Mota Bitencourt lançam, às 9h, no Teatro Arraial Ariano Suassuna, o livro Espaço Pasárgada: A Casa de Manuel Bandeira, que revela toda história e o acervo do equipamento cultural.

    2º Seminário de Educação Patrimonial - A Faculdade de Direito do Recife sediará a segunda edição do Seminário de Educação Patrimonial de Pernambuco. A atividade está agendada para a sexta-feira (18), das 8h às 17h, e discutirá a relação Museu-Escola: desafios e possibilidades. A conferência de abertura será proferida pela professora Manuelina Cândido (UFG) e terá de mediação de Regina Batista, que é membro do Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural. Ao longo do dia, haverá ainda as mesas-redondas: O museu como espaço pedagógicoO museu e sua natureza simbólicaO museu como difusor do conhecimento; e O museu e suas representações de tempo e espaço.

    Minicurso Zeladoria de Bens Culturais - Ministrado pelo restaurador Antônio Sarasá, o curso acontecerá entre os dias 15 e 16/8, das 9h às 17h, no Museu do Estado de Pernambuco (MEPE). A atividade é direcionada às equipes que gerenciam os equipamentos culturais do Estado e possibilitará aos participantes a oportunidade de aprenderem técnicas de manutenção e zeladoria para o acervo de suas instituições.

    Simpósio - Batizado de Reflexões Acadêmicas sobre o Patrimônio Cultural, a 10ª Semana do Patrimônio Cultural de Pernambuco promoverá um simpósio acadêmico entre estudantes e professores de sete instituições de Arquitetura e Urbanismo de Pernambuco: Damas, Esuda, FBV, UFPE, Unicap, Uninassau e UNIFAVIP. A atividade acontecerá no Teatro Arraial Ariano Suassuna, na sexta-feira (18), a partir das 9h, e mostrará, através da exposição de banners e colóquios, a produção da comunidade acadêmica sobre o patrimônio cultural pernambucano.

    FilmeAlém da programação no Teatro Santa Isabel, o Dia Nacional do Patrimônio Histórico, 17 de agosto, às 10h, contará com uma programação especial no Cine São Luiz, que exibirá, neste dia, o filme A Luneta do Tempo, dirigido por Alceu Valença, para estudantes da rede municipal do Recife.

    Descentralização – Ao longo de uma década, a Semana do Patrimônio segue ampliando horizontes e ganhando novos parceiros. Além do Recife, participam desta edição os municípios de Belém do São Francisco, Brejo da Madre de Deus, Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe, Caruaru, Floresta, Igarassu, Ilha de Itamaracá, Jaboatão dos Guararapes, Olinda, Surubim e Tamandaré. “Essa ampliação mostra a força do evento e está alinhada aos princípios da descentralização e da interiorização que precisam orientar cada vez mais a gestão das políticas culturais”, destaca o secretário estadual de Cultura, Marcelino Granja.

    Atividades formativas - Os interessados em participar nas oficinas, seminários, rodas de diálogos e cursos da 10ª Semana do Patrimônio Cultural de Pernambuco, poderão se inscrever gratuitamente nos links abaixo:

    Conferência de Abertura A Cultura do Patrimônio e a Zeladoria
    Inscreva-se aqui:

    Seminário Políticas Públicas e Gestão do Patrimônio Cultural
    Inscreva-se aqui.

    Roda de Diálogo Gestão e Sustentabilidade nos Museus
    Inscreva-se aqui.

    Oficina Participação Social no Processo de Construção de um Plano de Gestão para o Patrimônio Ferroviário de Pernambuco
    Inscreva-se aqui.

     

    Assuntos: semana de patrimonio cultural, secretaria de cultura
    Compartilhe: Link para o post:
  • Telona do cinema São Luiz exibe filme-cartas produzidos e protagonizados por internos da Funase

    | Juventude, Cultura

    Evento apresentou a quase 300 pessoas o resultado do trabalho realizado pelo projeto Cartas ao Mundão em unidades socioeducativas

    Na última terça-feira (08), a Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) viveu, no Cinema São Luiz, uma manhã de celebração, muita emoção e aplausos. Cerca de 40 socioeducandos se uniram a uma plateia de quase 300 pessoas para assistir à exibição dos filme-cartas produzidos e protagonizados por eles mesmos. O material é resultado do trabalho realizado, durante sete meses, pelo projeto de cinema e educação, Cartas ao Mundão, em cinco unidades de atendimento socioeducativo. 

    Além dos filme-cartas, foram exibidos exercícios de produção de cinema e fotografia. Pelas lentes do cinema os alunos relataram o cotidiano dentro das unidades, mostraram a indiferença com que são muitas vezes tratados pela sociedade, o acolhimento, a espera pela liberdade, a euforia da juventude, a esperança de dias melhores, o desejo de seguir um novo caminho, entre outros sentimentos. 

    Muitos dos adolescentes presentes na Mostra Audiovisual nunca tinham ido ao cinema, como foi o caso de R.L​.​X​.​S​., de 16 anos. “Senti uma grande emoção em ver um vídeo que a gente nem sabia que ia ter tanto interesse assim, e que acabou vindo parar aqui. Muitas pessoas podem achar que isso não é nada, mas com essa oportunidade sentimos que estão dando valor às nossas qualidades e quebrando um pouco o preconceito da sociedade”, disse o adolescente que sonha em ser advogado. “Quero ajudar outros adolescentes assim como estou sendo ajudado”. 

    Segundo o coordenador geral do projeto, Caio Sales, é muito simbólico que essa Mostra Audiovisual tenha acontecido no Cinema São Luiz, um dos últimos cinemas de rua ainda existentes no País. “Ser no Cinema São Luiz fez todo sentido porque dentro do projeto temos esse exercício de tentar democratizar o acesso aos filmes. Isso faz parte de um modo de produção e de pensar cinema ao qual estamos ligados, pensar o cinema como uma expressão democrática e como política pública”, enfatizou. 

    Os profissionais da rede estadual de educação foram peças fundamentais para o desenvolvimento do projeto e na ocasião foram representados pelo Coordenador de Políticas Públicas em Educação no Atendimento Socioeducativo na Gerência de Políticas Públicas Educacionais em Educação Inclusiva, Direitos Humanos e Cidadania, Hugo Regis. “Amor é a palavra. Vejo que tem muito amor nesse projeto. Todos nós tivemos alguém que em algum momento da vida nos estendeu a mão. Estamos aqui para sermos parceiros dos adolescentes, segurar a mão e seguir junto com eles. Eles são nossos estudantes, olhamos para eles como alunos e alunas da nossa rede de ensino”, destacou. 

    Para a Diretora Geral de Política de Atendimento (DGPAT), Iris Borges, esse foi um momento de celebração e de orgulho, carregado de reflexões. “A cultura e a arte, de uma forma geral, são caminhos que nos mostram que temos como viabilizar oportunidades diferentes de vivenciar novos projetos de vida junto aos nossos socioeducandos. Esse momento foi muito rico e, com certeza, saímos daqui com reflexões que vão nos levar a qualificar cada vez mais o nosso trabalho”, destacou.  

    Ao todo, o projeto atendeu 150 jovens oriundos dos Cases Santa Luzia, Jaboatão dos Guararapes, Vitória de Santo Antão, Abreu e Lima e Cabo de Santo Agostinho, além do Centro de Internação Provisória (Cenip) Recife. Todos os filmes-carta e exercícios produzidos pelos estudantes nas oficinas serão inscritos em festivais que prezem por projetos experimentais, ou temáticos sobre Direitos Humanos. O material pode ser conferido no canal do Youtube do projeto (https://goo.gl/v6qei3), que deve iniciar sua segunda edição no segundo semestre.  

    Estiveram presentes ainda na Mostra Audiovisual realizada no Cinema São Luiz a Gerente Geral do Sistema Socioeducativo, Suelly Cysneiros, representantes do Poder Judiciário, do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC), dos Conselhos de Defesa da Criança e do Adolescente, do Gabinete de Assessoria Jurídica às Organizações Populares (Gajope) e funcionários da Funase. 

    As atividades do projeto Cartas ao Mundão contam com o apoio da Funase e são realizadas pela Zentrum Produções, em parceria com o Inventar com a Diferença: Cinema, Educação e Direitos Humanos e Gerência Geral de Políticas Educacionais de Educação Inclusiva, Direitos Humanos e Cidadania, da Secretaria de Educação de Pernambuco e da Federação Pernambucana de Cineclubes (Fepec).​

     
     
     
    Cidades: Abreu e Lima, Cabo de Santo Agostinho, Jaboatão dos Guararapes , Recife, Vitória de Santo Antão
    Assuntos: projeto cartas ao mundao, funase, fepec, cinema sao luiz
    Compartilhe: Link para o post:
  • Música no Palácio apresenta SaGRAMA

    | Cultura

    SaGRAMA

    Mais uma edição do projeto Música no Palácio será realizada neste domingo (06.08). A programação, que é gratuita, contará com a apresentação do grupo SaGRAMA, a partir das 10h, no hall de entrada do Palácio do Campo das Princesas, sede do Governo de Pernambuco. A iniciativa é coordenada pelo Conservatório Pernambucano de Música (CPM). Na ocasião, o público ainda pode se aprofundar na história de Pernambuco e do Brasil, desfrutando da visita guiada no prédio.

    grupo SaGRAMA foi criado em 1995, no Conservatório Pernambucano de Música, por iniciativa do Professor e Flautista Sérgio Campelo. O grupo, formado por nove integrantes, trabalha a música pernambucana baseada nas manifestações da cultura popular, com uma linguagem mais elaborada e erudita. Constituído de instrumentos acústicos, os músicos buscam o máximo de efeitos sonoros em suas composições.

    O conjunto já compôs e gravou trilhas sonoras para filmes como o “Auto da Compadecida”, do escritor Ariano Suassuna; e “O Brasil império na TV”, das diretoras Fátima Accetti e Cynthia Falcão; além de composições para diversas peças teatrais. O SaGRAMA possui oito CDs e um DVD gravados e vendidos em todo Brasil.

    PROGRAMAÇÃO – A próxima edição do projeto Música no Palácio receberá, no dia 3 de setembro, a apresentação do Coro de Câmara do CPM. Sob a regência da maestrina Mônica Muniz, o Coro contempla um repertório que vai da música sacra à ópera. O evento também será aberto ao público, a partir das 10h.

    SERVIÇO:

    Projeto Música no Palácio - SaGRAMA

    Data: 06 de agosto (domingo)

    Hora: 10h

    Entrada gratuita

    Local: Hall do Palácio do Campo das Princesas, Praça da República, S/N - Santo Antônio, Recife

    Cidades: Recife
    Assuntos: sagrama, conservatorio pernambucano de musica, musica no palacio
    Compartilhe: Link para o post: