meteorologia

Bacias Hidrográficas

Obra em todo lugar

Veja o que o Governo de Pernambuco está fazendo na sua região.

Blog de notícias

Eduardo no Pajeú: ”A sede tem pressa”

| Agricultura, Administração

Após passar por Itaíba e Sertânia, o governador Eduardo Campos visitou, nesta quinta-feira feira (17), quatro cidades do Sertão do Pajeú (Santa Terezinha, São José do Egito, Itapetim e Brejinho) para entregar e autorizar a implantaçãode adutoras e sistemas de abastecimento d’água. As ações vão ajudar aminimizar os efeitos da estiagem na região.

Depois de passar por Itaíba e Sertânia, a comitiva do Governo do Estado chegou a Santa Terezinha, a 440 quilômetros do Recife para inaugurar uma nova adutora. Com dois quilômetros de extensão, ela vai beneficiar os cerca de 11 mil habitantes do município. A implantação foi feita em caráter emergencial num período de 45 dias por determinação do governador, em resposta ao pedido feito por lideranças do município.

A obra tornou-se necessária, pois a estiagem quase secou a Barragem de São José que abastecia a cidade. A solução encontrada pela Compesa foi captar água a partir da Barragem do Tigre, também conhecida como Barragem do Cascudo, localizada no município.

A construção das adutoras é, para o governador, a resposta definitiva para os danos causados pela estiagem na região do Semiárido pernambucano. “A sede tem pressa. Por isso cuidamos da urgência, mas sem esquecer do futuro. Com as adutoras nós vamos garantir um futuro sem emergências como essas que vivemos hoje”, explicou Eduardo.

 Aliviada e satisfeita com a medida, Maria Gomes, 73 anos, contou como ficou sabendo da boa notícia. “Quando fui na casa do meu vizinho e ele abriu a torneira, gritava ele e gritava eu em ver a água correndo”, comemorou a dona de casa.

De Santa Terezinha, Eduardo seguiu para Riacho do Meio, distrito de São José do Egito para levar mais uma boa notícia: a garantia, de uma só vez, da regularidade e qualidade do abastecimento d’água. Na presença de centenas de moradores, ele anunciou a construção de uma adutora e a operação dela pela Compesa. Com a medida, cerca de 1000 famílias receberão, pela primeira vez, água tratada nas torneiras. A ação também representa uma economia de R$ 42 mil por mês, valor desembolsado pelo Estado para o pagamento de carros-pipa.

A adutora terá nove quilômetros e vai levar a água do poço encontrado recentemente na Baixa da Ovelha até o distrito de Riacho do Meio. O manancial descoberto, apelidado pelo secretário Ranilson Ramos, de “mina de ouro”, tem 30 metros de profundidade e quando estiver concluído alcançará uma vazão de 24 mil litros de água por hora.

O abastecimento d’água em Riacho do Meio ficou comprometido em virtude da contaminação, por uma bactéria, do manancial que abastecia a cidade, o que tornou a água imprópria para o consumo. A obra da adutora, avaliada em R$ 1milhão, será realizada pela Compesa em parceria com o Instituto do Agronômicode Pernambuco (IPA). A previsão é de que ela seja concluída em até 90 dias.

Além dos moradores de Riacho do Meio, os cerca de 24 mil habitantes da área urbana de São José do Egito também darão adeus ao racionamento de água. O município será contemplado com a implantação da Adutora do Rosário. Com 52 quilômetros de extensão, a adutora receberá investimentos de R$ 10,5 milhões

Em suas passagens pelos municípios, Eduardo fez questão de prestar contas de todas as ações que estão sendo realizadas para amenizar os efeitos da estiagem no Agreste e Sertão do Estado. Eduardo garantiu, entretanto, que a solução definitiva para a seca na região se dará com a conclusão da Adutora do Pajeú.

“O Sertão do Pajeú tem direito às águas do São Francisco. O Velho Chico não passará por Pernambuco sem matar a sede dos sertanejos dessa região. É uma obra que vai demorar de dois a três anos, mas que vai resolver a situação”, assegurou o governador, explicando que a licitação do segundo braço da adutora já foi autorizada pela presidenta Dilma.

ITAPETIM E BREJINHO – Os dois municípios sertanejos receberão sistemas de abastecimento de água. A implantação é fruto de convênio de cooperação técnica firmada entre a Secretaria de Agricultura e Reforma Agrária, o InstitutoAgronômico de Pernambuco e as prefeituras das respectivas cidades.

Em Itapetim o investimento é da ordem de R$ 200 mil. Desse total, R$ 190 mil será bancado pelo Estado e o restante pelo município. A implantação do sistema de abastecimento d’água vai beneficiar 76 famílias das Vilas de Gameleira e Cacimbinha.

Já em Brejinho, o aporte será de R$ 455 mil, valor que será desembolsado integralmente pelo Governo do Estado. Caberá ao município apenas contratar e fiscalizar a execução dos serviços. O sistema de abastecimento d’água de Brejinho vai beneficiar cerca de 150 famílias que moram no sitio Videl e em Lagoa dos Campos, área rural do município.

 

Cidades: Brejinho, Itaiba, Itapetim, Santa Terezinha, Sertânia, São José do Belmonte
Assuntos: Não há assuntos relacionados.
Compartilhe: Link para o post: