meteorologia

Bacias Hidrográficas

Obra em todo lugar

Veja o que o Governo de Pernambuco está fazendo na sua região.

Blog de notícias

  • Governo do Estado lança Edital Nacional do FIG 2017

    | Cultura

     

     FIG

    Artistas e grupos culturais de todo o país poderão participar do próximo Festival de Inverno de Garanhuns. Após convocar exclusivamente atrações nordestinas no ano passado, o Governo de Pernambuco, por meio da Secult-PE e da Fundarpe, lança o Edital Nacional do FIG 2017.

    "É hora de retomarmos o intercâmbio com as diversas expressões formadoras da cultura brasileira, um marco histórico do festival", comenta o Secretário Estadual de Cultura, Marcelino Granja.

    Consolidado no calendário cultural pernambucano, o FIG 2017 acontecerá em julho, com atividades de fruição e formação em todas as linguagens artísticas e áreas culturais. Shows, cortejos, performances, intervenções, recitais, vivências criativas, espetáculos, desfiles, exposições, mostras, ações de gastronomia e patrimônio cultural, entre outras atividades podem ser sugeridas.

    Para Márcia Souto, presidente da Fundarpe, "o festival é uma grande oportunidade de celebrarmos a riqueza cultural do povo brasileiro e promovermos ainda nossos grupos populares e artistas iniciantes". Além de garantir os recursos necessários para a realização de mais um grande festival, o Governo do Estado aposta nesta edição na parceria com empresas e outras instituições privadas, por meio da captação de recursos via Lei Rouanet. A Prefeitura de Garanhuns também é parceira do evento.

    Os interessados em enviar propostas de programação devem acessar o edital e os formulários específicos AQUI. O período de inscrições presenciais ou por Correios é de 29 de março a 17 de abril.

    Todas as notícias oficiais sobre o festival serão primeiramente veiculadas em www.cultura.pe.gov.br/fig2017

    Assuntos: governo de pernambuco, cultura, festival de inverno de garanhuns, secult-pe, Fundarpe, FIG 2017, Marcelino Granja,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Recife sedia o Mundial Escolar de Tênis 2017

    | Esportes, Cultura

    Tennis

    Pela primeira vez nas Américas, competição reúne as promessas do tênis mundial entre os dias 13 e 19 de março

    Os melhores tenistas escolares do mundo chegam ao Recife para participar World Schools Championship Tennis 2017, o Mundial Escolar de Tênis, que chega a sua 9ª edição. Pela primeira vez uma capital da América vai sediar a competição, que começou ontem (13) e se estende até o domingo (19). No certame, realizado pela International School Sport Federation - ISF em parceria com a Confederação Brasileira de Desporto Escolar - CBDE (em conjunto com a Federação do Desporto Escolar de Pernambuco - FEDEPE) e a Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco, serão cerca de 300 participantes de 13 diferentes países concorrendo nas categorias masculino e feminino.

    O evento também contará com o apoio global de Kinder + Sport, projeto desenvolvido pelo Grupo Ferrero e presente hoje em 25 países que tem como compromisso contribuir com a integração das crianças no esporte. A parceria entre Kinder + Sport e a ISF ocorre pelo fato de ambas contarem com os mesmos objetivos e valores conscientes de que o desporto e o movimento são absolutamente necessários para a educação das crianças.

    Todos os jogos começam na segunda-feira (13), dia também da cerimônia oficial de abertura, e vão ser sediados em 14 quadras, sendo 8 destas no Squash Tênis Center, em Boa Viagem, e mais 6 quadras no Recife Tênis Clube, no Ipsep, todas de saibro. Durante cinco dias disputarão mais de 50 partidas pelo título mundial. Entre eles o atual campeão masculino, a Inglaterra, seguidos de China Taipei e Turquia. Pelo feminino, o vice-campeão Turquia e o terceiro lugar, Alemanha, já estão confirmados e tidos como os possíveis finalistas.

    “Estamos muito felizes em realizar esse torneio internacional com caráter pioneiro aqui na Capital. O Mundial Escolar é um evento grandioso e os organizadores ficaram bastante satisfeitos com nossa infraestrutura, que já recebe importantes competições do calendário nacional. Tenho certeza que teremos ótimos confrontos em solo pernambucano”, ressaltou o secretário Felipe Carreras.

    O Brasil, que tem nomes fortes no tênis mundial como Gustavo Kuerten e Fernando Meligeni, no tênis escolar ainda busca seu espaço tendo como melhor ranking o 14º lugar no último mundial, em 2015, no Catar. Para este ano, participam da competição as delegações da Itália, Inglaterra, Bélgica DG, Bélgica FL, Alemanha, China, Taipei, Nova Zelândia, França, Turquia, Escócia, Chile, além do Brasil, que será representado por uma instituição de ensino pernambucana, o Colégio Santa Maria. Todos os atletas têm entre 14 e 18 anos e vão concorrer na disputa por equipes, sendo 12 no masculino e 11 no feminino. A primeira fase do campeonato é disputada em sistema de grupos e os dois melhores de cada chave se classificam para a fase de mata a mata. As finais do campeonato acontecem no domingo (19).

    Um ponto interessante da programação é o dia reservado para as apresentações culturais dos países participantes. Na quinta-feira (16), todas as delegações participantes do Mundial se unem para apresentar um pouco de suas respectivas culturas na chamada Feira das Nações.  Além disso, está programado o Dia Cultural, com um passeio turístico das delegações pelo Recife Antigo. É o momento de intercâmbio e troca de experiências entre os atletas e técnicos, um dos principais objetivos do International School Sport Federation (ISF).

    SOBRE A CBDE

    Fundada na virada do milênio, no ano 2000, a CBDE – Confederação Brasileira do Desporto Escolar nasceu do desejo de profissionais ligados a Educação Física e ao Desporto de qualificar, incentivar e, acima de tudo, difundir a prática do desporto escolar em todos os níveis, inclusive o desporto escolar praticado por portadores de deficiências.

    SOBRE A ISF

    Por volta de 1960, competições escolares internacionais começavam a ter um grande crescimento. Além de encontros ocasionais e casuais entre duas ou mais escolas, torneios estavam começando a ser organizadas regularmente em diferentes modalidades: handebol em 1963, voleibol em 1969, futebol em 1970 e, em 1971 o basquete também passa a ser disputado anualmente.

    Após longos debates o projeto foi aprovado. No entanto, vislumbrando o futuro do desporto escolar, a Federação não se limitou somente aos países europeus e hoje contempla 85 países.

    SOBRE KINDER + SPORT

    O programa Kinder + Sport tem como objetivo promover a prática desportiva entre as crianças e os jovens como parte de um processo educativo que se complementa com hábitos de alimentação saudável e equilibrada. Kinder + Sport: Joy of moving é o grande projeto de apoio de KINDER aos esportes que expressam valores de formação e educação, como voleibol, atletismo, ginástica e natação, todos com possibilidade de atuação no âmbito escolar.

     

    Mais informações para a imprensa

    CBDE

    Alexandra Alves – alexandra@esporteescolar.org.br – (11) 973255487

    Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco

    Terni Castro – terni.castro@esportes.pe.gov.br – (81) 995081414

    Kinder + Sport (Ketchum)

    Nathalya Calil – nathalya.calil@ketchum.com.br – 5090-8900 ramal: 8803
    Adriana Sandoval – adriana.sandoval@ketchum.com.br – 5090-8900 ramal: 6488
    Mayara Salgueiro – mayara.salgueiro@ketchum.com.br – 5090-8900 ramal: 8844

    Assuntos: torneio de tenis, world schools championship tennis 2017, cbde, fedepe, seturel-pe, felipe carreras,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Governador prestigia exposição em homenagem à Revolução Pernambucana

    | Cultura
    Revolução 1817

    Intitulada “1817 – Revolução Republicana”, a mostra teve início neste domingo, no Museu do Recife, e integra o calendário comemorativo do Bicentenário
     
    Em mais um ato comemorativo ao Bicentenário da Revolução Pernambucana de 1817, o governador Paulo Câmara participou, neste domingo (12.03), da abertura da exposição “1817 – Revolução Republicana”, no Museu da Cidade do Recife/Forte das Cinco Pontas. O evento contou com lançamentos de livros e apresentação de música composta especialmente para a ocasião. Acompanhado do prefeito em exercício, Luciano Siqueira, o chefe do Executivo estadual foi presenteado com os exemplares lançados e destacou a importância de iniciativas como essa na propagação dos valores e legados conquistados há mais de 200 anos.
     
    “É com muita alegria que estamos aqui, hoje, para dar início a uma exposição tão bem produzida e importante. O passado precisa ser colocado à disposição de todos os pernambucanos. É com esse exemplo e com todos os ideais libertários e democráticos deixados que a gente vai avançar e melhorar o presente, mas, acima de tudo, trabalhar por um futuro mais igual e justo para todos nós pernambucanos, para todos os brasileiros”, destacou o governador.
     
    Paulo falou ainda sobre a importância de se reforçar esse assunto nas instituições de ensino do Estado. “Nós vamos, ao longo deste ano, falar muito sobre tudo isso. Levar esse assunto às escolas, trazer os nossos estudantes aqui, para visitar essa bonita exposição e para que eles tenham acesso a todo esse material. A nova geração precisa conhecer e levar para o futuro a importância dessa luta que nos deixou valores e legados tão nobres”, disse.
     
    Dividida em cinco eixos, a exposição apresenta, através de textos, imagens, vídeos, desenhos, documentos e objetos históricos os fatos ocorridos e os principais personagens que lutaram para defender os valores fundamentais da liberdade e da justiça social durante o período da Revolução. Fruto de uma parceria entre o museu e o Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico de Pernambuco (IAHGP) a mostra é gratuita e ficará em cartaz por um período de um ano. Após a inauguração, as visitações vão seguir o horário de funcionamento do museu, de terça a domingo, das 9h às 17h.
     
    “Nesse instante em que nós celebramos de maneira elevada a Revolução de 1817, com essa exposição, nós estamos homenageando o nosso povo e estamos, ao mesmo tempo, nos deixando envolver pelo espírito dessa luta. Tudo isso para que nós possamos aprender com as lições do passado e iluminar na nossa mente os desafios atuais para a construção de um futuro democrático, soberano e justo para o nosso País”, ressaltou o prefeito do Recife em exercício, Luciano Siqueira.
     
    LANÇAMENTOS – Dois livros foram lançados durante a solenidade de abertura, foram eles: o ABCdário da Revolução Republicana de 1817 e a reedição da História da Revolução de Pernambuco em 1817, escrito no século 19 por Francisco Muniz Tavares, que fez parte da ação e que chegou a ser preso no Forte das Cinco Pontas.
     
    Organizado por Betânia Correa de Araújo, em parceria com a Companhia Editora de Pernambuco (Cepe), o ABCdário conta a história da revolução através de quase 70 verbetes. Já a reedição, publicada pela Cepe, é feita a partir da segunda edição, publicada em 1969, e que serviu também de guia para a mostra. 
     
    Além disso, foi apresentada uma composição de autoria do músico e professor Múcio Calou, criada especialmente para o evento. A suíte possui oito partes e foi executada por um quarteto com flauta, violoncelo, violão e contrabaixo.
     
    Diretora do Museu e organizadora do ABCdário, Betânia Correa de Araújo afirmou sua satisfação em poder fazer parte desse momento que ela avaliou como “honroso” para a casa. “É missão desse lugar contar e educar sobre a história da revolução, justamente por ter sido abrigo de cerca de 150 homens que lutavam pela liberdade do nosso povo, das nossas terras. Por isso, é um compromisso e uma responsabilidade grande para este local, que é Patrimônio Histórico e Artístico Nacional desde 1938. E é uma alegria poder abrigar essa iniciativa”. 

    Fotos: Aluisio Moreira/SEI
     
     

    --

    Assuntos: paulo camara, revolução pernambucana, forte cinco pontas, o ABCdário da Revolução Republicana de 1817, História da Revolução de Pernambuco em 1817, cepe, Betânia Correa de Araújo
    Compartilhe: Link para o post:
  • Carnaval injeta mais R$ 1.2 bilhão na economia de Pernambuco

    | Turismo, Cultura


    Pesquisa realizada pela Empetur demonstra saldo positivo para o sucesso do Carnaval pernambucano 

     

    O Carnaval de Pernambuco promoveu um incremento de R$ 1.238 bilhões na economia do Estado, em 2017. O valor é 2,7% superior em relação ao ano passado. O fluxo de visitantes, que engloba o número de turistas e excursionistas (visitantes que não pernoitam nem residem no entorno do local visitado), sofreu uma pequena queda de 1,1%, passando de 1.6 milhão para 1.582 milhão de visitantes. Os dados fazem parte da pesquisa realizada pela Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco, por meio da Empresa de Turismo de Pernambuco (Empetur), entre os dias 25 de fevereiro a 05 de março. 

    A pesquisa revela ainda o perfil do turista nacional. Os estados do Nordeste corresponderam a aproximadamente 40% dos turistas recebidos por Pernambuco, principalmente o Ceará (8,57%) e a Bahia (8,04%). Individualmente, São Paulo continua sendo o principal emissor de visitantes nacionais (27%), seguido do Rio de Janeiro (10,7%) e Distrito Federal (4,18%). Entre os estrangeiros, o destaque ficou para Argentina (40,3%), Uruguai (10,4%), Alemanha (5,97%) e França (5,9%).  A ocupação hoteleira em Pernambuco ficou em torno de 94%, um acréscimo de 2,49% em relação a 2016, quando o índice marcou 91,6%. Se levarmos em consideração apenas o Recife, a ocupação ficou em 97%, cerca de 1% a mais do que em 2016. Na RMR, os hotéis tiveram 96% dos seus quartos ocupados, 3,82% superior ao último Carnaval. 

    O gasto médio individual diário foi de R$ 177,50, tendo como permanência média em Pernambuco de 8,5 dias. "Esses números ratificam que o Carnaval, mais do que uma festa, é um grande negócio que gera emprego e renda para os pernambucanos. Muita gente conseguiu iniciar o processo de recuperação econômica diante de uma época tão sensível na economia brasileira. Também tiveram aqueles que conseguiram uma renda extra. Isso é muito importante, pois dezenas de setores foram impactados antes, durante e depois dos dias de Momo", comemora o secretário de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco, Felipe Carreras. 

    Em 2017, durante o período pré-carnaval até a quarta-feira de cinzas, o Aeroporto Internacional do Recife teve uma movimentação de 181,194 mil pessoas, um crescimento de 2% em ralação ao mesmo período do ano anterior. Os principais aeroportos emissores foram Guarulhos (São Paulo), Galeão (Rio de Janeiro) e Aeroporto de Salvador (Bahia). 

    O Carnaval de Pernambuco foi aprovado por 95,2% dos entrevistados, que avaliaram os eventos, os equipamentos, os serviços e a infraestrutura turística. Prova disso é que 98,6% deles afirmaram que recomendariam o Carnaval para outras pessoas.  

    A metodologia utilizada na pesquisa realizada pela Empetur é aprovada pela Organização Mundial do Turismo (OMT) e leva em consideração os dados coletados em diversas sondagens para projetar números globais.

    FOTO: Hesíodo Góes

     

    Assuntos: empetur, turismo-pe, carnaval,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Paulo destaca “bravos guerreiros” de Pernambuco em sessão solene em homenagem à Revolução de 1817

    | Administração, Cultura
    Brasília

    Governador fala da coragem cívica dos revolucionários pernambucanos para fazer o Brasil independente de Portugal


    BRASÍLIA – A Câmara dos Deputados realizou na manhã desta terça-feira (07/03) Sessão Solene em homenagem ao Bicentenário da Revolução de 1817. O governador Paulo Câmara e o vice-governador Raul Henry representaram o Governo de Pernambuco na cerimônia, realizada por iniciativa do deputado federal Tadeu Alencar. Paulo foi um dos que discursaram na sessão solene. “Apesar dos enforcamentos, dos fuzilamentos, dos esquartejamentos, das devassas, dos degredos, e das prisões, não morreu o compromisso dos pernambucanos com a liberdade e a República. Não por acaso, são denominados de ‘bravos guerreiros’ no hino estadual”, afirmou o governador pernambucano.

    Paulo observou que, ao realizar a Sessão Solene, a Câmara dos Deputados dá importante contribuição para que seja mitigada uma dívida histórica com os pernambucanos. “Considerada pelo historiador Manuel de Oliveira Lima ‘a única revolução no Brasil digna deste nome’, a Revolução Republicana de 1817, que irrompeu em Pernambuco na tarde de 6 de março, há 200 anos, nunca recebeu, da historiografia oficial, o destaque que ainda lhe é devido”, ressaltou.

    Para o governador de Pernambuco, passados dois séculos,  vários legados perduram de 1817. “O mais importante deles custou a ser reconhecido. Trata-se de constatação de que a luta pela República, há dois séculos, foi uma das sementes do movimento que resultou no Sete de Setembro, apenas cinco anos depois. Receber do Brasil tal consideração, ainda que tardia, muito nos honra. E, como dito no início, esta Sessão Solene é uma importante contribuição para que os comprovados fatos históricos sejam chancelados como tal”, avaliou o governador Paulo Câmara.

    Íntegra do Discurso do Governador Paulo Câmara

    “Ao realizar esta Sessão Solene, a Câmara dos Deputados dá importante contribuição para que seja mitigada uma dívida histórica com os pernambucanos.

    Considerada pelo historiador Manuel de Oliveira Lima “a única revolução no Brasil digna deste nome”, a Revolução Republicana de 1817, que irrompeu em Pernambuco na tarde de 6 de março, há 200 anos, nunca recebeu, da historiografia oficial, o destaque que ainda lhe é devido.

    Portanto, agradeço ao deputado Tadeu Alencar, da bancada de Pernambuco do Partido Socialista Brasileiro, autor da proposição, e aos parlamentares que deram apoio à iniciativa com seus votos. Aqui expresso o reconhecimento dos pernambucanos a esta Casa, representação democrática de todos os brasileiros.

    São muitas as razões para se comemorar e se reavivar na memória este Bicentenário. A Revolução de 1817 foi a primeira a pegar em armas pela instauração de uma República no Brasil; a primeira a eleger um governo que passou a administrar sob um ordenamento pré-constitucional; a primeira a libertar escravos e a adotar medidas a favor dos mais pobres. Nomeou embaixador para os Estados Unidos; organizou exército e, em pouco tempo, recebeu a adesão das províncias da Paraíba e do Rio Grande do Norte.

    Pernambuco nunca lutou para se separar do Brasil, como propagou a narrativa oficial por décadas. Mas sim para separar o Brasil de Portugal, apartar a colônia do colonizador. Um colonizador cuja Corte, instalado no Rio de Janeiro, cada vez mais taxava de impostos os pernambucanos, e os reprimia, enquanto o quadro econômico e social se agravava, com a queda das exportações do açúcar.

    Pouco mais de dois meses durou a Revolução Republicana de 1817. Teve como líderes comerciantes, profissionais liberais, padres e maçons, inspirados pelos princípios humanistas da Revolução Francesa de 1789. Nas suas fileiras lutaram brancos, negros, índios e mestiços.

    A reação do colonizador foi implacável. Cerca de 1.600 revolucionários foram mortos – dezenas enforcados no centro do Recife – e feridos cerca de 800 degredados. A devassa que se seguiu alcançou outros milhares. O colonizador ainda decepou parte do território de Pernambuco, ao Sul. Até então, nunca houvera repressão tão extensa e profunda.
     
    No entanto, apesar dos enforcamentos, dos fuzilamentos, dos esquartejamentos das devassas, dos degredos, e das prisões não morreu o compromisso dos pernambucanos com a liberdade e a República. Não por acaso, são denominados de “bravos guerreiros” no hino estadual.

    Compromisso que pouco tempo depois, em 1824, foi reavivado na Confederação do Equador, novo movimento libertário, unindo as províncias nordestinas. Compromisso de luta contra o arbítrio – que levou o Governador Miguel Arraes a não renunciar ao cargo, mesmo sabendo que seria preso pela ditadura. Compromisso com a democracia, que fez desabar sobre Pernambuco disseminada e dura repressão, após abril de 1964.

    Passados dois séculos, que legados perduram de 1817? O mais importante deles custou a ser reconhecido. Trata-se de constatação de que a luta pela República, há dois séculos, foi uma das sementes do movimento que resultou no Sete de Setembro, apenas cinco anos depois.

    Receber do Brasil tal consideração, ainda que tardia, muito nos honra. E, como dito no início, esta Sessão Solene é uma importante contribuição para que os comprovados fatos históricos sejam chancelados como tal.

    Igualmente importante é constatar que a Revolução não dividiu os brasileiros. Ao contrário, buscou a unidade de todos contra o adversário comum – o colonizador. Não segregou classe social, raça ou credo, num esforço de integração nunca antes visto no Brasil. Um exemplo a ser seguido, no momento em que o País, atravessado por uma crise sem precedentes, mais precisa do consenso de suas lideranças e da solidez de suas instituições, para voltar a se desenvolver.

    Pernambuco – com seu anticolonialismo, seu autonomismo, seu irredentismo – não quer ser tratado com privilégios. Mas sabe da sua importância secular para a formação da consciência da Nação brasileira. E tem absoluta convicção do papel da Revolução Republicana de 1817 nesta construção, erguida por gerações e gerações.

    É por isso que estamos reunidos aqui: para relembrar, para reaprender e para avançar, rumo ao que de melhor nos reserva o futuro, norteados pela coragem dos que, no passado, forjaram a base do que hoje somos.
    Muito obrigado.”


    Fotos: Humberto Pradera/Divulgação
    Assuntos: Paulo Camara, governo de pernambuco, brasília, bicentenário da revolução de 1817,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Em solenidade na Alepe, governador destaca ideal libertário e igualitário da Revolução de 1817

    | Cultura
    Alepe


    A luta dos patriotas maçons e católicos construtores do Movimento Libertador foi  homenageada na sequência de atividades em referência ao Bicentenário 

    O referencial revolucionário que tornou livre o Estado de Pernambuco em 1817, foi mais uma vez rememorado, na noite desta segunda-feira (06.03), em solenidade na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). A cerimônia, que contou com a presença do governador Paulo Câmara, homenageou também a luta dos patriotas maçons e católicos construtores do Movimento Libertador do jugo colonialista, com a entrega de medalhas comemorativas aos representantes das duas instituições religiosas. No ato, o chefe do Executivo destacou a bravura e coragem dos que lutaram por um Pernambuco mais igual e democrático.

    “As celebrações iniciadas hoje demonstram que as instituições pernambucanas estão cada vez mais conscientes da relevância das lutas libertarias do passado na formação e na evolução do nosso povo. Podemos afirmar que o espírito libertário e vanguardista permanece até hoje e continua sendo determinante para que o nosso povo tenha um compromisso incessante com os ideais de liberdade e os princípios republicanos. E é nesse ideal libertário e igualitário da Revolução de 1817, que Pernambuco se inspira para ser um Estado cada vez melhor para todos”, destacou o governador.

    Paulo defendeu a importância do que aconteceu há 200 anos como exemplo para o enfrentamento à crise nacional. “Um esforço de integração nunca antes visto no Brasil. Um exemplo a ser seguido, no momento em que o País passa, atravessando por uma crise sem precedentes, necessita do consenso de suas lideranças e da solidez do trabalho para voltar a se desenvolver. É por isso que estamos aqui: para relembrar, para reaprender, para avançar rumo ao que melhor nos reserva o futuro, norteados pela coragem dos que, no passado, forjaram a base do que hoje somos”, defendeu.

    Para o representante da Casa Joaquim Nabuco, o deputado estadual Ricardo Costa - propositor da atividade - , a iniciativa é uma forma de homenagear os revolucionários e de difundir, entre a população, o conhecimento sobre a sua própria história. “A Revolução Pernambucana nos deixa o legado da responsabilidade, do rumo permanente na construção da democracia, da consciência de que a Pátria aqui floresceu, a partir da bravura de valiosos heróis”, ressaltou.

    Fotos: Wagner Ramos/SEI


    Assuntos: Paulo Camara, governo de pernambuco, Alepe, Bicentenário da Revolução 1817,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Paulo Câmara abre comemorações do Bicentenário da Revolução de 1817

    | Cultura
    Bicentenário da Revolução Francesa

    Ideal de liberdade e insubordinação do movimento foram destacados, nesta segunda-feira, durante cerimônia no Palácio do Campo das Princesas 


    Os valores fundamentais da liberdade e da justiça social e o espírito autonomista marcaram a abertura, nesta segunda-feira (06.03), das comemorações do Bicentenário da Revolução de 1817. Em solenidade presidida pelo governador Paulo Câmara no Palácio do Campo das Princesas, o movimento histórico e sua simbologia foram exaltados como destacada e inspiradora passagem da história de Pernambuco e do Brasil. O ato foi o primeiro de uma série de atividades em celebração ao ideal iluminista e à contribuição dos pernambucanos e nordestinos ao processo de separação da Coroa Portuguesa.

    "São símbolos e cenários que nos estimulam a estar aqui, em data tão marcante. E certamente nos fazem refletir sobre os legados da Revolução Republicana de 1817 que permanecem vivos até hoje. Afirmam-se no espírito autônomo e insubordinado dos pernambucanos, na luta de gerações contra o arbítrio e na defesa do Brasil como nação independente", ressaltou o governador Paulo Câmara.
     
    No primeiro momento do evento, foi realizado o hasteamento das bandeiras do Brasil, de Pernambuco e da Insígnia do Governador, seguido do desfile cívico-militar da Polícia Militar de Pernambuco, do Corpo de Bombeiros e do Grupo da Maçonaria. Em seguida, Paulo Câmara foi até o Monumento aos Hérois da Revolução Pernambucana de 1817 - escultura de Abelardo da Hora - localizada na Praça da República, para depositar uma coroa de flores. Na oportunidade, foi realizado um minuto de silêncio em homenagem aos mártires do movimento.
     
    O segundo momento da cerimônia foi marcado pela entrega das medalhas em homenagem aos ex-governadores de Pernambuco. Foram agraciados com a comenda João Lyra Neto, Jarbas Vasconcelos, Joaquim Francisco, Gustavo Krause, José Ramos (representado por Gustavo Paes de Andrade) e Roberto Magalhães. Entre as personalidades e entidades que receberam as medalhas estão a Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), na pessoa do presidente, Guilherme Uchoa; a Câmara do Recife, pelas mãos do presidente, Eduardo Marques; a Academia Pernambucana de Letras, cuja representante foi a presidente da instituição, Margarida Cantarelli; o Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano, representado pelo presidente, George Cabral.
     
    Também foram agraciados Janduhy Fernandes Cassiano Dinis, Grão Mestre da Grande Loja Maçônica de Pernambuco; Antonio do Carmo Ferreira, Grão Mestre do Grande Oriente Independente de Pernambuco e Fernando Coelho; coordenador-geral da Comissão da Memória e Verdade Dom Helder Câmara (CMVDHC); e Adalberto de Oliveira Melo, presidente do Tribunal de Justiça de Pernambuco em exercício.
     
    Membro da Comissão Organizadora do Bicentenário da Revolução de 1817, José Luis da Mota Menezes falou em nome da grupo e agradeceu pela missão de fortalecer a memória de um dos movimentos mais importantes da história do País. "A convivência com os integrantes me fez estudar novamente sobre a Revolução e nos fez, na medida do possível, ajudar na comemoração dessa grande data". José Luis explicou que o movimento, mais do que apenas pernambucano, tomou dimensões nacionais. "Na realidade, é uma revolução republicana, pois não tem o teor apenas de Pernambuco, mas do Nordeste e, mais na frente, teve um teor mais forte em relação ao Brasil", afirmou.

    Estiveram presentes na cerimônia o prefeito do Recife, Geraldo Julio, os secretários de Defesa Social, Ângelo Gioia; da Casa Civil, Antônio Carlos Figueira; Desenvolvimento Social, Criança e Juventude, Roberto Franca; de Ciência e Tecnologia, Lúcia Melo; de Educação, Fred Amâncio; de Cultura, Marcelino Granja; da Mulher, Silvia Cordeiro; da Saúde, Iran Costa; de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico; de Agricultura e Reforma Agrária, Nilton Mota; e o chefe de Gabinete, João Campos.
     
    Também participaram do evento o chefe da Casa Militar, Coronel Eduardo Pereira; o chefe de Gabinete de Projetos Especiais, José Neto; Renato Thiebaut, à frente do Gabinete de Assuntos Estratégicos; o procurador-geral do Estado, César Caúla; o comandante da Polícia Militar de Pernambuco (PMPE), Vanildo Maranhão; e o comandante do Corpo de Bombeiros, Manoel Cunha. Ainda estiveram na cerimônia os deputados estaduais Aluisio Lessa, Teresinha Nunes, Laura Gomes, Tony Gel e Waldemar Borges, além do reitor da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), Padre Pedro Rubens.
     
    Os cônsuls Durvalino Andreotti (Bulgária), Jaime Hernando (Argentina), Jiri Jodas (República Tcheca), Li Feiyue (China), Maria Regueira (Alemanha), Yasuhiro Mitsui (Japão) e Paloma Gonzalez (Estados Unidos) também foram à solenidade.


    Fotos: Aluísio Moreira/SEI
    Assuntos: paulo camara, bicentenário da revolução de 1817,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Governo de Pernambuco promove ações para comemorar o Bicentenário da Revolução de 1817

    | Educação, Cultura
    Revolução 1817

    O Governo do Estado e a Comissão Organizadora do Bicentenário da Revolução Pernambucana de 1817 anunciaram, nesta sexta-feira (03/03), em coletiva à imprensa, a vasta programação das comemorações do Bicentenário da Revolução de 1817, movimento emblemático da história de Pernambuco. Foi apresentado um conjunto de eventos e ações que serão realizados ao longo deste ano. Entre as atividades, estão exposições culturais, valorização da Revolução no conteúdo programático das escolas públicas, projeto de construção de um monumento em referência ao marco e publicações de livros com abordagens analíticas sobre 1817. As comemorações do Bicentenário congregam diferentes instituições e setores da sociedade, tanto do âmbito local quanto nacional, que valorizam a data.
     
    Presidente da Comissão do Bicentenário, o secretário-executivo da Casa Civil, Marcelo Canuto, destacou a importância da comemoração do marco pernambucano. "A Revolução de 1817 tem a ver com o pioneirismo do pernambucano em defender a liberdade e a democraria. Portanto, o Governo do Estado se sentiu na obrigação de realizar esses eventos para divulgar os valores de 1817", ressaltou. Canuto ressaltou a ampla programação que será realizada ao longo de 2017 para comemorar a data, com ações nas áreas de literatura, teatro, música e de caráter nacional.

    A presidente da Associação Pernambucana de Letras (APL),  Margarida Cantarelli - que integra a Comissão do Bicentenário -, avalia que a Revolução de 1817 deixou marcas importantes na formação do povo pernambucano e, por esse motivo, precisa ser celebrada. "Para que Pernambuco pudesse atingir um grau de liberdade, foi preciso que muitos homens dessem a própria vida. Então, ainda há muito o que se difundir para que os jovens tenham orgulho da nossa terra", avaliou.
     
    A abertura será na próxima segunda-feira (06/03), em solenidade no Palácio do Campo das Princesas. Na ocasião, alguns nomes da Revolução de 1817 serão homenageados e haverá a entrega de medalhas do Bicentenário a entidades e ex-governadores de Pernambuco. Também ocorrerá o hasteamento da Bandeira de Pernambuco, desfile cívico-militar, chamada solene do nome dos revolucionários e descerramento da placa que ficará no hall do Palácio. O Acervo Cepe (www.acervocepe.com.br) disponibilizará uma lista com 275 referências bibliográficas e documentos sobre 1817.
     
    No mesmo dia, às 15h, a Academia Pernambucana de Letras (APL) e o Instituto Arqueológico Histórico e Geográfico de Pernambuco (IAHGP) farão sessão solene conjunta, no auditório da APL. Na ocasião, o acadêmico Vamireh Chacon ministrará a palestra "A Revolução de 1817 e a cultura brasileira". Às 18h, também haverá uma sessão solene na Assembleia Legislativa de Pernambuco e, no dia seguinte (07/03), no Congresso Nacional.
     
    Dentro da programação do Bicentenário, serão publicados, ainda, por meio da Cepe, livros com abordagens críticas de 1817, como o "Abecedário da Revolução" e "História da Revolução de Pernambuco em 1817" que serão lançados no próximo dia 12 de março, no Museu da Cidade do Recife, e "Dez visões sobre 1817", livro que reúne dez ensaios de historiadores contemporâneos a respeito da Revolução. A restauração do Arquivo Público de Pernambuco, inclusive, integra também as ações comemorativas do Bicentenário. Também acontecerá, no Museu, uma exposição cultural e educacional sobre fatos e personagens da data. Será realizada uma ação de fixação de placas de azulejo para identificação de monumentos ou locais de relevância para a Revolução de 1817.
     
    Além da programação realizada pelo Governo do Estado e pela Comissão, algumas instituições parceiras estarão realizando sua própria programação. É o caso da Academia Pernambucana de Letras, que promoverá o evento "Música na APL", com a artista Eliana Caldas. Já o Instituto Arqueológico Histórico e Geográfico de Pernambuco realizará diversas ações em comemoração ao marco. Entre elas está o lançamento de concursos de monografias e redações sobre 1817, nas Universidades de Pernambuco, e um Seminário Nacional sobre a época.
     
    No âmbito nacional, as paredes do corredor de acesso ao Plenário Ulysses Guimarães, no Congresso, em Brasília, receberá uma exposição com painéis com gravuras, documentos, mapas e jornais de 1817, além de objetos pertencentes aos revolucionários. O Ministério da Cultura também terá uma exposição sobre o tema.
     
    HISTÓRICO - Diferentemente de todas as outras revoltas de ordem conspiratória da época, a Revolução de 1817 foi a única que chegou a ter um governo republicano instalado durante 74 dias, tendo influenciado ainda dois outros movimentos importantes: a Convenção de Beberibe, em 1821, e a Confederação do Equador, em 1824. A Revolução de 1817 também sofreu influência da Revolução Francesa, por meio da comunidade de maçons atuante no Estado a partir dos ideais de "liberdade, igualdade e fraternidade".
     
    Programação
     
    6 de março de 2017 - segunda-feira 
    8h - Palácio do Campo das Princesas 
    Hasteamento da Bandeira.
    Desfile Cívico Militar. 
    Colocação de uma coroa de flores na escultura da Revolução de 1817, de Abelardo da Hora. 
    Chamada solene dos nomes dos revolucionários. 
    Descerramento da placa. 
    Entrega das medalhas do Bicentenário aos homenageados.
     
    15h - Academia Pernambucana de Letras 
    Sessão Solene conjunta da Academia Pernambucana de Letras (APL) e o Instituto Arqueológico Histórico e Geográfico de Pernambuco (IAHGP).
     
    18h - Assembleia Legislativa de Pernambuco
    Sessão Solene
     
    7 de março de 2017 - terça-feira
     
    10h - Congresso Nacional
    Sessão Solene em Brasília

    Eventos e ações já programadas:
     
    Fotos: Wagner Ramos/SEI

    Assuntos: bicentenário da Revolução Pernambucana de 1817, cultura, homenagens, Marcelo Canuto, Margarida Cantarelli, cepe,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Remição de pena pela leitura

    | Educação, Cultura, Direitos Humanos

     

    A Secretaria de Justiça e Direitos Humanos, por meio da Executiva de Ressocialização (Seres), está arrecadando livros com o intuito de colocar em prática o Projeto de Remição de Pena pela Leitura de reeducandos inseridos nos regimes fechado, semiaberto, aberto e livramento condicional nos estabelecimentos prisionais e no Patronato Penitenciário de Pernambuco. No projeto, que conta com a parceria da Secretaria de Educação, serão utilizadas obras filosóficas, literárias e clássicas.

    A remição de pena pela leitura é destinada aos reeducandos alfabetizados e tem o objetivo de oferecer o direito ao conhecimento, à educação, à cultura e ao desenvolvimento da capacidade crítica. Esse processo ocorrerá através da leitura, produção de resumos de leitura e de resenhas, que poderá remir quatro dias de pena. Também a pena poderá ser reduzida pela leitura mensal de uma obra literária.

    PONTOS DE ARRECADAÇÃO
    (Livros filosóficos, literários e clássicos)

    Secretaria Executiva de Ressocialização, rua do Hospício, 781, Boa Vista (em frente ao Parque Treze de Maio)

    Secretaria de Justiça e Direitos Humanos, Praça do Arsenal, S/N, Bairro do Recife (ao lado da Torre Malakoff)

    Horário: de segunda a sexta, das 8h às 12h e 13h às 17h

    Assuntos: sjdh, seres, projeto de remição de pena pela leitura, reeducandos, patronato penitenciario,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Região Metropolitana não registrou nenhum homicídio nos focos de Carnaval

    | Administração, Cultura


    Balanço das ações do Governo de Pernambuco durante os quadro dias de folia também traz uma redução de 25% na procura pelos atendimentos realizados na Rede de Saúde

    A Região Metropolitana, incluindo os dois principais focos do Carnaval de Pernambuco, Olinda e Recife, não registrou nenhum Crime Violento Letal Intencional (CVLI), entre 0h de sábado (25/02) e as 23h59 da terça-feira (28/02). O Galo da Madrugada e o Homem da Meia Noite, que desfilaram, respectivamente, no Recife e em Olinda, no último sábado, não tiveram nenhuma ocorrência de gravidade. O governador Paulo Câmara comandou pessoalmente reuniões diárias, entre sábado e a terça-feira, com secretários de Estado e os comandos das polícias, com o objetivo de monitorar o trabalho do Governo durante o Carnaval.

    Os três CVLIs ocorridos em focos da folia foram nos municípios de Vitória de Santo Antão (1) e Água Preta (2), decorrentes de questões não relativas à festa propriamente dita. Os números fazem parte do balanço concluído hoje (02/03) pela Secretaria de Defesa Social (SDS). Os números gerais do mês de fevereiro (incluindo o CVLI) serão divulgados no próximo dia 15/03.

    Já a Secretaria Estadual de Saúde (SES), que também fechou hoje o balanço das atividades, apontou um Carnaval mais tranquilo este ano do que em 2016. Foram registrados 30.154 atendimentos este ano, em todas as unidades da rede do Estado, localizada nas proximidades da rede estadual de Saúde, contra 40.295 atendimento realizados no ano passado. Uma redução de 25% (detalhamento completo abaixo do balanço da SDS).

    DETALHAMENTO SDS

    De acordo com a Secretaria de Defesa Social, os denominados Crimes Contra a Pessoa (Ameaça, Agressão e Lesão Corporal) praticamente se mantiveram estáveis nos focos de Carnaval: foram 140 ocorrências registradas em 2016 e 144 em 2017. Por outro lado, os crimes contra a administração pública (desobediência, desacato e desordem) caíram de 133 ocorrências em 2016 para 121 em 2017.

    Os policiais também aumentaram o número de apreensões de drogas nos focos da folia: foram 84 papelotes de cocaína apreendidos em 2017 contra apenas 2 em 2016; 207 papelotes de maconha este ano contra 44 no ano anterior e foram recolhidos, ainda, 1.088 tubos de loló em 2017 contra 301 em 2016. A única droga que apresentou redução na apreensão foi o crack, com 101 pedras recolhidas em 2016 e 6 em 2017.

    Foram mais de 31 mil policiais nas ruas durante o período carnavalesco em Pernambuco, numa operação planejada de forma a não prejudicar o trabalho rotineiro das polícias. Por isso, a Secretaria de Defesa Social também destacou diversas e bem sucedidas operações que ocorreram durante a folia: um assaltante de banco, de atuação nacional, foi encontrado em Cabrobó e, após confronto com a polícia, foi morto em combate; em Caruaru, foram presos, em flagrante, quatro ladrões que tentaram roubar a Lojas Americanas no centro da Capital do Agreste; em Prazeres (Jaboatão dos Guararapes) outras cinco prisões foram realizadas de um grupo que tentou assaltar uma empresas de ônibus; e em Goiana, a polícia prendeu suspeito de sequestrar um empresário e a prisão de um dos dois assaltantes que atacaram um veículo na Joana Bezerra, no sábado de Carnaval.

    Quem apresentou menos ocorrências este ano foi o Corpo de Bombeiros: foram 598 procedimentos este ano e 1.055 no ano passado. Esses procedimentos incluem: Atendimento Pré-Hospitalar (APH) Trânsito, APH Agressão, Emergência Clínica, Mal Súbito e Vítima de Queda. Todas essas ocorrências tiveram números menores do que em 2016. Já no trabalho de Prevenção do Corpo de Bombeiros (Prevenção Contra Incêndio, Prevenção de APH e Salvamento Aquático), foram registradas 106 ocorrências em 2017, contra 167 em 2016.

    DETALHAMENTO SES

    O Carnaval 2017 foi considerado de mais tranquilidade para os serviços de emergência administrados pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), em comparação aos dias de Momo de 2016. Das 19h da sexta-feira (24/02) até as 7h da Quarta-feira de Cinzas (18/02), foram registrados 30.154 atendimentos em todas as unidades da rede estadual, localizadas nas proximidades dos focos de folia, o que inclui 24 hospitais e 15 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) distribuídos por todas as regiões de Pernambuco. Esse número representa uma redução de 25% em relação ao ano de 2016, quando foram registrados 40.295 atendimentos.

    sds1

    "O planejamento montado pelo Governo do Estado para o Carnaval, com o reforço nas escalas de profissionais e monitoramento das ocorrências, foi um sucesso e a rede funcionou em sintonia e de forma ordenada, conseguindo alcançar o nosso objetivo de garantir a assistência necessária aos pernambucanos e turistas", ressalta o secretário estadual de Saúde, Iran Costa Júnior.

     

    As 15 Unidades Pronto Atendimento (UPAs) foram responsáveis por 59% (17.739) do total de atendimentos de toda a rede estadual de saúde. Apenas (4%) dos pacientes atendidos nas UPAS precisaram ser transferidos para as emergências dos grandes hospitais, o que demonstra o alto grau de resolutividade destas unidades. No período carnavalesco, as UPAS estaduais realizaram 654 suturas e curativos e 971 imobilizações em pacientes com traumas leves. No Carnaval do ano passado, as 15 Unidades de Pronto Atendimento foram responsáveis por 23.818 atendimentos (uma redução de 25,5% em 2017).

    sds2

    A maior diminuição nos atendimentos foi registrada nos 12 hospitais localizados na Região Metropolitana do Recife (RMR), que realizaram, neste ano, 5.111 atendimentos, um número 31% menor que o total de 2016 (7.442). Já no interior, as unidades da rede estadual foram responsáveis por 7.304 atendimentos, um decréscimo de 20% em relação ao ano passado (9.035).


    sds3
     
    sds4
     
    Já com relação aos procedimentos, a rede estadual realizou, durante o Carnaval, 545 cirurgias, quantidade 15% menor que a registrada em 2016. No entanto, nos 12 hospitais do Interior do Estado, o movimento cirúrgico observou um aumento de 22%, com a realização de 216 cirurgias neste ano, contra 177 no ano passado, o que reflete o aumento da resolutividade dessas unidades e impacta na redução das cirurgias na capital. Na RMR, a queda foi de 29% (329 em neste ano e 462 em 2016).

    sds5

    REGULAÇÃO DE LEITOS - A tendência de redução nos atendimentos durante o Carnaval 2017 nas grandes emergências, também foi constatada pela Central de Regulação de Leitos de Pernambuco. Os encaminhamentos de urgência para as grandes emergências e maternidades de alto risco, apresentou uma redução de 12,5% em relação a 2016. Já as regulações para os hospitais regionais e maternidades de baixo risco, apresentaram aumentos de 23,5% e 3%, respectivamente.

    Para ampliar a rotatividade de leitos nas grandes emergências, também estão sendo realizados, desde o início de janeiro, mutirões de cirurgias ortopédicas em unidades contratadas. Até a quarta-feira de cinzas, 90 pacientes já foram beneficiados. Até o final do mês de março, serão cerca de 200 cirurgias.

    sds6

    ATENDIMENTOS NO WILMA LESSA -

    Entre o sábado (25.02) e a terça-feira (28.02), o Serviço de Apoio à Mulher Wilma Lessa, localizado no Hospital Agamenon Magalhães, no Recife, atendeu seis pacientes vítimas de violência. Foi um caso de agressão física, um de sexual e física e quatro de agressão sexual. Quatro pacientes foram encaminhadas do IML e duas de outras unidades de saúde. As ocorrências foram em Jaboatão dos Guararapes, Paulista, Olinda (2), Cabo de Santo Agostinho e Vitória de Santo Antão. 

    GALO DA MADRUGADA - Pelo sexto ano consecutivo, o desfile do Galo da Madrugada teve suas ocorrências de saúde monitoradas em tempo real pela Secretaria Estadual de Saúde (SES). Ao todo, durante o sábado de Zé Pereira, foram registrados 478 atendimentos de saúde relacionados à festividade, sendo 465 envolvendo foliões e 13 pessoas que trabalhavam no evento. Isso significa uma redução de 3,6% em relação a 2016, com 496 atendimentos (484 de foliões e 12 de trabalhadores). Ao todo, foram 16 locais monitorados, sendo oito hospitais, três Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e cinco postos de atendimento do Samu.

    As ocorrências foram notificadas das 7h às 22h por equipamentos portáteis (tablets) conectados ao software Ambiente de Monitoramento de Risco (Amber), com dados gerados pelos hospitais da Restauração, Getúlio Vargas, Otávio de Freitas, Barão de Lucena, Agamenon Magalhães, Imip, Correia Picanço e Universitário Oswaldo Cruz; pelas UPAs Imbiribeira, Torrões e Caxangá; e pelos postos do Samu na Praça Sérgio Loreto, Avenida Dantas Barreto, Pátio do Carmo, Rua do Sol e Central 192.

    De acordo com as informações coletadas, o uso excessivo de álcool foi a principal causa dos atendimentos (33,3%), seguido por mal estar decorrentes de outras causas (18,3%). Já em relação aos sintomas relatados, os mais comuns foram tontura (12,6%), náusea (11,9%) e dor (9,6%). No total, 91,2% dos casos foram resolvidos no próprio local de atendimento. Apenas 8,78% precisaram de transferência.

    MONITORAMENTO - Além das informações geradas sobre os 478 atendimentos aos foliões durante o desfile do Galo da Madrugada, o Amber também registrou outras 545 ocorrências nas mesmas unidades de saúde, que envolviam pacientes que não estavam em polo de festa, o que corresponde a 53,3%. No ano passado, foram 568.

    sds7

    LEI SECA - Com ações de fiscalização em todo o Estado durante o Carnaval, a Operação Lei Seca abordou, das 0h da sexta (23/02) até a madrugada da quarta-feira (1º/03), 10.723 veículos.

    Desse total, 58 foram rebocados e 107 CNHs foram recolhidas. Dos condutores abordados, 69 se recusaram a fazer o teste do bafômetro. Nos 10.884 testes de alcoolemia realizados, foi constatado que 37 pessoas beberam após dirigir. Dessas, quatro cometeram crime.

    Os motoristas autuados por alcoolemia sofrem punições administrativas, que preveem multa gravíssima com a perda de 7 pontos na carteira, recolhimento da Carteira Nacional de Habilitação e aplicação de multa no valor de R$ 2.934,70. Aqueles que cometeram crime de trânsito, além dessas sanções, foram conduzidos para a delegacia de polícia e autuados por crime de trânsito.

    sds8

     

    Assuntos: governo de pernambuco, balanço sds, saúde, paulo camara,
    Compartilhe: Link para o post: