meteorologia

Bacias Hidrográficas

Obra em todo lugar

Veja o que o Governo de Pernambuco está fazendo na sua região.

Blog de notícias

  • Secretaria da Mulher faz balanço das ações do Escritório de Jaqueira

    | Balanço

    jaqueira

    Após 30 dias de acompanhamento ininterrupto às vítimas das fortes chuvas de Jaqueira, a Secretaria da Mulher de Pernambuco (SecMulher-PE), responsável pelo Escritório de Crise, instalado na sede da prefeitura, apresenta balanço das principais atividades realizadas. Sob a coordenação da secretária da Mulher do Estado, Silvia Cordeiro, a equipe da pasta, em parceria com os representantes da Casa Militar (Camil), Coordenadoria de Defesa Civil do Estado (Codecipe) e prefeitura local trabalharam em ações humanitárias e de infraestrutura para dar condições à cidade de retomar as atividades cotidianas.

    O Escritório, instalado no dia 31 de maio, planejou e estruturou uma operação de emergência responsável pela distribuição de 19 rolos de lonas plásticas, para evitar deslizamentos nas áreas de risco; 660 kits dormitórios; 680 kits colchões; 400 kits de limpeza; 250 kits de higiene; 500 cestas de pronto consumo; 950 cestas básicas e 11.254 litros de água mineral. O município também recebeu 3.588 doses de vacinas como as de gripe, meningite, febre amarela, rotavirus, tetraviral, sarampo, hepatite B e A, HPV, anti-rábica humana, entre outras.

    Como a cidade teve parte das vias públicas comprometidas são necessárias intervenções como a construção e recuperação de pontes e passagens molhadas entre outros equipamentos. As chuvas danificaram 35 pontes e passagens molhadas, uma rodovia (63,8 Km da PE-126), dois postos de saúde, uma escola Estadual, 10 escolas municipais ( três urbanas e sete rurais), 484 habitações e destruiu 22 residências.  A  Companhia Estadual de Habitação e Obras (Cehab) e a Prefeitura de Jaqueira estão fazendo o levantamento das pessoas que tiveram suas habitações destruídas e danificadas.

    Uma medida de emergência que já mudou, definitivamente, a qualidade de vida dos jaqueirenses é a oferta de água tratada pelo sistema de abastecimento da cidade. “Há 10 anos, os moradores e moradoras de Jaqueira não tinham água potável. A água vinha bruta da barragem do Bálsamo das Freiras. Outra forma de obter água era através dos poços que representavam 80% do abastecimento das casas”, explicou o secretário Adjunto de Saúde de Jaqueira, Robson Emanuel Correia e Sá.

    A secretária da Mulher do Estado, Silvia Cordeiro, explicou que foi firmada uma parceria entre o Estado, Prefeitura e Funasa para recuperar o sistema de água e esgoto da cidade com a reativação da Estação de Tratamento d'água de Jaqueira. “Para isso foi assinado um termo de cooperação técnica com a Compesa para outorga do sistema de abastecimento”, completa.

    O governador Paulo Câmara esteve no município no dia 2 de junho, para visitar o escritório e acompanhar as ações emergenciais de Jaqueira num encontro com o prefeito Marivaldo de Andrade. O município registrou 3.835 pessoas afetadas pelas chuvas. Destas, haviam 125 desabrigados e 1.750 desalojados. Atualmente, não há desabrigados e o número de desalojados caiu para 282.

    A secretária Silvia Cordeiro e o prefeito Marivaldo de Andrade avaliaram como bem sucedidas as ações do escritório com a retomada das aulas nas escolas, lonas colocadas nas áreas de risco, retomada da energia, abastecimento d’água, além das medidas de emergência como desobstruções de vias, distribuição de alimentos, kits colchões, cestas de pronto atendimento, cestas básicas, roupas e água.

     

    Cidades: Jaqueira
    Assuntos: secretaria da mulher, operacao prontidao, jaqueira, compesa, mata sul, chuvas, silvia cordeiro
    Compartilhe: Link para o post:
  • Governo fecha o ano com superávit e aumento dos investimentos em áreas prioritárias

    | Economia, Balanço, Administração

     

    Gestão responsável do Governador Paulo Câmara garante o equilíbrio fiscal

    Mesmo com todas as dificuldades econômicas, o Estado de Pernambuco conseguiu registrar um superávit (receita menos despesa) de R$ 93,2 milhões em 2016. Outro ponto positivo foi o pagamento em dia da folha de pessoal, incluindo o décimo terceiro. A realidade fiscal do Estado é bem diferente da de outros entes da federação, que atrasam e parcelam salários e fecharam 2016 com déficit bilionários em suas contas.

    "Mesmo diante desse cenário nacional extremamente negativo, temos um resultado muito favorável já que fechamos o ano de 2016 com superávit. Na comparação com os Estados mais ricos da federação, que fecharam 2016 com déficit bilionários, constatamos que a governança e a gestão fiscal de Pernambuco foram feitas com muita responsabilidade e equilíbrio", avalia o secretario da Fazenda do Estado, Marcelo Barros. 

    Os dados do balanço orçamentário de 2016, divulgado recentemente no Diário Oficial do Estado, mostram que a manutenção do equilíbrio fiscal de Pernambuco tem como base uma gestão responsável por parte do Governador Paulo Câmara, que cortou gastos, mas não deixou de investir em áreas prioritárias. Em 2016, foram investidos 5,1% a mais do que em 2015. O montante passou de R$ 1,36 bilhão para R$ 1,44 bilhão.  Dentre as principais áreas beneficiadas destacam-se os investimentos em Recursos Hídricos, Educação, Saúde, Segurança, Desenvolvimento Econômico e Habitação, entre outras.  O nível de investimento aumentou mesmo com o contingenciamento de Operações de Crédito por parte da União, cifra que foi 23,3% menor em 2016 em relação a 2015.

    Os investimentos em Saúde e Educação ultrapassaram o percentual estabelecido pela constituição. No caso da Saúde, o mínimo estabelecido é de 12% do orçamento, foram Investidos 15%. Em relação à Educação, o mínimo é de 25% e nós investimos 27,1%.  

    A arrecadação do ICMS, principal fonte de receita do Estado, cresceu, em termos absolutos, de R$ 12,8 bilhões para R$ 13,7 bilhões entre 2015 e 2016. Um crescimento de 7,1% em um ano de recessão e dificuldade econômica. Parte desse aumento deve-se ao esforço da Secretaria da Fazenda do Estado de Pernambuco de criar mecanismos fiscais para aumentar a arrecadação como o Programa Especial de Recuperação de Créditos Tributários (PERC), que conseguiu recuperar R$ 380 milhões em ICMS atrasado, e a atração da importação de combustíveis para o Porto de Suape, devido a uma mudança na cobrança do ICMS, que gerou mais R$ 120 milhões para os cofres do Estado.

    Os gastos com a folha de pagamento ficaram dentro dos limites prudencial e máximo, exigidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). As despesas de custeio, por sua vez, cresceram apenas 3,1% em comparação com 2015, resultado bem abaixo da inflação do período (6,29%). Tal desempenho reflete o esforço de racionalização dos gastos públicos. 


    Assuntos: paulo camara, equilibrio fiscal, estado de Pernambuco, superavit, balanco orcamentario, equilibrio fiscal,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Suape encerra o ano entre cinco maiores portos públicos do país

    | Suape, Balanço


    Suape

    Números consolidados de 2016 apontam crescimento de 15% na movimentação geral de cargas e 84% nas exportações de longo curso

    O Complexo de Suape fechou os números de dezembro na movimentação geral de cargas e comemora a previsão de crescimento e destaque no cenário nacional. Com o recorde confirmado de 22,74 milhões de toneladas de cargas movimentadas, o Porto de Suape encerrou 2016 com crescimento de quase 15% em relação ao ano anterior. Essa taxa de crescimento foi a maior entre os 10 maiores portos públicos do país, o que alavancou Suape para a 5ª posição no ranking nacional de movimentação geral de cargas. Apenas os portos de Santos (SP), Itaguaí (RJ), Paranaguá (PR) e Rio Grande (RS) obtiveram resultado maior que Suape. Outro destaque foi nas exportações de longo curso (para portos internacionais), que registrou aumento de 84% referente a 2015. O total de produtos exportados somou 1,90 milhões de toneladas de cargas em 2016, contra 1,03 milhões de toneladas no ano anterior.

    Ainda no cenário nacional, Suape se mantém na liderança na movimentação de cargas por cabotagem entre os portos públicos do País de acordo com a Agência Nacional de Transportes Aquaviários - Antaq. Num comparativo da última década, o Porto pernambucano evoluiu 450% neste tipo de movimentação, passando de 2,8 milhões de toneladas (2005) para 15,4 milhões de toneladas em 2016 de cargas transportadas entre os portos nacionais. Em relação a 2015, os números alcançados registram um aumento de 16,1%. Os embarques somaram 5,7 milhões de toneladas de cargas, enquanto os desembarques, 9,7 milhões. As operações de desembarque de mercadorias para os centros de distribuição da Bosch e da Bic, instalados na região este ano, contribuíram para esse resultado. Os principais estados de origem foram Bahia, São Paulo e Rio Grande do Norte. Como destino, os principais estados foram Ceará e Amazonas.

     “Suape é um porto estratégico para as regiões Norte e Nordeste. Cresce acima da média nacional e tem uma movimentação de cargas diversificada. Os números da movimentação portuária de 2016 consolidam nosso porto como o mais importante na movimentação de granéis líquidos do país e na cabotagem, além de estarmos em crescimento nas exportações de veículos”, comentou Paulo Coimbra, diretor de Gestão Portuária.

    PRINCIPAIS CARGAS - Desde a implantação da Refinaria Abreu e Lima - Rnest, no fim de 2014, o Porto de Suape vem se consolidando como movimentador de granéis líquidos (óleo diesel, gasolina, querosene de aviação, óleo bruto de petróleo, etc.) e manteve a liderança nacional na movimentação desse perfil de carga. Os granéis líquidos aumentaram 21,8% em relação a 2015, alcançando a marca de 17,28 milhões de toneladas. Essa carga é responsável por 76% de toda movimentação no Porto de Suape.

    Outro destaque do Porto neste ano foi o grande crescimento de exportação de veículos. Suape enviou 39.389 carros das montadoras do grupo FCA (FIAT e Jeep). Veículos importados somaram 15.288, sendo 5.987 da GM e 9.301 da Toyota. O total de veículos do ano, 54.677, representa 147% de aumento em relação a 2015, quando foram movimentados 22.124 carros. As montadoras do grupo FCA (FIAT e Jeep) foram responsáveis por 72,03% do total de veículos, seguidas por Toyota, com 17%, e por último, a GM, com 10,9%. As exportações são realizadas exclusivamente pelo grupo FCA (FIAT e Jeep) com destino para a Argentina, México, Caribe, Peru, Colômbia, e Costa Rica. Já as importações no Brasil são realizadas pelas montadoras Toyota e GM.

    Com relação aos outros perfis de mercadorias, a carga geral solta somou 251,2 mil toneladas de cargas, um aumento de 12% em relação a 2015. Neste grupo, encontram-se as grandes peças para indústrias e construção civil (cargas de projeto), chapas de aço, componentes eólicos, veículos e maquinários, entre outros. A exportação de veículos foi a grande responsável por esse crescimento. Já os granéis sólidos caíram 43%, somando 410,4 mil toneladas.

     

    Cidades: Cabo de Santo Agostinho
    Assuntos: Não há assuntos relacionados.
    Compartilhe: Link para o post:
  • Administração de Fernando de Noronha faz balanço positivo do ano

    | Comunicação, Economia, Social, Saúde, Meio Ambiente, Turismo, Transporte, Balanço, Tecnologia, Esportes, Mobilidade, Administração

     

    O ano de 2016 foi favorável para Fernando de Noronha. A ilha recebeu uma série de ações significativas nas áreas de infraestrutura, saúde, turismo e tecnologia, que mudou a realidade e qualidade de vida dos noronhenses. A atual gestão está a frente da Administração do arquipélago há cerca de um ano e dois meses, e se mantém em 2017 com novos desafios e propostas.

    Um dos primeiros feitos foi a implementação dos programas de redução de custeio do governo estadual. Aadministração economizou no início de 2016 um total de R$ 2,3 milhões, incluindo o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Com a economia e o aumento na arrecadação da Taxa de Preservação Ambiental (TPA), além da fiscalização de outros tributos de competência do Distrito, foi possível a ampliação de investimentos na ilha.

    Na área de infraestrutura pode-se destacar a reestruturação e ampliação do Centro Integrado Infantil Bem-Me-Quer. O prédio, que foi restaurado, com recursos da ATDFN, ganhou um muro de 230 metros no entorno e a construção de mais quatro salas, com expectativa de entrega para o final de janeiro. A iniciativa beneficiará a comunidade com a abertura de 40 novas vagas para matrículas de crianças com idade entre 1 a 3 anos. A Escola de Referência de Ensino Médio Arquipélago também passará por modificações. O Administrador da ilha, Luís Eduardo Antunes e o secretário de Educação de Pernambuco, Frederico Amâncio, assinaram a ordem de serviço para reforma da quadra poliesportiva do local, que receberá cobertura, piso adequado e arquibancadas.

    As melhorias no Hospital São Lucas – HSL seguem no plano de desenvolvimento de Noronha. Após quatro meses de reforma, a unidade de saúde, considerada uma das melhores de Pernambuco de média complexidade, passou por reestruturação, ampliação da área dos serviços administrativos e da sala de Raio-X, requalificação da “sala vermelha” para atendimento intensivo de pacientes em casos graves, corredor exclusivo à remoção das vítimas conduzidas de ambulância para o atendimento, além da aquisição de novos equipamentos. O Hospital atende mil pacientes por mês.

    O Posto de Saúde da Família – PSF, também recebeu melhorias, como a implantação do sistema de prontuário eletrônico. Também foi feito o Plano de Contingência para a Vigilância de Riscos, Doenças e Agravos de Transmissão Alimentar, promovendo ações de educação sanitária e inspeções em todos os restaurantes, pousadas, bares de praia e fiscalização nos pescados.

    Outros serviços relevantes foram feitos, como a implantação da nova iluminação do Campo Pianão, na Vila do Trinta, a entrega do píer de embarque e desembarque de passageiros e o reordenamento da praia do Porto de Santo Antônio. Além da inauguração da Academia Pernambuco Fernando Noronha Camilo Simões, que também fez parte do planejamento da nova gestão.

    A maioria das nossas obras foram executadas com recursos próprios graças ao contingenciamento de gastos. Estamos muito satisfeitos de termos tirado vários projetos do papel e estarmos trazendo melhorias para Noronha. Vamos construir ainda 26 casas populares, também com verba proveniente da administração e outras 56 no Loteamento Vacaria para sanar definitivamente o déficit habitacional da ilha. Conquistamos a liberação do montante junto ao Ministério das Cidades”, disse Luís Eduardo Antunes.

    Além disso, os bairros de Floresta Nova e Floresta Velha terão 16 vias recuperadas pela iniciativa da Secretaria de Turismo, Esporte e Lazer – SETUREL, por meio do PRODETUR, com recursos do BID – Banco Interamericano de Desenvolvimento. O processo licitatório para contratação de empresa de engenharia para a realização da pavimentação asfáltica e restauração de vias na ilha foi publicado no Diário Oficial. “As obras são um grande anseio da população de Noronha. Nossos técnicos da diretoria de Infraestrutura trabalharão em conjunto com os do PRODETUR para que estes desejos se realizem”, afirmou Antunes.

    Em 2016, a comunidade noronhense recebeu várias bicicletas dentro do projeto “Bike Noronha e Pedala PE”. A iniciativa foi uma parceria da SETUREL, Administração de Fernando de Noronha e Banco Itaú. Ao todo, cerca de 1.500 bicicletas estão em circulação por Noronha desde a implantação do projeto em 2015, beneficiando a prática saudável entre turistas e moradores, que passaram a vivenciar a ilha por outra perspectiva, contribuindo cada vez mais com o desenvolvimento sustentável.

    Outra grande conquista em 2016 foi a melhoria da internet. Após um amplo estudo realizado pela administração foi assinada a Ordem de Serviço com a empresa Vectra Consultoria e Serviços, na intenção de melhorar definitivamente a conectividade na ilha. Batizada de Noronha Connect, a empresa implantou quatro pontos da rede WiFi de alta velocidade em locais estratégicos do arquipélago, com perspectiva de ampliação para mais nove locais. Pegando carona no desenvolvimento tecnológico, a administração do Distrito oficializou o Colab, a rede social de gestão pública colaborativa.

    Disponível através de aplicativo móvel, nas plataformas Android e IOS, o Colab permite que as pessoas interajam, fiscalizem e proponham soluções para melhoria na prestação do serviço público. Uma equipe da administração distrital está conectada ao painel de monitoramento do Colab.re, para acompanhar em tempo real as demandas geradas para respondê-las de forma personalizada. Outro acontecimento importante foi a parceria da Administração com a Fundação Padre Anchieta (TV Cultura) para a reativação da TV Golfinho, que estava fora do ar há cerca de 4 anos, e deve ser inaugurada até março, com programação local.

    No aspecto turístico, Fernando de Noronha esteve bem representada em feiras nacionais e internacionais, como o Destination Brazil Travel Mart, em Ipojuca; BTL, feira de turismo mais importante de Portugal; ITB, maior evento do setor na Alemanha, e também naPADI Dive Festival, considerada a maior feira de mergulho da América Latina, entre outras. Em 2016 foi lançado ainda o Manual do Operador na 44ª Associação Brasileira de Agências de Viagens – ABAV, em São Paulo. A publicação foi produzida com informações sobre locais para hospedagem, restaurantes, praias, passeios etc.

    Além disso, Noronha esteve presente no Espaço Pernambuco, no Rio de Janeiro, no mês de agosto, apresentando a cultura, gastronomia, patrimônio histórico e potencial turístico do arquipélago no período das Olimpíadas Rio 2016, com a ação "Noronha Te Espera",resultado da parceria entre a Empetur, a Secretaria de Turismo de Pernambuco e a Administração de Fernando de Noronha. O projeto recebeu jornalistas e operadores de turismo que puderam conhecer mais sobre a cultura e a gastronomia de Noronha. Antes, a ilha foi um dos lugares que aconteceu o revesamento da tocha olímpica sendo conduzida por personalidades locais e autoridades. Na ocasião, a emoção tomou conta de Noronha com esse fato histórico.

    Ainda falando de esportes, estudantes da Escola Arquipélago representaram a ilha nos jogos escolares de Pernambuco. A 28º edição da Regata Internacional Recife/Fernando de Noronha foi um sucesso. Com 52 embarcações participando da competição, reunindo 389 tripulantes de 11 estados do Brasil e de três países, o título ficou com a embarcação Camiranga, do Rio Grande do Sul.

    Na área de saúde houve também uma consulta pública para escutar a comunidade sobre a realização de partos seguros no arquipélago com a presença do secretário estadual de Saúde, José Iran da Costa e do promotor do Ministério Público, André Rabelo. Na ocasião, o administrador geral, Luís Eduardo Antunes ressaltou que a comunidade anseia pela volta da realização de partos em Noronha, tendo em vista que, desde 2004, não nascem mais crianças na ilha em função de toda uma política que prevê a saída da gestante no sétimo mês de gravidez.

    Cidades: Fernando de Noronha
    Assuntos: fernando de noronha, centro integrado infantil bem me quer, balanço 2017 noronha, luis eduardo antunes, bike noronha, pedala noronha, pier, academia pernambuco, noronha conect, colab, tv golfinho,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Artesanato pernambucano movimenta economia

    | Balanço, Cultura

    Centro de Artesanato de Pernambuco

    Foto: Daniela Nader

    O Centro de Artesanato de Pernambuco supera, em valor, vendas em 2016, totalizando R$2,5 milhões, além de ultrapassar a quantidade de peças artesanais vendidas em 2015

    À beira das águas que emolduram o principal cartão postal do Recife, o Centro de Artesanato de Pernambuco - localizado em frente à rosa dos ventos de Cícero Dias ponto que marca o início da cidade Maurícia - completou quatro anos de existência com saldo positivo para a comercialização de peças genuinamente pernambucanas.

    De janeiro a dezembro, foram comercializadas  mais de 118 mil peças, totalizando R$ 2,5 milhões. "Mais do que movimentar a economia, a indústria do artesanato em pequena escala representa um importante passo para o desenvolvimento local. Com o Centro de Artesanato conseguimos fazer com que artesãos de todo o Estado possam comercializar suas peças, sem atravessador, recebendo o preço original que ele cobra em seu ateliê. Assim, estamos beneficiando pessoas que vivem em pequenos centros, afastados das cidades, donos de negócios que passam de pai para filho", disse Jenner Guimarães do Rêgo, diretor-presidente da Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper).

    No Centro, considerado o maior do segmento no Brasil, tem um acervo de 16 mil peças, de 500 artesãos, entre trabalhos feitos com couro, madeira, cerâmica, além de produtos têxtil. No espaço, mestres tradicionais como Dila, Ana das Carrancas, Maria amélia, Tiago Amorim, J. Borges e Manoel Eudócio dialogam com trabalhos mais contemporâneos que bebem da fonte da cultura popular.

    Os meses com maior movimento foram os de férias, especialmente janeiro, julho, novembro e dezembro. No primeiro mês do ano passado foram R$ 358 mil, contra R$ 268 mil em dezembro daquele ano. "2016 foi um ano em que superamos, em valores reais, as vendas de 2014 e 2015. Já em quantidade de peças, superamos o quantitativo comercializado em 2015", completou Rêgo.

    Todo o acervo está à venda. As peça custam de R$ 1 a R$ 3 mil, divididas entre as seções mestres, suvenires, artesanato contemporâneo, cestaria, têxtil, trabalhos manuais, moda e brinquedos populares. Ao longo dos quatro anos de existência, foram comercializadas mais de 486 mil peças de artesanato, totalizando mais de R$ 11 milhões.

    Retorno de Parceria

    Arnaldo Lopes, nascido em Água Preta, PE, trabalha desde 1980 com artes plásticas. Conheceu o Centro de Artesanato na Feira Nacional de Negócios do Artesanato (Fenearte), maior evento da América Latina no segmento. É parceiro do Centro há quatro anos e desde a inauguração suas peças figuram nas prateleiras da loja.

    “Colocar minhas obras para serem vendidas no Centro de Artesanato de Pernambuco foi o melhor investimento que pude ter feito. As vendas aumentaram em 100%. Além da grande divulgação, não só em Pernambuco, mas em todo o mundo, devido ao grande fluxo de turistas. Essa parceria tem gerado retorno do consumidor pelo ano inteiro. Estou satisfeito com o trabalho feito em 2016, foi um ano de grandes vendas e oportunidades provenientes desse trabalho em conjunto. Espero que em 2017 essa parceria continue trazendo bons resultados”, afirma o artesão.

    Cidades: Recife
    Assuntos: Centro de Artesanato de Pernambuco, cultura, turismo, balanço, AD Diper,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Obras da Adutora do Agreste têm ritmo acelerado

    | Balanço

    Adutora do Agreste

    Compesa realiza obras complementares para antecipar a chegada da água nos municípios castigados pela seca antes da transposição do Rio São Francisco                     

    A Adutora do Agreste, a maior obra hídrica em execução no Brasil, ganha um novo ritmo. Os quatros consórcios envolvidos nas obras dos Lotes 1, 2, 3 e 4, além do início de mais uma frente de trabalho com o Lote 5, já começam a mobilizar equipamentos e profissionais para imprimir celeridade às intervenções. Isso será possível graças à retomada da liberação de recursos por parte do governo federal, que não estavam sendo repassados com a regularidade necessária para tocar o empreendimento. Com a liberação do último aporte de 2016, no valor de R$ 42 milhões, na terça-feira (27.12) passada, a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) fechou o ano com o montante liberado de R$ 142 milhões. A expectativa é que Toritama seja a primeira cidade a receber água pela Adutora do Agreste, em maio deste ano, seguida por Santa Cruz do Capibaribe, no mês de setembro.

    Diante da necessidade urgente de levar água para os municípios do Agreste que sofrem com os efeitos do sexto ano consecutivo de seca, o governador Paulo Câmara solicitou à Compesa a realização de estudos e projetos para que fosse dada uma funcionalidade às tubulações da adutora já construídas. Na concepção original do projeto, a Adutora do Agreste seria alimentada pelo Eixo Leste da Transposição do Rio São Francisco, quando fosse concluído o Ramal do Agreste, obra do governo federal que está prevista agora para ser finalizada só em 2022. "Estamos enfrentando a maior seca do século. O nosso corpo técnico apontou alternativas para antecipar o uso da adutora e a chegada da água nos 23 municípios mais castigados pela estiagem", contextualiza o diretor Técnico e de Engenharia da Compesa, Rômulo Aurélio Souza, informando que o saldo em caixa de R$ 80 milhões permitirá a retomada das obras da Adutora do Agreste.

    "Essa foi a segunda maior liberação de recursos desde o início do empreendimento em 2013. Com essa repactuação, e se for mantido o calendário financeiro de 2017, o repasse de recursos pode chegar a R$ 370 milhões, o que garantirá o avanço significativo do projeto", informa. De acordo com o diretor, uma das alternativas para antecipar a chegada da água será a Adutora do Moxotó, a primeira ligação da Transposição com as regiões do Sertão e Agreste de Pernambuco. A Compesa vai “puxar” a adutora, de 70 quilômetros de extensão, pela BR 232 até Arcoverde, e de lá seguir por um trecho de 130 quilômetros da Adutora do Agreste até Pesqueira, Belo Jardim e São Caetano. Essa engenharia vai tornar possível levar água da Transposição, captada na Barragem do Moxotó, situada no distrito de Rio da Barra (Custódia), no Sertão, até a cidade de São Caetano, no Agreste, com uma vazão de 450 litros por segundo. 

    As obras das etapas 1 e 2 da Adutora do Moxotó também ganharão celeridade a partir deste mês, com cerca de 200 trabalhadores atuando em dez frentes de obras. A previsão para concluir o empreendimento é março de 2018, no entanto, a Compesa vai dedicar esforços para finalizar a Adutora do Moxotó antes do prazo, e entregar a obra em dezembro deste ano. Também está sendo estudado pela companhia a possibilidade de levar a água da Transposição a partir de captação na Barragem de Sertânia, adiantando a chegada para o próprio município de Sertânia. Além disso, os trechos da Adutora do Agreste que vão de Caruaru a Toritama, e de Toritama a Santa Cruz do Capibaribe, serão finalizados para começar a receber água do Sistema do Pirangi, a partir dos meses de maio e setembro de 2017, respectivamente. O Sistema do Pirangi já está na reta final de conclusão das obras e vai levar água do município de Catende, na Mata Sul do estado, para a Barragem do Prata, situada em Bonito, beneficiando dez cidades do Agreste.

    Outra obra que irá antecipar o uso da Adutora do Agreste será o sistema adutor executado a partir dos poços de Tupanatinga, composto de 20 poços - sendo quatro já perfurados. O edital para a perfuração das outras 16 unidades será publicado no dia10 de janeiro e irá contemplar também a construção de estrada de acesso, estações de bombeamento e uma adutora de cerca de 80 km de extensão. Vai atender os municípios de Venturosa, Pedra, Buíque, Tupanatinga, Itaíba, Aguas Belas e Iati. "A nossa expectativa é concluir o processo em dois meses, já que tudo será feito dentro do modelo de RDC (pregão), e executar a obra em 15 meses", revela Rômulo Aurélio.

    15 frentes de trabalho simultâneas em 2017

    A adutora será a redenção do Agreste, região que possui o pior balanço hídrico do Nordeste. Em janeiro, a obra voltará com força total em 15 frentes de trabalho situadas ao longo da BRs 232 e 104. Serão gerados mais de quatro mil empregos diretos e indiretos nos canteiros de obras localizados em Caruaru, Toritama, Santa Cruz do Capibaribe, Itaíba, Águas Belas e São Caetano. Em maio de 2017, está previsto o início das obras do Lote 5 que irão implantar um trecho de 40 quilômetros da adutora entre os municípios de Belo Jardim, São Bento do Una e Lajedo. No Lote 5, serão agregados cerca de 200 postos de trabalho.

    Hoje, dos 420 quilômetros da adutora (previstos para os quatros lotes), quase 300 já estão concluídos, o que corresponde a 70% da adutora - toda obra, que inclui um moderno sistema de bombeamento e uma estação de tratamento de água, está 45% finalizada. Em termos de investimentos, do total de R$ 1,4 bilhão orçados para o empreendimento, até o momento foram executados R$ 610 milhões. Ao final do projeto, a Adutora do Agreste irá consumir R$ 1,4 milhão e beneficiar mais de 2 milhões de pessoas em 68 municípios do Agreste, além de 80 localidades.

    Transposição - O cronograma de início da operação da Transposição do Rio São Francisco será antecipado em 30 dias, no começo de 2017, graças ao empréstimo de quatro conjuntos de motobombas feito por meio de um Termo de Cessão de Uso não Oneroso, assinado pelo ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, no dia 26 de dezembro. O maquinário foi utilizado pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) durante o período de restrição hídrica em São Paulo, com a queda do sistema da Cantareira. Os equipamentos podem bombear 2 mil litros de água por segundo e irão acelerar a passagem da água pelas estruturas já construídas do Eixo Leste para beneficiar os estados de Pernambuco e Paraíba.

     

    Assuntos: compesa, adutora do agreste, toritama, paulo camara, rio são francisco, adutora do moxotó, arcoverde, pesqueira, belo jardim, sao caetano, barragem de sertânia, caruaru, toritama, santa cruz, sistema piranji
    Compartilhe: Link para o post:
  • Porto do Recife Fecha o Ano Com Balanço Positivo

    | Economia, Transporte, Balanço, Administração

    Porto do REcife

    Apesar da grave crise econômica nacional, a diretoria lançou mão de uma gestão criativa e conseguiu crescer 6% com relação ao ano passado

    Mesmo com crise  que o Brasil atravessa, com todos os segmentos da economia em retração, a diretoria do Porto do Recife conseguiu que, esse ano, o ancoradouro tivesse um aumento, ainda que tímido, na movimentação de cargas.  Com 1,51 milhões de toneladas operadas, o Porto fecha 2016 com um crescimento consolidado de 6% em relação a 2015. Os números resultam, principalmente, do retorno das importações de milho, de acordo com o diretor comercial e de operações, Carlos Vilar. "Sem dúvida alguma, esse nosso crescimento foi impactado pela retomada da movimentação marítima das cargas de milho. Somente com esse grão, chegamos ao fim do ano com um total de 400 mil toneladas do produto movimentado", ressaltou.

    Ao realizar o balanço de movimentações de cargas em 2016, de um modo geral, a maioria apresentou crescimento em relação ao ano anterior. Tradicionalmente, Pernambuco exporta açúcar e este continua sendo o principal produto movimentado nesse tipo de comércio. Atualmente o Terminal Açucareiro está com 180 mil toneladas estocadas do açúcar tipo demerara. "Em 2016, nós tivemos um novo segmento de exportação que foi o de vergalhões de ferro, da Gerdau, sendo enviados para a Colômbia, Trinidad e Tobago, Panamá, Cabo Verde e outros países da África. Podemos também destacar a retomada da movimentação de produtos de ferro, aço e liga, onde incluímos aí as bobinas de aço importadas da China. Em outros produtos, mantivemos a movimentação. Como é o caso do malte de cevada, matéria-prima para as indústrias cervejeiras, e a barrilha que é fundamental para o pólo vidraceiro de Goiana, além das indústrias de saponáceos", salientou.

    A Gestão Portuária explica a importância que o atracadouro do Recife tem para a economia do estado.  A grande movimentação do Porto é de cargas a granel tanto na importação quanto na exportação, com destaque para negócios feitos com os países do MERCOSUL. A avicultura de Pernambuco, por exemplo, está sendo abastecida pelo milho argentino e a capacidade operacional do ancoradouro foi fator primordial para essa conjuntura. "Nós estamos atendendo ainda as demandas dos avicultores da Paraíba, Rio Grande do Norte e parte dos criadores de aves do Maranhão. Então, o nosso atracadouro tem sido escolhido estrategicamente para operar esse tipo de carga, impulsionando a economia do estado e de parte do Nordeste.

    Apesar de 2016 ter sido um ano difícil, o Porto do Recife mostrou que pode superar as dificuldades. A criatividade e o esforço do trabalho colaborativo foi bastante positivo para ultrapassar os números do ano passado. "Isso dá credibilidade ao Porto e aos empresários que o utilizam. Nós temos uma responsabilidade muito grande com a economia de Pernambuco e do Brasil, e o ancoradouro recifense não vai fugir de suas obrigações. O ano de 2017 será de grandes desafios, porém isso nos dá mais motivação para superar todos os entraves", finalizou o diretor.

    Texto e fotos: Assessoria de Imprensa do Porto do Recife

    Assuntos: porto do recife, balanço 2017, Carlos Vilar,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Procon-PE orienta consumidores sobre direitos de troca

    | Economia, Balanço

     

    Ganhou um presente e não gostou? Ficou pequeno ou grande demais? O Procon-PE orienta quais são os direitos que o consumidor para realizar a troca de produto. Segundo o Procon-PE, tem direito a troca aqueles consumidores que ganharam ou compraram um produtos que apresentou algum defeito ou vício.

    Nas compras pela internet, o Código de Defesa do Consumidor, em seu artigo 49, estabelece que o consumidor tem direito a desistir da compra no prazo de 7 dias, a contar da data de recebimento do produto. Por isso é importante guardar e imprimir todos os dados da compra, como nome do site, itens adquiridos, valor pago, número de protocolo do pedido e contrato. Guarde também os e-mails trocados com o fornecedor que comprove todas as transações da compra.

    Sobre produtos que foram adquiridos em lojas físicas, e não apresentem defeito ou vicio, é orientado que o consumidor ao realizar a compra, verifique a politica de troca da loja, questionando ao vendedor se é possível fazer uma troca posteriormente, caso sim, o estabelecimento será obrigado a trocar.

    O consumidor que se sentir prejudicado ou que tenha alguma dúvida, deve procurar uma das unidades do Procon-PE ou ligar para o 0800.282.1512

    Assuntos: procon-pe, troca presentes, direito do consumidor
    Compartilhe: Link para o post:
  • SUAPE mantém crescimento na movimentação de cargas e encerra o ano com novo recorde

    | Suape, Balanço

    Suape

    Porto se projeta nacionalmente em 2016 e registra a maior taxa de crescimento entre os primeiros 10 portos do país 

     O Porto de Suape chega ao final de 2016 com muitos motivos para comemorar.  Com um incremento de 14,93% na movimentação geral de cargas no acumulado de janeiro a novembro deste ano, em relação ao mesmo período de 2015, o atracadouro mantém a curva de crescimento e avança no cenário nacional. A perspectiva é que Suape feche o ano conquistando um novo recorde, atingindo a marca de 22 milhões de toneladas movimentadas. O bom desempenho fez com que Suape alcançasse, entre janeiro e novembro, a 5º posição no ranking nacional de movimentação geral dos portos públicos, subindo uma posição em relação a 2015 e ultrapassando, até o momento, o Porto de Itaqui (MA).  Além disso, de acordo com dados da Secretaria de Portos, o Porto pernambucano apresentou a maior taxa de crescimento entre os primeiros 10 portos públicos brasileiros, no comparativo até o último mês de outubro. Os dados anuais de todos os portos nacionais serão consolidados na primeira quinzena de janeiro.

    Ainda no cenário nacional, Suape se manteve na liderança na movimentação de cargas por cabotagem entre os portos públicos do País de acordo com a Agência Nacional de Transportes Aquaviários - Antaq. Num comparativo dos últimos 10 anos, o Porto pernambucano evoluiu em mais de 400% neste tipo de movimentação, passando de 2,8 milhões de toneladas (2005) para 14,2 milhões de toneladas (até novembro de 2016) de cargas transportadas entre os portos nacionais. Em relação a 2015, os números alcançados este ano registram um aumento de 18,09%, no comparativo do período de janeiro a novembro.

    Este ano, os embarques somaram 5,31 milhões de toneladas de cargas, enquanto os desembarques, 8,98 milhões de toneladas de cargas. As operações de desembarque de mercadorias para os centros de distribuição da Bosch e da Bic, instalados na região este ano, contribuíram para esse resultado. Os principais estados de origem foram Bahia, São Paulo e Rio Grande do Norte. Como destino, os principais estados foram Ceará e Amazonas.

    PRINCIPAIS CARGAS - Desde a implantação da Refinaria Abreu e Lima - Rnest, no fim de 2014, o Porto de Suape vem se consolidando como movimentador de granéis líquidos (óleo diesel, gasolina, querosene de aviação, óleo bruto de petróleo, etc.) e chega ao final do ano mantendo a liderança nacional na movimentação desse perfil de carga. Até novembro deste ano, os granéis líquidos aumentaram 21,6% no acumulado do ano em relação ao mesmo período de 2015, alcançando a marca de 15,81 milhões de toneladas.

    A chegada de óleo bruto de petróleo para ser processado pela Rnest teve um aumento de 67% de janeiro a novembro deste ano, em relação ao mesmo período de 2015. Foram 4,24 milhões de toneladas em 2016 ante 2,54 milhões no ano passado. A mercadoria chega por navegação de cabotagem com origem dos estados do Espírito Santo, Rio Grande do Norte e Santos.  

    Outro destaque do Porto neste ano foi o grande crescimento de importação e exportação de veículos. Até novembro, Suape enviou e recebeu 46.690 carros, sendo 13.860 importados e 32.830 exportados. As montadoras do grupo FCA (FIAT e Jeep) foram responsáveis por 71,8% do total de veículos, seguidas por Toyota, com 175, e por último, a GM, com 11,2%. Os principais países de origem e destino foram Argentina e México. O total de veículos deve chegar a 54.639 no fim de dezembro, o que representará cerca de 147% de aumento em relação a 2015, quando foram movimentados 22.124 carros.

    Com relação aos outros perfis de carga, as conteinerizadas devem encerrar o ano com aumento de 4% na tonelagem, algo próximo a 4,72 milhões de toneladas. Até novembro, Suape movimentou 4,33 milhões de toneladas de cargas conteinerizadas ou, em TEUs, 357,05 mil. No mês de outubro, o Porto de Suape alcançou a melhor marca na movimentação de contêineres do ano, registrando 37,9 mil TEUs, um crescimento de 18,5% em relação a outubro de 2015. Esses números colocam Suape em 4º lugar no ranking de movimentação de contêiner, atrás dos portos de Santos (SP), Paranaguá (PR) e Rio Grande (RS).

    A carga geral solta (que não vem em contêiner) acumulou 188,9 mil toneladas (de janeiro a novembro) e os granéis sólidos, 373,1 mil toneladas. No mesmo período, a exportação cresceu 78,4%, atingindo a marca de 1,63 milhões de toneladas de cargas que saíram do Porto de Suape e tiveram como principais destinos os países Singapura, EUA e Holanda. Em 2015, os produtos exportados somaram 917,8 mil toneladas de janeiro a novembro. Por outro lado, a importação sofreu uma queda de 4,4%, registrando 4,77 milhões de toneladas de cargas em 2016, contra 5,01 milhões de toneladas em 2015 (jan/nov).

    NOVOS NEGÓCIOS E OPERAÇÕES DIVERSIFICADAS

    Na contramão da crise que atinge vários setores do País, o Porto de Suape comemora o anúncio de grandes investimentos que vão chegar em 2017 e a instalação de novos empreendimentos estruturadores. A instalação e o início das operações do novo Terminal de Açúcar da Agrovia Odebrecht Transport é o principal deles. Com capacidade para movimentar 750 mil toneladas por ano, o novo Terminal tem a expectativa de movimentar 100 mil toneladas de açúcar refinado ensacado em seu primeiro ano de operação, atendendo uma parte da safra 2016/2017 das usinas da Mata Sul pernambucana.

    O Governo de Pernambuco anunciou, em dezembro, um dos maiores investimentos dos últimos 10 anos em recursos privados, com a assinatura de um acordo que assegura a instalação da Aché Laboratórios Farmacêuticos no Complexo Industrial Portuário de Suape.  O acordo garante a implantação de uma planta industrial e uma central de distribuição do grupo em Suape, com investimentos na ordem de R$ 500 milhões, gerando até 500 empregos diretos e 2,5 mil empregos indiretos.

    Além da instalação de novos empreendimentos, houve também um reforço naqueles que já estão presentes em Suape, como é o caso da americana Bemis, líder mundial de embalagens, que inaugurou a ampliação de sua fábrica no Complexo Industrial Portuário de Suape.  Com a expansão de 8 mil metros quadrados de área construída, a empresa gerou mais de 140 postos de trabalho para a comunidade local e prevê dobrar a capacidade produtiva de embalagens rígidas, como potes de margarina, iogurtes, doces e sorvetes. Ao todo, foram empregados cerca de R$ 31 milhões de investimentos para aumentar a unidade.

    DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

    O contato da administração do Complexo de Suape com as comunidades que vivem em seu território é constante, tendo na estrutura da empresa uma Diretoria para cuidar de questões fundiárias e de patrimônio. Por meio da Diretoria de Gestão Fundiária e Patrimônio, desde 2007 até o mês de dezembro deste ano, Suape já indenizou 1.541 famílias, pagando um total de R$ 87,5 milhões por suas benfeitorias (imóveis e plantações).

    Para as famílias com perfil urbano, a administração de Suape está construindo 2.620 casas no Conjunto Habitacional Governador Eduardo Campos, no Cabo de Santo Agostinho.  O conjunto está sendo erguido em uma área total de 97 hectares, sendo 27 hectares de área verde preservada. Os futuros moradores desfrutarão ainda de equipamentos públicos de lazer, uma unidade básica de saúde, uma creche-escola padrão para 260 alunos e três Estações para Tratamento de Esgoto (ETE). A previsão é que as primeiras 583 casas do habitacional sejam entregues até março de 2017.

    Em paralelo à construção do loteamento, como parte do Projeto Habitacional Suape, estão sendo realizadas obras de infraestrutura viária nas comunidades Cêpovo, Vila Massangana I e Vila Claudete. Com investimento de investimento de R$ 88,87 milhões, as melhorias beneficiarão cerca de 4 mil famílias que residem nesses locais, promovendo uma melhor qualidade de vida para essa população, com prazo de conclusão no início de 2017.

    Durante este ano, foram realizadas palestras sobre 21 temáticas com o envolvimento de 101 moradores das comunidades. Foram executadas campanhas educativas com a inscrição de 324 moradores. Catorze líderes comunitários participaram da capacitação para lideranças com ênfase no fortalecimento da participação ativa nas tomadas de decisão e controle social. Suape realizou ainda 11 cursos e oficinas com a adesão de 413 moradores das comunidades de Praia de Gaibu, Vila Massangana II, Vila Nazaré e Vila Claudete.

    CUIDADOS COM O MEIO AMBIENTE

    Em 2016, o Complexo Industrial Portuário de Suape investiu em tecnologia, segurança e treinamentos para intensificar o monitoramento ambiental das áreas portuárias e adjacentes. O resultado dessas ações foi a classificação em 4º lugar no Índice de Desempenho Ambiental (IDA), que é avaliado semestralmente pela Antaq. Entre os 30 portos brasileiros avaliado pelo índice, Suape é o que tem a melhor classificação entre os portos do Norte/Nordeste do país, subindo duas posições em relação ao ano de 2015. Em 2014, o Porto ocupava a 8° posição com 71,24% pontos. Neste ano a pontuação chegou a 88,17% (de um total de 100 pontos).

    Como uma das grandes ações de monitoramento sustentável realizadas este ano, destaca-se a instalação da Estação Metaoceanográfica, que é responsável por monitorar em tempo real os parâmetros de direção e intensidade do vento (anemômetro), nível da água (marégrafo tipo radar), direção e intensidade de correntes em superfície, meia-água e fundo (perfilador acústico de correntes - ADCP) e altura e período de onda (ondógrafo). Os dados são disponibilizados por meio de um link hospedado no site de Suape (www.sismowater.com.br/sismo/suape/pier/).

    Na restauração florestal, mais de 1.000 hectares de mata atlântica estão em processo de recuperação, sendo que deste total 139 ha foram restaurados em 2016, além de 61 ha de restinga e 9 ha de manguezal, iniciados em 2011. Neste ano, o Viveiro Florestal de Suape, que fornece mudas para as áreas de restauração florestal, produziu 320.256 mudas de espécies nativas de mata atlântica. Sua capacidade de produção anual é de 450 mil mudas.

    Em 2016, foi criado o projeto “Pacto por Suape Sustentável”, fruto do termo de cooperação firmado entre o Governo do Estado e a Unesco. O projeto apresentou os primeiros resultados, apontando para um modelo de governança integrada das áreas de preservação de Suape. O objetivo é consolidar uma política de responsabilidade social, ambiental, educacional e cultural para o Complexo. Na primeira etapa, os trabalhos devem buscar a requalificação do Parque Armando Holanda Cavalcanti, no Cabo de Santo Agostinho. Estão sendo desenvolvidos planos estratégicos nas áreas cultural, social e educacional para o atendimento à população que reside no território.

     

    Assuntos: porto de suape, cabotagem, movimentação, exportação, Rnest, Fiat, Jeep, bosh, bic, toyota, gm, terminal de açucar da agovia odebrecht transport, governo de pernambuco, aché, bemis, projeto habitacional de suape,
    Compartilhe: Link para o post:
  • Domingo na Arena teve público de 125 mil pessoas em 2016

    | Turismo, Balanço

    Arena3

    EM 17 EDIÇÕES, MÉDIA DE PÚBLICO FOI SUPERIOR A SETE MIL PESSOAS

    Tendo estreado no dia 24 de julho de 2016, o “Domingo na Arena” mostrou-se um grande sucesso de público após 17 edições ocorridas no segundo semestre. O projeto, que foi criado com o objetivo de que o público pernambucano se apropriasse da Arena de Pernambuco enquanto opção de lazer, levou cerca de 125 mil pessoas à Arena, apenas no segundo semestre, o que dá uma média de mais de 7 mil pessoas por domingo. 

    Em seis meses de operação, o Domingo na Arena apresentou mais de 80 atrações, entre artistas pernambucanos no palco do evento, ou em apresentações espalhadas pela praça sul da Arena de Pernambuco. O projeto rapidamente transformou-se em uma grande opção de lazer para o público do estado, com atrações para todas as idades. 

    Iniciativas exitosas também ocorreram dentro do Domingo na Arena, como o concurso Som na Arena, que teve 120 bandas inscritas e premiou os três melhores grupos amadores de Pernambuco com shows e gravação de CDs; além do Arena Radical, ação pioneira que trouxe para dentro do empreendimento esportes de alta adrenalina como rapel, eurobungy e a tirolesa, que passava sobre o gramado da Arena, transformando-se em um dos grandes sucessos do ano. 

    O secretário de turismo, esportes e lazer, Felipe Carreras, afirmou que o sucesso do Domingo na Arena é reflexo direto da aceitação do público pernambucano pela iniciativa. “Quando anunciamos o Domingo na Arena, dissemos que queríamos que o povo de Pernambuco tomasse conta deste grande patrimônio público que é a Arena de Pernambuco. Após seis meses, é com satisfação que vemos que a população comprou a ideia e transformou o Domingo na Arena em um grande sucesso”, afirmou. 

    O Domingo na Arena retornará a partir do dia oito de janeiro de 2017, e terá ainda mais atrações no decorrer do ano, com novidades que serão anunciadas no decorrer do período. Além de atrações inéditas, grandes sucessos de público serão mantidos. 

    Fotos: Hesíodo Góes/Seturel-PE

    Assuntos: domingo na arena, secturel, felipe carreras, balanço domingo na arena
    Compartilhe: Link para o post: