meteorologia

Bacias Hidrográficas

Obra em todo lugar

Veja o que o Governo de Pernambuco está fazendo na sua região.

Blog de notícias

  • #106 || Pernambuco contra o novo coronavírus

    | Comunicação

    Sexta-feira, 29.05.2020

    QUARENTENA |Neste final de semana teremos os dois últimos dias de quarentena no Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes, São Lourenço da Mata e Camaragibe, precisando do esforço de cada um para ampliar resultados. A medida decretada nas cinco cidades, que tornou ainda mais rígido o isolamento social e estabeleceu o rodízio de veículos, vai até o domingo (31). Mas atenção: a partir de segunda-feira (1) voltam a valer as regras anteriores de isolamento social, que continuaram em vigor nos demais municípios do estado. Não pode haver retrocesso, precisamos seguir salvando vidas, com medidas preventivas, com restrições à circulação, com a necessidade de reverter o crescimento da propagação do vírus. Por isso, as normas sanitárias continuam vigentes, incluindo o uso obrigatório de máscaras. Na segunda-feira (1º), vamos detalhar o plano que levará ao retorno gradativo das atividades econômicas. Saiba mais: https://bit.ly/36KwMNq.

    | De sua casa, onde mantém isolamento desde que teve confirmado o diagnóstico de Covid-19, o governador Paulo Câmara pede que a população mantenha o isolamento social. Confira: https://youtu.be/9Ft9c9KSvdw.

    INTERIOR | Em junho, o Governo amplia o reforço à rede estadual de saúde para o atendimento exclusivo da Covid-19 com a entrega de três hospitais de campanha no interior, um investimento de mais de R$ 4 milhões. Somadas, as estruturas vão oferecer 301 novos leitos: 104 em Caruaru, 95 em Serra Talhada e 102 em Petrolina. Nos próximos dias, serão abertos 38 leitos de UTI nas cidades de Vitória de Santo Antão, Garanhuns, Caruaru, Serra Talhada e Goiana. O esforço do Governo já possibilitou a abertura de 1447 leitos no Estado, sendo 635 UTIs. Só no interior foram 421 leitos exclusivos para o Novo Coronavírus em 13 municípios.

    |Secretária-executiva de Vigilância em Saúde do Estado, Luciana Albuquerque, detalha a distribuição dos leitos: https://youtu.be/DU_TxSjrHQ4.

    CORONAVÍRUS | A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) confirmou, nesta sexta (29), 1.542 novos casos de Covid-19 no Estado - são 32.255 no total. Entre aqueles confirmados hoje (29), 425 se enquadram como Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) e 1.117 são casos leves. Do total de 32.255, 13.779 são graves e 18.476 leves. Dos graves, 1.193 evoluíram bem, receberam alta hospitalar e estão em isolamento domiciliar. Outros 5.407 estão internados, sendo 221 em UTI e 5.186 em leitos de enfermaria, tanto na rede pública quanto privada. O boletim aponta mais 1.455 pessoas recuperadas da doença, totalizando 12.835 curas. Também foram computados 103 novos óbitos, ocorridos desde o dia 19 de abril. Com isso, o Estado soma 2.669 mortes pela Covid-19. Confira os detalhes: https://bit.ly/2B7KM8i.

    MAIS PROFISSIONAIS | |Hoje (29), o governador Paulo Câmara autorizou mais uma seleção pública simplificada com 1.657 vagas para a Secretaria Estadual de Saúde. O edital será publicado no Diário Oficial de amanhã (30), e as inscrições acontecem entre os dias 1º e 4 de junho pelo site www.ead.saude.pe.gov.br. Serão mais 101 médicos, outros 420 profissionais de nível superior e 1.136 de nível médio para atuar no Recife, Caruaru, Garanhuns, Salgueiro e Serra Talhada.  https://bit.ly/3did7XL.

    FAKE NEWS | É FALSA a imagem que circula em redes sociais indicando datas para a reabertura das atividades comerciais em Pernambuco. O Governo de Pernambuco tem um plano de convivência pronto para a retomada, que dependerá de um conjunto de indicadores definidos pelas autoridades sanitárias e científicas que fazem parte do Gabinete de Enfrentamento ao Novo Coronavírus do Governo de Pernambuco. Antes de repassar alguma notícia, confirme em fontes oficiais! Confira boatos já desmentidos: https://www.pecontracoronavirus.pe.gov.br/.

    INFLUENZA |A campanha de vacinação contra a influenza foi prorrogada até o dia 30 de junho. Mais de 2,1 milhões de pernambucanos já foram vacinados, mas cerca de 1,4 milhão ainda precisam receber a dose. Poderão se vacinar crianças de 6 meses a menores de 6 anos, gestantes, puérperas (mulheres até 45 dias após o parto), adultos entre 55 e 59 anos, população indígena, pessoas com deficiência e comorbidades, professores dos ensinos básico e superior, forças de segurança e salvamento (policiais e bombeiros), caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo (motoristas de ônibus e cobradores), portuários, funcionários do sistema prisional, população privada de liberdade, trabalhadores de saúde e idosos. Para garantir a imunização, é preciso levar a caderneta de vacinação e algum documento que comprove a inclusão nos grupos prioritários. https://bit.ly/2ZOENzC.

    ATENDE EM CASA | A partir de amanhã (30), a população de Casinhas, Cortês, Jaqueira, Lagoa do Carro, Limoeiro, Orobó, São Benedito do Sul, Agrestina, Brejo da Madre de Deus, Cupira e Santa Maria do Cambucá também poderá fazer uso do aplicativo Atende em Casa. Ao todo, mais de 8,1 milhões de pernambucanos de 150 cidades já podem receber orientações on-line caso estejam com sintomas gripais. A ferramenta conta com 72,9 mil usuários cadastrados. Acesse em ww.atendeemcasa.pe.gov.br ou baixe o app para sistema Android.

    TRANSPORTE PÚBLICO | Desde o início da Operação Quarentena, o Grande Recife Consórcio registrou uma redução 10% na demanda de passageiros. A queda representa 383 mil usuários a menos. Para evitar aglomerações, o Consórcio ampliou a oferta de ônibus em 15 Terminais Integrados. Os 110 veículos extras são postos em operação de acordo com o aumento da demanda. https://bit.ly/2XcQEpy.

    Medidas e decretos: https://www.pecontracoronavirus.pe.gov.br/#medidas.

    Para denunciar descumprimento das medidas ligue 190.

    Assuntos: sei, boletim, covid19
    Compartilhe: Link para o post:
  • Governo de Pernambuco vai reforçar estrutura da saúde no interior

    | Saúde

    Enfrentamento à pandemia do novo coronavírus será intensificado com três hospitais de campanha e 38 novos leitos de UTIs nas cidades de Vitória de Santo Antão, Garanhuns, Caruaru, Serra Talhada e Goiana

    O Governo de Pernambuco, por intermédio da Secretaria de Saúde, está reforçando a rede estadual exclusiva para pacientes com a Covid-19 no mês de junho, com a entrega de três hospitais de campanha que estão sendo instalados nas cidades de Caruaru, Serra Talhada e Petrolina, representando um investimento de mais de R$ 4 milhões. Essa estrutura terá uma oferta total de 301 novos leitos. Mais 38 UTIs também serão entregues em municípios da Zona da Mata, Agreste e Sertão.

    Em Caruaru, serão instalados 104 leitos, sendo 76 de enfermaria, 26 semi-intensivos e dois de estabilização. A unidade de Serra Talhada terá 95 leitos (72 de enfermaria, 22 semi-intensivos e um leito para estabilização). O Hospital de Campanha de Petrolina terá capacidade para 102 leitos (74 de enfermaria, 26 de tratamento semi-intensivo e duas vagas para estabilização).

    Serão entregues, nos próximos dias, 38 leitos de UTIs nas cidades de Vitória de Santo Antão, Garanhuns, Caruaru, Serra Talhada e Goiana. Esse reforço do Estado já garantiu a abertura de 421 leitos dedicados exclusivamente a pacientes com a Covid-19 em 13 cidades polo do interior, sendo 139 de UTIs e 282 de enfermaria.  As UTIs estão distribuídas em hospitais de Palmares, Limoeiro, Goiana, Caruaru, Garanhuns, Arcoverde, Salgueiro, Araripina e Petrolina.

    Segundo a secretária-executiva de Vigilância em Saúde do Estado, Luciana Albuquerque, em pouco mais de dois meses, Pernambuco conseguiu abrir 1.447 leitos, sendo 635 UTIs. “Por determinação do governador Paulo Câmara, temos monitorado diariamente os dados da doença, inclusive sua entrada no interior, e atuado na vigilância dos casos e também para garantir a estrutura necessária na rede de saúde”, comentou Luciana.

     

    Link com o pronunciamento da  secretária-executiva de Vigilância em Saúde do Estado, Luciana Albuquerque: https://we.tl/t-px0faIeAAv

    Assuntos: covid-19, saude fiscalizacao, interior
    Compartilhe: Link para o post:
  • Quarentena rígida não será prorrogada. Determinação de isolamento social e uso obrigatório de máscaras em todo Estado permanece

    | Saúde

    A partir de segunda-feira, Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes, São Lourenço da Mata e Camaragibe estarão submetidas às mesmas regras das demais cidades pernambucanas

    O Governo de Pernambuco não irá prorrogar a quarentena mais rígida no Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes, Camaragibe e São Lourenço da Mata. A partir da próxima segunda-feira (01), as cinco cidades voltam a se submeter às mesmas regras de isolamento dos demais municípios pernambucanos.

    As cinco cidades, que estão há quase duas semanas obedecendo à quarentena mais rígida, são responsáveis por 75% dos casos confirmados  e 68% dos óbitos da Covid-19 em Pernambuco. O objetivo da maior restrição à circulação de pessoas nesses municípios foi o de reduzir a curva de contágio do novo coronavírus.

    “Só teremos os dados completos com o resultado da quarentena no domingo, mas as informações preliminares mostram uma estabilização da epidemia. Não prorrogaremos as regras mais rígidas na Região Metropolitana, mas ainda precisamos manter o isolamento social”, afirmou o governador Paulo Câmara.

    Na próxima segunda-feira, o Governo de Pernambuco vai detalhar o plano de retomada das atividades econômicas no Estado. O estudo foi conduzido pelas secretarias de Desenvolvimento Econômico, da Fazenda, do Trabalho e Qualificação e de Desenvolvimento Urbano. A liberação das atividades será gradativa, respeitando as orientações sanitárias e com um período de 11 semanas para ser totalmente posta em prática.

    O planejamento também inclui a análise da quantidade de trabalhadores por segmento e de que maneira o retorno de cada atividade influenciará em pontos complementares como o transporte público. A ideia é que os setores adotem horários diferentes de expediente para não saturar o sistema nos horários de pico.

    Assuntos: covid-19, saude, quarentena, isolamento social
    Compartilhe: Link para o post:
  • Boletim Covid-19 - Comunicação SES-PE

    | Saúde

    Sexta-feira, 29.05.2020

    A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) confirmou, nesta sexta-feira (29.05), 1.542 novos casos da Covid-19 em Pernambuco. Entre os confirmados hoje, 425 se enquadram como Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) e 1.117 como leves. Agora, Pernambuco totaliza 32.255 casos já confirmados, sendo 13.779 graves e 18.476 leves. Dos casos graves, 1.193 evoluíram bem, receberam alta hospitalar e estão em isolamento domiciliar. Outros 5.407 estão internados, sendo 221 em UTI e 5.186 em leitos de enfermaria, tanto na rede pública quanto privada.

    Além disso, o boletim de hoje registra mais 1.445 pacientes recuperados do novo coronavírus em Pernambuco, totalizando 12.835 pessoas curadas da Covid-19 no Estado. Desse total, 4.510 são de casos graves e 8.325 casos leves.

    Até agora, os casos graves confirmados da doença estão distribuídos por 160 municípios pernambucanos (tabela 1), além do Arquipélago de Fernando de Noronha e da ocorrência de pacientes em outros Estados e países.

    Também foram confirmados laboratorialmente 103 óbitos (sendo 53 do sexo masculino e 50 do sexo feminino). Os novos óbitos confirmados são de pessoas residentes nos municípios de Recife (36), Paulista (9), Jaboatão dos Guararapes (8), Caruaru (6), Olinda (4),   Igarassu   (4),   Abreu   e   Lima   (3),  Barreiros  (3), Cabo  de   Santo  Agostinho (3), Camaragibe  (3),  Bonito (2),  Goiana (2),  Gravatá (2),  Ipojuca (2),  Palmares (2), Ribeirão (2), Rio  Formoso (2), Vitória de  Santo Antão  (2), Paudalho  (1), Tracunhaém  (1),  Xexéu (1), Condado (1), Cortês (1), Cupira (1), Custódia (1), Bom Jardim (1), Moreno (1) e Camocim de São Félix (1). Com isso, o Estado totaliza 2.669 mortes pela Covid- 19.

    As mortes ocorreram entre os dias 19/04 e 28/05 e os pacientes tinham idades entre 21 e 100 anos de idade, além de recém-nascido (sexo masculino) e uma criança de 4 ano de idade do sexo feminino. Dos 103 pacientes que vieram a óbito, 53 apresentavam comorbidades confirmadas: hipertensão (38), diabetes (27), doença cardiovascular (6), doença renal (4), histórico de AVC (3), tabagismo/histórico de tabagismo (2), doença neurológica (2), histórico de câncer (2), doença de Alzheimer (2), doença pulmonar obstrutiva crônica (2), obesidade (2), Síndrome Congênita do Zika (SCZ/Microcefalia) (1), doença respiratória (1), esclerose múltipla (1), histórico de tuberculose (1), hipotireoidismo (1), etilismo/histórico de etilismo (1), doença hepática (1), asma (1), hanseníase (1) e esquizofrenia (1), - o mesmo paciente pode ter mais de uma comorbidade. Dois não tinham comorbidades e os demais estão em investigação pelos municípios. As faixas etárias são: 0 a 9 (2), 20 a 29 (1), 30 a 39 (1), 40 a 49 (3), 50 a 59 (18), 60 a 69 (25), 70 a 79 (25), 80 ou mais (28).

    Com relação à testagem dos profissionais de saúde com sintomas de gripe, em Pernambuco, até agora, 8.566 casos foram confirmados e 8.306 descartados. As testagens abrangem os profissionais de todas as unidades de saúde, sejam da rede pública (estadual e municipal) ou privada. O Estado foi o primeiro do país a criar um protocolo para testar os profissionais da área da saúde.

    MAIS PROFISSIONAIS - O governador Paulo Câmara autorizou, nesta sexta-feira (29.05), mais uma seleção pública simplificada com 1.657 vagas para a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), visando qualificar e ampliar o número de profissionais na rede de saúde neste momento da pandemia do novo coronavírus. O edital do certame será publicado no Diário Oficial deste sábado (30.05), com inscrições entre os dias 1º e 4 de junho pelo site ead.saude.pe.gov.br. Ao todo, o chamamento contemplará 101 médicos, 420 profissionais de outras áreas de nível superior e 1.136 de nível médio.

    As vagas serão para médicos intensivistas adulto e pediátrico, pediatras e tocoginecologistas. Entre os analistas em saúde (outras áreas de nível superior): assistentes sociais, biomédicos, farmacêuticos/bioquímicos,  fisioterapeutas respiratórios e de terapia intensiva, nutricionistas e enfermeiros assistenciais, obstetras, reguladores e uteístas. Entre os assistentes em saúde (nível médio), técnicos de enfermagem, laboratório, radiologia e farmácia. Os profissionais irão atuar em serviços espalhados pelas I (Recife), II (Limoeiro), IV (Caruaru), V (Garanhuns), VII (Salgueiro) e XI (Serra Talhada) Gerências Regionais de Saúde (Geres).

    "Diariamente, estamos abrindo novos leitos para prestar assistência aos  pernambucanos vítimas da Covid-19. Para isso, além da compra de equipamentos e readequações físicas nas nossas estruturas hospitalares, precisamos de profissionais para garantir as escalas de plantão. Já chamamos concursados, realizamos outras seleções simplificadas e vamos continuar realizando chamamentos enquanto for necessário dotar a rede de capacidade para absorver a demanda existente", afirma a secretária executiva de Gestão do Trabalho e Educação em Saúde da SES-PE, Ricarda Samara.

    A seleção simplificada será feita por meio de análise curricular, de caráter classificatório e eliminatório. O resultado preliminar sairá em 08.06 e os recursos poderão ser interpostos até as 23h59 do dia 09.06. O resultado final sairá em 11.06. A contratação terá validade de 6 meses, podendo ser prorrogada por até 2 anos.

    Desde o início da pandemia, o Governo de Pernambuco chamou 9.773 profissionais, entre concursados, aprovados em seleções e recrutamentos. Ao todo, foram 3.003 aprovados em concurso público para serviços da SES-PE e Complexo Hospitalar da Universidade de Pernambuco (UPE); 4.901 por meio de seleções públicas simplificadas para a SES-PE, Complexo Hospitalar da UPE, Lacen e Vigilância Epidemiológica Hospitalar; e 1.869 profissionais que estavam atuando em ambulatórios, nas situações eletivas, e passaram para a linha de frente ou para atendimento no aplicativo Atende em Casa.

    ATENDE EM CASA - Mais 266.546 pessoas de Casinhas, Cortês, Jaqueira, Lagoa do Carro, Limoeiro, Orobó e São Benedito do Sul, na Zona da Mata Norte e Sul; e Agrestina, Brejo da Madre de Deus, Cupira e Santa Maria do Cambucá, no Agreste, poderão fazer uso do aplicativo Atende em Casa a partir deste sábado (30.05). Ao todo, mais de 8,1 milhões de pernambucanos de 150 cidades (81%) de todas as regiões já podem receber orientações on-line caso estejam com sintomas gripais. Dependendo da classificação, um profissional de saúde pode entrar em contato com usuários com condição ou sintomas de gravidade por chamada de telefone ou por vídeo para tele-orientação. Até o momento, a I (20 municípios), V (21), VI (13), X (12), IX (11) e XI (10) Geres já são atendidas em sua totalidade pela tecnologia, uma parceria entre o Governo do Estado e a Prefeitura do Recife.

    O Atende em Casa passa orientações para a população com sintomas gripais que busca o serviço on-line, seja para manter o isolamento domiciliar ou, após uma teleorientação feita por profissional de saúde, fazer a busca qualificada por um serviço de saúde mais próximo da sua casa. A ferramenta já conta com mais de 72,9 mil usuários cadastrados. Ao todo, após teleorientação, mais de 8,7 mil pessoas foram orientadas a procurar uma unidade de saúde e mais de 14,7 mil a permanecer em isolamento domiciliar.

    O aplicativo, disponível pelo site www.atendeemcasa.pe.gov.br e para smartphones com sistema Android, permite que médicos, enfermeiros ou residentes médicos façam videochamadas e orientações aos usuários. Mais de 100 profissionais de saúde foram treinados pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), responsável por coordenar os atendimentos fora do Recife, para atuação no Atende em Casa, reforçando as escalas de plantão. Os profissionais recebem orientações quanto ao uso do aplicativo, protocolos clínicos da Covid-19 e fluxo de atendimento nas unidades de saúde.

    LISTA DOS MUNICÍPIOS:

    I Geres: Abreu e Lima, Araçoiaba, Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe, Chã de Alegria, Chã Grande, Fernando de Noronha, Glória do Goitá, Igarassu, Ipojuca, Ilha de Itamaracá, Itapissuma, Jaboatão dos Guararapes, Moreno, Olinda, Paulista, Pombos, Recife, Vitória de Santo Antão, São Lourenço da Mata.

    II Geres: Buenos Aires, Casinhas, Cumaru, Feira Nova, João Alfredo, Lagoa de Itaenga, Lagoa do Carro, Limoeiro, Orobó, Passira, Paudalho, Surubim, Tracunhaém, Vertente do Lério, Vicência.

    III Geres: Água Preta, Belém de Maria, Cortês, Escada, Gameleira, Jaqueira, Lagoa dos Gatos, Palmares, Primavera, Quipapá, Ribeirão, Rio Formoso, São Benedito do Sul, São José da Coroa Grande, Sirinhaém, Tamandaré, Xéxeu.

    IV Geres: Agrestina, Alagoinha, Altinho, Barra de Guabiraba, Bezerros, Bonito, Brejo da Madre de Deus, Camocim, Caruaru, Cupira, Gravatá, Ibirajúba, Jataúba, Jurema, Pesqueira, Sanharó, Santa Cruz do Capibaribe, Santa Maria do Cambucá, São Caetano.

    V Geres: Águas Belas, Angelim, Bom Conselho, Brejão, Caetés, Calçados, Canhotinho, Capoeiras, Correntes, Garanhuns, Iati, Itaíba, Jucati, Jupi, Lagoa de Ouro, Lajedo, Palmerina, Paranatama, Saloá, São João, Terezinha.

    VI  Geres: Arcoverde, Buíque, Custódia, Ibimirim, Inajá, Jatobá, Manari, Pedra, Petrolândia, Sertânia, Tacaratu, Tupanatinga, Venturosa.

    VIII Geres: Afrânio, Cabrobó, Dormentes, Lagoa Grande, Orocó, Santa Maria da Boa Vista.

    IX Geres: Araripina, Bodocó, Exu, Ipubi, Granito, Moreilândia, Ouricuri, Parnamirim, Santa Cruz, Santa Filomena, Trindade.

    X Geres: Afogados da Ingazeira, Brejinho, Carnaíba, Iguaracy, Ingazeira, Itapetim, Quixaba, Santa Terezinha, São José do Egito, Solidão, Tabira, Tuparetama.

    XI Geres: Betânia, Calumbi, Carnaubeira, Flores, Floresta, Itacuruba, Santa Cruz da Baixa Verde, São José do Belmonte, Serra Talhada, Triunfo.

    XII Geres: Aliança, Camutanga, Goiana, Macaparana, São Vicente Férrer, Timbaúba.

    INFLUENZA – Foi prorrogada até o dia 30 de junho a campanha de vacinação contra a influenza. Até o momento, mais de 2,1 milhões de pernambucanos já foram imunizados. Contudo, cerca de 1,4 milhão ainda precisam receber a dose, que protege contra três tipos da influenza: A(H1N1), A(H3N2) e B.

    A superintendente de Imunizações da Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), Ana Catarina de Melo, reforça, principalmente, a vacinação de crianças de 6 meses a menores de 6 anos (246.517 imunizadas - 32,7%) e das gestantes (36.871 - 37,5%). “Já atingimos a meta para a população de idosos e de profissionais de saúde. Agora, os gestores precisam ficar atentos, principalmente, às crianças e gestantes. Precisamos continuar lembrando a população da importância dessa vacina, que pode evitar adoecimento, internações e mortes. E estimulando as secretarias municipais a seguirem as medidas de segurança e higiene nos postos de saúde e também a criarem estratégias para chegar mais próxima do público, principalmente neste momento de isolamento”, afirma Ana Catarina.

    Além das crianças e gestantes, podem se vacinar contra a influenza: puérperas (mulheres até 45 dias após o parto), adultos entre 55 e 59 anos, população indígena, pessoas com deficiência e comorbidades, professores dos ensinos básico e superior, forças de segurança e salvamento (policiais e bombeiros), caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo (motoristas de ônibus e cobradores), portuários, funcionários do sistema prisional, população privada de liberdade, trabalhadores de saúde e idosos.

    Destaca-se, ainda, a necessidade de levar a caderneta de vacinação para que a dose contra a influenza seja realizada. Os profissionais de saúde ainda devem analisar o documento e, caso haja alguma vacina em atraso, aproveitar para fazê-la.

    Além disso, é preciso apresentar documentação que comprove a inclusão nos grupos prioritários. Pessoas com comorbidades ou condições clínicas especiais, por exemplo, devem apresentar prescrição médica. Puérperas devem apresentar comprovação do parto, como certidão de nascimento. Portuários, caminhoneiros, motoristas e cobradores de transporte coletivo devem apresentar documento comprobatório, como carteira de trabalho, contracheque com documento de identidade, carteira de sócio dos sindicatos de transportes ou carteira de habilitação (categorias C ou E). Força de segurança e professores também devem mostrar documentação/contracheque.

    No caso de pessoa com deficiência, o Ministério da Saúde sugere apresentar laudos ou declarações médicas, comprovação do Benefício de Prestação Continuada (BPC) ou documento de aposentadoria.

    Assuntos: ses, saude, covid19
    Compartilhe: Link para o post:
  • NOTA OFICIAL

    | Comunicação

    O Governo de Pernambuco esclarece que não liberou o comércio ou qualquer outra atividade em municípios do interior ou da Região Metropolitana do Recife.

    O governo ressalta que tem um plano de retomada da economia, mas os detalhes só serão apresentados na próxima segunda-feira.

    Assuntos: Não há assuntos relacionados.
    Compartilhe: Link para o post:
  • Compesa instala lavatórios de mãos públicos em mais uma ação social de combate ao coronavírus no Estado

    pias compesa

    O combate à pandemia do coronavírus segue como prioridade para a Compesa e a Secretaria de Infraestrutura e Recursos Hídricos, pasta à qual a estatal é vinculada. Após anunciar na última semana um pacote de ações sociais que integra o plano emergencial do Governo do Estado, a Companhia iniciou hoje (29) mais uma ação voltada para a população com o objetivo de minimizar a disseminação da Covid-19. Agora, serão instalados 38 lavatórios de mãos públicos em 16 municípios, do Recife ao interior do Estado, todos produzidos com mão de obra própria e com materiais reaproveitados nas unidades da Compesa.

    A primeira unidade foi instalada na tarde de ontem (28) no Mercado da Encruzilhada. Hoje (29) foi a Mercado de Água Fria, também no Recife, e ainda duas unidades em Petrolina, nos bairros Centro e Jose e Maria. Na próxima segunda (01), os contemplados são os mercados de Casa Amarela e Nova Descoberta, e a semana segue com a colocação dos lavatórios no Cordeiro, Várzea, Engenho do Meio, Arruda e Alto do Deodato.

    A ação é fruto de um convênio entre a Compesa e o Ministério Público do Trabalho de Pernambuco (MPT). Por meio da iniciativa, serão disponibilizados lavatórios localizados próximos às lotéricas, mercados públicos, feiras livres e bancos. Os equipamentos funcionarão por meio de um mecanismo de acionamento automático, evitando o contato direto do usuário com a pia, o que torna a lavagem das mãos ainda mais eficaz. Os novos lavatórios estarão ligados diretamente na rede de água da Compesa e próximos às caixas coletoras de esgoto para o correto descarte e proteção do meio ambiente.

    Na primeira etapa estão previstas a instalação de 23 lavatórios nas cidades de Garanhuns, Salgueiro, Petrolina, Arcoverde, Pesqueira, Cupira, Belo Jardim, Serra Talhada, Afogados da Ingazeira, Caruaru, Bonito, Paudalho, Limoeiro, Tamandaré, Ouricuri. Na capital, por meio de pareceria com a Prefeitura do Recife, serão contempladas com 15 unidades, ao longo dos próximos dias, as localidades de Casa Amarela, Nova Descoberta, Beberibe, Afogados, Encruzilhada, Água Fria, Campo Grande, Cordeiro, Várzea, Engenho do Meio, Jordão, Ibura UR-1, Arruda e Alto do Deodato.

    A escolha dos pontos de instalação foi baseada em um mapeamento da Compesa nos centros urbanos mais movimentados. “Com esta ação estamos nos preparando para a retomada das atividades nesta nova realidade de vida. Nosso objetivo é equipar esses espaços públicos, proporcionando que as pessoas utilizem os lavatórios para higienização, uma medida simples, mas eficaz para reduzir o contágio da doença”, avalia a presidente da Compesa, Manuela Marinho que completa. “Estamos incansáveis buscando cada vez mais soluções para levar água para as pessoas”.

    AÇÕES DE COMBATE À COVID – Na última semana, a Compesa lançou duas importantes ações sociais contemplando a população da Região Metropolitana do Recife (RMR). Em uma parceria com as secretarias estaduais de Desenvolvimento Urbano e Infraestrutura e Recursos Hídricos, a Companhia está instalando pias de higienização em 22 terminais integrados de passageiros. Até o momento, o total de 14 (Cajueiro Seco, Joana Bezerra, Prazeres, Aeroporto, Tancredo Neves, Recife, Barro, Pelópidas Silveira, Macaxeira, Caxangá, Getúlio Vargas, CDU, PE-15 e Xambá) já estão com as pias em pleno funcionamento e os demais (Camaragibe, Cosme Damião, Abreu e Lima, Igarassu, Cabo, Jaboatão, TIP, Rio Doce) serão contemplados nos próximos dias.

    Já em parceria com o Grupo Tigre, por meio do seu Instituto Carlos Roberto Hansen, e a FortLev, a Companhia está realizando a entrega de 800 caixas d’água que estão sendo distribuídas gratuitamente nas áreas com maior incidência de casos da Covid-19 da RMR, contemplando famílias de baixa renda e em situação de vulnerabilidade social. Já foram beneficiados moradores do Recife (Brejo da Guabiraba, Jordão, Ibura, Macaxeira, Nova descoberta, Vasco da Gama e Totó), Olinda (Águas Compridas, Aguazinha, Alto Nova Olinda, Passarinho e Vila Popular), Camaragibe (Alberto Maia), São Lourenço de Mata (Capibaribe) e Jaboatão dos Guararapes (Socorro e Vista Alegre).

    Tais medidas se somam ao pacote de ações emergenciais lançado em março pela Companhia. A primeira medida adotada foi a suspensão da cobrança da conta para os 120 mil usuários enquadrados na tarifa social, além da ampliação da produção do Sistema Tapacurá em 500 litros por segundo. Além disso, a Compesa já contabiliza a distribuição de 98 milhões de litros de água por meio de carros pipa para áreas desabastecidas em 82 municípios pernambucanos, contemplando o total de 420 localidades. Outro destaque é o pacote de obras emergenciais de pequeno e médio portes para otimizar a distribuição de água da RMR e interior, além da redução do rodízio em mais de 40 municípios pernambucanos devido às últimas chuvas na região, que recuperou o volume de água de importantes mananciais.

    Assuntos: compesa, agua, abastecimento, covid19
    Compartilhe: Link para o post:
  • Circulação de passageiros no transporte público cai mais de 10% nos primeiros 10 dias de quarentena

    | Mobilidade

    Nesse período, o Grande Recife Consórcio reforçou algumas linhas para atender eventuais demandas do sistema

    Desde o início da Operação Quarentena, o Grande Recife Consórcio registrou uma redução 10,01% na demanda de passageiros por conta das medidas restritivas de circulação. Entre os dias 16 e 28 de maio, foram contabilizados 3.445.029 passageiros, contra 3.828.485 registrados nos dez dias anteriores (02 a 14 de maio).

    Para evitar uma sobrecarga no sistema de transportes devido ao rodízio e aglomerações nos terminais integrados, o Consórcio ampliou a oferta de ônibus em 15 TIs.  Os 110 veículos extras são colocados em operação de acordo com o aumento da demanda de passageiros. A disponibilização desses ônibus poderá aumentar em até 20% o número de viagens, a depender do terminal. É importante destacar que os técnicos do Consórcio continuam acompanhando a operação e fazendo os ajustes necessários para evitar aglomerações nos Tis.

    Os usuários do transporte público têm seguido a risca o decreto estadual 49.017/20, que determina a utilização do sistema apenas pelos profissionais dos serviços essenciais, com o uso obrigatório de máscaras e a apresentação de documentos comprobatórios. O trabalho feito pelos fiscais do Grande Recife Consórcio, em conjunto com as empresas operadoras e a Secretaria de Defesa Social (SDS), registrou o uso massivo do acessório pelos passageiros.

    Na semana que antecedeu a quarentena, cerca de 30 mil máscaras foram distribuídas aos usuários das linhas mais movimentadas dos Terminais Integrados Joana Bezerra, Pelópidas Silveira, Macaxeira, Camaragibe, Cajueiro Seco, Tancredo Neves, PE-15, Xambá e Barro. Cada usuário recebeu duas máscaras de tecido, que são reutilizáveis, como parte de um kit que também contém um folder educativo com instruções de como usar e lavar o acessório de proteção individual. Os facilitadores de embarque continuam distribuindo as máscaras quando percebem algum usuário sem a proteção facial.

    Assuntos: grande recife, transporte publico
    Compartilhe: Link para o post:
  • Consej tem primeira reunião com nova diretora-geral do Depen

    | Direitos Humanos

    Os pleitos dos estados no âmbito do sistema prisional foram apresentados pelos membros do Conselho Nacional de Secretários de Justiça e Administração Penitenciária (Consej), nesta sexta-feira (29/05), à nova diretora-geral do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), a delegada federal Tânia Fogaça. A videoconferência foi conduzida pelo secretário de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco e presidente do Colegiado, Pedro Eurico.

    Em pauta, a continuidade dos projetos já apresentados pelos estados; a previsão para repasse de recursos; e a disponibilização de testes rápidos para covid-19 para servidores e pessoas privadas de liberdade; entre outros. “O conselho e todos os secretários trabalham com um único propósito, que é manter a tranquilidade e o equilíbrio no sistema prisional brasileiro. Para tanto, faz-se necessária a participação efetiva do Governo Federal” frisa Eurico.

    Tânia elencou as prioridades na sua gestão, colocando como principais nichos de atuação o fortalecimento do setor de inteligência, o incremento no fornecimento de tornozeleiras eletrônicas e a ampliação na execução das videoaudiências nos estabelecimentos penais. Sobre o último ponto, a diretora-geral diz saber das dificuldades, mas reforça interesse no tema. “Sabemos que esse não é um assunto novo entre vocês, mas fica registrado o compromisso de fortalecer essa prática junto ao CNJ” pontua.

    Cada região foi representada por um secretário de estado: Norte (Amazonas), Nordeste (Sergipe), Centro-oeste (Goiás), Sul (Santa Catarina) e Sudeste (São Paulo), que pode apresentar à nova diretora as demandas dos seus territórios.

    Assuntos: Não há assuntos relacionados.
    Compartilhe: Link para o post:
  • Detran-PE prorroga prazo de validade do CRLV de 2019

    | Administração

    CRLV 2019

    Levando em conta as dificuldades temporárias, impostas pela pandemia da Covid-19, com consequências na operacionalização dos serviços públicos, o diretor presidente do Departamento Estadual de Trânsito de Pernambuco (Detran-PE), Roberto Fontelles, prorrogou o prazo de validade do calendário anual de licenciamento de veículos usados/CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos) do exercício de 2019. A medida consta na Portaria 2271, publicada no Diário Oficial do Estado, nesta sexta (29), e amplia o período em que o portador do CRLV pode circular com o documento de 2019.

    O prazo limite para a circulação com o CRLV 2019 fica da seguinte forma:

     

     

    FINAL DA PLACA

    PRAZO FINAL PARA PORTAR O CRLV DO EXERCÍCIO DE 2019

    1 e 2

    Até julho

    3, 4 e 5

    Até agosto

    6, 7 e 8

    Até setembro

    9 e 0

    Até outubro

     

    Além das questões burocráticas, a medida foi adotada levando em conta que as taxas e impostos, referentes ao licenciamento de veículos, envolve vários órgãos estaduais, que estão com os serviços suspensos ou com funcionamento reduzido, entre eles, o próprio Detran. A iniciativa visa ainda, facilitar a vida dos proprietários de veículos, oferecendo mais tempo e, com isso, reduzir aglomerações, impróprias no atual momento de saúde pública.

    O Detran-PE, seguindo determinação do Governo de Pernambuco, e com o objetivo de colaborar com as ações de combate à Covid-19, suspendeu os atendimentos presenciais, desde o dia 23 de março, por tempo indeterminado. A decisão teve como princípio proteger a saúde dos servidores do órgão e da população em geral evitando o contágio comunitário.

    Assuntos: detran, covid19, crlv 2019
    Compartilhe: Link para o post:
  • Escritores da Cepe discutem proximidade entre realismo e fantasia

    | Cultura

    livros

    Literatura fantástica e seus subgêneros como alternativa para narrar fatos e comportamentos contemporâneos ainda incompreendidos

    Uma pandemia transforma para sempre o comportamento social: obriga o mundo a se isolar, usar máscara para cobrir boca, nariz e olhos, lavar as mãos, desinfetar tudo compulsivamente e manter distância de outros seres humanos. Ruas estão vazias. É preciso conter um inimigo invisível, um vírus letal. Essas primeiras linhas poderiam integrar uma narrativa de literatura fantástica, gênero que já obteve várias definições e ganhou subgêneros ao longo da história. Se por um lado há quem ainda o enxergue como subliteratura e entretenimento - pelas inserções de fantasia, ficção científica e horror -, por outro é visto como arte, e uma das boas maneiras de narrar períodos difíceis como esse que estamos vivendo: o absurdo se tornou realidade. 

    “Literatura fantástica é a literatura do inconsciente. Aspirações, instintos, desejos e fobias manifestam-se por meio de sonhos, que sempre contêm elementos fantásticos. A literatura original da humanidade é a fantástica. O realismo, na literatura, é coisa relativamente recente. Os primeiros escritos literários foram mitos, fábulas e lendas lendárias. Com a prevalência, na Idade Moderna, do conhecimento empírico, a fantasia começou a ser estigmatizada como sinônimo de ilusão e mentira, mas Charles Perrault e outros moralistas franceses viram nela um meio de inculcar nos jovens modelos de comportamento social vigente. Depois, o romantismo reabilitou a fantasia por completo - graças ao escritor alemão E. T. A. Hoffman e o americano Edgar Allan Poe, entre outros -, a psicanálise devolveu-lhe o status de tradução do inconsciente humano e o surrealismo a elevou muito acima do realismo”, analisa o escritor da Cepe Paulo Schmidt. Ele é autor do livro de literatura fantástica Anjo Negro, vencedor do Prêmio Nacional de Literatura 2017.  

    Outro autor de literatura fantástica da Cepe, João Paulo Parísio, que assina Legião Anônima, enxerga toda literatura como fantástica, sem exceção. “O realismo-naturalismo, que opera maravilhas, é um campo de espectro dentro dela, a que podemos chamar fantástico involuntário ou compulsório. Não existe uma oposição… real. Ela é fruto de uma… fantasia. Mas entendo que num sentido amplo e popular - o meu preferido -, a literatura dita fantástica é aquela que lida com elementos que não integram o consenso sobre a realidade, seja inserindo-os nas frestas de um cenário que se quer verossímil, seja através do engendramento de mundos que se querem distintos do nosso, ainda que consistentes em sua lógica interna. O consenso sobre o real tem fronteiras incertas, e certos temas são consagrados como fantásticos pela tradição, por um lento processo de sedimentação cultural. Histórias de fantasma são um exemplo clássico. Se fantasmas existirem, entretanto, essas narrativas deveriam ser consideradas realistas? Como a vida dos mortos é algo menos irrefutável que a morte dos vivos, estabelece-se uma espécie de acordo segundo o qual os contos fantasmagóricos acabam inscritos na categoria do fantástico”.

    Mesmo com títulos e autores famosos e premiados como Cem anos de solidão (1967), do colombiano Gabriel García Marquez (1927-2014), Jorge Luís Borges e José Saramago; e os brasileiros Memórias Póstumas de Brás Cubas (1881), de Machado de Assis (1839-1908), O ex-mágico (1947), de Murilo Rubião (1916-1991); Os cavalinhos de platiplanto (1949), de José.J. Veiga (1915-1999), A Morte e a Morte de Quincas Berro d’Água (1962), de Jorge Amado (1912-2001), e Incidente em Antares (1971), de Érico Veríssimo (1905-1975), Lygia Fagundes Telles, o fantástico ainda carrega consigo o estigma de subliteratura. “Principalmente no Brasil, um país de tradição literária tão realista, o fantástico é visto como uma espécie de ‘nicho’  à parte da produção literária. Felizmente, acredito, essa separação vem caindo, e vejo um interesse maior em obras que subvertem, sutilmente ou não, aspectos das realidades, ou que mesmo tentam apresentam mundos (ou tempos) bastantes diferentes do nosso — que, por sinal, hoje já não é tão parecido com o que era alguns meses atrás. O fantástico e o especulativo são bastante efetivos em mostrar as distorções que já existem nas nossas sociedades e em nós mesmos, e, por isso, também se revelam sempre caminhos instigantes, ainda mais quando estamos diante de mudanças duras naquilo que entendemos como cotidiano”, reflete o editor da Cepe, Diogo Guedes.

    Para não serem chamadas de fantásticas e serem ‘levadas a sério’, portanto, algumas obras trazem o nome de realismo mágico. “Há uma relativa, mas decrescente, hegemonia do realismo no Brasil. O fantástico deliberado tem crescido, e Pernambuco é um celeiro. Na produção local, destaca-se o elemento do terror e o aproveitamento de matéria-prima nativa. As temáticas nascem de nós, seres humanos e atuais, contingentes, vastos continentes de emoções, ideias, incoerências intrínsecas, de modo que sempre haverá o diálogo das almas. Porém, com o avanço do retrocesso, se você me permite o paradoxo, em volta do mundo, as ficções distópicas, sombrias, o próprio terror, reverberam sentimentos que experimentamos aqui e agora. Recentemente, dois expoentes do fantástico nacional publicaram artigos em busca de pontos de contato entre as curvas da realidade e as da dita literatura de gênero. Cristhiano Aguiar traça paralelos entre o ponto em que nos encontramos e os filmes A chegada e O enigma de outro mundo, dois clássicos da ficção científica a meu ver, embora aquele seja recente. Nenhum deles fala sobre um vírus, mas há em ambos o medo e a dúvida ante a emergência de uma variável desconhecida, potencialmente danosa”, analisa o escritor da Cepe João Paulo Parísio, autor de Legião Anônima (2014).

    O escritor Rômulo César Melo também defende a grande produção do gênero fantástico atualmente. “Inclusive no Nordeste, no nosso estado. Em Natal temos Márcio Benjamim, com carreira consolidada no terror, aqui Roberto Beltrão, André Balaio, João Paulo Parísio, Marcelo Trigo, Frederico Toscano, todos dedicados ao fantástico. Faço parte de um grupo de WhatsApp com todos eles e mais o Christiano Aguiar e Oscar Nestarez, que vivem em São Paulo. Só para falar dos meus conhecidos, todos com livros publicados, bem recebidos. O que falta, talvez, seja uma maior atenção das editoras e uma melhor divulgação ou distribuição do produto”, ressalta.  Rômulo acredita que é bem possível que milhares de escritores estejam escrevendo suas impressões sobre o momento atual e que isso gere centenas de narrativas fantásticas. “Essa pandemia, por si, parece um filme de terror, uma situação apocalíptica impensável. Entendo que toda forma de arte é capaz de abrir cabeças, revelar novas possibilidades. A literatura fantástica tem, sim, a faculdade de atrair, por meio dos seus recursos extraordinários, os olhos do leitor para uma realidade que, talvez, sendo-lhe mostrada nua e crua, de forma realista no sentido literário, não fosse alcançada. Não quero dizer que essa tenha de ser, doravante, a meta deste tipo de literatura, apenas que pode ser utilizada para tal finalidade se assim o autor desejar. Para fechar o raciocínio, numa época de tanta dor e tristeza, desconfio que o escritor que quiser e souber contar esta história por meio do fantástico poderá alcançar um resultado mais efetivo e afetivo junto ao público do que aquele que for pelo caminho da realidade pura e simples”, declara Rômulo, autor do livro Dois nós na gravata (2015), vencedor regional da segunda edição do Prêmio Pernambuco de Literatura.

    O escritor da Cepe Walther Moreira defende que nem mesmo o conceito de literatura fantástica que transcende o real pode ser aplicado a um texto por tempo indefinido. “Por exemplo, quando Júlio Verne escreveu Da terra à lua, publicado em 1885, o livro era literatura fantástica, mas depois que o homem pisa o solo lunar, o livro é só de literatura”, exemplifica Walther, autor de Todas as coisas sem nome (2017), vencedor da Zona da Mata do IV Prêmio Pernambuco de Literatura 2016.

    Para Paulo Schmidt, a temática de fantasia que mais dialoga com a realidade é a distopia - versão pessimista do futuro. “Consagrado por George Orwell (1984) e Aldous Huxley (Admirável mundo novo), esse subgênero encontra ressonância entre os leitores jovens por meio de obras seriais como Jogos Vorazes e Divergente”, defende o escritor. Mas ele não enxerga o gênero como sendo direcionado a uma faixa etária específica. “O que existe é uma literatura fantástica dirigida ao público infanto-juvenil (Harry Potter e as Crônicas de Nárnia), ou dirigida a adultos e que caiu no gosto juvenil - J.R.R. Tolkien, autor de O Senhor dos anéis-  e a de entretenimento (Crônicas de Gelo e Fogo, de George. R. R. Martin)”, exemplifica. “Os livros de Ray Bradbury (Fahrenheit 451, Algo sinistro vem por aí, Um cemitério para lunáticos) ou do Lewis Carroll (Alice no país das maravilhas, Alice através do espelho) transcendem a questão de faixa etária”, completa Walther. 

    CONCEITOS HISTÓRICOS – Uma das mais recentes definições de literatura fantástica foi descrita pelo escritor, filósofo e crítico existencialista francês Jean-Paul Sartre (1905-1980). Para ele o fantástico é o absurdo vivido no mundo real; o caos da vida contemporânea. O fantástico, no entanto, entrou na literatura quando a escrita ainda nem existia. Para o escritor norte-americano H. P. Lovecraft (1890-1937) - conhecido por revolucionar o terror adicionando fantasia e ficção científica -, o fantástico começou com as lendas e mitos religiosos contadas pelos povos primitivos. Já o filósofo e teórico literário búlgaro Tzvetan Todorov (1939-2017) defendia que o fantástico se localizava na fronteira entre o real e o sobrenatural. Se o leitor interpretar o inexplicável como metáfora, o fantástico deixa de existir.

    SINOPSES DOS LIVROS DA CEPE DESCRITA PELOS AUTORES:

    Dois nós na gravata, de Rômulo César Melo (R$ 25 - livro impresso; R$ 9,50 - e-book)

    O Dois nós na gravata é o começo do meu experimento com o gênero. Diria que podemos pinçar do livro contos que flertam com o Fantástico, embora não se possa dizer que se trata de uma obra mergulhada nesta temática, porque inexiste uma unidade em torno dela. Há, por exemplo, um conto que trata de uma volta ao paleolítico por meio do toque das mãos de uma paleontóloga em pinturas rupestres; outro em que o personagem se excede na bebida e sofre de supostas alucinações que o levam ao começo do namoro com sua atual esposa, fato que poderá modificar toda a história da relação; o que encerra o volume, um dos que mais aprecio, narra o final da vida de Machado de Assis, viúvo e doente, que recebe a visita de seus dois principais personagens, Bentinho e Brás Cubas, ambos vêm cobrar direitos sobre a continuação de suas próprias histórias de vida e destinos. Somente por estes exemplos, nota-se que há uma pitada de fantástico entre outros contos mais realistas.

    Anjo Negro, de Paulo Schmidt (R$ 40 - livro impresso; R$ 9,90 - e-book)

    O pressuposto fantástico do Anjo Negro é o de que a tradicional resistência do Brasil ao progresso, a incapacidade do seu povo de se livrar da miséria, e a assustadora perversidade da sua corrupta classe política, possuem uma causa sobrenatural: a presença no país, desde a colonização, de duas facções tenebrosas que vêm se alternando no poder ao longo da história. Essas duas facções são os lobisomens, ou zevianos, e os vampiros, ou atalefitas, que representam, respectivamente, os extremismos de direita e de esquerda. Embora inimigos naturais, tanto zevianos quanto atalefitas lutam para perpetuar a pobreza no país, pois as grandes massas de miseráveis, desamparadas e ignoradas pelas autoridades, servem de alimento aos zevianos, que os devoram, sobretudo no campo, e aos atalefitas, que lhes sugam o sangue, sobretudo nas cidades. No romance, portanto, os elementos fantásticos (lobisomens e vampiros) são personificações de mazelas nacionais, que o presidente Getúlio Vargas e seu guarda-costas, Gregório Fortunato (o Anjo Negro do título) lutam para extirpar.

    Todas as coisas sem nome, de Walther Moreira (R$ 30 - livro impresso; R$ 8,91- e-book)

    Em contos como “No pequeno café pierrot”, “Liquidação de verão” ou “Ela permaneceu encostada à sacada” (Todas as coisas sem nome) há flertes com o fantástico quando, por exemplo, imagino o Anjo da Morte e São Miguel Arcanjo, trabalhando na polícia do Rio do Janeiro e ambos dividindo uma kitnet. Eu não sei por que isso acontece em minha literatura. É como se o “real” não desse conta de certos temas, de certos sentimentos.

    Legião anônima, de João Paulo Parísio (R$25 - livro impresso; R$ 8,91 - e-book)

    É um livro quase completamente ambientado no Recife contemporâneo. O fantástico emerge do próprio cenário urbano que nos é familiar, seja em plena avenida Conde da Boa Vista, seja na intimidade de um apartamento nos Aflitos onde alguém mora só. A premissa não premeditada, digamos, é a fusão das substâncias do dito real e natural, inclusive através da violência e da escatologia, com o dito irreal e sobrenatural, inclusive através do monstruoso, operação da qual talvez resulte a sensação de que a distinção entre essas instâncias não passa de um artificialismo afetado, e reconfortante, da civilização. O fantástico é um expansionismo, não um escapismo.

    Os títulos podem ser adquiridos na loja virtual da Cepe: https://www.cepe.com.br/lojacepe/ 

    Assuntos: cepe, cultura, livro
    Compartilhe: Link para o post: