meteorologia

Bacias Hidrográficas

Obra em todo lugar

Veja o que o Governo de Pernambuco está fazendo na sua região.

Blog de notícias

  • Livro da Cepe homenageia médico Salomão Kelner

    | Cultura

    capa

    Perfil biográfico Salomão Kelner - Um Marco na Medicina Pernambucana traz entrevistas e depoimentos do próprio Salomão e de familiares, discípulos e amigos. Lançamento ocorre dia 23 de maio, às 19h, no Museu do Estado

    Nem só da precisão no manuseio do bisturi ou da indicação certeira do remédio se faz bom médico. Salomão Kelner (1916-2003), pesquisador e professor de medicina, referência em cirurgia abdominal e fundador do Mestrado em Cirurgia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), aprendeu e ensinou que doença se cura com sensibilidade ético-social. Era acima de tudo um humanista. Assim fez amigos, anônimos e ilustres, como o ex-governador Miguel Arraes, o ex-prefeito Pelópidas Silveira, e o professor e médico Fernando Figueira, fundador do Imip.  

    “Nós temos especialistas demais (…) O Brasil não deveria permitir especialista precoce. Não se pode uniformizar a medicina”, disse o médico certa vez, durante uma entrevista, reproduzida no livro Salomão Kelner - Um Marco na Medicina Pernambucana, editado pela Cepe e organizado pelos também médicos Gilda Kelner e Djalma Agripino de Melo Filho. O perfil biográfico será lançado dia 23 de maio, às 19, no Museu do Estado de Pernambuco (Mepe).

    Na obra, o leitor conhece a trajetória acadêmica e científica, narrada em entrevistas e textos escritos pelo próprio Salomão, além de 28 depoimentos de amigos, familiares e discípulos. “A história de meu pai merece registro especial por sua preocupação com as camadas desfavorecidas da sociedade”, defende a psicanalista Gilda, 74 anos, que levou dois anos para reunir fotografias, documentos e uma linha do tempo que constam no livro. Tudo isso ao lado de Djalma, especialista em saúde pública e epidemiologia, além de jornalista e apaixonado pela história da medicina. Djalma, 59, conta que Salomão foi seu professor, nos anos 1980. “Naquela época já pude constatar sua sabedoria e seu compromisso com o ensino público de qualidade”, recorda. Foi justamente essa luta em defesa da universidade pública que aproximou Djalma da família Kelner. 

    O reconhecimento veio em vida com homenagens importantes: recebeu a Medalha Maciel Monteiro, considerada a mais alta distinção da Sociedade de Medicina de Pernambuco; e o título de Cidadão do Recife. Argentino naturalizado brasileiro desde os 2 anos de idade, Salomão se formou em 1940 na então Faculdade de Medicina, onde enfrentou o antissemitismo por ser judeu. No início da carreira, seus pares o restringiram a exercer o ofício apenas no interior do Estado.  

    Começou a ensinar em 1945 na faculdade, e de lá saiu apenas 41 anos depois. Auto-declarado socialista, enfrentou a Ditadura de 1964. Não se acovardou diante do golpe e da prisão de Arraes, então detido no quartel do Corpo de Bombeiros e, no dia do Natal, foi até lá para presentear o amigo com uma tela do pintor Cícero Dias. Não pôde ter com o político, mas a notícia da visita chegou até Arraes, que a recebeu com alegria. Em seguida, enviou uma carta ao amigo em agradecimento.

    Salomão e a esposa, a ginecologista e obstetra Miriam Ludmer, 98,chegaram a ser presos na época do golpe militar. Antes de 1964, o médico se engajou nas campanhas de Juscelino Kubitscheck (1955), Miguel Arraes (1962) e Pelópidas Silveira (1963). Mas a militância vem desde o movimento estudantil. Apesar de não apoiar a luta armada, sempre foi um ferrenho defensor da luta pela democracia. “Sabe quais são as três prioridades do Brasil? Primeiro lugar, a educação; segundo lugar, a educação; terceiro lugar, a educação”, dizia.

    Gilda conta que, mesmo nos tempos de censura, o pai ajudou muitos estudantes, inclusive financeiramente. “Mesmo sob todas as censuras da época, quando dava aulas — não é que

    fizesse discursos políticos – estimulava os alunos a valorizar a relação médico-paciente e ter uma visão mais abrangente do mundo, em contraste com a visão tubular, que só via o aspecto técnico. Sugeria que era importante ler literatura e assistir a manifestações artísticas”, relata a filha.

    Serviço
    Lançamento do livro Salomão Kelner - Um Marco na Medicina Pernambucana (Cepe Editora)
    Quando: 23 de maio, às 19h
    Onde: Museu do Estado de Pernambuco (Av. Rui Barbosa, 960 - Graças)

    Cidades: Recife
    Assuntos: casa civil, cepe, lancamento
    Compartilhe: Link para o post:
  • Cepe inaugura livraria no Museu do Estado

    | Cultura
    Recife ganha nesta quarta-feira (15) mais uma livraria – a quarta a ser inaugurada pela Companhia Editora de Pernambuco (Cepe). Ela funcionará nas dependências do Museu do Estado de Pernambuco (Mepe), bairro das Graças, e receberá o nome de Espaço Ramires Teixeira, uma homenagem ao advogado, colecionador e ex-diretor da Sociedade dos Amigos do Museu do Estado que faleceu no ano passado. A inauguração acontecerá às 16h.
     
    A nova livraria é uma parceria com o Museu do Estado e funcionará no mesmo horário do equipamento cultural: de terça-feira a sexta-feira, das 9h às 17h, e das 14h às 17h aos sábados e domingos. Mais de duzentos títulos publicados pela Cepe Editora, entre lançamentos e obras dos seus catálogos, serão comercializados no novo espaço.
     
    O presidente da Cepe, Ricardo Leitão, destaca a iniciativa. “A livraria renova a parceria cultural entre as duas instituições. O museu sempre apoiou a Cepe na realização de lançamentos de livros, e a Cepe sempre esteve junto ao Mepe na realização de exposições e outros eventos culturais. Acredito que com isso ganhará a população pernambucana e mais especificamente os amantes da cultura, seja ela na forma da promoção do livro e da leitura ou na divulgação das artes plásticas”, assegurou. Além de livros, a livraria também comercializará produtos do Mepe.
     
    Outras livrarias da Cepe estão localizadas no Mercado Eufrásio Barbosa (Olinda), Museu Cais do Sertão e na sede da empresa, no bairro de Santo Amaro.
    Cidades: Recife
    Assuntos: casa civil, cepe, livraria, museu do estado
    Compartilhe: Link para o post:
  • Pernambuco tem programação gratuita e diversa na 17ª Semana Nacional de Museus

    | Cultura

    museu

    Espaços culturais ligados à Secult-PE/Fundarpe abrem seus acervos permanentes e montam mostras especiais para celebrar a ocasião

    Os museus de Pernambuco ligados à Secult-PE/Fundarpe  se preparam para mais uma edição da Semana Nacional de Museus, evento que acontece este ano entre os dias 13 e 19 de maio e é promovido pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram). Em 2019, a programação tem como tema “Museus como Núcleos Culturais: o Futuro das Tradições”. O Dia Nacional de Museus é celebrado em 18 de maio.

    Participam do evento: o Museu de Arte Sacra (Maspe), o Museu Regional de Olinda (Mureo), Estação Central Capiba/Museu do Trem, Museu do Estado de Pernambuco (Mepe) e Museu do Barro de Caruaru (Mubac).

    “Essa é uma ótima oportunidade não só para os turistas conhecerem nossos equipamentos culturais, como também para os próprios pernambucanos redescobri-los. A partir de uma programação que dialoga com temas atuais, os visitantes poderão conferir que esses espaços não se restringem ao passado, pois estão sempre se renovando e se referem também ao futuro, como adianta o tema da Semana neste ano”, comenta o secretário estadual de Cultura, Gilberto Freyre Neto.

    Para o presidente da Fundarpe, Marcelo Canuto, o evento também deve aproximar a relação entre o público e os espaços. “Esta gestão tem a preocupação de dinamizar nossos museus através de uma programação diversificada. A grade preparada para a 17ª Semana Nacional de Museus é uma mostra do trabalho que fazemos durante todo o ano e é também um convite para que os visitantes frequentem sempre nossos equipamentos”, diz ele.

    Confira abaixo a programação completa dos equipamentos culturais participantes da 17ª Semana Nacional de Museus:

    MUSEU REGIONAL DE OLINDA – MUREO

    Exposição permanente – Mobiliários, pinturas, louças, pratarias e peças de grande valor histórico para a vida social, religiosa da cidade.

    10 a 31 de maio - “Arte no Varal Musical", do artista plástico e compositor DIDO SANTOS.

    Abertura dia 10 de Maio, às 17h, com apresentação de Dido Santos do projeto "Recital de música autoral, voz e violão".
    Participações dos poetas: Luiz Carlos, Sidney Ramos e José Evangelista.

    Endereço: Rua do Amparo, 128, Amparo – Olinda
    Visitação: Terça a sexta, das 9h às 17h
    Telefone: (81) 3184.3159 | 3194.3160

    MUSEU DO TREM - ESTAÇÃO CENTRAL CAPIBA

    Exposição permanente “Chegadas e Partidas: a memória do trem em Pernambuco”

    14 de Maio | Jogo Didático “Chegadas e Partidas” com estudantes do Ensino Fundamental | 10h às 12h.

    15 de Maio | Mesa: Cultura, tradição e identidade: a relação entre museu e cidade no bairro de São José. A mesa discutirá a relação do museu com o seu entorno, sua representatividade para a cidade e sua importância na composição da identidade urbana | 14h às 16h.

    Participantes

    Aluísio Câmara – Historiador, Museólogo e curador da exposição “Chegadas Partidas: A Memória do Trem em Pernambuco”.

    Amélia Reynaldo – Arquiteta e urbanista, Doutora pela Universidade da Catalunha, Espanha, professora da Universidade Católica de Pernambuco, atua com ênfase em planejamento e preservação do espaço urbano.

    Ângela de Almeida Cunha – Arquiteta e urbanista, realizou o projeto integrado de acessibilidade entre a Estação Central e a Casa da Cultura.

    16 de Maio | Cine Estação “Recife, paisagens culturais e tradições” | das 14h às 16h.

    Edição especial trazendo a exibição dos filmes: "O Mercado de São José" (10 min. 16mm e direção de Fernando Monteiro), seguida de um bate-papo com o diretor.

    17 de Maio | Workshop “Noções e práticas de conservação do patrimônio cultural”. | 14h às 16h | inscrições via: educativomt@gmail.com |

    Noções básicas de teoria, conservação e preservação, prática de processos museológicos, higienização de peças, além das demandas ligadas à ressignificação sofrida pelos objetos culturais e as possibilidades de releitura e curadoria.

    Endereço: Rua Floriano Peixoto s/n, São José – Recife
    Visitação: Terça a sexta, das 9h às 17h | Sábado, das 10h às 17h | Domingo, das 10h às 14h
    Telefone: (81) 3184.3197

    MUSEU DO ESTADO DE PERNAMBUCO – MEPE

    Exposições permanentes

    O Casarão e a Cidade, usos e costumes - Curadoria de Ana Cristina Carvalho. Apresenta a trajetória histórica do palacete com ambientação do século XIX e costumes da aristocracia pernambucana.

    Pernambuco, Território e Patrimônio de um Povo - Curadoria de Renato Athias e Raul Lody. A mostra de longa duração expõe a história da ocupação do território pernambucano da pré-história à atualidade.

    Mostras de Curta Duração:

    Até 02 de Junho - AGÔ Afrosagrado – de Roberta Guimarães. Curadoria: Raul Lody. Mostra fotográfica idealizada a partir da pesquisa da artista em 12 terreiros, resultando no livro “O sagrado, a pessoa e o orixá”.

    14 a 19 de Maio - Ação Educativa| Oficinas e outras atividades direcionadas ao público visitante, com o recorte temático das tradições e culturas presentes no acervo e nas mostras em cartaz no museu;

    14 de Maio – Mesa Redonda (19h)|"Mirando las coleciones desde otros sentidos: curadoria, objetos e cosmologia na Amazônia colombiana e no nordeste brasileiro"
    Participante: Salima Cure Valdivieso (PPGA/UFPE)
    Mediador: Alexandre Gomes (UFPE)

    16 de Maio - Ação Educativa| Formação para professores de artes da rede pública de ensino.
    09h às 12h – MEPE 90 anos 
    14h às 17h – Exposição Agô, com a fotógrafa Roberta Guimarães.

    Endereço: Av. Rui Barbosa, 960, Graças – Recife
    Visitação: Terça a sexta, das 9h às 17h | Sábados e domingos, das 14h às 17h
    Telefone: (81) 3184.3174

    MUSEU DO BARRO DE CARUARU – MUBAC

    Exposição permanente – O espaço expositivo do museu está composto pelas seguintes salas: Ceramistas do Alto do Moura, Mestre Vitalino e sua família, Coleção Abelardo Rodrigues e Pinacoteca Luiza Maciel, que expõe telas de artistas de Caruaru retratando a cidade e suas tradições. 

    13 de maio a 10 de junho| Mostra temporária “Diego e Frida: um sorriso no meio do caminho”, com imagens, em sua grande maioria, registradas pelos amigos do casal, como Manuel Álvarez Bravo, Nicholas Muray, Edward Weston, Guillermo Kahlo, Peter Jules, Guillermo Zamora e Juan Guzmán.

    Endereço: Praça Cel. José de Vasconcelos, 100, Centro – Caruaru
    Visitação: Terça a sábado, das 9h às 17h | Domingo, das 9h às 13h
    Telefone: (81) 3727.7839 | 3721.2545

    GALERIA TEREZA COSTA RÊGO

    Até o dia 10 de junho - Mostra coletiva “O Museu é Vivo”, um recorte da coleção “Doe-se ao MAC”, na Galeria Tereza Costa Rêgo. A mostra fica exposta de segunda a sexta, das 9h às 17h.

    Endereço: Rua 13 de maio, 149, Varadouro – Olinda
    Visitação: Terça a sexta, das 9h às 13h
    Telefone: (81) 3184.3153

    Cidades: Caruaru, Olinda, Recife
    Assuntos: secult, fundarpe, semana de museus
    Compartilhe: Link para o post:
  • Espaço Ciência participa da 17ª Semana dos Museus

    | Cultura

    espaço

    A partir da segunda (13), o Espaço Ciência participa da Semana dos Museus que, este ano, celebra o tema: “Museus como núcleos culturais – o futuro das tradições”. O evento é nacional. Nessa edição, 1.114 instituições de cultura de todo o país oferecem ao público 3.222 atividades especiais, como visitas mediadas, palestras, oficinas, exibição de filmes. A programação antecipa as comemorações do Dia Internacional dos Museus, 18 de maio.

    No Espaço Ciência, além da visita mediada às atrações permanentes, haverá duas atividades especiais: uma oficina de percussão com o Maracatu Real da Várzea, na terça e quinta (14 e 16), pela manhã; e a oficina “Revivendo o Movimento Armorial”, na terça, quinta e sexta (14, 16 e 17), à tarde.

    Outro destaque é a parceria com o Universo Compesa. Trata-se de um ambiente digital interativo, que combina informação e recursos tecnológicos para apresentar a história da gestão dos recursos hídricos e de saneamento no estado. A parceria entre os dois museus, que já aconteceu no ano passado, volta a ocorrer este ano: na segunda e terça (13 e 14), nos dois horários, sairá ônibus do Espaço Ciência com as escolas que quiserem visitar o Universo Compesa.

    Para Antonio Carlos Pavão, diretor do Espaço Ciência, o fato de um museu ser dedicado ao conhecimento científico não exclui a importância da tradição. “Pelo contrário. O conhecimento ancestral de muitos povos foi fundamental para o desenvolvimento da Ciência”, diz.

    Assuntos: secti, espaco ciencia, semana dos museus
    Compartilhe: Link para o post:
  • Governo dá início a um ciclo de capacitação regionalizada para o edital de Microprojetos Culturais

    | Cultura

    edital

    Ação formativa realizada pela Secult-PE/Fundarpe circulará por 16 cidades pernambucanas, das 12 Regiões de Desenvolvimento do Estado

    O Governo de Pernambuco, por meio da Secretaria Estadual de Cultura e da Fundarpe, dará início na próxima semana a um ciclo de capacitação regionalizada para jovens que tenham microprojetos culturais. Criado com a proposta de incentivar a produção de atividades artístico-culturais de pessoas entre 18 a 29 anos, moradores de áreas de vulnerabilidade social. A ação formativa circulará por 16 cidades pernambucanas, das 12 Regiões de Desenvolvimento do Estado. 

    “O Microprojeto Cultural está em sua primeira edição e tem o desafio de incluir parte da juventude, com protagonismo, que estava à parte do acesso aos recursos do Sistema de Incentivo à Cultura do Estado, mas que passa agora a contar com um importante incentivo”, destaca o secretário de Cultura, Gilberto Freyre Neto.

    Marcelo Canuto, presidente da Fundarpe, ressalta que um dos maiores desafios de quem faz a gestão cultural no Estado é realizar uma capacitação descentralizada e em várias cidades do interior. “Uma ação que dê a oportunidade aos produtores que moram mais afastados da Região Metropolitana do Recife de conhecerem e submeterem seus projetos nos principais fundos de incentivo à cultura do Governo de Pernambuco”.

    Os encontros acontecerão das 8h às 12h e das 14h às 18h. Participam os municípios: Jaboatão dos Guararapes, Belo Jardim, Afogados da Ingazeira, Petrolândia, Garanhuns, Glória do Goitá, Ilha de Itamaracá, Santa Maria da Boa Vista, Arcoverde, São José do Belmonte, Gameleira, Brejo da Madre de Deus, Surubim, Recife, Exu e Limoeiro. No dia 17 de maio, a atividade na capital pernambucana será realizada no Compaz, localizado no Alto Santa Terezinha. O cronograma das capacitações também segue abaixo e está disponível no Portal Cultura.PE (www.cultura.pe.gov.br).

    Atendimento presencial – O Governo de Pernambuco também realizará o birô de atendimento ao Funcultura, entre a próxima segunda-feira (13) e sexta-feira, das 9h às 17h, no térreo do Espaço Pasárgada, no Recife. Na ocasião, os coordenadores e assessores das linguagens da Secult-PE/Fundarpe farão um atendimento presencial com produtores e artistas com o objetivo de esclarecer possíveis dúvidas e detalhar como realizar a inscrição nas linhas de cada área.

    Vale destacar que devido ao Ciclo de Capacitação do Funcultura, alguns prazos de inscrição e cadastro foram prorrogados. O Cadastro de Produtor Cultural foi estendido para o próximo dia 12 de junho, enquanto que os editais Funcultura Geral e da Música tiveram seus prazos prorrogados até o dia 12 de julho deste ano. Os dois editais do Funcultura e seus respectivos anexos estão disponíveis no endereço www.cultura.pe.gov.br/editais.

    CONFIRA A AGENDA DO CICLO DE CAPACITAÇÃO REGIONALIZADA DE MICROPROJETOS CULTURAIS

    13 a 20 de maio de 2019 | 8h às 12h; 14h às 18h

    Jaboatão dos Guararapes   
    13 de maio
    Casa da Cultura Nobre de Lacerda (Praça Nossa Senhora do Rosário, S/N, Jaboatão Centro, Jaboatão dos Guararapes)

    Belo Jardim
    13 de maio
    Escola Estadual Professor Donino (Av. Coronel Antônio Marinho, 129 – Boa Vista)

    Afogados da Ingazeira
    13 de maio
    Secretária de Turismo, Cultura e Esportes (Rua Joaquim Nazário 136 – Centro)

    Petrolândia
    13 de maio
    Centro Cultural (Praça do Três Poderes – Centro)

    Garanhuns
    14 de maio
    Centro Cultural (Av. Afonso Pena s/n – Centro)

    Gloria do Goitá
    14 de maio
    Secretaria de Educação – Auditório do Centro Pedagógico (Rua da União s/n – Centro)

    Ilha de Itamaracá
    15 de maio
    Secretaria de Educação (Rua Padre Tenório, 192 – Quatro Cantos – Pilar, no antigo barracão e CRAS)

    Santa Maria da Boa Vista
    15 de maio
    IF Sertão PE Campus Santa Maria da Boa Vista (BR 428 KM 90)

    Arcoverde
    15 de maio
    Auditório da Secretaria de Educação e Esportes (Rua Maria José S Moreno, 228 – Centro)

    São José do Belmonte
    15 de maio
    Casa da Juventude

    Gameleira
    16 de maio
    Casa da Juventude (Rua Manoel Buarque Lins, S/N – Centro)

    Brejo da Madre de Deus
    16 e 17 de maio
    Casa de Câmara e Cadeia (Rua Maestro Tomás de Almeida Maciel, 60 – Centro)

    Surubim
    17 de maio
    Centro Cultural Dr. Jose Nivaldo (Rua Cônego Benigno Lira – Centro)

    COMPAZ Recife
    17 de maio
    Rua Aníbal Benévolo, S/N, Alto Santa Terezinha

    Exu
    17 de maio
    Auditório da Escola Pe. Medeiros (Praça da Igreja Matriz)

    Limoeiro
    20 de maio
    Centro Cultural Ministro Marcos Vinicius Vilaça (Praça da Bandeira – Centro)

    CONFIRA A AGENDA DO BIRÔ DE ATENDIMENTO DAS LINGUAGENS CULTURAIS ESPAÇO PASÁRGADA (TÉRREO)

    13 a 17 de maio de 2019

    MÚSICA
    13 de maio | 9h às 12h; 14h às 17h

    ÓPERA E TEATRO
    13 de maio | 14h às 17h

    ARTES VISUAIS    
    13 de maio | 9h às 12h

    PATRIMÔNIO 
    14 de maio | 14h às 17h

    ARTES INTEGRADAS
    14 de maio | 9h às 12h; 14h às 17h

    CIRCO
    14 de maio | 9h às 12h; 14h às 17h

    DANÇA
    14 de maio | 9h às 12h; 14h às 17h

    DESIGN e MODA
    15 de maio | 9h às 12h; 14h às 17h

    ARTESANATO  
    15 de maio | 9h às 12h; 14h às 17h

    GASTRONOMIA  
    16 de maio | 9h às 12h; 14h às 17h

    LITERATURA  
    16 de maio | 14h às 17h

    FOTOGRAFIA
    17 de maio | 9h às 12h; 14h às 17h

    Assuntos: secult, fundarpe, governo de pernambuco, microprojetos culturais
    Compartilhe: Link para o post:
  • Lourival Holanda e a crítica literária na nossa realidade inominada

    | Cultura

    lourival

    Livro que reúne ensaios será lançado pela Cepe Editora na próxima segunda-feira (13), na Academia Pernambuca de Letras

    A crítica literária pode parecer áspera para o leitor pouco habituado a esse gênero. Mas em Realidade inominada – Ensaios e aproximações, do professor e ensaísta pernambucano Lourival Holanda, essa dificuldade é dissipada por um texto que flui com profundidade, mas sem hermetismo, associando literatura à política, filosofia e psicanálise. “A clareza é a cortesia de quem escreve”, defende o autor do título de 280 páginas, a ser lançado pela Companhia Editora de Pernambuco (Cepe), no dia 13 de maio, na Academia Pernambucana de Letras (APL), às 19h.

    O escritor estudou filosofia na França, é membro da APL e diretor da Editora da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Apesar de sua erudição optou por uma linguagem contrária a academicismos e sem notas de rodapé, embora sofisticada no estilo e na exposição das ideias. Mesmo apostando na simplicidade salienta que não se pode jogar xadrez com a regra do dominó.

    Para o autor a literatura é a representação de uma realidade inominada e, que pela sua complexidade, não se pode conceituar. “A literatura ajuda a fabricar uma realidade além do conceito, alargar o campo do possível”, diz.

    O título foi organizado pelo professor de crítica literária do Departamento de Letras da UFPE e editor da revista Estudos Universitários, Eduardo Cesar Maia. “Eu forcei Lourival a abrir a gaveta”, conta. De acordo com o organizador, o autor tem uma grande produção de contos e romances engavetados, que não costuma mostrar a ninguém. Realidade inominada fazia parte desse conjunto incólume.

    Para ordenar o trabalho Cesar Maia construiu três eixos temáticos. Conseguiu sustentar a sequência lógica de 22 ensaios agrupando-os por assunto e proximidade: textos referentes à literatura, aqueles com amplitude filosófica e o terceiro eixo associado à memória. “O livro paira sobre inquietações intelectuais e faz analogia entre o trabalho do crítico literário e a psicanálise”, descreve.

    “É pela linguagem poética que se renova o mundo, em só fazendo ver diferente. Pois, se a visão que cada um tem da realidade está relacionada com seus hábitos e associações verbais, então o escritor, quando revolve a estrutura da língua, está libertando o homem de seus condicionamentos mentais. Assim, ele ajuda a enxergar realidades novas, explorando as possibilidades latentes dentro do sistema da língua”, descreve Lourival num dos ensaios.

    SOBRE O ENSAÍSTA

    Natural de Bodocó, Sertão do Araripe, Lourival Holanda é membro da Academia Pernambucana de Letras (APL), ensaísta, crítico literário, professor da Pós-Graduação do Departamento de Letras da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e diretor da Editora Universitária da UFPE.

    SERVIÇO:

    Lançamento do livro Realidade inominada – Ensaios e aproximações
    Quando: 13 de maio
    Onde: Academia Pernambucana de Letras
    Endereço: Avenida Rui Barbosa, 1596, Graças
    Horário: 19h
    Preço do livro: R$ 30,00 (impresso) e R$ 9,00 (e-book)

    Cidades: Recife
    Assuntos: casa civil, cepe, lancamento
    Compartilhe: Link para o post:
  • Começam inscrições para o Prêmio Cepe Nacional

    | Cultura

    A novidade desta edição é que o processo para o preenchimento do formulário de inscrição será exclusivamente digital

    A Companhia Editora de Pernambuco (Cepe) lança o 5º Prêmio Cepe Nacional de Literatura, nas categorias conto, poesia e romance; e também a 2ª edição do Prêmio Cepe Nacional de Literatura Infantil e Infantojuvenil. Os prêmios concedidos serão de R$ 20 mil ao vencedor de cada categoria. As inscrições estarão abertas a partir do próximo dia 13 e se prolongam até o dia 13 de julho. A novidade este ano é que o processo será exclusivamente por meio digital.

    De acordo com o editor, Wellington de Melo, a nova dinâmica corresponde à política de sustentabilidade da empresa, além de proporcionar mais segurança e menor possibilidade dos candidatos cometerem erros no preenchimento do formulário, cujo endereço é: www.cepe.com.br/premio-cepe.

    Wellington ressalta que um parâmetro importante para ilustrar a relevância do prêmio está no fato de que o selo Cepe acaba chancelando o trabalho do autor, tanto que alguns títulos chegam a conquistar outras premiações. “Há um crivo de qualidade efetivo, todo um cuidado com o que é escolhido e publicado”, diz.

    No ano passado, por exemplo, três vencedores foram agraciados com o Prêmio Literário da Biblioteca Nacional: Os filhos do deserto combatem na solidão, de Lourenço Cazarré (categoria juvenil); O voo da eterna brevidade, de José Mário Rodrigues (categoria poesia); e Outro lugar, de Luis S. Krausz, este também foi finalista do Prêmio Rio de Literatura.

    Outro vencedor do ano passado, A coisa Brutamontes, de Renata Penzani (categoria infantojuvenil) foi indicado pela Fundação Nacional de Literatura Infantojuvenil para compor o catálogo da Feira de Bolonha.

    REGULAMENTO

    Poderão participar do concurso brasileiros, pessoa física, residentes no Brasil ou no exterior, bem como estrangeiros naturalizados residentes no País, independente de sexo, etnia, idade, formação cultural, religiosa ou política, desde que atendam às normas do edital publicado no site da Cepe.

    Os candidatos somente poderão inscrever uma obra em cada categoria. No caso do concurso de literatura adulta a obra inscrita deverá ser inédita, com tema livre, escrita em português, com, no mínimo, 200 mil caracteres para as categorias romance e conto, e com, no mínimo, 25 mil caracteres para a categoria poesia.

    Já no concurso de literatura infantil e infantojuvenil a obra inscrita deverá ser inédita, com tema livre, escrita em português, com, no máximo 120 mil caracteres. Os textos selecionados por duas comissões julgadoras, formadas por especialistas (uma de Pernambuco e outra nacional), serão editados pela Cepe.

    Entende-se por inédito, para fins do edital, o original não publicado (parcialmente ou em sua totalidade) em antologias, coletâneas, suplementos literários, jornais, revistas, sites, blogs ou qualquer outra publicação.

    O resultado do concurso será divulgado no Diário Oficial do Estado de Pernambuco, no portal www.cepe.com.br/licitacoes, no site www.editora.cepe.com.br e na página da editora no Facebook (www.facebook.com/CepeEditora).

    SERVIÇO:

    Lançamento do 5º Prêmio Cepe Nacional de Literatura Adulta e da 2ª edição do Prêmio Cepe Nacional de Literatura Infantil e Infantojuvenil

    Inscrições: 13 de maio a 13 de julho

    Assuntos: casa civil, cepe, premio cepe nacional de literatura
    Compartilhe: Link para o post:
  • Inscrições para o 12º Festival de Cinema de Triunfo prorrogadas até a próxima segunda-feira (13)

    | Cultura

    Cineastas de todo o Brasil podem inscrever curtas e longas-metragens para concorrer à Mostra Competitiva do evento

    As inscrições para o 12º Festival de Cinema de Triunfo foram prorrogadas até a próxima segunda-feira (13). Até lá, cineastas de todo o Brasil podem inscrever curtas e longas-metragens para concorrer à Mostra Competitiva do evento, promovido pelo Governo de Pernambuco, por meio da Secretaria Estadual de Cultura e Fundarpe, entre os dias 29 de julho e 10 de agosto, no Cineteatro Guarany, localizado em Triunfo, no Sertão do Pajeú.

    Este ano, pela primeira vez, as inscrições serão completamente on-line, por meio da plataforma do Mapa Cultural de Pernambuco. Os realizadores deverão acessar o link www.mapacultural.pe.gov.br/projeto/191 para se cadastrarem como agentes culturais e preencher o formulário eletrônico disponível no endereço citado. Em anexo, deverão ser enviadas três fotos de divulgação do filme. No formulário de inscrição, também deverá ser informado o link para acesso ao filme e a sua senha de exibição, quando for necessário.

    Vale destacar que serão aceitas inscrições de filmes brasileiros de quaisquer formatos, desde que tenham sido finalizados entre janeiro de 2017 e os meses vigentes de 2019 e que possuam cópia de exibição em formato digital FullHD (resolução 1.920 x 1.080).

    Desde a sua primeira edição, em 2008, o Festival já exibiu mais de 650 filmes, contribuindo para a formação de público e de profissionais da área no Sertão do Pajeú. “A consolidação do Festival de Cinema de Triunfo no calendário nacional é notável quando vemos que a cada ano recebemos cada vez mais inscrições para a mostra competitiva e contamos com uma plateia maior. Além de apresentar para a região o cinema que vem sendo feito em todo País, o evento também funciona como uma grande vitrine para a produção pernambucana, que tem espaço garantido na programação”, observa o secretário de Cultura do Estado, Gilberto Freyre Neto.

    O presidente da Fundarpe, Marcelo Canuto, destaca a importância das atividades de formação promovidas pelo evento. “Através do Festival de Cinema de Triunfo, também buscamos incentivar a população da região a fazer seu próprio cinema. Através das oficinas e outras atividades formativas, queremos capacitar aqueles que estiverem interessados no setor para que a gente possa ouvir cada vez mais nosso sotaque retratado na tela grande, valorizando nossa cultura”, comenta.

    Cerca de 36 filmes serão selecionados. A lista será divulgada no portal Cultura.PE até o dia 21 de junho de 2019. Os títulos serão avaliados por uma Comissão de Mérito, composta por, no mínimo, três pessoas, representantes da Gerência de Política Cultural da Secult-PE e por profissionais da área, de reconhecido saber e competência no campo Audiovisual, indicados pelo Conselho Consultivo do Audiovisual e designadas pela Secretaria Estadual de Cultura. Com um orçamento total de R$ 200 mil, o festival distribui prêmios em dinheiro para os melhores filmes eleitos pelo Júri Oficial e pelo Júri Popular, além do Troféu Caretas.

    Esclarecimentos e mais informações podem ser obtidas pelo e-mail audiovisualpe@gmail.com ou pelo telefone (81) 3184-3076.

    Cidades: Triunfo
    Assuntos: secult, fundarpe, festival de cinema de triunfo
    Compartilhe: Link para o post:
  • Três editais do Governo de Pernambuco voltados para a cultura do Estado encerram nesta semana

    | Cultura

    Produtores e artistas devem ficar atentos aos prazos do 29º Festival de Inverno de Garanhuns; 14º Patrimônio Vivo do Estado; e 4º Prêmio Ariano Suassuna de Cultura Popular e Dramaturgia

    Três editais abertos ao público e voltados para a preservação e valorização da cultura de Pernambuco, por parte do Governo do Estado, terão os prazos de inscrições encerrados nesta semana: O 29º Festival de Inverno de Garanhuns, nesta terça-feira (7); e os 14º Patrimônio Vivo do Estado e 4º Prêmio Ariano Suassuna de Cultura Popular e Dramaturgia, na próxima sexta-feira (10). Mais informações, como o edital e as fichas de inscrições, estão disponíveis no Portal Cultura.PE, através do endereço www.cultura.pe.gov.br/editais.

    As inscrições para o 29º Festival de Inverno de Garanhuns são voltadas para as diversas atividades culturais de todo o país que desejam participar da programação deste ano. O FIG, um dos mais importantes festivais de cultura e arte do Brasil, é realizado na segunda quinzena de julho, em diversos polos e palcos espalhados por Garanhuns, no Agreste de Pernambuco.

    Destinado para pessoas físicas ou jurídicas, o 14º Patrimônio Vivo do Estado vai eleger seis novos Patrimônios Vivos que passarão a receber uma bolsa de incentivo financeiro por parte do Governo Estadual. O valor é R$ 1.600 para pessoa física, ou seja, mestres ou mestras da cultura de Pernambuco; e R$ 3.200 para pessoa jurídica, ou seja, grupos tradicionais da cultura do estado.

    Na sua quarta edição, o Prêmio Ariano Suassuna de Cultura Popular e Dramaturgia contemplará, na área de Dramaturgia, obras inéditas nas categorias: Teatro Adulto, Teatro de Animação e Teatro para Infância. Já no segmento de Cultura Popular, o prêmio será concedido a Mestres e Mestras, além de Grupos/Comunidade com experiência na transmissão dos saberes e fazeres, dedicadas às expressões artísticas ou culturais populares.

    Festival de Cinema de Triunfo – Cineastas de todo o Brasil podem inscrever curtas e longas-metragens até o próximo dia 13 de maio para concorrer à Mostra Competitiva do 12º Festival de Cinema de Triunfo. O Festival acontecerá no Cineteatro Guarany, entre os dias 29 de julho e 10 de agosto. Neste ano, pela primeira vez, a participação é confirmada através do Mapa Cultural de Pernambuco (www.mapacultural.pe.gov.br).

    Assuntos: secult, fundarpe, editais, governo de pernambuco
    Compartilhe: Link para o post:
  • Registro de 30 anos de mudança no espaço urbano do Recife

    | Cultura

    livro

    Cepe lança trabalho documental do fotógrafo Fred Jordão com registros das transformações pelas quais a capital pernambucana vem passando nas últimas três décadas

    Fotografar Recife tornou-se uma atividade documental da maior importância diante de tantas interferências na paisagem urbana. Com essa transformação, a história se desmonta na demolição de uma casa, na destruição de um detalhe arquitetônico ou de um pedaço de mangue. O fotógrafo Fred Jordão percebeu a urgência de catalogar essa mudança, fruto de um processo próprio de modernização. Foram 30 anos de fotografia e pesquisa que resultaram no título Recife, a ser lançado pela Cepe Editora no dia 7 de maio, às, 18h, no Bar Central, Santo Amaro. Quem comprar o livro no dia do lançamento receberá também um pôster com uma das fotos que integra a obra.

    A lente de Fred Jordão capturou o Recife de verdade, não a cidade maquiada, dos filtros de iPhones, de dias perfeitos e casario iluminado. Retratou os contrastes entre a pobreza extrema e a opulência, entre a riqueza arquitetônica do passado em decadência e o surgimento de uma nova cidade, refletida nos paredões de arranha-céus espelhados, que embotam a paisagem e sombreiam a praia de Boa Viagem.

    Nas 175 fotos o leitor terá a oportunidade de reconhecer a beleza da cidade e também as cores desbotadas do casario, as paredes descascadas, a cidade fora de foco, que ao longo do tempo deixou de ser a Veneza Brasileira para incorporar a hellcife ou recífilis, denominação dada pela crítica social que se faz a essa mudança. “O livro é um inventário sentimental, o registro do surgimento de uma nova cidade, que se sobrepôs ao Recife de Lula Cardoso Aires e de Alcir Lacerda”, diz o autor.

    Apenas dois textos ilustram a mensagem dessa edição fotográfica: um deles com a assinatura do arquiteto e urbanista Luiz Amorim e o outro do professor e pesquisador José Afonso Jr. - ambos professores da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Ao final da apresentação sobre Recife, Amorim questiona: “Como reconhecer-se em uma cidade que se faz esquecer?”. Já Afonso Jr. arremata em sua fala: “A ideia de um livro-cidade não é sobre algo, é para algo. É como um despacho visual que, tal qual no candomblé, não somente mostra, intervém”.

    Fred passou 12 anos fora, morou em Porto Alegre e depois em Brasília. Voltou aos 21 anos quando as mudanças começavam a apagar referências da cidade de sua infância. Entre outras coisas dedicou-se à fotografia de rua e a pesquisas no Centro de Documentação da Fundação Joaquim Nabuco. Conseguiu construir essa narrativa a partir das imagens capturadas do celular, de equipamentos sofisticados e também de câmeras mais simples. O importante era não perder o momento, como o da imagem do Conde da Boa Vista ao pé da ponte com o rosto vandalizado e coberto por abelhas.

    “As cidades estão ficando todas muito parecidas e todas muito sem graça. A Rua da Aurora é mais bonita que a Avenida Boa Viagem. Dificilmente alguém vai construir um casarão como aquele, mas esses prédios de espelho estão em qualquer lugar, em Nova Iorque, em Bangkok ou em qualquer cidade do Terceiro Mundo. A modernização padronizou tudo”, analisa Fred Jordão.

    O que mais incomoda o autor é que nesse novo perfil Recife deixou de ser uma cidade de convívio para encastelar-se e continuar a sofrer essa transformação, numa narrativa que parece não ter ponto final. “O projeto não se limita a fazer uma denúncia, nem se trata de rescaldo de jornal, mas uma reflexão sobre toda essa modernidade”, salienta.

    SOBRE O AUTOR

    Fred Valadares Jordão, natural de Bonito, é formado em Comunicação Social pela Universidade Católica de Pernambuco, turma de 1988. Foi repórter fotográfico no Jornal do Commercio e Diario de Pernambuco, redações onde trabalhou entre os anos de 1989 a 1994. O autor também foi sócio-fundador da agência Imago Fotografia e curador do Observatório Cultural Malakoff. O fotógrafo expôs em sete individuais, participou de 13 coletivas e sete livros, em parceria com outros fotógrafos: Projeto Lambe Lambe, Rio São Francisco – O homem e a natureza, 50 anos da Chesf; 5 décadas de arte em Pernambuco, Pernambuco popular – Um toque de mestre, Eu vi o mundo; É do coco, é do coqueiro, Sertão verde paisagens.

    Serviço:
    Lançamento do livro Recife
    Quando: 7 de maio, terça-feira
    Onde: Bar Central
    Endereço: Rua Mamede Simões, 144, Santo Amaro.
    Horário: 18h
    Preço do livro: R$ 90,00 (impresso)e R$ 27,00 (e-book)

    Cidades: Recife
    Assuntos: casa civil, cepe, lancamento
    Compartilhe: Link para o post: